História - Determinação - UnderTale Frans - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Burgerpants, Doggo, Flowey, Frisk, Gerson, Greater Dog, Grillby, Mettaton, Muffet, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, Vulkin, W. D. Gaster
Tags Frans, Frisk×sans, Sansfrisk, Sansxfrisk
Visualizações 278
Palavras 1.788
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Lemon, LGBT, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E LA VAMOS NOS....

Capítulo 24 - Chara


Fanfic / Fanfiction - Determinação - UnderTale Frans - Capítulo 24 - Chara

Me levanto do sofá olhando para ela.

 

- Tori!

 

Undyne e Alphys olha uma para outra confusas.

 

- Sim.... Sr. Toriel falamos ‘Chara’ – começa Alp – É o nome do vírus que esta dentro de Frisk.

 

- Oh – Ela coloca a mão no peito e suspira, memorias dolorosas aparecem em seu rosto – Que coincidência....é o mesmo nome do meu filho que morreu.

 

Sans se levanta do sofá para olhar ela e Undyne coloca as mãos na boca.

 

- O príncipe que morreu! Nem tinha feito a ligação!

 

- Chara é um nome comum entre os humanos? – Alphys pergunta para mim.

 

- Não.

 

Todos me olham menos Sans.

 

- Tori, me perdoe, o Chara.... o Chara, seu filho, príncipe dos monstros.... “Vive” dentro de mim..... eu.... ele.... me fez matar a .....todos...

 

Não quero falar que isso inclui ela e o Asgorde. Pela cara dela.... ela já sabe disso....

 

Ela se ajoelha no chão e coloca as mãos no rosto começando a chorar.

 

-Minha criança!! – Sans vai consola-la seguido de Alphys.

 

Olho para o chão....

 

É tudo culpa minha.... deveria ter falado antes.... ela descobriu dessa forma tão cruel e....

 

Undyne coloca a mão no meu ombro. Olho para cima e ela está olhando para frente.

 

Respiro fundo.

 

Certo.... Antes de me remoer.... vou até a Toriel e ela me permite abraça-la me abraçando de volta.

 

- Minha criança...

 

 

 

 

 

Quando as coisas se acalmam.... estávamos todos em pé, menos Toriel que estava sentada no sofá tentando se acalmar. Alp estava ligando para Asgorde para ele vir.

 

 - Eu... vou contar a história dele... para vocês.

 

 

 

Presto atenção.

 

 

 

- Meu filho Asriel.... troce essa pobre criança ferida.... ele disse que ele havia caído.... – Ela olha para o lado – Mas na verdade, Chara... só não queria viver mais com os humanos.... ele odiava todos os humanos e se sentiu em casa, tentei trocar o ódio do seu pequeno coração por amor.... mas por quem ele se apegou mesmo foi por.... Asriel.

 

- Eles viviam para la e para ca fazendo coisas que só eles sabiam... Mas.... um dia.... Chara ficou doente.... muito doente.

 

Ela aperta as próprias mãos tentando não chorar mais.

 

- E eu... não pude fazer nada por ele.... nada mesmo.... o Dr. Gaster disse que – ela olha para mim – Ele não tinha determinação o suficiente para aguentar o ar do subterrâneo.... seus pequenos pulmões como o resto do seu pequeno corpo estavam morrendo.... mesmo que levasse ele além da barreira ele morreria.... – Pego o lenço que Mettaton me deu ontem e dou para ela, ela começa a limpar as lagrimas – Ele só queria ver as flores douradas..... eu nunca pude realizar esse pedido... e eu me sentir a pior mãe do mundo....

 

- Um dia.... estava levando uma torta de lesma para ele... quando ouvir Asriel e Chara conversando.... Chara falou para ele.... “Não esqueça da nossa promessa, quando eu morrer, use a minha alma e mais 6 para libertar a mamãe e o papai”..... – Mais lagrimas aparecem em meus olhos – Ele já tinha desistido de viver.... para nos dar a sua alma.....Eu não queria aquilo.... mas eu não pude falar... nem fazer nada.... – Lagrimas caem eu sua roupa – Eu não pude nem salvar meu próprio filho.

 

Ela fica respirando tentando se acalmar antes de continuar
 

- Quando ele morreu..... só Asriel estava no quarto junto a ele..... Asriel..... depois daquele dia, eu nunca mais vi meus dois filhos.... – Ela olha para mim – Pensei que nada mais me daria alegria..... quando nasceram flores douradas do subterrâneo... pensei que era meus filhos.... nos presenteando....para me manter firme e viva.... eu não entendo.... por que ele faria isso?? Por que ele mataria a todos?!

 

Eu olho para o Sans e ele apenas olhava para Toriel triste.

 

Ouvimos um barulho de uns passos e olhamos para a entrada.

 

- Tori! – Era Asgorde ofegante. Ele correu para chegar até aqui.

 

Toriel se levanta e corre para abraça-lo.



Toriel fica falando para ele o ocorrido junto com Undyne e Sans enquanto eu converso com Alphys.

- Frisk.... vou ter que fazer um exames em você.... o ideal era você poder ir para o núcleo.... mas como não pode ir – Ela estava triste, mas tenta ao máximo se recompor como o resto de nós – Trarei as maquinas para ca. Pelo menos algumas... as mais necessárias ..... Pedirei ajuda do Sans para terminar tudo mais rápido. – Sorrio.

Ela sai de perto de mim e vai falar com o Sans.



Ia atrás dela.

Mas paro.

- O que? – Coloco a mão na testa, me sinto tonta, me sinto estranha. Olho o Sans vendo que ele estava pronto para sumir com a Alphys para ir ao núcleo – ESPERA! – ele desaparece junto com Alphys– Es...pera.

Os que restaram olham para mim assustados.

Toriel, Asgorde e Undyne

- Fu...jam


Tão tonta.... tão cansada.... não consigo me controlar.....depois disso....minha visão ficou turva........ um apagão.



Desmaio.










Quando acordo de novo.

minha visão ainda estava meio embaçada. Ainda tonta. Olho para frente devagar e só vejo Sans de pé na minha frente com as mãos no bolso.

- Heh, acordou Piveta? – Ele fala com um jeito tranquilo, então pensei que estava tudo bem, isso foi... antes de ver o cenário inteiro. Na parede a minha frente bem lá atrás do lado só sofá revirado estava Asgorde muito ferido sentado no chão encostado na parede com Toriel a ajudando junto com Alphys. Já Undyne estava segurando uma lança amarela jogada na parede perto da tv do lado da cozinha a minha direita. Ela foi jogada com tanta força na parede que a parede rachou. E eu... não que me importe, sentada na parede com outra lança amarela cravada em meu braço me prendendo a parede. Em uma gaiola de ossos ao meu redor. Olho para o Sans e ele completa – Soneca, certo? Heh, eu faço isso direto também

Sans tenta amenizar o problema... mas eu já sabia.....

Olho para baixo.

Eu estou com vários machucados em meu corpo, meu ombro direito estava cravado com uma “lâmina mágica” ate o outro lado.... mas a pior dor..... era.....


Olho novamente para Asgorde que estava na minha frente e ele estava desmaiando, Toriel estava chorando ajoelhada ao lado dele. Alphys me olhou, dava para sentir o seu medo.

Isso.... a pior dor.... era exatamente isso.




----



Depois de um tempo, eu estava toda enfaixada no quarto de Papys, no final foi bom ele ter viajado, pois Alphys pode colocar as maquinas que precisava no quarto dele. Eu estava deitada em uma cama de metal alta com vários fios em meu corpo e monitores passando dados em minuto em minuto. Alphys ficava imprimido.

- Alp?

- Hn? – Ela olhou para mim – Ainda está sentindo dor?

- Não é isso..... Alp... desculpe.... por te assustar mais cedo.

Ela começa a suar se agitando quando corre ate mim.

- N-n-não fiquei com medo de você – ela tenta me tranquilizar – Na verdade fiquei bem suspresa..... com você..... mas mais com o Sans.

- Sans?


- Ah, você não lembra das coisas?

- Não....

- Oh.... – ela olha para o lado.

- Alp.... me diz? – ela continua pensativa – Por...favor?

- Está bem... – ela suspira e me olha – Quando eu e Sans chegamos no núcleo. Sans disse que te ouviu e queria voltar por que sentiu um mal pressentimento, peguei só um livro e voltamos, durou 3 segundos. Quando voltamos o Rei já estava gravemente ferido servindo de escudo para a Toriel, você estava segurando um cacto de vidro enorme.... – Por isso que minha mão está com esses cortes profundos – E estava fazendo isso de arma.... Undyne tentou te acertar varias vezes com as suas lanças azul foi nesse momento que eu e Sans entendemos o que estava acontecendo, então ela usou a sua lança rastreadora amarela..... com isso...ela te prendeu na parede....- meu ombro direito -  e antes de jogar a outra em você.... o Sans a jogou com tudo na parede com o seu poder azul.... – Sans.... – Eu francamente sabia que ele era forte! Mas não ao ponto de parar a Undyne e ele pensou tão rápido.... eu só conseguia ficar paralisada no lugar.


- Como está Asgorde? – pergunto com medo.

- Ele vai ficar bem  - ela tenta falar isso com firmeza para não me assustar.



eu fico em silencio pensativa.


Ela vai para as folhas que caiam mais na impressora e começou a dar uma olhada nela.


- Ok... er... eu acho que por agora, está bom – Ela me olha e eu começo a me levantar ainda com o corpo tremulo, ela me ajuda atirar os fios – Vai descer?

- Sim – Saio da cama de metal. Quero ver a todos e ver se esta tudo bem com eles – Posso?

- Po-pode!

Sorrio e abro a porta que estava intacta de novo saio do quarto de Papys.

Abaixo das escadas na sala Undyne estava brigando com o Sans que tentava concertar a porta da entrada.

- Desse jeito você so vai enfiar esse prego amanha! – ele batia o martelo no prego bem devagar.

- Calma, calma – ele estava segurando o martelo sorridente – Eu estou dando DURO aqui.

- UGHHH!!! ME DA! – Ela pega o martelo e começa a arrumar a porta, mas quando vai bater o martelo na parede a parede quebra – AAAH!! 

Sans fica rindo.

- Undyne – Desço as escadas devagar. Sans me olha sorridente colocando as mãos no bolso, mas Undyne ainda estava de costas para mim, paralisada com a minha voz – Undyne... me desculpe... hoje eu....

- IDIOTA! – Ela soca a parede quebrando mais e depois olha para mim totalmente triste – Eu que te machuquei! Eu ia te matar Frisk! HOJE EU IA TE MATAR SEM NEM PERCEBER!

- Não! Você me parou.... e eu sou grata.... eu não quero machucar mais ninguém.... Undyne, obrigada.

Undyne sai da casa sem olhar para trás.


Alphys passa por mim pelas escadas a seguindo.

Antes de Alp ir ela olha para mim balançando as folhas.

- Vamos para o nucleo! Quando tiver novidades eu volto!!!

Ela sai correndo de forma desajeitada.

- Undyne!! Espere!!


Olho para o Sans. Ele da de ombros.

- Vamos da um tempo para ela? – Sorrio e concordo com a cabeça.


- Eu... posso ver Asgorde?

- Er... – ele olha para o lado pensativo – Que tal amanhã?

- Certo.... – Pego no corrimão das escadas e olho para baixo – É melhor ele se recuperar antes...

Sans soube as escadas e me ajuda a subir de novo.

- E você também, piveta. – Olho para ele e ele me leva ate o seu quarto – Fique aqui, vou te fazer algo para comer.... e depois disso vamos dormir, que tal?

Sorrio.

Ele some.

Olho para baixo abrindo um pouco meus olhos amarelos e uma lagrima cai deles.


Chara.... por que?

 


Notas Finais


Obrigada por lerem até aqui~~*me curvo*
amanha tem mais
EU AMO VOCÊS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...