Fanfics de Bangtan Boys (BTS) com os gêneros Shonen-Ai e Yuri (Lésbica) - Classificação Dezesseis

Imagines BTS escrita por Moonlight_yuna

Fanfic / Fanfiction Imagines BTS
Em andamento
Capítulos 8
Palavras 3.389
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Gêneros Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, LGBT, Literatura Feminina, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Imagines pequenos para você se iludir com esse 7 homens maravilhosos
Kim Namjoon
Kim Seokjin
Min Yoongi
Jung Hoseok
Park Jimin
Jeon Jungkook
Kim Taehyung
  • 15
  • 1

SCHOOL 19 - WHO IS YOU? escrita por Laixon

Fanfic / Fanfiction SCHOOL 19 - WHO IS YOU?
Em andamento
Capítulos 2
Palavras 1.917
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Gêneros Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Esporte, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
"Existe uma forma poética para falar a respeito de desejos sexuais? Assim talvez eu pareça menos pervertida."
  • 2
  • 1

Music escrita por bacalhauvavatus

Fanfic / Fanfiction Music
Em andamento
Capítulos 1
Palavras 355
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Gêneros Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Zona norte de Seul: J. Hoseok é um lúpus latino-coreano , dançarino de rua que vive do jeito que quer, um espírito livre e feliz.
Zona sul de Seul: M. Yoongi, ômega, estudante de música clássica na faculdade de maior prestígio da Coreia, perfeitinho e intocável
Filho de um dos alfas mais temidos de toda Coréia luta contra o preconceito do pai ao conhecer o lúpus mestiço em um café no centro da cidade.
  • 0
  • 0

Love between boys escrita por Jeon_Jaqueline

Fanfic / Fanfiction Love between boys
Em andamento
Capítulos 9
Palavras 5.008
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink
Gêneros Hentai, LGBT, Luta, Shonen-Ai, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Esta história fala sobre sete rapazes que se conheceram numa escola e acabam por se apaixonar e ter um relacionamento.
  • 5
  • 9

A familia BTS escrita por Chimy_tata_mang e hinata_otaku324

Fanfic / Fanfiction A familia BTS
Em andamento
Capítulos 5
Palavras 1.258
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Gêneros Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Nessa família tem muito barraco e muita putaria, essa fanfic será narrada por mim e alguns p.o.v nos meninos.

Aviso muito barraco
  • 7
  • 1

Friendzone Forever? escrita por _Psycho_Girl_

Fanfic / Fanfiction Friendzone Forever?
Em andamento
Capítulos 1
Palavras 2.657
Atualizada
Idioma Português
Categorias Ariana Grande, Bangtan Boys (BTS), Berserk, Blackpink, Demashitaa! PowerPuff Girls Z, Demi Lovato, Hora de Aventura, Justin Bieber, Katy Perry, Manu Gavassi, Martin Garrix, Melanie Martinez, Meninas Super Poderosas (The Powerpuff Girls), Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug), Shawn Mendes
Gêneros Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela, Saga, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
[...] "Estava dormindo calmamente em minha deliciosa e macia cama quando ouço batidas insuportáveis no andar de baixo. Cubro meus ouvidos com as cobertas e enfio minha cara debaixo do travesseiro, mas o barulho só aumenta. Irritada, olho para o despertador digital ao meu lado e desço as escadas, bufando de ódio. QUEM EM SÃ CONSCIÊNCIA VAI TOCAR A CAMPAINHA DA CASA DE ALGUÉM AS DUAS HORAS DA MANHÃ?! Se bem que, esse "sujeito" - pra não falar outra coisa - , tava batendo na porta, ao invés de tocar a campainha né....

Irritada, sigo em direção a cozinha e pego um taco de baseball que estava jogado perto da geladeira e sigo em direção a porta, marchando como um soldado. Ao abrir a porta, um vulto verde me derruba no chão e, só então, me toco de quem era o louco que bateria na minha porta as duas horas da manhã, ao invés de tocar a campainha. Vai começar tudo de novo...

- Oi Docinho. - Falou, me sufocando no abraço.

- Butch... Sem... Ar.. - Falo sufocada e ele diminui o aperto, mas não me solta. - O que você tá fazendo aqui? - Pergunto assim que o abraço fica mais leve, e ele me ignora, descendo seus braços de meu pescoço para minhas costas, ainda me abraçando no chão da sala.

- Nossa Docinho, as pessoas de hoje em dia não mais as mesmas, nem pra me mandar ir à merda elas servem mais. - Falou brincalhão, me fazendo revirar os olhos e começar a tentar me soltar de aperto. - Não vou te soltar não, Docinho .- Falou infantil, enquanto sorria carinhosamente. Tá bom, tá bom, respira fundo e um... dois... três... quatro... cinc-... QUE?!

Paro minha contagem ao sentir ele apoiar sua cabeça na minha barriga e minhas bochechas queimarem de vergonha.

- O QUE ESTÁ FAZENDO IDIOTA?! - Grito envergonhada e começo a tentar me soltar novamente, mas paro ao ver que ele não estava fazendo nada além de me abraçar, mas mesmo assim, me sentia incomodada. Passamos longos minutos em silêncio, até eu sentir ele se levantando, logo me deixando corada ao beijar minha bochecha delicadamente e me derrubar no carpete da sala em outro abraço, enquanto em seus lábios nascia um sorriso contente. Um, dois, três, quatro... Deus, daí-me paciência, porque se me der forças eu...

- Tava com saudade de você, Docinho. - Fala, me esmagando entre mais um abraço e interrompendo o meu pedido de paciência para não quebrar o pescocinho desse idiota, com Deus.

- Nos vimos ontem. - Falo, revirando os olhos, como se tivesse ouvido a piada mais sem graça do mundo.

- Preciso ver sua beleza todo dia, minha Docinho. - Minhas bochechas coram de leve e eu revirou os olhos, já sabendo o que ia acontecer dali pra frente...

- Não basta nos vermos na cidade, no bairro, na escola, na rua, no prédio e em casa? - Pergunto irônica, sentindo os pelos do meu pescoço eriçarem ao sentir sua respiração quente em meu pescoço. Droga...

- Não. - Falou simplesmente, fazendo o silêncio se instalar pela sala durante longos minutos, totalmentes entediantes. Ao sentir seu aperto ficando mais forte, e seus braços descendo para minha cintura, o empurro brutalmente, e o vejo emburrando a face, fazendo bico de criança mimada, o que me faz revirar os olhos e soltar um sorrisinho mínimo, por culpa de seu comportamento imaturo e infantil.

- Você é má Docinho, muito má... - Falou, sentando ao meu lado no carpete verde da sala, após eu fechar a porta e largar o taco de baseball no chão, enquanto me encarava de olhos semicerrados. - Por que estou com uma leve impressão de que você queria bater com aquele taco de baseball na minha cabeça? - Perguntou, encarando o taco jogado no canto da sala, logo se virando para mim, me encarando com aqueles olhos verdes brilhantes.

- Talvez por ter me acordado em plenas duas horas da madrugada? - Perguntei irônica, e bocejei com sono, apoiando minha cabeça no braço do sofá atrás de mim. - O que veio fazer aqui a essa hora? - Perguntei de olhos fechados, cansada. Já era a TERCEIRA vez que ele vinha na minha casa a essa hora, com a desculpa de "vim ver você" essa semana, além de que, ontem foi um dia bem cansativo para mim, já que sou treinadora do time masculino de futebol do colégio, mas deveria ter sido um dia bem mais cansativo para ele, já que ele também participou dos treinos e é o capitão do time masculino de futebol e basquete da escola, ele passou a tarde jogando baseball comigo e depois ainda veio me "visitar" a noite, nessa mesma hora...

- Não posso mais vir ver a minha namorada? - Perguntou, me fazendo o encarar descrente. É sério isso produção? De novo essa história? Eu mereço...

- É sério isso Butch? De novo com essa história de "minha namorada"? - Pergunto irônica, revirando os olhos logo em seguida. - Eu já te disse mais de seis mil vezes Butch! Não somos namorados! Somos só amigos! - Falo cansada, me deitando no carpete da sala.

- Isso é o que você diz, não o que eu acredito, ou o que você quer... - Fala, se aproximando de mim, me fazendo levantar e o encarar ainda incrédula. Aí meu Deus, eu só posso ter tacado pedra na CRUZ e pintado o túmulo de JESUS com tinta néon, porque, mano não dá pra acreditar, ele é muito idiota, não sei nem como ele consegue ser o cara mais desejado e popular do colégio...Tá, tá bom, eu tenho que admitir, esse panaca não ficou nada mal com os anos, tá, ISSO, eu não posso negar, já que, com o passar dos anos, sua mentalidade inocente foi substituída pela pervertida e ousada que usa hoje em dia, e seu corpo ganhou o porte atlético de um jogador de futebol americano, além de sua pele ter ficada mais bronzeada por culpa dos esportes, e seus cabelos negros ficarem arrepiados para cima com gel de forma rebelde, e seus olhos esverdeados transmitirem malícia pura, e em sua orelha haviam vários piercings, o deixando com um ar malicioso, que poderia ser sentido de longe, mas ainda sim, ele ainda tinha um aspecto infantil e idiota, no qual só eu conseguia entender, e, incrivelmente, de um modo surpreendente, eu consigo aguentar.

- Butch, fala sério cara... Eu te conheço desde os seus dez anos mano! - Falo cruzando os braços, irritada. Hoje seria mais uma noite de brigas. - Você é como um irmão pra mim! Põe essa porra dentro da sua cabeça logo e entenda que nós somos só A-MI-GOS, entendeu? A-M-I-G-O-S! - Falo irritada, o vendo fechar a cara e parar a poucos centímetros de distância de mim.

- É sério isso Buttercup!? Será que você é tão cega assim?! - Perguntou irritado, respirando fundo várias vezes, tentando manter a calma. - Eu te amo sua idiota! Eu sempre te disse isso! Desde pequeno eu te falo isso! Mas você não acredita! - Esbraveja, fazendo o último fio de paciência que eu tinha se esgotar. Será que é tão difícil para ele entender que eu o quero somente como um A-MI-GO?! MEU DEUS...

- Butch, eu não sou trouxa de cair em seus joguinhos não, ok?! Eu não sou como aquelas idiotas do colégio não tá?! - Falo irritada, logo fazendo eu e ele entrar em uma discussão sem fim. Após vários xingamentos, ofensas e gritaria, eu resolvi encerrar essa discussão idiota.

- Já chega! Butch, vai embora AGORA! - Grito, mas o moreno não se mexe, e fica me encarando com cara de deboche. - Você não me ouviu?! Eu mandei você ir embora! AGORA! - Cruzei os braços irritada, e bati os pés com força no chão, uma coisa que aprendi com a minha mãe quando pequena, que eu nunca consegui parar de fazer, como inflar as bochechas quando fico envergonhada e ranger o maxilar quando estou irritada... - SAIA DAQUI AGORA SEU IMBECIL!

- Acho que com todos esses anos que estamos juntos você não aprendeu quatro coisas sobre mim, Docinho... - Riu fraco e se levantou, andando em minha direção, me cercando, como se eu fosse sua presa, e ele o caçador, o que me fez me afastar, até encostar na parede que dividia a sala da copa, ou, como minha mãe gosta de chamar, sala de jantar. - Primeira coisa : Ninguém manda em mim, e eu sou quem dita as minhas próprias regras... - Falou, após por seus braços em volta do meu pescoço e suas pernas em volta do resto do meu corpo, me fazendo ficar encurralada. Droga... Ele fumou toddy hoje? Só pode! - Segunda coisa : Eu ODEIO receber ordens, seja de quem for... - Falou, e um sorriso malicioso começou a surgir em seu rosto... Droga, droga, DROGA! - Terceira coisa : Eu sempre consigo o que EU quero, independentemente do que for... - Seu sorriso malicioso aumentou, me fazendo sentir um arrepio na espinha. Puta merda, me fudi de vez agora... O que esse retardado vai fazer comigo?! - Quarta, e última mas não menos importante, coisa : Eu sou perdidamente apaixonado por você. - Falou, logo me beijando, me fazendo arregalar os olhos surpresa, já que, em todos esses anos, mesmo nas diversas vezes que ele vinha aqui em casa, ele NUNCA tinha feito isso antes, em nenhuma das nossas brigas e discussões. Ainda confusa e sem muito controle sobre meu corpo, e, absolutamente NENHUM controle sobre a situação, fecho os olhos e me entrego lentamente ao beijo, sentindo sua língua e a minha travarem uma batalha voraz, uma contra a outra, dentro de nossas bocas. [...]"

*Em andamento*
  • 14
  • 2

Neide (short fic) escrita por 17_Blue_chan

Fanfic / Fanfiction Neide (short fic)
Em andamento
Capítulos 2
Palavras 779
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Gêneros Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Adolescente, LGBT, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Ei você, sim você mesmo, você que está lendo isso. Pode me dar um minutinho de sua atenção?

Se você é fã de BTS, (ou Bangtang Boys, se assim preferir chamar) certamente já assistiu paródias, ligações e ASMR's ou simplesmente leu alguma fanfic, certo?

Se já fez alguma destas coisas mencionadas, certamente já ouviu falar de mim, eu, a personagem que aparece nessas pequenas fics, como uma personagem antagonista e vilã. Já sabe quem sou, né?

Sim, eu sou a odiada Neide.

Antes que resolva tacar pedras em mim, você gostaria de ouvir minha história?

Sente-se, relaxe, tome um cafézinho. Tenho muito o que falar.

Eu sempre me pergunto a imagem que vocês têm de mim, sempre que encontro algum conteúdo sobre BTS em que esteja envolvida. Eu nunca sou retratada de uma maneira legal, eu entendo o lado de vocês, mas... É muito doloroso ler o que vocês pensam de mim. Mas tudo bem, eu não guardo rancor de você, nem dessas outras pessoas.

Eu, que sempre sou retratada como uma falsiane, uma vadia, vaca, como uma "cobra" e outras palavras ruins e por aí vai... Apenas alguém que detesta o BTS e sempre tenta arruinar suas vidas, ou até mesmo a clássica inimiga de Park Jimin, e que sempre tenta roubar seu querido e amado Jeon Jungkook. E talvez mais algumas coisinhas... Tudo bem que uma pequena parcela disso tudo seja verdade...

Mas então, eu gostaria de saber? Por quê eu? Qual o motivo de tanto ódio? O que fiz de tão grave? Já se perguntaram por que eu sempre sou a vilã?

A verdade está nas palavras a seguir, fique a vontade, contarei minha história, talvez demore um pouco.

Sou uma staff normal, uma das encarregadas de tomar conta do Bangtang, sou uma army que dá o seu melhor pelo bem dos seus ídolos (ou ao menos tenta).

Tudo começou quando me tornei staff do meu grupo utt, parecia que tudo estava indo bem. Mas um mal entendido arruinou tudo...

Mas quero que saiba que, mesmo que ele seja meu inimigo, mesmo que me odeie, despreze e me veja com maus olhos, mesmo que nós dois fiquemos nessa rivalidade eterna, mesmo que o mundo esteja contra mim por sua causa, quero que saiba que jamais poderei deixar de lado o carinho e admiração que sinto por Park Jimin.
  • 7
  • 2

Sky Is Blue; Yoonseok escrita por HoseokJeon

Fanfic / Fanfiction Sky Is Blue; Yoonseok
Em andamento
Capítulos 2
Palavras 1.461
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, EXO
Gêneros Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Jung Hoseok, filho do deus dos céus, um anjo ingênuo e tão suave que nem as nuvens que cobriam o reino dos céus...
Min Yoongi, um simples guerreiro demoníaco que não seguia ordens, e tão brutal quanto o fogo que queimava no inferno...
Será que duas pessoas tão diferentes conseguiriam conviver juntas? Ou até mais que isso?....
  • 2
  • 3

Promise - Jikook escrita por LaddyBunnyFics

Fanfic / Fanfiction Promise - Jikook
Terminada
Capítulos 29
Palavras 13.139
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Gêneros Comédia, Festa, Ficção Adolescente, LGBT, Shonen-Ai, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Em um bairro dotado de Busan moravam Jeon Jungkook e Park Jimin!
Eles dois namoravam, iria completar 1 ano!
Jungkook era um estudante, sonhava em ir para uma faculdade no centro de Seoul e ser um grande idol também... enquanto Jimin amava música, ele gostaria de ser um grande músico solista um dia!!!
Quando a vida dos dois muda completamente e os dois seguem caminhos diferentes!!!
  • 48
  • 38

O pequeno - Yoonmin ( EM REVISÃO ) escrita por MalukaporJikook

Fanfic / Fanfiction O pequeno - Yoonmin ( EM REVISÃO )
Terminada
Capítulos 13
Palavras 14.481
Atualizada
Idioma Português
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Gêneros Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Lírica, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Um amor entre humano e um espírito? Isso era real? Ou apenas imaginação de jimin?

©MalukaporJikook
  • 9
  • 2