1. Spirit Fanfics >
  2. 𝐃𝐀𝐔𝐆𝐇𝐓𝐄𝐑, babictor >
  3. Chapter 𝐭𝐡𝐫𝐞𝐞

Hist√≥ria ūĚźÉūĚźÄūĚźĒūĚźÜūĚźáūĚźďūĚźĄūĚźĎ, babictor - Cap√≠tulo 4


Escrita por: 94sbieber

Cap√≠tulo 4 - Chapter ūĚź≠ūĚź°ūĚźęūĚźěūĚźě


BÁRBARA PASSOS



— ANGEL VENHA AQUI. — Eu disse enquanto Angel corria pela casa.  


— Oh meu Deus, estou pensando por um segundo em mandar você morar com seu pai. — Eu disse a mim mesma e Angel riu abraçando minhas pernas, me fazendo rir.  


— Sua monstrinha — Eu disse e a peguei beijando sua bochecha várias vezes fazendo-a rir.  


Só então a porta tocou e eu a coloquei no chão.  


— PAPAI. — Ela disse sabendo que já era Victor na porta.  


Eu caminhei em direção à porta e abri. Victor sorriu e Angel correu em seus braços.  


— Ohh, você sente minha falta muito rápido, sabia disso? — Ele perguntou e Angel sorriu.  — Ph e Jean ainda não vieram? — Victor me perguntou e eu fechei a porta e balancei a cabeça.  


— Não. — Eu disse e ele assentiu com a cabeça.  


— Como você está? — Victor perguntou colocando Angel no chão.  


Ela saiu correndo e eu olhei para Victor.  


— Uhm nervosa um pouco. Quero dizer, como será que todo mundo vai reagir. — Eu disse brincando com meus dedos.  


— Não fique nervosa. Tenho certeza que as pessoas vão superar isso em alguns minutos. — Ele disse.  


— Victor, você não entende o quanto suas fãs são possessivas. — Eu disse. 


— Ok, algumas delas são um pouco demais, mas elas vão superar isso. — Ele disse e encolheu os ombros se afastando.  


— Claro, não é você quem irá receber ódio. — Eu murmurei.  


Eu ouvi a campainha então abri a porta e deixei Ph e meu tio gerente Jean entrar


— Ei. — Eu disse e cumprimentei Ph, em seguida, abracei meu tio


— Olá princesinha — Meu tio disse me abraçando de volta.  


Nós então nos afastamos e fechei a porta. Fui até a mesa de jantar e todos nós nos sentamos ao redor da mesa.  


— Ok, então vocês dois querem contar ao público sobre Angel? — Ph perguntou e nós assentimos.  


— Ok, acho que a melhor maneira de fazer isso é no próximo Esports Awards —  Ele disse e eu olhei para o meu tio.  


Ele acenou com a cabeça e eu suspirei.  


— Eu e Ph conversamos e decidimos que o melhor momento é no Esports Awards que Victor irá comparecer por ter sido indicado, ele pode falar lá sobre Angel e depois disso você pode postar no Instagram ou no Twitter em qualquer lugar que você quiser. — Meu tio disse e eu suspirei. 


— Ok então. — Victor disse.  


— Acordo aprovado. — Eu disse.  


Esports estava perto. Mas ainda tenho tempo para me preparar literalmente para cada reação.  


— Babi, você tem que ir amanhã ao estúdio de gravação para gravarmos sua volta ao streaming. — Meu tio disse e eu balancei a cabeça.  


— OK. 


Depois de conversar sobre mais algumas coisas e sobre o trabalho, Ph e meu tio saíram deixando-me com Victor e Angel.  


— Você pode ficar com Angel por algumas horas? Eu preciso malhar. — Eu disse e Victor acenou com a cabeça.  


— Sim, não se preocupe. — Ele disse e eu balancei a cabeça.  


— Seja boa com o papai, ok? — Eu perguntei apontando para Angel e ela acenou com a cabeça. — Me de um beijo. — Eu disse e ela beijou minha bochecha me fazendo sorrir.  


Eu beijei suas bochechas também e ela olhou para mim.  


— Papai também. — Ela disse e eu olhei para Victor e depois para Angel.  


— Uhm o quê? — Eu perguntei.  


— Beija o papai também. — Ela disse e limpei minha garganta.  


Eu beijei a bochecha de Victor e ele beijou minha bochecha também. Eu me afastei um pouco mas nossos rostos ainda estavam muito próximos. Eu me perdi em seus olhos por um momento, mas depois limpei minha garganta e me afastei.  


— Tchau. Eu te amo. — Eu disse a Angel.  


— Eu também te amo. — Ela disse e acenou para mim.  


Saí de casa e suspirei.  


Eu entrei no meu carro e fui embora.


Claro que Angel quer uma família normal. Ela não entende por que não vivemos todos juntos.  Ela ainda é muito nova. Mas ela questiona isso o tempo todo. Por que o papai não está morando com a gente? E por que ele não está sempre conosco? E todas essas perguntas que simplesmente não consigo responder.  


Eu encostei na academia e saí do carro.




— Victor, isso não é nem uma palavra. — Eu disse a Victor enquanto estávamos jogando Stop e ele colocava palavras que não existia.  


— É sim, vá procurá-la no Google. — Ele disse e Angel ficou lá olhando para nós e para trás.  


— Você é um trapaceiro. — Murmurei e cruzei os braços.  


— Eu ganhei e é por isso que você está brava.— Ele disse e sorriu me fazendo revirar os olhos.  


— É hora de dormir para você, mocinha. — Eu disse olhando para Angel.  


— Nahaa. — Ela disse e eu engasguei.  


— Yahaa. — Eu disse e ela deu uma risadinha.  


— Nahaa. — Ela disse.  


— Você pode dizer algo para sua filha? — Eu disse a Victor enquanto me levantava.  


— Vamos, princesa, é hora de dormir. — Victor disse e se levantou.  


— Você também vai. — Ela disse apontando para Victor.  


— Ok, eu também vamos lá. — Ele disse e riu.  


Subimos em seu quarto e eu a troquei de pijama.


— Quem comprou esse pijama para você? — Victor perguntou.  


— Papai. — Angel disse e ele riu. 


— Claro que sim. — Ele disse e beijou sua bochecha.  


— Conta uma história papai — Ela disse e Victor olhou para ela.  


— Hmm, que história quer ouvir? — Ele perguntou deitado ao lado dela.  


— Mamãe também. — Ela disse querendo que eu deitasse ao lado dela, então eu o fiz.  — Pequena Sereia — Ela disse e Victor riu.  


— Ok, entendi — Ele disse e começou a contar baixinho a história da princesa do mar.


Agora Angel estava dormindo mas ela segurava a mão de Victor e a minha. Então, nós lentamente nos afastamos e eu beijei sua testa. Victor fez o mesmo e saímos do seu quarto.  


— Ela adormeceu facilmente, ela está cansada. — Eu disse descendo as escadas para pegar os brinquedos de Angel e tudo da sala de estar.  


— Você sabe que ela se parece muito com você. — Ele disse e eu ri.


— Isso é uma mentira, Victor. Ela é igual a você. — Eu disse e ele sorriu. 


Eu ouvi seu telefone tocar, mas ele apenas olhou para ele e não atendeu.


— É melhor você ir andando. Lissa deve estar procurando por você. — Eu disse e ele acenou com a cabeça.


— Vejo você amanhã. — Ele disse e eu assenti. — Provavelmente vou mandar uma mensagem quando eu e Angel voltarmos da gravação. — ele disse — Tchau, Babs — Ele disse e eu o acompanhei até a porta. 


Ele caminhou e acenou para mim. 


— Boa noite — Ele disse. 


— Boa noite Vic.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usu√°rios deixam de postar por falta de coment√°rios, estimule o trabalho deles, deixando um coment√°rio.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...