História The Bite Marks - JungKook - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Jay Park
Personagens Jay Park, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun
Tags Amor, Bite Marks, Bts, Bulimia, Drama, Família, Hibridos, Hoseok, Jay Park, Jimin, Jungkook, Marcas Da Mordida, Medo, Romance, Sobrenatural, Superação, Taehyung, Tristeza, Vampiros, Yoongi
Visualizações 129
Palavras 3.219
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom o capítulo de hoje está meio triste... Escrevi ele e sinceramente dei tudo de mim!!
Espero estar agradando vocês...

Boa Leitura, prestem atenção...
As coisas já estão se esclarecendo e a história está quase no fim.

Capítulo 13 - Sofrimento.


Fanfic / Fanfiction The Bite Marks - JungKook - Capítulo 13 - Sofrimento.

— Querido caçula Jeon JungKook...

Criei a coragem que eu não tinha, e comecei a ler apenas com os olhos.

Querido caçula, Jeon JungKook, 

Meu filho amado, eu o amo tanto e acharia injusto deixar seu irmão a par de tudo e você não. Hoje não é um dia muito bom, sei que estará lendo essa carta no futuro, ou seja, eu não estou mais aí. Meu destino foi escrito e o final dele é trágico, Dark-wo, aquele mostro, descobriu que eu era cúmplice do romance de Dong-Yun e jurou minha morte. Não contei a vocês por medo de que se machucassem, procurem me compreender... Agora o que resta a fazer é chorar, não pela minha vida pois eu já vivi tudo que era necessário! Mas sim, pela vida de vocês meu filho, as coisas não irão ser fáceis, ainda mais agora que a humana de Dong-Yun está grávida... Quando estiver lendo isso provavelmente eu já terei partido a muito tempo, então me escute. O filho ou filha deles está em perigo grave, não sei o que vai acontecer mas seja o que for a raça híbrida não pode entrar em extinção, precisamos deles. Proteja qualquer rastro de híbridos que achar, seu irmão e seus amigos irão te ajudar! Faça isso por mim, pelo amor que sente pela sua mãe... Eu te amo, tudo que vivi foi pra você e pro Taehyung, espero que me entenda meu pequeno, eu não escolhi estar aqui agora! Use suas presas para o bem, sua força para proteger inocentes, seus dons para contribuir para o bem das pessoas e seres ao seu redor! Cuide do seu irmão, você sabe que Taehyung é meio fechado, ele também irá cuidar de você... Me perdoe Jeon, me perdoe, mas não tinha como ser diferente!! Ame, cuide, faça o bem, não seja um vampiro sanguinário... Eu te amo!! Seja feliz, se aventure, experimente coisas novas, faça o bem! Infelizmente não posso escrever tudo em uma simples carta, mas Taehyung te contará o que você quiser saber! Se cuide, eu te amo pra sempre!! Sentirei sua falta... 

Com amor, sua mãe.

Fiquei em choque, meus braços começaram a tremer e o medo subiu a minha cabeça. As lágrimas brotaram e a angústia veio trazendo consigo a decepção. Eu não pensava em mais nada, se não a ter raiva de JungKook! Ele era meu maior medo, meu pesadelo... 

 — Como pode JungKook?... — As lágrimas já invadiam meu rosto. 

 Tudo veio em minha mente como um flashback de emoções, as promessas feitas por ele, os beijos os abraços! Tudo veio a tona como uma avalanche de sonhos perdidos, eu já não tinha esperança. Meu coração se partiu e minha mente se afundou em um precipício chamado decepção e dor. A dúvida sobre quais eram suas verdadeiras intenções começou a fluir e isso me fez ter mais medo ainda, eu confiava nele, ele era minha razão, minha felicidade!! Naquele momento sem ele eu não tinha nada, eu era apenas eu naquele inferno de pensamentos. Chorei tanto, me joguei no chão ajoelhada e peguei minhas coisas, depois saí correndo pra casa, meu medo não me deixava mais ir ao encontro dele, era algo em meu interior que me paralisava. 

 Chegando em casa agradeci por não ter encontrado ninguém. Subi pro meu quarto e tranquei a porta. Joguei minha mochila no chão e me sentei na cadeira da penteadeira. Olhei bem pro espelho, me vi, com os olhos marejados, e o rosto umedecido pelas lágrimas. A pergunta era: " Por que ele mentiu pra mim? Ele queria meu mal? "... Chorar, chorar, chorar! Meu coração batia rapidamente acompanhando minha respiração que também não estava normal. 

 — A culpa é sua... — Aquela voz que eu já não ouvia a tempos ressoou pela minha mente. 

 — Não, de novo não! — Eu me levantei e tampei os ouvidos com as mãos. 

 — De qualquer jeito vai me escutar... Sua idiota!! Achou mesmo que ele te amava hm? Achou mesmo que ele falava a verdade quando dizia que você era bonita?! Acha mesmo Amanda?! 

 — Cala a boca!!! 

 — Olhe pra si, como você está. 

 Eu fui até o espelho e me olhei. 

 — Não! Eu não quero ter que voltar naquele inferno, pare de falar por favor! 

 — Eu sou verdadeiro, todo esse amor era uma mentira e você acreditou nela direitinho. 

 Minha mente estava uma bagunça, eu me esforçava pra manter o juízo perfeito mas a vontade de acabar com tudo começava a fluir. Eu queria morrer junto com meu sentimento que não acabava!! Pelo contrário, eu amava ele, mas tinha que lutar contra isso... Doeu... 

 — Acabe com isso de uma vez!! 

 — Aaaaah!!!! — Eu gritei e arremecei a primeira coisa que vi no espelho que se partiu em vários pedaços cortantes. 

 Me ajoelhei junto aos cacos e peguei um deles. Eu podia ver meu pequeno reflexo lá. 

 — Ele não te ama! — A voz ressoou mais uma vez. 

 — Eu te adeio JungKook!! Te odeio por te amar tanto... — Eu chorava. — O que vai ser de mim?! 

 Tremi quando mirei o caco cortante no meu pulso. Toda aquela sensação de muito tempo atrás fluiu no meu ser. Fechei os olhos apertado e lentamente fui deslizando o caco do espelho pela minha pele. Sentia meu tecido se rasgar, abri os olhos e vi o sangue escorrer pelo braço. Fiz um corte por todo o comprimento do pulso até o local onde acostumam tirar sangue. 

 As lágrimas desceram sem cerimônias, o corte latejava de dor e começava a arder... Hoje me arrependo amargamente do que fiz! 

 Por fim abracei meus joelhos e chorei. Chorei como nunca... Aquela dor não tinha fim! 

 *Quebra de Tempo*

 Pov's JungKook 

 Um tempo se passou depois que Amanda saiu. Já era tarde e o sol começava a se enfraquecer... Eu havia mandado dezenas de mensagens pra ela, olhei no celular e todas estavam visualizadas mas não respondidas. Comecei a ficar preocupado, as preocupações com Amanda eram contínuas, eu não parava de pensar nela e em sua proteção. Ela era importante pra mim, minha vida não tinha alegria antes de conhecer ela. Meu amor transbordava... 

 Porém, quando eu estava pensando em Amanda outra questão veio em minha cabeça, sobre o tal filho do híbrido que Jay Park e Dark-wo tanto queriam. A dúvida era, será que ele realmente existia? Eu não entendia muito qual era a importância de não poder não existir híbridos. Eu como vampiro não pensava muito nisso, afinal, mesmo sendo vampiro eu tinha respeito por quem eram os híbridos. O líder deles era meu herói, eu o admirava muito!! Ele protegeu nossa família muitas vezes e minha mãe era como uma mãe pra ele... Eu tinha Dong-Yun como um pai que eu nunca tive. Ele era demais, todos ficavam impressionados com seus olhos vermelhos, e seu extinto de lobo, ele podia farejar e escutar muito bem... Aprendi um pouco do que sei com ele. 

 Pena que tudo desmoronou quando surgiu a notícia de que ele estava se relacionando com uma humana. Eu era mais novo, não entendia direito às coisas. Infelizmente Dark-wo descobriu sobre esse romance, e como uma prova do que era capaz matou todos os híbridos da alcateia de Dong-Yun que simplesmente deixou de existir. Depois de um tempo Dong-Yun se fixou em Vampcity e parou de se envolver com a humana. Mas assim como eu ele não conseguiu ficar longe... Depois foi uma desgraça! Dark-wo matou a humana e Dong-Yun, ninguém soube pra paradeiro do bebê. A única coisa que não se encaixava era o porquê de aquele miserável ter matado minha mãe. Talvez tenha sido um pedido de Jay Park, afinal, ele me odiava! 

 Minhas preocupações com Amanda cresciam, por isso decidi ir até sua casa. Mandei uma mensagem dizendo que iria e ela logo visualizou. 

 Pov's Amanda 

 Depois da notícia de que JungKook iria me visitar fiquei um pouco aflita. Durante o dia todo fiquei no quarto e Mônica ia me ver às vezes... Claro que eu não deixei meu corte a mostra, vesti um moletom que o escondeu. Peguei a carta, respirei fundo quando recebi a mensagem... 

 JungKookie

 Estou aqui... 

 De novo eu não respondi. Apenas calcei meu tênis e desci as escadas. 

 — Onde vai meu amor? 

 — Ali fora espairecer um pouco, posso? 

 — Claro! Mas volte depressa... 

 — Ta bom... 

 Saí pela porta dos fundos e de longe vi ele que acenou pra mim. Meu coração acelerou, eu tinha medo. Andei até lá e a raiva tomou conta. 

 — O que está fazendo aqui?! 

 — Tudo bem? — Ele foi pra me tocar. 

 — Não chega perto de mim!! — Eu dei um passo pra trás e pude sentir meus olhos se encherem de lágrimas. 

 — Algum problema? 

 — Você é o problema!!

 — Eu? C-como assim?! 

 — Eu sei a verdade... Jeon! 

 Assim que pronunciei seu sobrenome ele se espantou. O mesmo mordeu o lábio e baixou o olhar. Eu dei mais um passo pra trás. 

 — Q-quem te contou? Como sabe meu sobrenome? 

 — Quem me contou?!! Você é um falso, mentiroso!!! Meu maior medo, o meu pesadelo!!! 

 — Amanda calma...

 — Cala a boca!! Eu te odeio... — As lágrimas começaram a brotar. — Como pôde mentir pra mim tão descaradamente?! 

 — Era pra te proteger... Eu nunca te faria mal, eu amo você! 

 — Não diz isso!! — Eu tremia. — Eu tenho medo de você. Eu não quero que me toque!! 

 — Eu não... Eu não tive escolha.

 — Nada que sai da sua boca vai soar como verdade pra mim!! E olha, isso é seu... — Eu disse o entregando a carta. — Aí que descobri tudo... 

 Pov's JungKook 

 Abri o papel rapidamente, era uma carta da minha mãe, eu nunca tinha visto aquela carta na minha vida. 

 — Eu posso explicar... 

 — Escuta!!! Não quero ouvir nada, agora tudo faz sentido, aquelas promessas fajutas!!! Nada era verdade... Você me usou. — A cada frase ela dava um passo pra trás. 

 Meu coração se despedaçou, eu não sabia o que dizer, era difícil aceitar mas ela tinha razão... Eu fui um idiota!! Sem querer as lágrimas apareceram, tentei segurar mas não pude... 

 — Amanda... — Eu tentei toca-la. 

 — Não chega perto!! 

 — Precisa me escutar, tem um monstro psicopata atrás de você. Eu só quero te proteger... 

 — Não, cala a boca! Eu não quero mais te ver, para de me perseguir!! Seu monstro, sanguinário, você é o personagem principal dos meus pesadelos... Um vampiro!! 

 Aquelas palavras apunhalaram meu coração, ouvir aquilo saindo da boca dela me fez ver que aquela mentira tinha ido longe demais... 

 — Não tenha medo de mim por favor, isso eu não vou conseguir suportar! 

 — Eu te amei, eu, eu fui a melhor pessoa o possível pra te fazer feliz. Eu recarregava minhas forças em você, eu descansava em você, você era meu tudo! Agora não, o sonho virou pesadelo!! E o amor... 

 — O amor ainda existe!! Eu posso sentir... 

 — A raiva é a única coisa que sinto agora. — Ela disse num tom firme. — Raiva, ódio, decepção! Não quero te ver nunca mais... 

 Ela já ia saindo quando eu a puxei pelo braço. Fiquei surpreso quando a mesma gritou de, dor? 

 — Que isso? 

 — Me deixa em paz!! Não toca em mim!! 

 Não pensei em nada, apenas agarrei seu braço e encolhi a manga do moletom, o que vi me deixou paralisado. Era um grande corte... Parecia recente. 

 — Por que fez isso?! 

 — Eu disse pra me soltar!!! — Ela berrou. — Minha vida não é da sua conta, ok?!! Você não faz mais parte dela Jeon JungKook!!! 

 Eu me espantei, nunca havia visto Amanda daquele jeito... Tão brava, e algo nela me chamou a atenção e me deixou preocupado, durante seu pico de raiva seus olhos ficaram avermelhados, ela... Rosnou, e eu podia garantir a mim mesmo que por um segundo sua pele se tornou alva como a neve. 

 — A-Amanda... 

 — Me deixa, some!! — Ela disse chorando, seu corpo já havia voltado ao normal. 

 — Não, você não pode se machucar por mim... Eu sou um.... 

 — Idiota!! Falso!! Mentiroso!! — Ela completou minha frase. 

 — Sim, mas por favor me deixe apenas te proteger...

 — Eu já disse pra não se aproximar!! Suma... Pra longe, não quero mais te ver, de a ordem pro Danbi pra ele vir pra minha casa. 

 — Ele não me obedece... 

 — Vai obedecer... — Ela já ia saindo. 

 — Amanda! — Eu agarrei seu braço. 

 — Aah!!! — Ela deu um tapa um tanto forte na minha mão. — Disse pra não me tocar!!! Eu te abomino... Você fez da minha vida um inferno, me iludiu. Nunca vou te perdoar!! Nunca. Quanto ao meu " amor ", se ele não acabar eu acabo comigo! 

 Então ela saiu, correndo, de mim... Com medo de mim! Então comecei a chorar, não pude conter aquela dor que perturbava meu coração. Eu tentei a todo o tempo provar pra Amanda que eu era um ser bom, mas provei totalmente o contrário. 

 Alguns segundos se passaram e as lágrimas corriam livres pelo meu rosto, eu segurava na mão a carta e então a abri, quando vi que era da minha mãe mais uma tristeza veio a tona! Coloquei o papel no bolso e meus sentimentos se misturaram, uma sensação estranha percorreu meu corpo... Então eu me lembrei, a pílula! 

 — Tenho que sair daqui... — Eu disse a mim mesmo. 

 Saí correndo como se não houvesse amanhã, eu tinha que me afastar, o efeito da pílula iria passar e eu não podia estar perto de Amanda naquele momento, se não algo ruim iria acontecer! Comecei a correr e a cada segundo eu ficava mais rápido, meus poderes estavam voltando. Meus olhos arderam e isso me fez diminuir a velocidade. Minhas presas afiadas apareceram, era tarde demais, eu não era mais eu... Meu psicológico gritava por sangue!! Eu tentava me controlar mas não conseguia... Adentrei a floresta e de longe vi um cervo... 

 — Não JungKook, não... — Eu repetia a mim mesmo. — Você não é um assassino! 

 A vontade era imensa, minha boca salivava, eu tinha que me controlar mas não conseguia!! Era difícil. Eu precisava daquele líquido vermelho... Corri dali, lutando contra mim mesmo, rápido cheguei em casa, abri a porta sem delongas e entrei correndo em meu quarto, eu tremia. Achei o potinho e o abri, tomei a pílula e em minutos aquela sensação horrorosa foi passando... Eu fiquei assustado, quase matei um animal.

 Após tomar a pílula fui lá pra fora na intenção de espairecer, tentar respirar normalmente... 

 — Ei, por pouco não mata um animal inocente hein? 

 Reconheci aquela voz. Eu já estava com raiva, meus extintos estavam a flor da pele, olhei pra trás e lá estava ele. 

 — Olá! — Ele disse e sorriu irônico. 

 — Idiota, desgraçado!! Foi você não foi?! Que contou pra ela?! — Eu fui me aproximando. 

 — Calma... Foi ela quem descobriu sozinha! 

 — Mentira!! 

 — Ela não te ama mais, não quer saber de você mais!! Aceita!!! 

 — MENTIRA!!! 

 Com um impulso o peguei pelo pescoço apertando aos poucos. 

 — Acho melhor me soltar... 

 — Se não? 

 Jay Park não disse nada, apenas deu um chute no meu estômago. Eu me levantei e revidei com um soco no rosto dele. Fomos trocando golpes até nós aprofundarmos na floresta... 

 — Faz tempos que quero te dar o que você tanto procura!! — Eu disse. 

 — Viu que a Mandinha se cortou? Eu vi, ela estava com tanta raiva... 

 Não respondi apenas o prendi pelo pescoço em uma árvore. 

 — Eu vou te matar!! — Eu disse e fui apertando aos poucos. 

 — V-vai se a-arrepender... 

 — Jeon JungKook!!!! Pare agora!!!! 

 Reconheci a voz, olhei pra trás e por um momento de distração Jay Park me deu um soco no rosto e uma pesada do estômago que me fez cair no chão. 

 — Levanta! — Taehyung disse me ajudando a levantar. 

 — Me solta!! Eu quero acabar com isso de uma vez, vou matar esse infeliz!! 

 — Então mate... — Jay Park abriu os braços. — Se conseguir é claro! 

 Aquilo me deixou irado, eu fui ao encontro dele mas Taehyung me impediu. 

 — Não faz isso, é isso que ele quer... Não suje suas mãos de sangue! 

 Fechei os olhos tentando me controlar...

 — Não seja o monstro que a Amanda teme. 

 As últimas palavras de Taehyung entraram como avalanche nos meus ouvidos, aquele era o sentido da minha vida! Não ser o monstro que Amanda temia... Por isso naquele mesmo momento respirei fundo e ergui o olhar pra Jay Park que nos observava quieto. 

 — Sua hora vai chegar Jay Park. Eu vou, aliás, o tempo vai fazer você pagar por tudo! 

 — Vai amarelar biscoitinho? 

 — Não tenho mais nada pra dizer, a não ser a mesma frase de sempre... Fica longe da Amanda, eu posso ter pisado na bola com ela, mas ainda a protejo!! Se encostar um dedo nela aí sim, eu te mato! 

 — Até me arrepiei de medo. — Ele disse com ironia. — Até mais gracinhas... — Fez reverência e sumiu. 

 Assim que Jay Park desapareceu eu me joguei no chão de joelhos e a vontade de chorar veio em seguida. 

 — Calma, tudo vai ficar bem! — Taehyung colocou a mão no meu ombro. 

 — Já sabe que ela descobriu? 

 — Ela descobriu?! — Ele pareceu surpreso. 

 — Ela me odeia Taehyung, tem medo de mim! — Eu disse e uma lágrima atrevida invadiu meu rosto. 

 — Sabemos que um dia ela iria descobrir, não tinha como evitar! Simplesmente aconteceu... 

 — Tenho medo, a promessa de Dark-wo continua de pé e Amanda está por aí. Indefesa. Também tenho medo que ela faça mau a si mesma... 

 — Esqueça ela. 

 — Como?!! — Eu me levantei. — Ela faz parte de mim!! 

 — Não faz, ela é apenas sua fraqueza. 

 — Não!!! Você não entende, eu amo ela, de verdade. Além de protege-la quero ela perto de mim! 

 — Você é tão cabeça dura assim?! Essa garota só trouxe feridas. 

 — A culpa não é dela ok? Ela não escolheu me conhecer nem nada! 

 — Vamos voltar pra casa e você me conta direito essa história. 

 Eu apenas assenti. Então juntos seguimos pra casa. 

 Pov's Amanda 

 Meu coração estava em cacos, finos cacos que me machucavam por dentro! Meu rosto era regado por lágrimas infinitas que não paravam de jorrar... Tudo estava dando errado!! Após a conversa com JungKook entrei em casa correndo indo direto pro meu quarto, eu sentia uma coisa estranha, diferente que consumia meu ser em raiva! Eu me sentia estranha... Agora eu tinha duas feridas, que ardiam de dor. Uma dor que ninguém podia fazer passar, só a morte... Sem ao menos pensar saí do meu quarto e fui até o banheiro, la haviam vários remédios não pensei duas vezes, coloquei tudo na boca, não sabia pra que era mas eu só queria sumir!! Em minutos minha cabeça começou a girar, girar, doer, meu estômago revirava. 

 Então senti um baque, eu estava no chão, a última coisa que ouvi foram os gritos de Mônica... 

 * * * 



Notas Finais


TA TENSO!
Espero que tenham gostado de verdade, estou me dedicando bastante!

Meu perfil: @Kim_Taenu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...