História ◤ Aurora Boreal ◢ || ABO || [•JiKook•] - Capítulo 9


Escrita por: e YueLiangg

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Abo, Alfa, Beta, Bts, Jikook, Jikook Abo, Jimin!bottom, Jungkook!top, K-pop, Monarquia, Namjin, Ômega, Yaoi, Yoonseok
Visualizações 3.551
Palavras 6.217
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ayo ladies and gentleman
Yue falando aqui!
Vocês devem estar se perguntando....
Senhorita Yue esSAS SÃO HORAS PARA POSTAR A PORRA DE UM CAPÍTULO??
ME DESCULPAAAAH
Agora aguentem, eu estava ansiosa
Sabem que amo vocês né?

Sejam pacientes, o Lemon vai chegar na hora certa.
~Yue



Gentemmmm quase 500 FAVORITOS POTA QUE O PAREO

YUE N DORME~ Kitsu

Capítulo 9 - Alcoholics


Fanfic / Fanfiction ◤ Aurora Boreal ◢ || ABO || [•JiKook•] - Capítulo 9 - Alcoholics

Eu me sinto bem

É verdade

A vida é colorida

Minha própria luz pinta o mundo

Nesse mundo embaçado

Sua luz vai espalhar-se ainda mais clara


Na frente do muro é uma rosa vermelha

Mantenho-a no fundo do meu coração


Vou fazer o meu melhor

Pelo sonho que floresce em meu coração


B.A.P - Honeymoon 






Fiquei lá, no chão sem saber o que fazer. Que vergonha!

Mas então, mesmo com todo mundo rindo, não consegui tirar os olhos de Tae e Jungkook que também riam. Até eles? O meu melhor amigo ali e o rei que normalmente vivia emburrado? Minha única reação foi querer chorar, mas eu seria mais zoado pela aquela mulher. Pensei em sair correndo e assim fiz. Já cansei! Devia ter pensado antes de aceitar esse trabalho, pensado em toda a humilhação que podia sofrer. Eu odeio aquela mulher, odeio com todas as minhas forças. Entrei e me tranquei no quarto de limpeza, onde fiquei essa noite com Yoongi e Tae e me pus a chorar intermitentemente. O primeiro dia não foi como eu pensei, passou bem longe dos meus pensamentos.


— Jimin? — Era a voz do Tae. O que ele queria? Rir da minha cara de choro?— Jimin, abra a porta, por favor.


— Não. — Eu estava soluçando muito. Quase que não consegui falar a palavra “não”. Me senti traido, mesmo sendo algo meio idiota. — Sei muito bem que viu Hyuna me fazendo tropeçar, e pensei que me ajudaria quando eu caí, mas você preferiu rir da desgraça alheia.


— Jiminnie… me desculpa. — Como se fosse fácil assim. Iludido. — Pode abrir pra mim, por favor?

— Não! — Aumentei o tom de voz que ainda saiu meio falhado pelo choro, mas não sabia que minha voz podia chegar nessa entonação — Me deixa em paz!

— Você vai ficar sozinho aí?

— Vou! — Cada vez mais lágrimas castigavam meu rosto. — Melhor sozinho do que com sua companhia!

— Não fala isso, Jimin… — Sua voz triste ainda passava pela porta. — Eu não ri por maldade… Eu nunca faria isso com você.

Era nisso que eu queira acreditar, mas tinha medo de acreditar e suas palavras serem só enrolação. Eu admito, estava irritado com eles, mas um abraço do Tae era tudo o que eu queria agora, como se ele fosse meu porto seguro.

— Jimin… Abre… — Dessa vez sua voz saiu mais fraca.

Continuei relutante, mas como sempre, acabei cedendo. Fiz o que ele falou, e abri a porta. Não queria que ele me visse desse jeito, soluçando e com as mãos preenchidas por gotículas. Assim que ele entrou, pude sentir um peso gigantesco nas costas dele, e o mesmo esboçou uma expressão de tristeza e me deu um abraço reconfortante.

— Me desculpa, eu não fiz por querer. —  Me apertou contra seu corpo. — Sim, vi perfeitamente que foi Hyuna que te fez cair. Não faço ideia do porque eu não ter te ajudado naquele momento, então de verdade, perdão. Você deve estar se sentindo muito humilhado.


— Estou, e como. — O abracei de volta, e ele encostou sua cabeça na minha. — Mas agora já era, todos vão rir de mim quando me verem. — Comecei a chorar novamente.


— Por favor, não chore Jiminnie. — Ele passou os polegares pelo meu rosto, tirando as lágrimas que escorriam do caminho. — Shhh… sem mais lágrimas, seus olhos estão vermelhos. — Acariciava gentilmente meus olhos e bochechas — Não se preocupe, estou aqui com você. Ele não vão rir.


Era bom ter o carinho de Taehyung. Sentia que ele me protegeria de qualquer coisa e eu faria o mesmo por ele, meu melhor amigo, o primeiro amigo de verdade que já tive em toda a minha vida. De novo, ficamos abraçados por um tempo. Ao olhar pela porta entreaberta, uma silhueta alta apareceu.

— Jungkook? — Deveria me assustar? Ele não era muito de reconfortar pessoas, vai que ele quer me xingar. — O que é que...

Tae se separou de mim e ficou de pé de frente para o Rei e o mesmo ficou encarando-o. Tae olhou para mim, seus olhos por algum motivo estavam brilhando muito naquele tom verde fluorescente, e ele também parecia com a cabeça no mundo da lua. Em seguida ele olhou para o moreno e depois saiu andando sem falar nada, só um último sinal de tchau para mim. Ainda assim, senti uma tensão.

— Park, você está bem? — Ele disse de pé enquanto me olhava de cima, com aquele seu olhar autoritário e egoísta

Que bela cena para justo Jeon Jungkook me ver, ajoelhado no chão com os olhos avermelhados e rosto molhado. Claro, ele devia estar adorando ver um de seus servos neste estado deplorável.

— Claro que não… O que você quer? — Fui grosso novamente com ele, já não estava ligando para mais nada mesmo. Não ligava se ele tinha um poder acima do meu - não existente por sinal.

— Podemos sair desse espaço pequeno?  — O mesmo dizia sério, sem demonstrar nenhuma expressão.

— Ahn?

— Sabia que você fica com o cheiro muito atrativo quando está triste e irritado? Você tem sorte que o Taehyung é beta e sabe se controlar bem. — O rei parou com as mãos na cintura. Eu tinha me esquecido desse detalhe, tenho de lembrar que sou um ômega.

— S-sério?

Agora que parei para pensar será esse o motivo da minha mãe sempre me dar calmantes? Mas por que ela nunca me disse?
Se eu soubesse, não teria parado de tomar quando achei que não funcionava mais naquela noite no beco.

— Olha, ficar em um lugar fechado assim, está sendo bem difícil. — Jungkook batia o pé, inquieto. Senti minhas mãos suando, não era pra eu estar nervoso daquele jeito.

Fiquei de pé imediatamente e nos pusemos a andar novamente. Chegamos fora do castelo e fiquei olhando para o jardim, agora sem neve, mas ainda sem cor.

— Sabe… Desculpa. — O mais alto respirou fundo e falou. É bom ouvir ele dizendo essas palavras, mas não deixarei fácil.


— Você? O Rei de ego inflado, pedindo desculpas? — Eu acabei falando com uma voz ainda chorosa. Mas parece que o azucrinar, me acalmava mais.

— Não abusa da sorte, Moleque. — Ele sorriu e bagunçou meu cabelo, o que me fez sorrir também. Aquela aproximação, mesmo que eu não quisesse, me fazia sentir bem.

Ah, meu cabelo. Esqueci que ele estava à mostra. Isso fez meu sorriso desaparecer.

— Podemos ir buscar meu gorro? Esqueci quando sai correndo… — Suspirei e me virei, já andando.

— Não... — Senti uma mão segurando meu braço. — Eu gosto do seu cabelo. — Jungkook me puxou para perto e começou a pentear minha franja com os dedos. — E é sempre bom os empregados manterem o rei satisfeito.

Só fiquei o encarando, parado. O que ele queria dizer com isso?

— Não tenha vergonha. Eles não vão fazer brincadeiras com você ou algo do tipo. — Ele continuou falando. — Todos temos diferenças. E acredite, a sua é a mais leve de todas. — Ouvi uma risada que tinha algum sentimento oculto.

Ficamos parados, um encarando o outro. Eu só me questionava se eu deveria continuar ali, se não viveria triste...


— Jimin… — Ainda com as mãos em minha franja, ele abaixou sua cabeça, encarando algo.


— Si-sim senhor? — Aquilo me dava uma sensação estranha. Minhas pernas chegaram a fraquejar.


— Seus lábios sempre foram assim? — Que tipo de pergunta era aquela? Ele continuou encarando meus lábios, ora ou outra encontrando meu olhar que se mantivera sobre ele.


— A-assim como? O que quer dizer? — Ele segurava gentilmente minha franja clara, me fazendo respirar um pouco mais pesado que antes


— Bem vermelhinhos e grossos… — Meu corpo inteiro estremeceu. Vi um ele esboçar um sorriso malicioso ao perceber minha expressão de surpreso. Ótimo, só faltava ser tornar assanhado quando me visse - se bem que ele já era assim né?.


— Bem, e-eu...

Óbvio que ele estava se divertindo com tudo isso, mas largou meu cabelo e consegui um tempo para me recompor. — Vamos entrar? — Sua mão me convidou, estendida. Ai Jimin, o que você está fazendo? Assenti. — Bom garoto.

Peguei a sua mão e ele começou a me - arrastar - levar de volta para dentro. Onde todos estavam lá, conversando baixo.
Quando cheguei, a conversa parou e se transformou em um silêncio sufocante. Jungkook cruzou os braços e os encarou. Isso parecia ter os intimidado, pois as suas ações em seguida me surpreenderam.

— Nos desculpe! — Todos se curvaram ao mesmo tempo. Estavam realmente arrependidos, dá pra acreditar? Pessoas ricas e da elite pedindo desculpas se curvando para um - praticamente - escravo.

Isso me surpreendeu tanto que eu comecei a rir muito e todos me olharam confusos.

— Não, é que… — Meus risos não me deixavam falar.

Um entreolhava o outro sem saber o que fazer. Faltava Hyuna se curvar e pedir desculpas, mas eu já estava feliz novamente e era bom ela não estar ali com a gente.

— Quer saber? — Admiti o maior sorriso que conseguia. — Vamos esquecer isso. — Passei a mãos em meus cabelos, ignorando agora o fato de eu estar sem o gorro.

— Sei que é difícil para eu pedir isso agora... — Namjoon mostrou-se mais equilibrado — Mas não precisa usar o gorro aqui no castelo com a gente. Nós rimos só por estar em um clima humorístico, mas não temos nada contra. — Como sempre, o alfa tinha uma aura de responsabilidade.

— Nós gostamos muito da cor do seu cabelo. — Chegou Tae, enroscando o braço em meu pescoço.

— Taehyung! — O primo do rei, que pelo o que eu me lembro atende por Jin, chamou sua atenção enquanto ria.

— Jimin, quer sair com a gente? Vamos sair para nos divertir? — Hoseok parecia estar animado e acabou grudando no Yoongi, sem perceber.


Estava tudo estranho. Se supõe que eu devia ser um servente, quase um escravo apenas do rei, que ficava cuidando das coisas do rei enquanto o mesmo estivesse fora, que prepara o quarto do soberano para dormir. Um servo totalmente…dele. Não entendo o porquê de eu estar me enturmando tanto. Vez ou outra, sentia os olhares autoritários de Jungkook, como se quisessem que eu estivesse sempre do seu lado, mas as pessoas ao meu redor colaboravam para que eu estivesse sempre ocupado. Mas, se um nobre estava me convidando, por que negar?


— Claro! — Fazia tempo que não saia para me divertir, sentia saudades da diversão. — Claro… Se Jungkook permitir.


— Vamos lá, Kook! — Taehyung tentou fazer uma voz manhosa, tentativa totalmente falha, pois todos riram. — Idiotas, parem de rir.


— Não sei se deveria. — O rei ficou pensativo. — Ele é um empregados, não deveria sair com nós de uma classe social muito superior.


— Deixe de ser egoísta Jungkook. — Jin chamou atenção do mais.— Você permitiu que ele tivesse suas refeições conosco, então nada melhor que adicionar ele ao grupo.


Senti o olhar do Rei sobre mim,  novamente. Ele já não estava de bom humor. Graças aos céus, Hyuna não estava mais ali, já que parece que ela faz Jungkook se irritar ainda mais. Mas não era hora de achar que está tudo bem pois, algo de errado que eu faça pode deixar Jeon com raiva.


— Jungkook, por favor. — Taehyung falou baixo, mas bem audível para todos. Taehyung queria bastante que eu fosse, e essa hesitação do Rei o irritou.


— Aah… — Jungkook deixou escapar um suspiro bem longo e fechou os olhos. — Façam o que quiserem. Mas escute aqui Tae, não ouse tomar ele de mim.


— Eu não faria isso. Somos apenas amigos, e sou um beta controlado. — Taehyung piscou para mim e, claro que me senti um pouco constrangido. Me chamo Park Jimin, sou o constrangimento em pessoa. — E você vai junto conosco Kook.


— Tenho muitas coisas pra fazer essa noite. — Ele virou, indo na direção de seu escritório.


— Por isso mesmo você vai sair hoje. — O beta saiu correndo, ficando na frente de Jeon, que o olhou com reprovação. — Você se dedica muito à essas coisas de Rei e blá blá blá… faz meses que você não tem um diversão decente. Vai… aceita.


— O que eu faço com você Tae? — Ah, ele se rendeu. — Tá. Mas se eu me arrepender depois, vou punir todos vocês.


— Tá, tá. — Tae rodeou seus braços pelo meu pescoço, atrás de mim. — Você fala de mais.


O moreno nos olhou feio, mas veio até nós. Eu vou sair com a realeza… eu nem acredito.


— Adivinha só quem vai cair de tão bêbado hoje? Exatamente, Jeon Jungkook! — Hoseok comemorou, fazendo uma dancinha estranha.

— A gente se encontra aqui às oito. Vão se arrumar. — Namjoon mandou. Temos uma hora, pois são sete da noite.

Eu nunca fui muito de beber e acho que não vai ser com essas companhias que vou me deixar levar. Do jeito que são, capaz de eu acordar com uma tatuagem de um unicórnio voando em melancias.

.

.

.


As ruas podiam não ter mais neve, pois faltava poucas semanas para o fim do inverno, mas noites continuavam frias. Eu até gostava desse clima, e nunca deixarei de gostar.

— Não seria uma imagem ruim para o rei se o vissem bebendo em um bar? — Perguntei enquanto andava ao lado do alfa moreno.

— Eles não sabem como ele é. — Acho que Jungkook se referiu a si como rei em terceira pessoa, por não agir como rei fora do castelo.

— C-Como assim?

— Eu nunca saí do castelo como tal, então não sabem que eu sou o rei. — Tinha os olhos vidrados na frente, sem nem olhar para mim. — Então…


Ele fez uma parada bem repentina, parecia estar um pouco estranho.


— … não precisa ser tão formal comigo, ok? Mas ainda quero que fique apenas do meu lado. — Me olhou um pouco bravo, mas não estava raivoso de verdade, era pra passar mais autoridade. Voltamos a andar novamente, desta vez, com um Jimin um pouco confuso ao lado.


— Ei, chegamos! — Só faltava Hobi pular de alegria. — Vamos entrando, vamos entrando!!


Era o mesmo bar que entrei para levar aquela carta à Yoongi, não me lembro quando. A noite, o bar era bem mais bonito, todo adornado com luzes neon em cores mais quentes e escuras dando um ar refinado e sexy ao mesmo tempo, nem parecia que era um bar.


— Não entro nesse lugar de jeito nenhum. — Pude ver Taehyung dando uns passos para trás, estava furuoso. Será que é algum trauma de bebedeira?. — Se quiserem, vão vocês, porque eu fico aqui.


— Tudo bem Tae. Me falaram que seu irmão não está aqui. — Jin colocou suas mãos na cintura, e sorriu meio amarelo para o Kim que continuava andando para trás.


— Mesmo assim… — Ele parou de andar quando bateu em um poste atrás de si. — Esse lugar não me faz muito bem.


Como sempre, fiquei totalmente confuso e perdido. Taehyung deve não gostar do seu irmão, isso me deixa um pouco triste. Não gosto da ideia de irmãos separados, mas Tae estava realmente incomodado. Fiquei o encarando, tentando decifrar suas emoções por através de suas expressões e movimentos, mas estava difícil.


— Tae, você estava tão animado! Vamos, pelo menos hoje! — Hoseok implorava de joelhos para seu mais novo. — Jin te disse que ele não está aí, então vai! Por favooor!


Presenciei uma coisa nova: Taehyung ficando vermelho. Ele fica muito fofo quando está com vergonha. Parece que ele finalmente se rendeu.


— Ok, vamos começar essa porra logo. — Se agarrou ao pescoço de Hoseok e ao meu pescoço e adentrou aquele estabelecimento que já na entrada começava a cheirar álcool.


De dia, esse bar parece inofensivo, com um perfume bem docinho, cores um pouco mais vibrantes e as pessoas bem estáveis. Mas agora, de noite, aaaaaah, de noite a coisa muda. O bar estava lotado de pessoas, o cheiro de vários tipos de bebidas se misturavam e a iluminação era bem fraca. Quase como uma boate, mas ainda assim, um mero bar para pessoas com mais dinheiro.


— Você parece nervoso, Chimmie. — Namjoon se aproximou, botando uma de suas mãos em meu ombro.


— Sim… eu meio que, nunca bebi. Na verdade, nem lembro. — Levei minha mão até a nuca e comecei a coçar a região. — Se bebi algum dia, deve ter sido a um tempo atrás.


— Não fique assustado se começarmos a ficar alterados, ok? — Yoongi resolveu abrir a boca. Ele estava sem o casaco, mas o entendo, o local fechado estava quente. — Mas acho que é bem capaz de que tu fique alterado também.


— Ah, não sei não… — Jungkook estava logo ao meu lado, procurando por algum lugar livre. Seus cabelos refletiam um pouco do brilho das luzes do bar, dando a impressão de que seu cabelo era tingido. — Jungkook, você não chamou a Hyuna?


Até me assustei, ele virou a cabeça com tudo para o meu lado, como se tivesse se assustado. — Tá maluco menino? Graças a Deus aquela idiota não veio. — Ele sorriu de novo. Aquele seu sorriso mais bonito, que mostrava seus dentes de coelhinho. Não pude deixar de sorrir também.


— É verdade, ninguém aguenta aquela vadia de quinta categoria. — Às vezes o vocabulário de Taehyung me assustava. Ele tinha uma carinha de anjo, mas quando abre a boca, vira um anjo caído.


— Então pessoal… — Namjoon se sentou em uma mesa, nos convidando. — Já pedi a bebida.


— Espero que não seja whisky como nas últimas cinco vezes. — Yoongi cruzou os braços, revirando os olhos. Então, eles vinham aqui com frequência. — Seja original, por favor.


— Não esquenta Yoon. — Ele se levantou e pediu a atenção de nós seis que estávamos à mesa. — Para comemorar a entrada de Jimin no grupo, beberemos TE-QUI-LA.


Todos eles começaram a gritar de animação e eu só consegui esconder minhas bochechas vermelhas. Tae e Hobi começaram a bater na mesa, ansiosos pela chegada dos vasilhames e então se levantaram para andar um pouco antes de passarem mal. Jin e Yoongi acompanharam Namjoon, devem ter pego uma grande quantidade, ao meu ver. Só restaram eu e Jungkook alí, olhando um para cada canto, sem dizer nada


Não fique nervoso…. — Ele se pronunciou depois de um longo silêncio entre nós. Levou uma de suas mãos até minhas mechas e as bagunçou, como de costume. — … Jiminnie.


De novo essa sensação. Sensação de ter a ponta dos dedos formigando cada vez que ele encostava em meus cabelos. Sensação de falta de ar quando ele se dirigia a mim com calma e delicadeza, sem nenhum ato grosseiro ou assustador. Eu gosto dessa versão dele, mas…


— Eu não me lembro qual foi da última vez que levei álcool aos meus lábios, então tenho um pouco de medo. — Apertei minhas próprias mãos, sentindo o olhar de Jeon sobre mim.


— Não se preocupe muito… — Apoiou seus cotovelos sobre a mesa, não desviando seus olhos dos meus. — Eu sou bem forte com bebidas.


— Vamos fazer um jogo?! — Tae levantou um dos pequenos copos antes que alguém bebesse.


— Lá vem o Tae, novamente com esses jogos. — Namjoon disse com desprezo.


— Mas vocês sempre se divertem. — O beta se defendeu. — E olha que o último não resultou em uma situação muito ruim... — Ele virou para Jungkook, lançando-lhe uma piscadinha.


— O que você propõe? — O ômega que no que me lembro, é primo do rei, entrelaçou uma mão na outra e se voluntariou para ouvir as ideias malucas.


— Jin, você quer mesmo jogar mais uma das maluquices do Tae? — Yoongi entrou para a turminha que parecia desprezar o pobre loiro.


— Sim! Da última vez eu e o Hobi não participamos, olha o que aconteceu! — Jin falava rápido. — Além do mais, viemos para nos divertir. Qual o problema de um jogo? — Dessa vez ele deu um sorriso simpático.


— Então! — Depois de um tempo processando o que o ômega disse, Tae bateu na mesa dando continuidade. — É um jogo simples. O jogo da sinceridade. — O nome já me indicou que daria merda.


— Tae, ser sincero com você só nos ferra. — Hoseok deu uma pontada no loiro que pareceu se sentir inconformado. “Quem era ele para afirmar tal atrocidade?” o loiro devia estar pensando.


— Mas agora que concordaram, vão ter que jogar. — o loiro fingia uma expressão triste. — Prosseguindo… — Voltou rapidamente à posição normal, com um sorriso travesso no rosto. — Alguém começará com uma afirmação com "Eu nunca fiz…" e quem já tiver feito, tem que beber uma dose. Quem ganha é quem sair o menos ferrado daqui. — a.k.a Park Jimin


— Uma dose?! — Jin exclamou. — Tchau, Hobi.


— Quanto de álcool essa bosta tem? — Hoseok disse surpreso. Acho que eles esperavam que tequila fosse fraca.


Taehyung pegou a garrafa de tequila e procurou pelo rótulo. — 37% — Disse o Kim, lendo o rótulo com um sorriso peralta.


— Estou dependendo do meu bom comportamento e dessas perguntas. — Jung deitou sobre a mesa, choroso.


— É que o Hoseok tem uma tolerância à bebidas bem fraca. — Jungkook disse à mim, se aproximando demais de minha orelha, mas não totalmente sussurrando.


— Obrigado, já estava ficando meio confuso. — Ri um pouco. Por algum motivo conversávamos em voz baixa, mas não chegávamos a sussurrar.


— Eu começo! — O beta falou alto e animado. — Todos com suas doses preparadas? — Depois ficou nos olhando com os olhos semicerrados, como se estivesse pensando algo para ferrar com alguém. — "Eu nunca"… — Deu uma pausa, causando um suspense agoniante. — Fiz sexo a três.


Em seguida vi Jungkook virando o pequeno copo e piscando algumas vezes depois de engolir o conteúdo. Sinceramente, não me surpreendeu muito saber algo como isso dele, parecia até mesmo óbvio.
Depois olhei em volta para saber quem mais beberia e me deparei com Hoseok levando o recipiente de vidro até os lábios e bebendo o líquido devagar.


— Vira logo! — Yoongi o apressou, rindo.


— Mon amour, eu não viro nem água, não vai ser hoje que eu vou virar tequila. — O ômega parou de beber e reclamou.


— Mas vira a noite transando com dois caras, né Jung Hoseok? — O esverdeado pareceu querer tirar satisfação. Ah, tão meloso e absurdamente fofo.


O mais novo direcionou um olhar cortante para o alfa como resposta.


— Como você sabe que eram dois caras?


— Porque é você. — Ficou emburrado.


— Que ciúmes é esse, Suga? — Dessa vez o Jung disse com tom de redenção e soltou um riso fraco..


— Ciúmes? Eu? Que nada… — Cruzou os braços com um bico do tamanho de Júpiter.


Enquanto isso todos seguravam as risadas que se atreviam a querer sair.


— Ah é? Então olha na minha cara. — Hoseok parecia já um pouco preocupado, mas não parava de provocar e sorrir


— Eu não, vai que você vê o rosto deles em mim. — Olhou com nojo para Hobi que apenas soube rir da situação.


— Tá, Yoongi, sua vez. — Tae pôs as mãos na frente dos dois e encheu novamente o copo, agora vazio, do Hoseok que só faltava ficar vermelho de tanto rir.


— "Eu nunca" fiquei com alguém mais de seis anos mais velho que eu.  — O alfa menor olhou para Jungkook na hora da pergunta. Parece que todos estão contra ele nessa brincadeira. Mas se as perguntas continuarem assim, vou ganhar. Pois, não bebi ainda e não acho que eu vá beber.


Como Yoongi pareceu saber, Jungkook virou mais uma dose. Então ele começou a rir como se lembrasse de algo.


— Eu estava muito bêbado! — O rei deitou na mesa ainda rindo. — Era uma baranga de rosto, mas o corpo… — Fez uma forma no ar com as mãos, que acho que condizia ao corpo da suposta mulher.


— Tenho certeza que você pegaria ela até sem bebida. — Tae entrou na conversa, se apoiando na mesa olhando para Jungkook


— Claro que não. Quem você acha que sou? — Por um momento o Jeon fingiu estar se sentindo ofendido, mas depois voltou a brincadeira.


— Opa, opa, opa! Como é que é a história?! — Tae chamou a atenção de todos à Jin, que bebia o álcool de seu copo de dose


— Me deixem em paz! Quando eu era mais novo, eu não era nada responsável. — O ômega se defendia em meio a caretas por causa da queimação na garganta. — Continuem o jogo! É a vez do Hobi.


— Puta que o pariu. — Ouvi Yoongi rindo, talvez já esperasse o que iria sair da boca do outro


— Eu nunca fiz um meia-nove. — Hoseok mordeu o lábio inferior por saber da safadeza da questão.


Eu não sabia o que era pior, o nível de luxúria das frases ou o fato de Jungkook estar bebendo novamente.


— Puta que o pariu, de novo! — Dessa vez, Min chegou a gargalhar. Jin tinha perdido novamente.


— Mar gentem… — Hoseok pôs a mão em frente a boca, em sinal de surpresa. — Quem é você e o que fez com Kim Seokjin?!


— Para tudo! — Tae olhou para a vítima. — Ainda por cima não foi com o Namjoon?! Ele não está bebendo!


Namjoon só ria da situação, aparentemente ele já sabia de tudo isso.


— Quando você foi essa putiane? — O esverdeado, junto de todos, interrogava o mais velho.  


— Eu tinha quinze anos e eram experiências novas! — Bateu o copo na mesa ofendido— Continuem logo a porra jogo.


— Vez do Nam! — Tae apontou para o ser que aparentava estar meio aéreo.


—"Eu nunca" acordei pelado em outro quarto. — Ele mandou na roda.


Milagrosamente, Jungkook nem se mexeu – acho que devia relaxar? – , ao contrário de Jin e Hoseok que beberam com tudo novamente.


— "Eu nunca"… — Jin bateu a mão na mesa com uma determinação incrível e se apressou. — ...Fui algemado!


Namjoon, Jungkook e Yoongi beberam. Até mesmo Yoongi, que era do exército, não pude acreditar


— Olha Namjoon e Yoongi com esse lado é surpresa. — Tae brincou, deixando o Min visivelmente desconfortável


— Não olhem para mim, os guardas pediram para eu testar as algemas. — O esverdeado tinha uma face confusa.


— Sem graça. — Kim perdeu o sorriso sapeca e fez cara de tacho. — Vai Jimin, sua vez!


— E-eu? Te-tem certeza?


— É! Você mesmo, tenho certeza.


Minha vez? Mas eu não tenho experiências peculiares e engraçadas com essas coisas, digamos que, altamente sugestivas. O que eu falaria? Eu não vou passar vergonha, vou?


— Você é o mais sóbrio no momento, fala qualquer coisa. — Jungkook cochichou para mim, ainda bem. Ele sabia que eu não sou bom com esse tipo de coisa. Olhei para seus olhos em busca de coragem, mas só me deparei perdido em sua beleza novamente


— E-Eu nunca achei que sou o mais bonito dessa mesa. — Falei em homenagem ao alfa do meu lado.


Eu já estava começando a achar que era uma pergunta idiota, até que vi Jin tomando pelo recipiente. Pelo menos não fui deixado num vácuo vergonhoso, mas realmente pensei que Jungkook tomaria também.


— I'm Worldwide Handsome! — Jin brincou e todos riram de sua pronúncia levemente arrastada por causa do álcool.


— Não vai beber também, Kook? — Hobi perguntou já meio cansado.


— Eu até beberia… Mas com o Jimin na mesa não dá. — O rei deu um sorriso galanteador e pôs seu braço em volta de mim, me apertando contra ele, simpaticamente.

Se corei? Aah pode ter certeza.

—Iiiih! Fica sem beber por mim também! — Taehyung começou a dar a louca.

— Tá! Minha vez. — Jeon bateu uma mão na outra animado.


 A brincadeira já tinha rodado cada um da mesa mais duas vezes. Jungkook, Taehyung e Jin eram os que mais bebiam. Hoseok saiu da brincadeira por ter desmaiado ali mesmo, na mesa. Já eu, só havia tomado umas duas doses em perguntas comuns.
 Todos já estavam começando a ficar bêbados. Estavam com um sorriso débil no rosto e riam com facilidade.


— Para a última rodada...— Tae era um daqueles que mostrava um sorriso bobo. — Garçom!


 O tal homem chamado, veio andando elegantemente, com uma garrafa grande e verde em mãos.


— AH NÃO… — Todos ficaram boquiabertos e preocupados. Não consegui reconhecer aquele líquido, mas pela reação dos caras ao meu redor, não era bom.


— Kim Taehyung, você está de fodeção com nossa cara! — Yoongi comentava, invocado como sempre, só que alcoolizado – o que o deixava engraçado –


— Ah, você não trouxe isso! — Jungkook ria nervoso.


— A última rodada fica para nosso querido absinto. — Taehyung pegou a garrafa das mãos do garçom e beijou o objeto.


— Q-Qual é a porcentagem desse? — Jin arregalou os olhos.


— 62% — Tae abraçava a garrafa como um filho perdido que acabou de reecontrar. — É leve ainda. — Ele pegou um dos pequenos copos de dose e pôs a sua frente.


— Não era melhor pegar um copo Pontarlier? — Jungkook cruzou os braços, parecia desaprovar a ideia do beta


— Não. — Tae começou a encher o pequeno copo de 30ml.


— Tem certeza? Poderíamos diluir na água. — Namjoon disse tão preocupado quanto todos. Seu nervosismo absurdo transparecia mesmo estando levemente embriagado.


— Hoje beberemos puro. — Só faltava se abrir um sorriso maléfico no rosto do loiro que derramava o líquido verde brilhante no pequeno copo


— 'Séloko', beber absinto puro! — O alfa mais baixo até evitava olhar.


— Vai Jungkook, começa você. — O beta deu novamente início à rodada.


— Que comece a guerra. — Um sorriso malicioso da parte do rei. Eu não espero mais nada nornal desses caras — "Eu nunca" fui um usuário de drogas. O de cabelo claro pareceu querer matar Jeon depois dessa frase.


— Vai ser assim? — Tae segurou o copinho com força e zangado. Muito zangado.

 
 O Taehyung já usou drogas? Como ele parou? Por que começou? Parece que eu não sabia muita coisa de todos da mesa.
 Ele bebeu rapidamente o líquido alcoólico verde, e em seguida fez uma careta extremamente exagerada e se contorceu um pouco.


— Vai! Vai nessa onda de tomar puro! — Jin sempre agindo como a mãe que diz: "Eu te avisei"

 
 Depois que o corpo de álcool passou um tempo olhando para cima, se recompondo, ele voltou a postura certa e tentava cortar Jungkook ao meio, com o olhar.


— "Eu nunca" — Era a vez de Tae e sua voz ainda saía meio falhada. — Escondi sobre meu passado para o Jimin.


 Que tipo de frase foi aquela? Eu deveria me preocupar? Só sei que me assustei com as trocas de olhares de ódio que partiam dos dois. Parecia que iriam se metralhar a qualquer minuto. Todos só ficavam quietos,  observando.


— Você sabe que também terá que beber, né? — Jeon disse sério.


— Mas vai valer a pena o sacrifício… Futuramente. — Novamente Taehyung se serviu e serviu o bipolar ao meu lado.


 Os dois brindaram e em sincronia, beberam a forte bebida. Taehyung se contorceu novamente, enquanto Jungkook começou a tossir depois de engolir.
 Aquela foi a última rodada e a mais tensa. A cada frase dita, todos estremeciam perante o veneno em forma de álcool.
 Graças às Cores que estão no céu, eu não tive que beber nenhuma vez.
 Diferente de Jungkook, que bebeu mais absinto e tequila que todos juntos ali. Ouvindo comentários dos outros e através da minha própria observação, cheguei a conclusão que não importando quanto o rei fosse forte com a bebida, ele não sairia em bom estado.

.

.

.
 Se eu soubesse que quando Jeon Jungkook está totalmente bêbado, ele vira uma criança, eu não teria vindo.
 E lá estávamos nós. Sete jovens adultos, cinco deles totalmente embriagados e eu e Namjoon estáveis, só um pouco tontos.

 Ao meu lado esquerdo, Taehyung e Yoongi abraçados, andando em círculos segurando uma garrafa em suas mãos e cantando Wannabe das Spice Girls.


—” IF YOU WANNA BE MY LOVER, YOU GOTTA GET WITH MY FRIENDS…. “— Barulhentos.


 No meu lado direito, Namjoon com a mente ainda sã, carregando Hobi nas costas, que estava totalmente desmaiado; E ajudando Jin, que estava sonolento, a andar.
  Eu estava bem mentalmente, mas ainda cambaleava um pouco, minhas pernas estavam levemente bambas e para piorar, Jeon Jungkook estava pendurado no meu pescoço porque mal conseguia andar.


— Jimiiiiiin… — Ele estava manhoso.


— Ah, o que foi?


—Tu é daoraum, carah. — Eu queria rir, mas meu coração dizia que era errado. Ele falou arrastado e muito alto, acho que até o outro lado do reino ouviu.


— Espero que você volte ao normal logo Jeon. — Estava cada vez mais difícil andar, já que ele era muito pesado e estava cansado. — Isso machuca.


— Tu tá falandu que eu to gordo é? — Ele não chegou a gritar, mas bradou no meu ouvido. — Sua punição vai ser ficar trancado no meu secador de cabelo secreto. — Rir é pecado Jimin. Rir é pec….eu ri.


— Ah, Jungkook… — Num suspiro demorado esvai todos os meus pensamentos ruins porque, mesmo eles estando totalmente bêbados, foi divertido - em partes, mas foi.


— É só entrar ali Jimin. — Namjoon apontou com a cabeça uma das portas dos fundos do castelo. — O quarto do Kook fica bem aí perto dessa entrada.


— T-tá — O medo de ser enquadrado era gigante — Você não vai por aqui também?


— Não. — Gargalhou baixo, mas voltou o olhar mais sério e perdido. — Esses quatro dormem do outro lado do castelo, então é bem mais fácil dar a volta. A gente se vê amanhã Chimmie, foi bem legal!


— Sim, foi legal! Boa noite! — E então, os cinco sumiram nas grandes muralhas desse imenso castelo. — O que eu faço com você, meu Rei?


Levei, ou melhor, arrastei aquela massa corporal agora com 30% de álcool para um quarto extremamente extravagante que com certeza era o seu porque acima da cama de casal gigantesca tinha um quadro maior ainda com uma foto sua. O Edredom tinha as cores da coroa, assim como o papel de parede que também tinha desenhos da flor de lis.

Troquei suas roupas - com um pouco de receio, mas troquei - e o botei na cama, como seu empregado particular eu deveria me acostumar com isso. Ele estava bem mole e proferia palavras totalmente emboladas, eu não conseguia entender nada.


— Ah, amanhã tenho um longo dia… — Fiquei encarando seu cabelo liso e escuro por longos minutos. Ele tinha - e ainda tem - uma beleza extraordinária. — Boa noite Vossa Majestade.


— Não!


Sua mão forte segurou meu pulso com agressividade. “Como é difícil lidar com bêbados!” pensei, mas ele me assustou. Ele suava muito e tremia também, mas aposto que são coisas daquela bebida que era praticamente veneno de tão perigosa.


— Por favor Jimin, fica. — Dessa vez, sua voz proferiu grossa e rouca, me fazendo arrepiar e sua mão envolvia forte demais meu pulso. Sério, o que ele tem? — Não vai embora. — Mas sua voz ainda está manhosa.


— Mas Jungkook-ah — Não dava pra ser soltar dele, mas já estava me machucando. — A-amanhã eu volto, não se preo–


— Fica! Por favor! — Ah, como minha vida é complicada. Mas ele estava com medo — Eu não quero mais ficar sozinho como aquela vez.


— O que? — O que ele quer dizer com “aquela vez”? Não me lembro de ter desgrudado dele….ah não, será que ele se irritou quando eu saí do escritório dele? — Jungkook, o que-


— Eu tenho medo de voltar lá! Aquela floresta é muito escura... — Ele começou a fechar os olhos com força e abraçar os próprios joelhos.


— Jeon...



— Fica Jiminnie! — Ele bradou, e me puxou com força para si — Não me deixe sozinho por favor.


 Como é que é? Jiminnie?


Tive que me apoiar na cama para não cair. Ele estava suando mais que antes, fiquei preocupado de verdade. — Não se preocupe meu rei, estou aqui do seu lado.


— Prometa que vai ficar comigo no castelo para sempre. — Se acalmou, e parecia que iria dormir, graças aos céus. — Prometa, Park.


— Eu prometo, Jungkook — Me atrevi a passar a ponta dos dedos por sua franja que grudava em sua testa. Ele era extremamente atraente nesse estado. Céus, no que estou pensando?!


Sem que eu pudesse fazer alguma coisa, Jungkook me puxou para sua cama e me deixou de costas para si. A cama era muito macia, mas o fato de eu estar deitado com ele me deixava tão inconfortável…


— Jungkook, eu não posso. — Tentei me afastar, mas ele não deixou.


— Você prometeu que iria ficar aqui comigo! — Sua voz manhosa era tentadora. — Agora você não vai sair daqui. — Envolveu minha cintura com seus braços grandes e fortes, me deixando com escapatória alguma.


Imagina se ele acorda normal amanhã e ver essa situação. Adeus cabeça.


— Jimin?


— Sim?


— Você é o melhor servo que eu já tive. — Sua frase realmente me surpreendeu. Mas depois ele finalmente adormeceu. Consegui ver aquele sorriso bonito em seu rosto, é uma pena que seja por causa dos efeitos do álcool.


E desse jeito, adormeci na cama do Rei de Aurum


Notas Finais


Eu realmente nunca sei o que falar aqui ;-; Mas saibam que pra vcs virarem um bombom só falta a valsa, pq sonho vcs já são <3333
~Yue


Eaiii? O que acharam desse Eu Nunca +18 😂 Eu particularmente adoro ( ・ิω・ิ) até a próximaaaa.


Trailer: https://youtu.be/_0nl7D9rghI

Grupo da Fanfic (Whatsapp): https://chat.whatsapp.com/5shZ1pEk84jG9EJUMiNuvH


Outras Fanfics:
•Intelligence, Strength and Sex: https://spiritfanfics.com/historia/intelligence-strength-and-sex-jikook-10665297

•Musicalmente: https://spiritfanfics.com/historia/musicalmente-11044473


— Logo logo revisamos —


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...