História - Determinação - UnderTale Frans - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Burgerpants, Doggo, Flowey, Frisk, Gerson, Greater Dog, Grillby, Mettaton, Muffet, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, Vulkin, W. D. Gaster
Tags Frans, Frisk×sans, Sansfrisk, Sansxfrisk
Visualizações 272
Palavras 3.090
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Lemon, LGBT, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E la vamos nos~~

Gente é normal as vezes o AS tirar o favoritismo de vocês~~
Então é sempre bom ver se estão nos favoritos ainda ou não~~

amo voces~~

Capítulo 27 - Entre Família


Fanfic / Fanfiction - Determinação - UnderTale Frans - Capítulo 27 - Entre Família

Ainda era noite lá fora mais todos estavam acordados na sala. Alphys ao lado de Mettaton e Undyne. Eu estava sentada ao lado de Papyrus no sofá com o Sans do nosso lado só que de pé.

Estávamos em um grande círculo.

- Queridinha, não da para perder o sono da beleza com esse suspense tudo – Ele fica apertando a bochecha da Alp – Vamos~

- Ai ai ai ai – Ela consegue se soltar –Mettaton, calma – ela olha para o relógio – São 4:30 da manhã.... eu queria o Rei e a Toriel aqui.

!!

- Então liga para eles, Queridinhaa!

- Eu não consigo – ela começa a suar.

- UHG! – Undyne pega o celular digita alguns números e coloca no ouvido – ASGORDE! SEU PELUDO PREGIÇOSO! SABE QUE HORAS SÃO...........- Ela escuta a resposta – Descansando? .... Desse ARRANHÃO? – Ela olha o relógio do celular e responde – 4:31, O que? CEDO? – Me levanto indo até Undyne e ela me da o celular.

- Oh! Frisk! – Sua voz era sonolenta, mas parecia feliz em meu ouvir – Como estão suas feridas....o que? – começo a explicar para ele sobre o que Alp me falou – E.....ela quer eu e Tori ai? - .... – Tudo bem.... eu vou ligar para ela.... e estamos indo em breve – Digo algo para ele – Oh... vai fazer chã para mim? Que gentileza.... para me acordar.... vejamos.... que tal um chã preto?

Sorrio.

Devolvo para a Undyne.

- Serio? Simples? – Ela segura o celular pasma.

- Heh, acho que o ponto da Frisk é chegar no ponto. – Sans rir e a Undyne começa a brigar com ele.

Vou para a cozinha e começo a preparar o chã do rei.

Alp me segue.

- V-vai fazer chã – Ela começa a suar mais corando – Eu... posso tomar também? – Concordo.

- O que a HUMANA vai fazer chã? – Papys aparece atrás da Alphys – Frisk! Isso é trabalho para.... EU! O grande papyrus! Você devia está dormindo essa hora – Ele fala com o seu sotaque que eu tanto gosto.  mas eu posso fazer isso.... balanço a cabeça dizendo não – NÃO? – Ele vira para sala – SANS! Frisk entrou na fase rebelde! Isso tem dedo seu?


- O QUE? – Undyne aparece na cozinha, mas eu não presto atenção por estar colocando algumas colheres de chã na agua ainda fria, ligo o fogo, mas antes de poder levar a panela para o fogo Undyne me assusta colocando a mão minha cabeça – Você não quer sair? Isso é um DESAFIO?



Sans Onn


A cozinha estava meia cheia e rolando uma gritaria.



Heh



As vezes era bom só ver as coisas pegando fogo de longe.






- SANS? Você não me ouviu chamar? – Papys grita de novo e eu acabo tendo que ir.

Na cozinha a doutora estava alvoroçada tentando acalmar os nervos, mas pelo visto não acalmava nem ela mesma.


Papys estava pesquisando no celular sobre fases de uma adolescente. O robô-fantasma estava encostado na parede perto da geladeira cerrando as tralhas de unhas de metal.

Enquanto Undyne tentava pegar a Piveta pela cabeça que por sua vez choramingava se agarrando ao balcão de madeira.

- Anda! SOLTA!

- Não! – ela choramingava – Eu quero fazer o chã do rei! Ele disse para eu fazer!

- METAL ANDANTE! – reclama – Faz ALGUMA COISA!

- Desculpa, queridinha – Ele olha ao redor e coloca a mão no peito – Por acaso é comigo? Oh! Eu faria... claro, mas estou ocupado agora.

- Ocupado em que? – Papys pergunta

- Em ser lindo demais, claro.

- Eu só quero fazer um chã!! – Frisk me olha e sorrir – Sans!

- Vamos, vamos gente – levanto as mãos e pisco para eles quando tenho a atenção de todos – Para que essa CHAtiação?

todo mundo me olha em silencio.



O sorriso da Frisk muda para uma cara séria e ela desiste. Soltando o balcão.

Heh.

Nem todo o dia vencemos guerras.

Eu e ela somos jogados para fora da cozinha.


Ela ficava resmungando quando sentamos no sofá e eu ligo a tv.

- Você era a minha carta na manga, Sans.

- Não precisa chorar no chã derramado.


Ela enche as bochechas de ar, mas logo muda o foco assistindo tv.

Bocejo.

Olho para a cozinha pegando fogo no canto com o robô-cop saindo dela nos pulos e começo a rir apertando os olhos.

- Sans... – O tom da Frisk mudou novamente, ultimamente é esse tom que eu mais escuto. Olho para ela e ela estava olhando a tv com medo de olhar para mim, provavelmente vai pedir algum absurdo– Pode.... me prender quando Asgorde e Tori chegar?


Antes de eu responder alguém bate na porta.

Salvo.


 Apareço na porta, mas antes de abrir alguém bate de novo.

toc toc

Sorrio.

- Quem é?

- SAI! – meu brô me empurra abrindo a porta.



Frisk Onn



Estava de joelhos no sofá para ver a porta atrás de mim.


Quando Papys abre a porta empurrando o Sans da frente pela cabeça.

Vejo Asgorde e Toriel do lado dele.

Já estava amanhecendo lá fora, mas ainda era muito escuro para dizer “bom dia”. Tentei ver bem a gravidade de Asgorde mas suas roupas tapavam o ferimento.... e seu jeito sempre calmo e feliz não dava para compreender bem como ele estava.

Ele estava falando algo com o Papys e depois olha para mim.

- Frisk, venha aqui – coro, olho para Toriel e ela sorrir, estava com receio de chegar perto dele. Não queria ferir mas ninguém, se eu pelo menos tivesse presa me sentiria melhor.... Chara me fez desmaia quando os dois pais dele estava juntos em um mesmo local e quando descobriu que era ele..... eu não sei mais o que pensar.... tudo pode acontecer – O que foi?


Me levanto e ando ate eles.


Ele se ajoelha na minha frente e pega a minha mão direita vendo o machucado enfaixado.

- Bom, parece está melhorando, hm? – pergunto e ele sorrir – Como está os meus? Eles já se curaram a muito tempo – ele rir – Eu sou um homem muito forte jovenzinha. – Toriel da um tapa na orelha dele.


- Rei! – Alp aparece da cozinha – Desculpe acordar o senhor e a senhora – Ela olha para Tori se desculpando.



- Alphys, queremos ouvir o que descobriu – Rei se levanta e vai falar com a Alp.







Estávamos agora todos na sala, acho que nunca vi essa sala tão cheia.


Toriel, Sans, Mettaton, Asgorde, Papyrus, Alphys, Undyne e eu.


Esse cenário seria perfeito para Chara.... Olho para o Sans. Ele estava distraído ouvindo a alp.

- O Sans foi mais cedo hoje no núcleo me ajudar – Começa ela – Não descobrimos apenas que o Chara está aos poucos trocando de “corpo” com Frisk.... descobrimos o que está dentro dela.... é sua “vontade de viver”, sem alma, Rainh- Toriel.... vocês usaram a alma do Chara para abrir a barreira? Ela foi uma das 6 almas? – Toriel olha para Asgorde e ele balança a cabeça de forma negativa.

- Eu.... depois que meus dois filhos morreram eu nunca mais vi sua alma em lugar algum – Ela pensa – Sim.... pensei que tivesse se quebrado por causa da doença.

- Então é essa a resposta – todos olham para a Alp e ela fica meia nervosa – Er..... Chara não tem receio do que faz por está sem sua “alma” para ela todos nós somos só obstáculos para suas motivações, com apenas motivações e sem determinação.... o que o faz continuar é um objetivo.... eu não sei muito bem qual é.... mas – Ela pega as folhas que estava segurando e começa a ler – Segundo sua historia de origem, Chara era órfão foi cuidado por pessoas no vilarejo, mas ele não recebia amor, com inveja dos humanos e de seus laços ele preferiu ficar com os monstros onde tinha a esperança de se vingar de todos os humanos no futuro, como se a alegria deles o desagrada-se – Ela vai para a outra pagina – Chara sempre quis ser um monstro... acho que isso é por que, queria ser o filho de sangue de vocês – Ela olha para Tori e o Rei. – Ele .... talvez se sentiu o único excluído por ser diferente..... – Ela para um pouco – Mas... tem mais

- Mais? – Pergunta Tori

- Sim.... – Ela vai para a ultima pagina. – Segundo os relatos da data que seus filhos morreram, ouve um abalo na barreira, o filho de vocês.... com uma alma humana, provavelmente a do seu irmão..... atravessou a barreira e levou o corpo de Chara além  -  eu conheço essa historia.... Asriel me falou – Não se sabe bem o que aconteceu, mas quando ele voltou estava muito ferido.

- Eu sei o que aconteceu – Eles me olham – Asriel.... levou Chara para ver as flores na aldeia.... os humanos acharam que Asriel matou Chara e começaram a ataca-lo..... Asriel não machucou ninguém.... ele apenas foi embora com Chara.


Todos ficaram em silencio.

- A questão é.... – Alp continua – Tenhos que encontrar a determinação de Chara novamente... com isso talvez ele se solte de Frisk.

- A determinação? – Tori olha para Asgorde – Somos a família dele! Se isso não lhe deu determinação... o que daria?





- Eu posso... conversar com ele.



- O QUE? – Todos falam juntos e me olham.



-Sim... vejam.... – Coloco a mão na cabeça, como vou explicar nossa conecção? – Quando eu durmo..... sem Sans dormir, é claro.... Eu sonho com ele, toda a vez ele fica conversando comigo e me “distrai” enquanto usa meu corpo.... eu posso usar isso ao meu favor agora.


- Você está falando – Começa Alp – D-d-deixar Chara te controlar de propósito?


- Sim...

- Isso... pode ser uma boa ideia

- Não

Todos olham para Sans.

- Sans, você vai me prender na gaiola, desse jeito eu não vou machucar ninguém.


- Pirralha, não acho uma boa – Undyne se aproxima. – Vai ser perigoso para você e se você não voltar mais?

- Eu vou, prometo.

Papys coloca a mão no meu ombro e eu olho para ele e sorrio, Tori começa a chorar e Asgorde a consola.


Vou até o sofá.


Me deito nele.



Fecho os olhos.

hmmmm

Dava para sentir todo mundo me olhando.

- Não consigo dormir com tanta pressão


- Eu já sei! – Papys me da um leite – Beba isso e vai dormir em poucos segundos.

Tomo


Volto a deitar


Nada


- Claro que não esta dormindo, Queridinha~~ nunca vi uma dama dormir no sofá – Undyne desce com um colchão que estava no quarto do Sans e joga na sala no canto  da parede “AQUI” Mettaton olha de cara feia quando vou para o colchão – Não era bem dessa “rale” que queria falar.... posso pegar uma cama de princesa se quiser.

- Não... esse está bom – Me deito corando, Sans dormiu nele esses dias, não foi? Abraço o travesseiro.

Mas nada acontece.


Undyne senta no colchão

- Qual é Pirralha, o plano é seu ! – fico choramingando e ela suspira – Não está dormindo por que dói? – Ela sussurra mais para ela mesma do que para mim, sua face muda vendo meu machucado no ombro.

- Não doi nem um pouco – Ela me olha. Vou mudar a tática – Eu pensei que seria pior – Fecho os olhos ficando esnobe – Já que todos falam que você é forte e tal

- Sua! – Ela fica bagunçando o meu cabelo. Ela para e pensa – Ah! Que tal uma canção de ninar?

- Comigo mesmo!! – Mettaton empurra ela  e se senta do meu lado começando a contar, Metta canta bem.... mas muito alto.... muito extravagante e.... eu não consigo dormir.

Todos se olham sem ideia.


Toriel suspira e anda ate mim.


- Eu realmente não quero que faça isso, minha criança.... mas as minhas inseguranças..... vou deixa-las de lado para confiar em você.



Ela canta uma canção de ninar conhecida por mim.



Eu realmente gosto dela.



Tão calma.... tão gentil





Quando dou por mim... a canção continua.... descendo mais fundo na escuridão.... a canção muda..... olho para frente.


E Chara estava cantando feliz.



Ele abre os olhos e me ver.


- Olá parceira. Sentir sua falta. Você não?











Sans Onn



- Será que funcionou? -Tori pergunta fazendo carinho na cabeça da Frisk – Faz um tempo que ela está assim


Frisk abre os olhos, merda.


-Frisk? Não funcionou? – Antes da “Frisk” levantar uso o poder azul na Toriel – O que? – A deixo flutuando no ar enquanto com a outra mão faço as grades em forma de osso.

Undyne pega ela no ar e coloca no chão em segurança.


- Sans?! – Papys se ajoelha do meu lado.

Fico olhando para “Frisk” e ela se levanta colocando a mão nas grades.

- Sans? – ela sorrir com os olhos fechados. – Sou eu, não funcionou.

- Claro que não queridinha – o robô fica falando indo para perto das grades – Eu não sei como você cogitou em deitar nessa – ele aponta para o colchão procurando um pronome – Enfim, vamos tentar de novo, só que em uma cama de verdade. Ossinho – ele estrala os dedos para mim – Desfaça essas grades sim?

Suspiro e coloco as mãos no bolso, melhor só ignorar.

Ando até as grades.


Sorrio olhando para ela.


- Me diga, pivete – A próximo o rosto de perto dela – Gostaria de queimar no inferno com esse teatro de merda?

- S-Sans?

- Sans! É a frisk! Quando Chara aparece os olhos dela ficam vermelho! Eu já vi acontecer – O Rei fala e eu suspiro – Veja os olhos dela são amarelos.


- São mesmo?


- Papys? – Chara olha para o meu bro, isso vai me irritar para cacete – Talvez se você cantar para mim... eu consiga dormir?


- Brô, fique onde está.

- Mas...eu sinto que é....

-FIQUE – olho para ele com o meu olho esquerdo azul aparecendo – Onde está

Chara começa a rir e eu volto a olhar para ela.

Todos ficam confusos.

Ele abre os olhos mostrando seus olhos dourados indo para um vermelho sangue como um camaleão.


Undyne faz uma lança azul aparecer nas mãos.

e todos dão um passo para trás, exceto eu.


- Pra que essa cara, comediante? – Ela sorrir mais – Não gosta de piadas?


Riu com ele fechando os olhos e me acalmando.

- Nah, suas trapaças me deixam com tedio.

- Trapaça? – Ele olha para eles – São todos tolos....não pode chamar de trapaça uma vantagem tão óbvia.


- Chara! – Tori tenta censura-lo.



Ele da de ombros.


- Você ainda quer mesmo brincar de mãe? – Ele revira os olhos, mas tem uma ideia e sorrir olhando para ela – Tudo bem, mãe você me ama, certo? Quem ama faz tudo, certo? – Ele corre pela grade e ergue a mão – Então me de LV mãezinha, com ele eu posso ficar mais forte! E eu vou existir de novo! O que acha? Quer que seu filho volte a vida?

- L..V?
- Isso! Basta você me dá alguns monstros ou até humanos para eu matar! O que diz?

Ela da um passo para trás e ele começa a rir quando o rei urso fica na frente dela.


- Tori – a concelho a ela – É apenas ignorar.


- Comediante, você não parece muito feliz hoje – Ele volta para mim e coloca a mão no meu rosto por trás da grade, Papys tenta ir na minha direção, mas a peixeraivosa segura ele – Vamos, me entretenha.


- Eu faria isso, Kiddo – Fecho os olhos – Mas você está tão fraco e sem nenhum LV que não tem nem como eu me entreter com isso – Olho para ele e ele se assusta, mas logo volta a sorrir.

- Seu doente! Seu insano doente! Quer tanto assim ver o sangue dessa garotinha? – Ele sorrir mais ficando com um sorriso doentio no rosto estragando o rosto de Frisk – Eu posso te ajudar com isso. Ele coloca a mãos na ataduras do ombro e começa a tirar!


- Não! Os pontos!! – Doutora fala.


-Pare!! – Chara apenas rir e enfia as unhas no pontos – EU DISSE PARE!! – a peixeraivosa faz o que eu temia. Jogou uma lança azul em direção da parede para assustar o Chara mas isso só fez uma das grades sumirem.

Chara é mais rápido que meu poder. Antes de fazer a outra grade voltar ele sai segurando a Flecha.


- FRISK! – A doutora grita – Sans cuidado!

Ainda com as mãos no bolso fico desviando dos ataques de Chara.



Dava para ver o ombro de Frisk sangrando. Os pontos estão abrindo.


O robô tenta atacar para me ajudar, mas na verdade só me atrapalha

Uso o poder azul e o jogo para o sofá e ele cai fazendo pouse. Fico desviando.

-Todos mundo para trás – Aviso


Chara desiste de me atacar e corre para o meu irmão.


Estralo os dedos e faço uma barreira de ossos entre ele e meu irmão.


- Tente de novo, Kiddo

Ele olha para mim e da de ombros.

- Ta bem!  - Ele joga a lança de forma certeira no rei que estava servindo de escuto para Tori. !!

Estralo os dedos e uso o poder azul na lança antes de acertar o rei, mas por bem pouco.


Chara corria na minha direção enquanto eu estava distraído.

Estralo os dedos da outra mão o fazendo parar.

O faço se ajoelhar no chão.


E ele começa a rir mesmo com dor.

- Quem está com.... trapaças agora?

Ele parecia sonolento. Isso é bom.



E era por isso que eu não queria esse plano.


Olho para a doutora.

- Doutora, está seguro agora, coloque um curativo no braço da Frisk.

- C..Certo!



Olho ao redor vento todos assustados com a situação.


- Não fique triste, comediante – Ele sorrir paralisado com o meu poder – Eu vou voltar para pegar o resto dos cactos.


- Heh, boa sorte – Pisco para ele e ele desmaia.


Me ajoelho e pego Frisk no colo a colocando no colchão agora sem grade nenhuma.


A doutora começa a limpar a ferida dela e o robô ajuda.

- Que bom... os pontos não se abriram tanto assim – Ela diz mais para ela mesma do que para mim, mas já fico aliviado.





Depois de 10 minutos, Frisk abre os olhos.

Eu sei que é ela pois ela nem olha para si mesma, ela apenas se senta e começa a olhar a situação. Fica triste quando ver a sala revirada e a maioria de nos alguns passos longe dela. Ela olha para baixo e depois olha para mim. sabendo que foi uma ideia ruim.

É foi, dou de ombros, mas já foi.


- Não se preocupe, Kiddo – Ela tenta se levantar, mas enfim sente a dor no ombro, me olha continuando sentada – Foi apenas uma briguinha de família.


a peixeazul se ajoelha na frente dela.

- E ai pirralha como foi? 


Notas Finais


Oii gente! adivinha só
eu não revisei ainda * levo pedradas* AHSUAHSUAHSUAS

MAL MAL


Amo voces.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...