1. Spirit Fanfics >
  2. " A Demissão" - Dramione >
  3. 1 - Ter metade de você simplesmente não é o suficiente.

História " A Demissão" - Dramione - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Eu estou tanto tempo ausente, que sinceramente, nem sei por onde começar a falar com vocês.

Bom, tive essa ideia há algum tempo, contudo decidir só postar quando estivesse de férias, onde eu teria tempo para postar, me comunicar com vocês e interagir, tirando todas as dúvidas de vocês sobre a história em si.

Eu sempre leio histórias que a mulher é a secretaria e o que o seu chefe e o maioral, então eu resolvi muda um pouco o contexto, trazendo meu casal favorito do mundo inteiro para uma versão diferente.

A historia não se passará no universo bruxo, contudo, pretendo trazer a maioria dos personagens para a narrativa do decorrer dá sequências dos capítulos.

Faria o melhor para os personagens não perderem sua essência, contudo terá algumas mudanças e eu espero que vocês gostem.

Sem mas delongas, um bom começo de história e um ótimo primeiro capítulo.

Capítulo 1 - 1 - Ter metade de você simplesmente não é o suficiente.


“Ter metade de você simplesmente não é o suficiente. ”

Lá estava Draco Malfoy, sentado em sua mesa, olhando para o horizonte, pensando nas palavras da sua irmã, que se casaria em 5 dias e exigia sua presença, porquê segundo ela, ele estava extremamente ausente da presença familiar.

E mais uma vez, as palavras dela, ecoaram em sua mente. “Você precisa parar de esperar algo dela, Dray”

Draco não precisou questionar sua irmã sobre quem ela falava, porquê Luna mesmo distante, sabia exatamente de quem, ele esperava algo. Era patético demais sua situação, quase todos da empresa sabiam dos seus sentimentos por sua chefe, contudo, a mais envolvida na história não se dava conta desse fato.

O loiro sabia e necessitava com urgência mais que tudo encerrar esse ciclo, essa história antes que se encontrasse mais machucado do que estava, ao vê-la sempre acompanhada de herdeiros da classe alta, como ela.

Hermione Granger, era um sonho, um desejo inalcançável para Draco Malfoy e ele precisava colocar isso na sua cabeça de um jeito definitivo.

Mais como colocar isso em prática, a encontrando todos os dias? Com ela, sorrindo, lhe desejando um bom dia? Sentido o cheiro de morango, que emanava dela? O puxando mais e mais para ela, de uma maneira tão surreal ?

Era uma missão impossível demais para ele.

E para conseguir cortar o mal pela raiz, Draco tomou uma decisão, que lhe partiu o coração em mil pedaços. Contudo, a decisão já estava tomada, sem chance de retorno e muito menos sem acordo nenhum; demissão!

A sua carta de demissão já estava digitalizada e em suas mãos, agora era só aguardar sua chefe chegar ao escritório e lhe avisar da sua decisão de ser desligar da empresa de uma vez por todas.

*

Hermione Granger, introduzir-se no prédio da sua família, observando todos seus funcionários, com um sorriso leve nos lábios.

Desde do momento que adquiriu o comando, lembrava com exatidão a mídia em peso, duvidando do seu potencial para tal cargo. Por ela ser muito jovem na época e principalmente por ser uma mulher.

E determinada a contradizer a todos de modo geral, em seus19 anos, surpreendeu a todos e principalmente os acionistas da empresa. E agora com 26 anos, tornou a empresa dos bisavôs, a maior potência do reino-unido, ampliando e expandido a empresa que era especializada em equipamentos de esporte, para quase toda parte do mundo.

E com orgulho, e um olhar firme, se dirigiu para o último andar, onde mil e umas coisas, para assinar, planejar, a esperava e para seu total auxílio, o melhor assistente de todos os tempos.

Hermione agradecia aos céus, por ter o contratado, assim que assumiu a presidência. Porquê sem Draco, o peso, que assumiu naquela época, estaria ainda mais sobre seus ombros.

Ele foi seu braço direto em muitos momentos. Seu conselheiro e até ousaria dizer seu amigo mais íntimo. Precisava urgentemente reavaliar o contrato do loiro e lhe dá um bom aumento por tantos anos de fidelidade e apoio a ela e a empresa.

Chegou ao último andar e assim que as portas do elevador se abriram, como já era esperado lá estava ele, sentando em sua mesa, de terno azul, olhando para o horizonte, através da imensa janela de vidro, que mostrava o topo da cidade.

Se aproximou em silencio e foi impossível não sorrir ao ver seu cappuccino, com dois saches de açúcar, na beirada da mesa dele, esperando por ela.

Ele a conhecia, como ninguém. Nunca conheceu um homem tão observador, como Draco, antes.

– Bom dia, Draco – o cumprimentou, pegando o café, o abrindo, colocando o açúcar, antes de se volta para o loiro, o olhando com um sorriso.

Sua parte favorita do seu dia, era encontra-lo, todas as manhãs, a sua esperar para começarem o dia. Ele se tornou uma boa companhia. Draco era como uma âncora, no meio do mar agitado e tempestades. Alguém que ela sabia que sempre estaria lá, pronto para ajudá-la, em qualquer que fosse a situação.

– Bom dia, Sra. Granger – devolveu o cumprimento, a observando, a admirando, se apaixonando mais e mais a cada dia.

E como já esperado ela estava belíssima, com seu terno feminino preto e branco, moldando o corpo dela, e deixando claro, o quanto ela era desejável aos olhos de qualquer homem, que colocasse os olhos nela, uma única vez.

O loiro tentou abafar seus pensamentos impróprios sobre sua atual chefe. E para sua felicidade, estava cada vez mais perto de conseguir se manter o mais longe possível.  Pelo menos, fisicamente e visivelmente falando.

De alguma forma, sempre estaria atualizado sobre notícias dela, afinal as redes sócias, os jornas, e os sites on-line consecutivamente sempre estavam focados nos ricos da alta sociedade londrina.

E um nome com o de Hermione Granger, sempre estaria em alta para os paparazzi de plantões.

Principalmente o nome dela, junto com o nome de Harry Potter, Ginna Weasley e também Ronald Weasley.

– Eu tenho alguns papeis para a senhorita assinar – comentou, voltando a ser o profissional que estava acostumado a ser desde do momento que foi contratado.

Hermione o olhou e percebeu que ele parecia tenso, mas preferiu não tocar no assunto no momento. Se fosse algo sério, ele lhe falaria na hora certa.

– Tudo bem, então. – ela concordou – Lhe espero na minha sala, dentro de cinco minutos – alegou, seguindo para a porta da sua sala, se voltando para o olhar – Eu e você temos alguns assuntos para discutir, por favor vá até minha sala – esclareceu, tendo como retorno o loiro afirmando com a cabeça, antes de adentrar no seu escritório.

Draco olhava para a porta, engolindo em seco; ela não podia sabe da sua carta de demissão. Pelo menos, ainda não.

Não informou a nenhuma pessoa, nem ainda ao RH da empresa, departamento responsável por essa parte jurídica. Apanhou os papeis, os organizou, respirou fundo e adentrou na sala, só depois ter a permissão vinda dela.

*

Hermione conversava ao telefone com sua mãe, sobre um acrescentamento salarial para Draco, por tantos anos de fidelidade e responsabilidade com tudo que lhe foi ordenado, desde do momento que ele assumiu o papel do seu assistente.

Sua mãe aceitou na hora, a ideia da filha e o seu pai também apoiou. A presidente podia notar de longe, a afeição e o carinho que seus pais sempre demostravam quando falavam do seu assistente pessoal

“Esse rapaz, vale ouro, Hermione. Não o deixe escapar”

Era o que sua mãe lhe sempre lhe dizia, em muitas ocasiões, que a encontrava. Hermione deixava claro que não deixaria seu melhor assistente ir embora, todavia sua mãe sempre bufava e revirava os olhos quando ela dizia que Draco, nunca deixaria de ser seu assistente.

Quando tentava entender o porquê da reação vinda da sua mãe, Clarice Granger, mudava de tópico, dizendo que um dia, ela iria perceber e que quando ela finalmente entendesse, infelizmente podia ser extremamente tarde.

- Mãe, eu vou desligar agora. Draco já está aqui – esclareceu, sorrindo, enquanto sua mãe, mandava beijos para o loiro e afirmava que sentia falta das conversas deles.

Em muitas reuniões, que demoravam mais do que necessário, Hermione infelizmente tivera que deixar sua mãe, esperando mais do que gostaria e quando chegava em sua sala, lá estava ela, rindo e conversando com Draco, como se fossem velhos amigos.

– Dona Clarice, mandou beijos e disse que sentir falta das conversas – repetiu as palavras da mãe, enquanto se sentava e o mesmo se aproximava com vários documentos que exigiam sua assinatura rapidamente para seguir com o andamento da empresa.

– Gosto de conversar com ela, também – ele confessou, apontando, onde ela deveria assinar – Sua mãe faz eu sentir menos falta da minha  – admitiu, sorrindo por um momento, enquanto lembrava da própria mãe, que estava longe demais por conta do trabalho.

Hermione o observou e em total silencio, assinou os papeis, raciocinando e notando pela primeira vez, que não sabia quase nada da vida de Draco, fora do ambiente de trabalho. 

Além do profissional, o loiro era um total estranho para si. E finalmente compreender isso, lhe trouxe um certo desconforto. Porquê Draco sabia muitas coisas sobre ela e ela de fato não sabia muito sobre ele.

E graças, ao novo contrato que seria digitalizado o mais rápido possível, o mesmo teria mais dias de folgas e suas férias seriam dadas mais rápidas. Seria apavorante trabalhar sem ele, a auxiliando, mais faria o seu melhor. E também logo mais, ele estaria de volta, a auxilando.

Depois de assinar todos os papeis, pediu para ele se sentar à sua frente. Fazendo o que a chefe lhe pediu, se sentou na cadeira, frente a ela, a observando com os olhos castanhos brilhando intensamente e mais claros.

Algo bom, tinha acontecido.

Hermione só ficava com os olhos assim, quando conquistava algo, que almejava. E ele se perguntou em pensamento, o que seria que ela mais uma vez, conseguiu com precisão e determinação.

– Eu estive conversando com minha mãe e meu pai – começou a explicação – Você já está conosco a um bom tempo, Draco – relembrou de tudo, enquanto falava.

– Começamos do zero – o loiro comentou, também relembrando de tudo que aconteceu a 8 anos atrás, quando adentrou na empresa, na mesma época que ela assumiu a presidência das empresas da família. 

– Eu sinceramente não sei o que faria sem você, naquela época, que assumir a presidência – confessou, o quanto a presença dele, fora importante – E por sua lealdade e tantos anos de dedicação, nós queremos melhorar seu contrato – revelou, observando seu assistente ficar em total silencio.

– Eu não sei o que dizer, Sra. Granger – Draco disse, pego totalmente de surpresa, porque isso atrasava seus planos. 

Por mais que gostasse da ideia de ter um aumento salarial e um novo contrato com melhorais, tinha outra prioridade no momento.

Precisava se afastar da mulher, a sua frente; por Deus, ele estava com 27 anos de idade e nenhum plano para o futuro ou uma estabilidade romanticamente. E muito menos uma namorada, por culpa sua e também por causa da mulher, a sua frente, que dominava seus dias e seus pensamentos também, diariamente.

- Você terá um ótimo aumento. Mais dias de folga, durante a semana e suas férias serão dada, o mais rápido possível – completou, o olhando sorrindo.

– Nossa – foi a única coisa que Draco conseguiu dizer naquele momento.

  – O que me diz? Gostou do novo contrato? – perguntou, feliz por ajuda-lo e de alguma maneira conseguir agrada-lo também.

– Sra. Granger, eu agradeço pela oportunidade que você e seu pais, estão me dando – agradeceu, sorrindo fraco.

– Você fez por merecer, Draco – afirmou com firmeza – O mérito é todo seu –completou, sorrindo ainda mais, ciente de que Draco era muito competente no que fazia.

– Eu agradeço, contudo, não posso aceitar – esclareceu, deixando Hermione totalmente confusa, tentando entender o porquê da recusa.

– Porquê não? – ela o questionou, totalmente chocada com a rejeição sobre o aumento e sobre tudo mais.

– Porquê eu vim até aqui, para lhe entregar minha demissão – comunicou, ficando de pé, colocando o pedido de demissão em cima da mesa.

– O que? – Hermione perguntou em um sussurro, olhando para o loiro e em seguida para o papel, que se destacava as palavras; carta de demissão. 

E o silencio reinou sobre a sala, enquanto lentamente Granger, ergueu seus olhos para os do seu assistente. E pela primeira vez, ela chochou-se ao ver os olhos do seu assistente. Eram cinzas-azulados, como as nuvens em um dia de sol e nuvens totalmente cinzas, carregadas, ao mesmo tempo.

– Eu sinto muito por lhe dá essa notícia, agora, que a senhorita pretendia me dá um acréscimo salarial – se desculpou, coçando a cabeça, totalmente envergonhado com a situação que estava criando.

– Isso é algum tipo de brincadeira, Draco? – ela perguntou, com a voz tensa, sentido seu corpo tremer e seu coração bombear mais rápido que o normal sobre seu peito.

– Não, senhorita Granger – o loiro afirmou, ficando de pé, tentando se manter frio e imparcial, diante da mulher que dominava seu coração por inteiro e sua alma também – Gostaria que a senhorita assinasse a minha demissão, para que eu possa dá entrada no RH e me preparar para treinar meu substituto – solicitou, guiando o papel da demissão para mais perto de Hermione.

Hermione se afastou do papel, dando um passo para trás, enquanto sentia uma dor de cabeça fora do normal lhe invadir a mente e seu mundo girar.

– Substituto? – perguntou, se sentido mais zonza a cada segundo, que o assunto era falando – Eu não vou aceitar sua decisão, Draco – ela o contrário, o olhando, furiosamente. Ele não podia simplesmente deixa-la. Isso estava fora de questão.

- Senhorita Granger, por favor – ele pediu, ciente da atitude infantil da sua chefe.

Hermione Granger, não era o tipo de mulher que aceitava a primeira derrota de cara.  Afinal, se tornou presidente das empresas dos bisavôs, com força, garra e muita determinação. Reedificou o império da família e expandiu as empresas por toda Londres e até em outros países.

– Você vem simplesmente jogando essa porcaria de bomba em cima de mim, Malfoy – ela disse ainda mais raivosa – Você até planejou treinar um substituto – apontou o dedo para ele, se sentido traída.

– A senhorita vai precisar com urgência de um assistente – ele explicou por que queria treinar alguém, o mais rápido possível para ficar no lugar dele. 

 – Diga-me, desde de quando vem planejando essa palhaçada? – ordenou sabe, colocando os dois braços na mesa, o olhando, o analisando, o estudando.

– Tenho pensando nisso, há algum tempo – Malfoy admitiu – Mais a decisão final, partiu há alguns dias – aperfeiçoou – Minha decisão já está tomada – finalizou, a olhando, a desafiando pela primeira vez em anos de trabalho

Atitude que pegou Hermione de surpresa. Draco sempre era doce e calmo. E bastante coerente, mas agora ele estava firme, sério e decidido a deixa-la.

A deixá-la, tal afirmação lhe fez sentir tonta. 

–A minha também – ela pronunciou com firmeza – Não vou lhe dá a demissão – disse por fim, devolvendo o olhar.

E pela segunda vez, Hermione Granger se viu hipnotizada pelos olhos de Draco Malfoy.

O vendo agora por outro ângulo, não o enxergava mais, como seu assistente, mas como um homem. E passou seus olhos lentamente por ele, o analisando, como nunca fez antes.

Draco tinha os cabelos loiros acastanhados, curtos, a pele branca, sobrancelhas grossas, o maxilar um pouco quadrado sobre a face, uma barba rala, e a boca na medida certa e os lábios rosados.

Por Deus, ele era lindo! E estava prestes a perde-lo. Que dizer, perder o seu assistente. Hermione balançou a cabeça algumas vezes, com toda certeza não estava pensando direito.

Em quase 7 anos, trabalhando juntos, lado a lado, ela nunca se atreveu a vê-lo, como, além de seu assistente. E agora entendia perfeitamente o porquê.

– Senhorita Granger, eu lamento por essa situação tão delicada e também por deixa-la em uma posição inesperada, como a minha demissão – ele se desculpou mais uma vez, a observando, tentando conforta-la de alguma maneira.

Hermione podia sentir o auxílio que vinha dele. Ele querendo acalma-la, como sempre fez em situações difíceis; mais neste momento, isso não adiantava de nada.

Afinal, o problema o envolvia. O problema era ele.

Ela não desejava o conforto dele, ou muito menos outro substituto, ocupado o lugar que era apenas dele. E muito menos, ao seu lado, dia a dia e nas viagens que faziam por causa do trabalho.

Esperava que Draco desistisse dessa ideia absurda e permanecesse ao seu lado. Que abandonasse a porcaria da ideia absurda de ir embora.

– Draco, por favor – solicitou, tentando se acalmar de alguma forma, mesmo permanecendo em pânico em seu interior – Vamos conversar com calma e reavaliar sua decisão – solicitou, se aproximando, como nunca se atreveu antes, estando a apenas alguns passos de distância.

E com uma ousadia desconhecida, o tocou no braço, como se desejasse o apoio dele, para conseguir entender o porquê o mesmo estava fazendo isso.

Draco passou sua própria mão por cima da dela, a sentido, como nunca antes.

– Hermione – ele disse equilibrado, voltando a ser o mesmo de antes e também pela primeira vez, em anos de trabalho, a chamando pelo primeiro nome.

Hermione sentiu um calafrio de prazer subir por sua costela, enquanto sentia a mão dele, sobre a sua; a mão dele era muito maior e quente também, entretanto seu toque possuía uma delicadeza e um cuidado extremo com ela.

E quando ele ousou se aproximar mais, conduzido por seus sentimentos, a observando fechar os olhos, esperando por algo mais, alguém bateu na porta, os fazendo se afastar, totalmente assustados e constrangidos.

Draco soltou um palavrão baixinho, enquanto Hermione se encontrava ainda mais atrapalhada e confusa, com o que estava acontecendo consigo e com seu autocontrole. Ela era racional demais, consciente demais em relação aos seus próprios sentimentos e ações.

E agora, se encontrava embaralhada, sacudida, enquanto era guiada por algo que ela nunca imaginou ter em algum momento da sua vida.

E tudo isso, graças ao seu assistente.


Notas Finais


E então, gostaram? Acham que vale a pena acompanhar a história? Estão prontas para acompanhar mais uma história minha? Me contem tudo, hein?

Porquê de verdade, eu estou bastante curiosa para sabe a opinião de vocês sobre tudo. Cada capítulo, cada paragrafo, cada situação!

Se gostaram da capa! E uma capa diferente, eu gostei bastante de faze-lá e quero sabe o que vocês acharam do capítulo. Quero sabe de tudo, galerinha!

Até o mais breve, minhas leitoras, com todo carinho do mundo, Talita.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...