História - Ameaçados - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Pretty Little Liars, Scream (Série)
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Interativa, Pll, Scream
Visualizações 33
Palavras 1.596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá amores,
Finalmente!!!! O primeiro capítulo!!!! Tenho algumas informações bem rapidinhas, juro!!
- Bom, eu não gostei totalmente desse 1º capítulo, mas estou tentando sobreviver assim.
- E outra coisinha só, as frases de -A no final do capítulo não são para ninguém em especial (da história), Okay? Okay!!
Bom, boa leitura
Beijos, Rah.

Capítulo 2 - Chapter One


Fanfic / Fanfiction - Ameaçados - Capítulo 2 - Chapter One

O colégio está agitado, os alunos não lembram mais o que é estar de luto, como se eles realmente estivessem. A manhã está quente e pode-se dizer bonita. Era para ser só mais uma primeira semana de aula normal, mas Brianna, como sempre, tem que interferir, mesmo estando morta.

 

- Senhorita Jones – O diretor chamou a menina, seu olhar rolou da cabeça aos pés do homem a sua frente, se despediu de alguns amigos e seguiu seu caminho lado a lado do Senhor Huston.

- É algo importante, diretor? É que a aula já vai começar e não quero perder explicação do primeiro dia de aula – A garota mente, acabou se acostumando. Ela apenas queria voltar e falar da sua festa de aniversário que ocorrerá no final de semana.

- Soube que era melhor amiga de Brianna, pensei que poderia fazer uma homenagem para ela. Amanhã completará um ano de sua morte, nós da orientação pensamos que apenas uma grande amiga, como você era, deve fazer essa homenagem.

- É realmente um pedido maravilhoso, mas não tenho tempo para escrever uma homenagem, tenho tanto para fazer hoje.

- Não precisa ser nada elaborado, pegaremos duas aulas de amanhã. O grupo de Design fez uma pintura de Brianna e pretendemos colocar no quadro de troféus.

- Brianna teria adorado – A garota pensou alto, relembrando da antiga melhor amiga.

- Então o que acha? Faria a homenagem, Senhorita Jones?

- Tudo bem Diretor. Prepararei algo.

O homem sorriu sem espera-la mudar de ideia e se foi. Skylar olhou a parede branca e não pode deixar de se lembrar de uma das loucas conversas que teve com Brianna:

“- Como pensa na sua morte? – Brianna perguntou escorada na parede esperando a amiga.

- Simples. Eu não penso nela – Skylar respondeu. A Rainha se sentiu ofendida e fez questão de mostrar sua indignação.

- Pois trate de pensar nela – A mais velha repreendeu – Eu me imagino sendo assassinada, com muita mídia e muitas homenagens, você faria uma homenagem para mim, certo? ”

- Skylar estou falando com você – A ruiva se irritou.

- Oh, me desculpa Rose, não tinha te visto, nem escutado.

- Tudo bem, só queria saber se você vai entrar no clube de torcida esse ano.

- Não, eu não sou boa com essas coisas.

- Você é boa em tudo, Skylar.

- Sou uma péssima amiga, eu não fui no seu jantar. Me desculpa? Minha mãe estava no meu pé – E mais uma mentira para a lista da Rainha.

- Claro – Ela falou e olhou para o lado – Ali, que saudades, o que você fez nessas férias? Não consegui te encontrar em lugar algum.

- Se eu te contar, você não acredita.

As duas ruivas saíram corredor afora deixando a Rainha sozinha ali, ela precisava pensar. O que escrever para essa homenagem? A garota se pergunta diversas vezes em sua mente conturbada.

                                                                                             x-x

- Não é como se eu gostasse. Apenas acontece – Natalie diz ao amigo.

- Você precisa parar com isso, não é como se ela fosse te morder, acho que Alice Campbell jamais machucaria uma mosca.

- Diz isso porque não vê o que eu vejo.

- Você sempre faz isso. Naty, tem que tentar ver as pessoas como elas são, não ficar dizendo que elas fingem, se fingissem não iriam conseguir esconder por tanto tempo.

- Sei. Mas não importa, continuarei a evita-la, Brianna já acabou com toda minha paciência, não preciso que mais alguém faça isso.

- Brianna nunca foi uma boa pessoa mesmo, mas agora não está mais aqui para nos intimidar.

- Benjamin ela não te intimidava. Ela amava te ter por perto.

- Mas por interesse.

- Pelo menos não fazia de tudo para te colocar para baixo.

- Ela nunca conseguiu te colocar para baixo. Natalie, porque estamos falando dela, mesmo?

- Tudo bem, eu vou ir lá.

- Confio em você. Fighting.

A Islandesa – que se fingia de - tímida se afastou da mesa que estava e caminhou para a mesa dos populares, mesmo conhecendo a mente adolescente e tendo capacidade para ter qualquer um nas suas mãos, não conseguiu, ainda, se enturmar, totalmente. Sua personalidade não permitia.

- Alice? – A voz fina da ruiva se fez presente no espaço, a mesa antes barulhenta se tornou silenciosa, o que fez com que seu transtorno de personalidade se ativasse.

- O que quer? – Campbell perguntou encarando-a de cima a baixo, ato normal no seu cotidiano.

- Poderia me devolver meu bracelete? – A garota olha para seu pulso e sorriu.

- Eu o peguei nos achados e perdidos, é seu? – Natalie apenas assentiu – Ótimo, prove, só assim irei te entregar.

A garota pensou e não achou nada convincente, suspirou e finalmente encarou Alice, seu olhar era penetrante e desafiador, Campbell não esperava por isso. Alice não se sentiu ameaçada - perdeu esse sentimento há anos -, muito pelo contrário, a líder de torcida riu e fez menção de sair de perto da garota também ruiva. Em um momento de pura naturalidade da islandesa, Natalie segura o braço de Alice Campbell com uma força que a líder nem sabia que poderia existir na menina a sua frente.

- Meu pai quem me deu, apenas me dê.

- Se é tão importante para você, porque estava nos achados e perdidos e não no seu pulso?

- Devolve para ela, Alice. Não iria gostar de ter algo seu na mão de outros, não é? – Hyun-Ki se intrometeu sorrindo.

- Tudo bem – A líder de torcida falou tirando o bracelete e entregando para Natalie que já havia voltado a pureza doce que esconde seu verdadeiro eu – A próxima vez que me segurar desse jeito, você estará morta, entendeu?

A pequena não fez nada, estava na verdade desejando esse dia chegar, Alice Campbell não sabe, mas agora está em duas listas negras. Após colocar o bracelete recuperado no pulso deu meia volta, encontrando Hyun-Ki e o abraçando ladino em seguida.

- Viu? Não foi tão difícil.

- Porque você foi lá, me salvar. Por que será que eu não consigo fazer essas coisas? – A pequena refletiu, entretida na imagem de vingança que se passa em sua cabeça.

                                                                                              x-x

- Por favor alunos, silêncio – O diretor Huston pediu pela 4° vez na manhã – Silêncio! Obrigado. Todos já sabem o motivo de estarmos aqui, Brianna participava do clube de teatro então por isso não poderia deixar de fazer essa homenagem aqui, no teatro. Certo? Por favor Skylar.

A Rainha respirou fundo, revirou os olhos e levantou, com a cabeça erguida e ignorando o fato de não ter sido uma boa amiga antes de Brianna morrer, seguiu ao alcance do microfone. Não estava nervosa, a antiga Rainha iria rir numa situação dessas, mas Skylar não podia, não deveria.

- Brianna era incompreendida, não existe ninguém como ela era: tão alegre que se queria esganar, tão talentosa que inveja qualquer um, tão extrovertida que você não entende como é possível, tão linda que se parecia uma boneca. Tão astuta que ninguém conseguia controlar, tão dona de si e não deixava ninguém a influenciar. Eu agradeço todos os dias por Ali ter apresentado nós duas, se eu não tivesse a conhecido eu não seria nem metade do que sou hoje, não teria superado minhas dores nem teria evoluído tanto.

“Mas não posso deixar de pensar que se talvez eu não a tivesse conhecido ela ainda estaria aqui, em algum lugar que eu não sei, sendo quem sempre foi de melhor. Sendo quem sempre gostou de ser, sendo quem ela queria ser. Brianna não foi apenas a Rainha desse colégio, foi um milagre na vida de alguns. ”

- Obrigado Skylar, pelas bonitas palavras – O diretor disse assim que a garota deixou o palco secando lágrimas falsas.

- Você foi bem – Alice a acalmou, sendo tão falsa quanto.

- Após essa linda homenagem podemos então mostrar a pintura que o clube de Design fez, certo?

O pano foi retirado e o quadro foi finalmente exposto. Flashes, risadas, espanto e confusão, foram as próximas cenas da homenagem malsucedida de Brianna, a garota deve estar se revirando no túmulo agora. A pintura realmente estava perfeita e impecável, mas o que chamou atenção foi o que estava escrito nela; com um vermelho tão forte que chega a doer os olhos a frase não poderia estar mais bem escrita: “E uma maldição na vida de outros.

Todos olhavam para todos e todos faziam a mesma pergunta, achando que já sabiam a resposta: Quem escreveu aquilo? Skylar? É como se completasse o seu discurso. Mas a cara de surpresa da Rainha estava longe de ser suspeita. Quem leu suas anotações pode ter lido coisas mais sérias. Não importa como, mas a Rainha jurou encontrar o culpado e acabar com sua vida miserável.

Enquanto o pensamento de fúria de Skylar martelava em sua cabeça, na mente de cada adolescente naquele teatro percorre uma ideia maldosa. Poderia a Rainha ter matado a antiga Rainha? Pontos foram se ligando e teorias ilógicas, ou lógicas, foram criadas; criadas, mas não ditas. Ninguém teria a coragem de dizer que a Rainha poderia ter matado alguém, eles zelam pela sua vida, sua vida social.

Fato: não importa a importância de Skylar Jones, seu nome já está manchado, não só na mente de cada adolescente naquela escola, mas numa tela preta, num quarto escuro, com alguém louco, ou não.

Você pode tentar enganar você mesmo, mas sempre terá alguém tão perto de ti que saberá quando estará fazendo algo ruim. Isso pode ser usado contra você no tribunal. Cuidado.

- A


Notas Finais


Então, os personagens e suas idades estão sendo mostrados no link abaixo:

https://docs.google.com/document/d/1tBjKa_2W4B_Tcjz_TnHW4K1b969b5tQrQJGirbTsbeE/edit?usp=sharing

Espero que gostem, de tudo...
Até o próximo capítulo,
Beijos, Rah.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...