História " Daifukumochi " - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Yaoi
Visualizações 6
Palavras 1.438
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


❀ ────────────────
Boa leitura meus amores; ༊ .˚。

Capítulo 1 - Capitulo - Tudo roxo


⋅     ⋅     ⋅ ━━━━    Daifuku    ━━━━ ⋅     ⋅     ⋅
      ​- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Alextimia 

Inabilidade ou dificuldade em verbalizar emoções ou expressar sentimentos.

Capitulo 1 – Tudo roxo

– Problemas demais – mesmo em silencio sua respiração entrecortada aos meus ouvidos diziam “ desculpas, continua”.

– Por que tu ouve essa gente? – estremeci ao som rouco tímido ao outro lado da linha

– Problemas ... demais – repito com o som de uma risada sem humor – E a falta que tu faz.  

Meu peito dói ao ver que ele nem esperou eu terminar e desligou em minha cara – Eu poderia ligar. Não só uma, mais, Sim. Várias vezes mais do que me adiantaria?  continuaria a desligar em minha cara.

– Droga Ycaro.

Me deito na cama como se precisasse enfiar minha cara em um buraco ou simplesmente levar uns socos.

 Vejo aquela foto nossa na tela do meu celular, seu corpo era como um parque de emoções cada parte uma sensação diferente, um amais excitante que a outra, sua língua na minha ou até mesmo seus elogios exagerados sobre o quanto – eu era diferente. – Respiro exaustou deixando os pulmões liberarem toda a tensão em uma inspiração longa  – te conheço e sei que você não vai ligar.

E Se ligasse o que eu falaria? o de sempre?

 – Eu te querendo aqui. Você não viria não é mesmo.

Digo puxando todo ar que posso para dentro novamente, deixando o Celular escorregar caindo no colchão forrado com um lençol branco  

 Faz exatamente uma semana desde da última vez que liguei pra ele, não que eu esteja contando neh. Minha casa parece simplesmente tão vazia sem ele tagarelando pelos cantos ou mexendo nas coisas, eu deveria me mudar? seria menos lembranças. Tenho certeza. Mais que de pressa pulo do sofá repleto de bichos de pelúcia disposto a passar em um bar e me jogar de cara.

 Ycaro. – Merda. Puta merda. – Perece feliz, está feliz, muito alias... é claro. Eu não to perto.

Seus amigos o rodeiam em uma mesa como se ele fosse o centro de tudo, seus cabelos curtos avermelhados enrolados – realmente um ruivo muito bonito – ele se vira em minha direção por acaso e seus olhos castanhos-mel se esbarram nos meus. Sua boca diz algo mais a é extremamente  indecifrável o que está dizendo e a única palavra que consigo entender é – Casa. Ca-sa. Casa! – rio surpreso e mesmo estando alguns metros longe do mesmo, ele ri acenando com a cabeça quando pergunto “C A S A ?” e  ele assente um “SIM” balançando seus cachos ruivos que pareciam mais claros. Um de seus amigos o tocam e me sinto desconfortável e logo depois saio. 

Passaram-se umas três horas desde que sai do bar onde vi Ycaro e onde estou é uma surpresa. Pois estou na recepção de seu prédio já que o mesmo mora sozinho e por algum motivo trocou a fechadura, e seu porteiro não me deixaria passar.

Pego em um sono leve que parece se passar uns 25 minutos e seu cheiro doce e seus toques molhados me acordam. Uma bela visão – Ycaro?

– Você me esperou kai?

– sim. Por 3 horas só, nada de mais – digo secamente

– Estávamos comemorando o aniversário de um dos meus amigos e eu não poderia sair cedo.

Arrependimento por ter me chamado aqui  ou desprezo ter o encontrado no bar e depois me ver aqui? eu gostaria de perguntar mais ele parece sóbrio e minha resposta seria uma, simples resposta fútil como um “não” mesmo que seus olhos gritem “sim”   

– Tudo bem, eu to  saindo cara, ta tarde alias – ele me olha confuso mais não diz nada então apenas me levanto silenciosamente e vou para fora

1 ... 2 ... 3..., 4..., Torço para que não passe do 8, por que sei que depois disso nem  nos meus melhores sonhos ele viria trás de mim 5..., tenho um nó na garganta 6..., ah!

Ele; vc pode ficar? se não quiser pode ir

Ele; to no elevador Kai

Eu; to voltando

Não posso negar estou quase saltitando de alegria, só de ler suas mensagens  meu corpo se contrai não consigo o decifrar só com um simples olhar

– Você ta sain...

– Se eu tivesse saindo com alguém ele estaria aqui e não vc – claro como se não houvesse emoção

Passos um tempo depois em silencio não sabia o que de fato tava acontecendo

– Kai, escuta bem

– aham – continuo com um vago aceno

Sua respiração entrecortada, a poucos metros de mim me causando formigamento em minhas bolas. A porta abre e em “ a gente vai conversar” ou “eu ainda to brabo contigo” minha língua estava explorando cada canto de sua boca o contato bruto entre nossas bocas com o delicioso gosto mentolado, seus dentes arranhando meu lábio inferior apos nos separarmos – Mais eu nem ligaria se ficássemos aqui

Ele me empurra se virando de costas para mim enquanto abre a porta e sem pensar o encosto na parede logo depois de entrar – deveríamos conversar... ahn – sua voz tremula ainda na entrada  de sua casa com a minha mão acariciando seu membro duro, lançando ondas de calor pelo meu corpo

– Se vc quiser a gente conversa – digo tentando puxar o máximo de ar aos meus pulmões que parecem exaustos

– Eu quero que vc me foda. Huum depois a gente conversa – seu sorriso inocente, lambendo seus lábios que brilhavam a luz forte em sua sala, mais que depressa o levei com sua boca colada a minha em direção ao sofá

– eu quero que você converse comigo – faço uma pausa ao mesmo se sentar no sofá e arrancar sua blusa de manga cinza – quero que seu corpo fale com o meu...

Um Grunhido baixinho escapa entre meus lábios ao toque sutil e sua língua aveludada envolver a glande do meu pau como se estivesse chupando um doce, seus olhos queimam de desejo e seu rosto que demostrava uma expressão tão angelical

– como ... eu... aarg mais... forte – não só sua boca envolveu meu membro mais suas mãos macias e úmidas também em movimentos rápidos me fazendo contrair ainda mais, meus gemidos baixos soando pelo seu apartamento a cada movimento de sua boca gulosa.

 Ycaro. – digo tenso

E ele assente com a cabeça sem deixar de fazer sua boca me levar as nuvens mais brancas do céu e por mais que eu queria dizer quantos sentimentos tenho por esse ruivo seria impossível juntar palavras racionais ao mesmo tempo em que ela linda boca me chupa com vontade indo até o fundo da sua garganta como se não te importasse

Seus olhos correm pelo meu corpo ainda coberto pelas roupas enquanto eu não tiro os olhos dele, seus movimentos com as mãos me torturam e eu busco por um alivio rápido

 aanh.. – outros grunhidos escapam entre os dentes cerrados aos outros e meu gozo escorre pelo canto da sua boca e ele se encosta no sofá me deixando apreciar seu corpo que diferente do meu tinha um pouco mais de carne.

– Poderia ter me avisado – diz ele com um sorriso ladino

– e qual seria a graça – levanto meus braços retirando a camisa xadrez e o mesmo acompanha cada um dos meus movimentos – vc bebeu todo. Não foi

Ele ri debochado e isso volta diretamente para o meu pau exposto o que é extremamente embaraçoso – parece que alguém ainda quer mais – digo tímido

– shiuu, não fala ...

Ele se levanta e se junta a mim estando de pé tocando na glande fazendo movimentos circulares e logo a apertando com força me forçando um gemido, levo minhas mãos em sua cintura o trazendo pra mim e ele não recusa

– pode usar minhas coxas – ele ri debochado

Me abaixo até sua orelha mordendo seu lóbulo – não quero usar suas coxas – sussurro

– então o que vc quer usar – sua voz não me parece mais firme como antes

Enquanto levo minhas mãos ao cós da sua calça abrindo o zíper e puxando sua calça para baixo vou descendo a tirando até chegar em seus pés, onde puxo e a retiro por completo e a cueca preta com detalhes azuis marcam seu membro ereto.

Deslizo minhas mãos pelas suas pernas brancas até estar em pé em sua frente com as mãos fincadas em sua bunda adentrando em sua cueca – quero que vc sente em mim – sussurro ao lamber seu lóbulo – quero ter meu pau dentro de vc de novo.

 

۰      ۰      ۰      ۰      ۰      ۰      ۰      ۰      ۰      ۰

@ kiri.pjeon_ insta 

e seila tchau gente kk

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Desculpas pelos erros, sorry kkk @kirijeon97 ; ༊ .˚。


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...