O canal grupos está sendo desativado, para mais informações clique aqui.

Tópico Jardim Externo

28 Respostas

Ashter

Usuário: Ashter

Administrador do Grupo
O JARDIM EXTERNO


O Jardim, como o próprio nome sugere, é uma estrutura mais externa aos principais prédios do Colégio Interno Kokuri. Serve como uma área de lazer, descontração e apreciação - afinal, há uma grande diversidade de belas flores e plantas, todas muito bem cuidadas pelos funcionários da instituição e pelos próprios alunos.

Que tal um piquenique ou um encontro romântico aqui?

Captain_Price

Usuário: Captain_Price
Awesomesauce!

Hirato Tsuykashi | 23 anos | Supervisor Geral | Voz

Aquele era para mim um momento solene. Mais um ano letivo estava se iniciando, o que significava muito trabalho pela frente, mas antes de tudo eu precisava tomar um tempo para espairecer, respirar fundo e me conectar comigo mesmo. Tomei em mãos o livro Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley. As críticas do livro me deixam absorto e costumo lê-lo com frequência por admirar o estilo de escrita do autor. Respiro fundo novamente e, sentado aos pés de uma árvore, olho adiante de mim, para o verde que me cerca. O silêncio do local contrasta com os ruídos do colégio e seus corredores, sempre lotados de jovens barulhentos e curiosos. Solto um pequeno sorriso ao notar que pareço um idoso ao divagar sobre tais coisas. Ajeito meus óculos e continuo minha leitura, sabendo que daqui a algumas horas não terei mais tanto tempo para mim, por isso melhor aproveitar.

Noodless

Usuário: Noodless
Is this the real life?


DARIUS VON YOBAMI

18y Campus A Divisão Ouro

Era realmente complicado para uma pessoa como Darius se manter fora de problemas, porque às vezes ser bom era sinônimo de desobedecer regras. Já havia sido revistado duas vezes desde que havia chegado por ter portado uma quantidade grande de pílulas e ampolas, sendo então acusado de tráfico ou coisa parecida. Ninguém acreditava que ele dava aqueles medicamentos a animais que sempre procurava resgatar. Bom...ele estava irritado.

Estava irritado e não era nada bom em esconder tal sentimento. Andava de braços cruzados e rosto emburrado, quase como faria uma criança. Felizmente isso havia sumido quando ouviu um miado distante, e então, tornou-se furtivo e alerta. Sua missão agora era encontrar a fonte daquele miadinho fofo, e logo encontrou: um filhote de gato magrinho e de pelo cinzento, mas somente de sujeira, pois nasceu branco. Precisava alimentar o gato imediatamente, quase como algum tipo de...instinto materno.

Ainda assim, desconfiava que era proibido carregar animais de rua por aí dentro do campus, então o escondeu da melhor forma possível dentro de seu moletom, e tossia sempre que o infeliz miava...e ele miava muito. Quem o olhasse de longe logo teria duas conclusões: ou estava escondendo alguma coisa, ou estava muito doente. [talvez ambos] De qualquer modo, apressou o passo.

Akira_Chan01 - Clan Serafim

Usuário: Akira_Chan01
Uma INTJ qualquer.


Chie Yobami -18 anos/Presidente da Yo&In Corporation(empresa farmacêutica)/Câmpus B/Divisão Ouro



Andava calmamente pelo corredor que guiava-a para o Jardim Externo. Havia passado no seu quarto primeiro para poder pegar seu caderno de desenho, lápis, boracha e, claro, seu amado copo reutilizável de café. Amava esse copo como se fosse seu filho(a), já tomara 3 copos de café com leite nesse copo e essa era a quarta vez. Prosseguindo, andava tranquilamente enquanto procurava um lugar na grama verde para sentar-se. Quando andava em direção do lugar ideal que achara, um garoto acabou esbarrando nela, porém não chegou a derrubá-la.

- Ei, olhe por onde anda garoto! - disse rispidamente enquanto olhava melhor o garoto.

Ele contorsia-se todo enquanto tossia descontroladamente, pareceria querer esconder alguma coisa... Chie sabia melhor do que ninguém quando alguém estava escondendo algo, ou mentindo, e aquele garoto estava aprontando alguma coisa... ela sentia isso, como se fosse um sexto sentido. Como não é desse tipo de garota que fica calada, a mesma foi retirando a sua dúvida.

- Eh, garoto desculpa me intrometer, mas você parece estar bem mal...- disse Chie tocando no ombro do moreno e chegando mais perto. Perto o suficiente para que suas próximas palavras sejam ouvidas apenas pelos dois.- Ou você está escondendo alguma coisa embaixo desse seu moletom...?- Chie aproximou-se mais do garoto tocando na mão do garoto que estava depositada em sua barriga e lançou um de seus melhores sorrisos de retratar que era confiável, porém, com uma pontinha de provocação em seus lábios e além de uma de suas sobrancelha levemente arqueada. Aproximou mais um pouco - Pode confiar em mim, você parece um pouco preocupado.

De algum modo aquele garoto chamou sua atenção. Talvez pelo seu rosto singelo ou por reconhece-lo de algum lugar e não lembrar de onde... mas iria descobrir, Chie sempre descobre e talvez, apenas talvez, aquele garoto seja um bom amigo naquela escola onde existia apenas falsidade, luxúria e ignorância.

HO_PE - Clan Fantasy

Usuário: HO_PE
Filha do gato de botas

EDWARD Romanov D' Castela || Professor de Educação Física || 25 anos || Panssexual

A noite passada tinha sido difícil para Edward, alguns pensamentos o perturbavam, incomodando sua noite e o deixando com algumas olheiras por ter dormido pouco, talvez tivesse que usar do café pra manter-se mais esperto, ainda que humildemente não achasse que precisava de "tanto". Para espantar a frustração de uma noite mau dormida, obviamente foi correr. Tinha chegado no colégio no meio do ano passado, e sentia-se um pouco prisioneiro em uma ilha afastada, mas a oportunidade lhe pareceu boa quando olhava de fora, mas não se arrepende no fim das contas. Ainda. Avistou Darius por ali e, ele era ridiculamente suspeito de um crime ou de uma tuberculose. Edward riu, incrédulo e foi andando logo atrás dele. Para sua surpresa, Chie, o pequeno "pitoco" de gente estava no caminho do rapaz. As vezes em pensamentos longos e aleatórias, Edward imaginava que se tivesse uma irmã mais nova certamente se pareceria com a moça, ou talvez fosse mais bonita. O Russo se aproximou de ambos, estreitando os olhos em suspeita, e não sendo nada discreto na aproximação. — Senhorita Yobami, por favor, não ultrapasse o espaço pessoal de seus colegas. Privacidade. Parece uma mafiosa coagindo Darius desta forma. — Insinuou com os olhos arregalados em repreensão, ao mesmo tempo simpatia e, humor. Edward olhou de canto para a jaqueta do garoto, notando algo se mexer mais do que os braços do rapaz. — O pedi para trazer uns lanches para mim, sim? Se a cozinheira do colégio me pega traficando esses lanches vai me da uma colherada, e achar que não gosto da comida dela. — Ele estava claramente sendo irônico, mas articulava como se fosse verdade. — É nosso segredo, ok senhorita? Venha Darius. — O chamou, já dando passos para trás, insinuando que o levaria com ele para guardar o que tinha pedido.

Noodless

Usuário: Noodless
Is this the real life?


DARIUS VON YOBAMI

18y A Gold

Enquanto o moreno apressava o passo com o objetivo de sumir com o gato, uma entidade surgiu de um portal, porque ele tinha certeza de que a albina em quem esbarrou não estava lá antes. Sua ação imediata foi proteger o gatinho, e em seguida, corar das bochechas até as orelhas. Era realmente um idiota. — Ahm! Perdão...eu...juro que não te vi aí. Tenha um bom dia.— e sua fala foi logo seguida de uma forte tossida, já que o gato havia resolvido que miar alto era uma coisa excelente para se fazer no momento.

Já estava se retirando quando sentiu uma mão tocar o seu...peito, porque aparentemente ele era muito alto para ser tocado no ombro por uma pessoa normal. Ela começou a falar, e ele sentiu seus olhos tremerem em nervosismo. Ela sabia, afinal. Sabia que ele estava escondendo alguma coisa, e nesse exato momento, o gato passou a miar bastante. — O-ora...mas o que é que você está falando? I-isso é só o toque do meu celular- cof cof! Eu preciso ir-...— e então, a garota havia colocado a mão por cima da sua, e então, sorriu. Ele não sabia as intenções da garota, mas se ela tentou passar uma imagem de confiança, falhou miseravelmente. — Eu...não...— e perdeu a fala. Estava acuado, com o gato miando desesperadamente, e uma garota baixinha tocando em si. Já pensava que não tinha como piorar, e logo vem, para a sua infelicidade, o professor Romanov. Era seu fim.

E então, foi surpreendido com aquelas palavras e a expressão do outro albino. Prestou um pouco mais de atenção no nome. — ...Yobami…?— e olhou para a garota mais uma vez. Talvez fossem primos em algum grau. De qualquer modo, aproveitou a deixa do professor para se afastar alguns passos, e aquelas palavras sobre lanche...Darius compreendeu de imediato. — Perdão professor. Não consegui esconder direito dessa vez...— e abaixou a cabeça, como se estivesse envergonhado.

Logo foi chamado para acompanhar o homem, e a sensação foi como se Jesus esticasse a mão para levantar-se do chão. Deu uma última olhada nervosa e corada para a garota e colocou um dedo diante dos lábios, soprando um “shhh” sibilado. Darius era realmente um desastre em ser discreto.

Andou ao lado do professor silenciosamente, sentindo-se bem. Ele e Romanov já tinham certo apreço, já que Darius gosta muito de esportes, e porque é muito bom em quase todos eles. Após se encontrarem em uma distância segura, o moreno soprou a respiração que aparentemente esteve segurando durante todo esse tempo. Estava aliviado. — Obrigado, senhor...— começou, colocando uma mão no zíper da jaqueta, puxando-o. — Mas acho que o senhor não poderá comer seu lanche— e mostrou para ele o filhote magricela a imundo de gato, que “mamava” no tecido de sua camisa, agitando as patinhas no processo.

Akira_Chan01 - Clan Serafim

Usuário: Akira_Chan01
Uma INTJ qualquer.


•°•°•°•°•°•°?Chie Yobami - 18 anos?°•°•°•°•°•°•
•°•°•°•°•°•°? Presidente da Yo&In Corporation(empresa farmacêutica)?°•°•°•°•°•°•
•°•°•°•°•°•°?Câmpus B?°•°•°•°•°•°•
•°•°•°•°•°•°?Divisão Ouro?°•°•°•°•°•°•
•°•°•°•°•°•°?Bissexual?°•°•°•°•°•°•



Ao ver o aparente nervosismo do garoto pelo repentino toque em seu "peito", já que o mesmo possuia uma altura alta além de fortes e definidos músculos, pensou que havia alcançado o ponto fraco do garoto. Porém, infelizmente, seu sorriso que era, normalmente, um transmissor de confiança não adiantou para muita coisa. Não teve muito tempo para investir mais uma vez em seu ataque de persuasão, o professor de educação física, cujo nome era Edward Romanov não sabia mais o que, apareceu e estragou sua incrível chance. Por algum motivo, não gostava daquele professor, talvez, por seu jeito de achar-se muito superior aos demais. Não que ela também não fizesse esse tipo de coisa, mas ele ganhava dela. Além de seu jeito de olhá-la, como se fossem próximos. Mas tinha de respeitá-lo, se bem que com apenas algumas ervas ela poderia... Não! Isso estava fora de cogitação. - Olá professor, - disse secamente para o mais velho enquanto espreitava seus olhos tentando avisá-lo de que chagara em um momento inoportuno, mas falhou miseravelmente. Como ele poderia ser tão esnobe? Havia chegado na metade do ano passado, enquanto ela estava a exatos dois anos, três quando terminasse esse a divisão ouro, anos naquela escola. Sabia tudo sobre aquela lugar. Os horários de alguns professores, alguns atalhos... Ele não sabia tanto quanto Chie, por que possuia um ego tão grande então? - Não queria dar essa impressão para o senhor e nem para nenhum de meus colegas que possivelmente viram essa cena. Mas este garoto aparenta estar passando mal. Além de que não é necessário me chamar de senhorita Yobami, pode me chamar apenas de Chie-san... - Pensou nas últimas palavras de seu professor. Darius, esse era o nome do garoto... é tão óbvio agora que parou para pensar, ele é um membro da família Yobami, talvez eram primos distantes. Haviam mandado à ela diversas pastas com várias informações básicas de participantes da família Yobami. Havia lido algo sobre bom com animais, mas talvez fosse outra pessoa já que nem prestou atenção no que leu. Ouviu poucas palavras após ter escutado o nome do garoto, já que não estava interessada sobre o porque de o garoto estar agindo estranho. Apenas balançou a cabeça em concordância com as palavras que não ouvira.

Visualizou os dois homens, andando um ao lado do outro, até não enchergá-los plenamente. Deveria ter imaginado, aquele garoto é igual aos demais estudantes dessa escola, todos anciando pelo poder. Luxuosos e egoístas demais para terem alguma amizade ou confiar em alguém. Até ela era assim, tinha de admitir isso. Parou de pensar no assunto rapidamente, já que seu encanto pelo garoto sumiu do mesmo modo que apareceu e esse era o único motivo que permitia a ela ficar pensando sobre a conversa anterior, olhou ao redor e avistou um gato, com pelagem negra, olhos azuis claríssimos e um tecido vermelho enrolado em seu pescoço, pulando o muro da escola, subindo no telhado e descendo para a árvore de cerejeira que havia no jardim. Sabia melhor do que qualquer um quem era aquele animal. Mister BlackBerry. Seu formoso gato, faziam dias que não via-o. Olhou em volta para ver se avistava alguém vigiando-a. Ninguém. Andou apressadamente para a árvore na qual o felino estava deitado em um dos galhos enquanto olhava ao seu redor descontroladamente para ter certeza que ninguém olhava-a naquele momento. Pulou. Pulou. E nada de alcançar o seu amado gato, olhou novamente ao seu redor para ver se ninguém veria aquela cena vergonhosa. Apoiou um pé na raiz da árvore e o outro no galho mais baixo. Impulsionou-se e sentou no galho mais baixo, pedindo a Deus que ninguém estivesse ali e, se estivesse, não pudera enxergar sua calcinha que estava debaixo de sua saía azul marinho do uniforme, olhou incrédula para o gato que permanecia no mesmo lugar aparentando estar rindo da garota. - Você deveria ter, pelo menos, tentado descer antes, assim eu não precisaria fazer isso! - pensou por um instante que ela parecia ser maluca, já que, para as pessoas que não viam o gato, ela estava falando sozinha. Subiu mais e mais até finalmente alcançar o galho onde o felino estava. Por incrível que parecesse, ao olhar aquela linda vista, agradeceu Mister BlackBerry por não ter descido antes. Pegou o felino e começou a apalpar a pelagem lustrosa e macia do mesmo enquanto via a incrível imagem do céu e da floresta que recebia raios incandescente do sol, fazendo suas folhagens ganharem tons amarelados e alaranjados. Isso lhe trazia lembranças, lembranças boas demais para serem esquecidas... Fechou seus olhos por alguns instantes enquanto deixava a brisa fresca acariciar seu rosto, levantar seus fios prateado e balançar uma de suas pernas, que estava pendurado no galho, para frente e para trás, porém não era muito fácil vê-la, já que a arvore em que estava era muito grande, apenas era possível ver ligeiramente a ponta de seu pé. Lembrou de deixar como notas mentais de tirar uma fotografia daquele lugar.

\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\\

HO_PE - Clan Fantasy

Usuário: HO_PE
Filha do gato de botas

EDWARD Romanov D' Castela || Professor de Educação Física || 25 anos || Panssexual

@Oneirataxia

Sorriu discretamente vitorioso. Claro que deveria ser ele a oferecer perigo ao rapaz por está tentando esconder algo, um professor não representava sinal de regras e seriedade? Na maioria deles sim, mas o Russo não estava na sala de aula, e usava de sua autoridade apenas quando necessário. Apesar de ter apenas ouvido as palavras de Chie sem falar nada, notou o tom de voz que o fez imaginar se ela simpatizava ou não com Edward, mas não era algo que ele ligasse de fato. Apesar de sempre ferir a simpatia das pessoas os invés de desdém, tanto que não atrapalhassem sua vida, ele já era grato.

Um pouco afastados da presidente, Edward fitou de soslaio o Darius, fingindo discrição até ele revelar o que escondia em suas vestes. Edward adorava animais e por isso não poupou uma expressão mais feliz ao ver o felino e também penosa pelo estado dele. — Não parece tão saboroso. — Brincou. — Se sempre agir assim ao tentar resgatar algum animal, vai ser facilmente pego. Carregue uma mochila com você. — Orientou, até brincando com ele ao falar da mochila. Como animais podiam ser abandonados em uma ilha daquela tão afortunada? — Como não sou dedo duro, tem um segredo comigo. — Garantiu sua fidelidade. Um segredo inofensivo, mas que poderia talvez causar uma bronca de leve pro lado de Darius, e talvez do próprio Edward por acobertar. Mas que mal estaria fazendo em cuidar de um gatinho? — O que pretende fazer com ele? Como um filhote desse tamanho, precisa de leite. Caso não consiga, posso ajudá-lo, a cozinheira gosta de mim. — E riu, levando a mão até casaco do garoto para alcançar a cabeça peluda do felino enquanto andavam em passos mais lentos. O jardim não estava movimentado, chegava a estar deserto, no entanto Edward lembrou de ter visto Hirato, e ele sim poderia ser sinal de bronca ou, benevolência. Nem o próprio Russo sabia responder a si mesmo se animais eram permitidos na escola, mas imaginou que seria legal se fossem. — A proposto, como foi as férias? — Perguntou gentilmente.

Noodless

Usuário: Noodless
Is this the real life?


DARIUS VON YOBAMI

18y A Gold


Soltou um sorriso muito suave ao ver que o seu professor não o reprovou pelo ato, mais pelo contrário, o apreciou. Concordou com um aceno de cabeça após ouvir o comentário. — É...precisa engordar.— e fechou a jaqueta, deixando o gatinho continuar a usar sua camisa como chupeta. O professor fez sua crítica, e Darius corou mais uma vez, concordando envergonhado. — Eu já fui pego antes...mas saí correndo. Ninguém sabe que fui o responsável...além do senhor, é claro.— e riu brevemente com a memória. Darius sempre foi o aluno destaque dos esportes.

Depois do professor prometer manter segredo, o moreno sorriu abertamente pela primeira vez naquela semana, mostrando todos os dentes brancos e enfileirados. Era um sorriso que valia a pena lutar por. — Eu...quer dizer, nós- — e mostrou mais uma vez o gatinho. — Ficamos muito gratos.— e o gatinho deu um miadinho agudo. Os olhos de Darius brilharam. — Viu? Ele gostou de você?— e o cobriu mais uma vez . Estava verdadeiramente aliviado em saber que não teria problemas por hora. Resgatar animais não era algo realmente sério, mas Darius já era suspeito de o fazer, e se seu pai soubesse...ele não queria nem imaginar.

O albino fez sua pergunta, e o jovem não deu dois segundos para dar sua resposta. — Vou fazer o de sempre...cuidar dele até que esteja saudável, e então, dar para algum dono responsável.— e ficou pensativo por um tempo, pensando nos seus próximo movimentos, pois suas mãos estavam atadas daquela vez. A responsável pela cozinha já não confiava no moreno o bastante para o ajudar, até que ouviu que...que ele poderia ajudar. — Ahm...se não for incomodo...eu...adoraria que pudesse pegar o leite por hoje.— e coçou a nuca em leve constrangimento.

Olhou para o lado naquele momento, e então viu uma seria fonte de problema: Hirato. Não esperava nenhuma benevolência daquele homem em questão. Ficou nervoso. Precisava sair dali.

Mas o que realmente o deixou nervoso foi a pergunta das férias. Ele...não queria falar sobre isso. Suas costas ainda doíam das pancadas. Engoliu em seco, e tentou fingir que não havia ouvido, porém Darius nunca foi bom em fingir. — E-eu...se você puder ir até meu dormitório para entregar o leite, eu ficaria muito grato. As escadas de incêndio do lado esquerdo não tem câmeras, e meu quarto fica logo à frente. Não seria visto. Eu...preciso dar cuidados urgente ao bebê.— e escapou em passo apressado. Ainda assim, não foi capaz de suprir ao impulso de tocar nos ombros, e o fez, apertando com a força da memória das dores.


MDT— Campus A

MycenaAsterina

Usuário: MycenaAsterina
VegetarianMeatballCupcake
@Captain_Price


Cassius Lorance Delano ~.~ Kassim || 28y
Ciências Sociais


Estar novamente no colégio Kokuri e admirar novamente a paisagem dos jardins me traz um sentimento muito estranho, muitas coisas pareciam iguais, entretanto tudo era estranhamente... novo, diferente. Bem, na verdade nada ali era igual, afinal as coisas vivem em constante mudança e nunca é aquilo que fora num instante passado, principalmente em um jardim. Quase tudo ali era tão efêmero, nenhuma daquelas flores eram as que senti o aroma na minha época como estudante, a grama não é a mesma grama a qual já me deitei a anos atrás, as folhas das árvores já devem ter sido trocadas mais vezes do que posso contar, porém ainda são flores, gramas e árvores, a mesma essência do que já vivi a um tempo atrás, mesmo que com um aroma diferente. É excitante estar no jardim novamente e sentir esse nova aroma com essência de passado. O que os alunos dessa geração devem pensar do aroma desse jardim ao qual nunca haviam sentido antes? Algum dos que tocarei voltariam um dia anos a frente pada terem a mesma reflexão que eu, nesse momento em que ando tranquilamente por aqui estou tendo? Bem, não importa tanto assim, o mais importante aqui na verdade é que o cheiro das flores, da relva e da leve brisa de verão são maravilhosos.

Meus pensamentos mudam um pouco de lugar quando encontro o rosto conhecido que já estava procurando a um certo tempo. O rapaz tinha os olhos atentos em um livro já velho conhecido meu, "admirável novo mundo", um clássico em que talvez esteja tão absorto quanto eu estava em meus devaneios até encontrá-lo. A passos leves, cheguei sileciosamente por trás da árvore em que estava encostado e fiquei ali de pé, encantado com a atenção que Hirato dava ao seu livro. Não quis atrapalhá-lo em sua leitura e já era para mim suficiente vê-lo ali, voltado a algo que não fosse as obrigações que sabia que o maior teria nos dias que vão se seguir. Era bom estar novamente ao seu lado.

As aulas estavam prestes a comecar e eu estava mais do que pronto para descobrir o que poderia fazer para atiçar os pensamentos críticos daqueles jovens, a ideia me anima de tal forma que não pude evitar sorrir. Definitivamente este é um bom dia e este ano definitivamente seria bem animado naquele ambiente novo e de constante mudança e renovação.