1. Spirit Fanfics >
  2. Aulas >
  3. Erros comuns I – Vocativo e Aposto

Aula Erros comuns I – Vocativo e Aposto


Por:


Erros comuns I – Vocativo e Aposto


Escrita por Carter-
Nível: Básico


Olá, meus amores, voltei com mais uma aula para vocês. O tema será “Vocativo e Aposto”, prestem muita atenção nos exemplos para maior entendimento, vamos lá!


Vocativo:

Vocativo nada mais é que um termo isolado de uma oração. Não faz parte do sujeito nem do predicado.

Ele serve para chamar o interlocutor, ou seja, chamar o ouvinte pelo nome, apelido ou característica. É sempre separado por vírgulas, seja no início, no meio ou no final da oração.

Exemplos:

Rita, preciso de sua ajuda.
Você se enganou, meu bem, pode vir quente que estou fervendo.
Preciso de sua ajuda, Maria!

Cuidado!
Não confundam sujeito com vocativo.

Exemplo:
Maria, a senhorita poderia me passar aquele copo?
O vocativo é Maria - (Estou falando com a Maria).
O sujeito é a senhorita - (Quem poderia me passar? A senhorita, logo, a senhorita é o sujeito desta frase)

Dicas para não se confundir!
1. Para achar o sujeito, olhe para o verbo e veja em que pessoa ele está conjugado.
2. O vocativo sempre será o ouvinte.



Aposto:
Aposto é o termo que se liga a um substantivo ou pronome. Sua função é esclarecer, especificar, resumir ou enumerar os substantivos ou pronomes. Em outras palavras, o aposto é o detalhe extra de uma oração. Ele é o termo acessório, aquele que traz uma informação a mais, mas são dispensáveis para o entendimento. E nem sempre são separados entre vírgulas.

Exemplo de Aposto:
Maria, a ruiva mais bela, deixou cair seu lenço.

Veja que “a ruiva mais bela” é uma informação a mais de Maria e não faz diferença retirá-la do texto, logo:

Maria deixou cair seu lenço.

Não ocorreu diferença, não é?!

Classificações dos Apostos


1. Explicativo: Usado para explicar o termo anterior.
Exemplo:
Pedro Alvares Cabral, fidalgo e explorador português, descobriu o Brasil em 22 de abril de 1500.

2. Enumerativo: Usado para enumerar/especificar o termo anterior.
Exemplo:
Rita trouxe os brinquedos: bonecas, carrinhos, jogos e bambolês.

3. Resumidor: Usado para resumir os termos anteriores.
Exemplo:
Bonecas, carrinhos, jogos e bambolês, Rita desta vez trouxe todos os seus brinquedos.

4. Especificador: Usado para especificar e individualizar o substantivo do sentido genérico, sendo o único que dispensa o sinal de pontuação.
Exemplo:
O dramaturgo Willian Shakespeare é o criador das tragédias Romeu e Julieta e Hamlet.

5. Distributivo: Usado para distribuir informações separadamente.
Exemplo:
Rita e Maria são excelentes professoras, Rita em português e Maria em história.

6. Comparativo: Usado para comparar um termo da oração com algo.
Exemplo:
Os olhos dela, tão negros quanto um eclipse, desviaram-se do olhar de Raul.

7. Aposto de oração: Usado quando uma oração apresenta valor apositivo e encontra-se sinteticamente dependente da outra.
Exemplos:
Rita pulou corda o dia todo, sinal de disposição.

Maria caiu da escada e quebrou as pernas, situação que me deixou extremamente preocupada.

Você ainda permaneceu com dúvidas? Deixe um comentário falando sobre ela! Eu responderei cada dúvida remanescente. Muito obrigada pela sua atenção e espero que vocês tenham gostado. Até a próxima!



Carter-
Beta Reader

Gostou da Aula? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...