História - Determinação - UnderTale Frans - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Burgerpants, Doggo, Flowey, Frisk, Gerson, Greater Dog, Grillby, Mettaton, Muffet, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, Vulkin, W. D. Gaster
Tags Frans, Frisk×sans, Sansfrisk, Sansxfrisk
Visualizações 121
Palavras 1.367
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Hentai, Lemon, LGBT, Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse capé pequeno pos postarei outro um pouco maior ainda hoje


So sentir que ta demorando muito ai postei logoAHSAUSHUAHSAUSHAUS

Capítulo 30 - Motivação X Determinação


Fanfic / Fanfiction - Determinação - UnderTale Frans - Capítulo 30 - Motivação X Determinação

- Olá Parceira – Chara olha para mim sorridente – Sentiu minha falta?

- Pare de me chamar assim.... já chega!!

- Ora... mas somos parceiros – Ele se aproxima de mim pela escuridão – De alma – Ele pega as minhas mãos e eu me assusto, elas ficam pálidas – E em breve de corpo.

Me afasto me soltando. Ele fica rindo enquanto olho minhas mãos voltando a cor natural.

- Chara! Por que faz isso? Eles são sua família!! – dou um passo para frente, não posso me assustar só com isso. – Você não entende, que eles te amam? Você não os ama?

- Amor? – Ele parece pensar – Interessante.... o que para você é o amor?


- A...amor? – Ninguém nunca me perguntou isso, é um sentimento que se desenvolve dentro de você “amor” aprendi essa palavra quando tinha 3 anos e já sabia que o que eu sentia pelo Sans era amor aos meus 1 quando ele me abraçou bebe e cuidou de mim, amor.... amor foi para mim uma arma forte da minha determinação, fiz coisas pelas pessoas que amava que não faria nem por mim. então talvez amor.... – Amor é quando você se importa mais com a outra pessoa que com você – Me lembro de como estava machucada e apenas conseguia sorrir quando salvei a todos – Amor.... é quando você faz tudo por quem se ama.

- Tudo ? – Ele começa a rir novamente – Isso é muito interessante, frisk, pena que não existe algo assim -  Ele fecha os olhos – Veja.... – Ele abre novamente olhando para o lado e vejo uma imagem dos olhos dele, dos meus olhos – Essa é a minha “família” Veja como me olham – Ele volta a rir – Tão tolos tão indefesos.... mas com tantos recursos.

- Eles estão assustados! Apenas isso

- Assustados? Que superficial – Ele revira os olhos tirando a imagem – Eles me olhavam assim quando eu cair também, quando disse do meu desprezo e rancor....dos humanos.... eles deveriam me entender melhor do que qualquer um.... ou talvez sejam só bichos entediantes que se acostumaram com a jaula. – Ele faz um movimento com as mãos – No final, não interessa isso.... eu apenas os deixei para lá.

- Chara, mas e o seu irmão? O Asriel.... Ele te salvou.


Ele abre os olhos ficando furioso. Dava para notar que esse assunto era um tabu.

Ele apenas me olha.

- Não chame aquele bebe choram de meu irmão nunca mais.


Dou dois passos para trás.


- Parceira – Ele volta a sorrir – Eu sei que está tentando procurar respostas para se livrar de mim.... e tal..... e está tentando me “distrair”, mas.... – O ombro dele começa a sangrar, olho para o meu ombro e ele estava sangrando também – Não tem “medo”.... de eu matar um ou dois amigos seus?



Ele volta a rir provavelmente da cara que eu fiz.


Ele sangra mais.

-O que foi?! Frisk! Me salve! -Ele rir mais alto e mais alto – Ande! Me ajude!

Eu tenho que voltar! Eu tenho que voltar agora!!



Ele está lutando, eu posso sentir!


Tento acordar, a risada de Chara desaparecia cada vez mais.


Ficava distante.... ficava sozinha.


Quando abrir os olhos pensei que iria acordar.

Mas eu estava na sala vermelha cheia de maquinas e engenhocas que eu conheço muito bem.


Agora.... não deu nem tempo de eu olhar para trás.


Sentir a mão no meu ombro.


A mão de Dr. Gaster.


Não... eu não posso estar aqui. Eu não quero.



Fecho os olhos para não velo falar.


Mas ele mesmo assim fala com sua voz... aquela voz horrenda.... como se tivesse distorcida.... e tocasse uma musica arranhada enquanto fala.... totalmente diferente das belas vozes de Sans e Paps.


- “ VoCE QuER TanTO ASSim.... fiCAar De CasTIgo.... MiNHa CrIANça?”


Coloco as mãos no ouvido e me ajoelho.






Sans! Me ajude!!










Depois de um tempo volto a acordar.


Estava deitada no colchão e quando olho para cima vejo logo o Sans com as mãos no bolso relaxado.


“Voce não tem medo de eu matar... um ou dois?”

Me sento rapidamente e olho para a situação como um todo novamente.... fico feliz que ninguém se machucou dessa vez.... mas fico triste de ver a sala revidada..... e esses olhos assustados deles....isso significa que.... no final de tudo aconteceu uma luta.


- Me desculpe... Sans – Olho para o lado – Não foi uma boa ideia.


- Relaxa Kidd – Ele rir quando percebe que eu tento me levantar, mas percebo a dor no ombro – Só uma briguinha entre família.


Undyne se ajoelha na minha frente.


- E então como foi?



......


Chara.... consegue ver quando estou dormindo.... consegue ver quando estou acordada.... mas.... ela não entra nos meus pensamentos ainda..... ela não dominou minha mente ainda....


Nesse caso.


- Não conseguir nada.... – Olho para todos e eles olham para baixo.

Olho para o Sans.


Ele me olha.



Sans Onn


- Não conseguir nada – Quando ela diz isso... eu já imaginei que isso aconteceria, suspiro. Terei que ir no núcleo e revirar tudo ate eu...

Frisk me olha.


Ela continua.


- Eu.... sinto muito.... – Ela olha para todos. - Eu tenho que descansar um pouco.... - quando ela olha para todos, ela me manda uma mensagem com as mãos só pelas libras que aprendemos quando crianças, então só eu podia entender. Eu e Papys mas, ele não estava prestando atenção já que conversava com o robô.

“Pegue uma folha de papel e uma caneta”

Ninguém reparou apenas eu.


- Eu entendo minha criança, deve ser difícil..... todos nos precisamos de um descanso.

a peixe se levanta e vai para a doutora.

Frisk me olha quando se deita, mas assim que deita com os olhos fechados. Ela pega a fronha do travesseiro e venda os seus olhos e se senta novamente.


Ela se levanta ficando de pé mesmo vendada.


Antes que alguém pudesse falar algo.

Ela coloca o dedo na boca pedindo silêncio.


Eu desapareço e reapareço com caneta e um caderno.


Eu não sei o que ela quer fazer.... mas vou na dela.


“Quero silencio”

Escrevo e mostro para todos.

“Para todos os efeitos estou apenas tentando dormir”

Todos olham para o caderno confuso.

O modo como ela fala é diferente de como ela faz mimica. Afinal o velhote só falava formalmente.

Eu sei o que temos que fazer


“Mas...Chara não pode saber de nada, entendem?”

“Se ela descobrir, isso estragará tudo”

“Chara ver tudo quando estou acordada, quando estou dormindo... ele só não domina meus pensamentos”

Ela se explica.


“.....”

“Asriel, está com a alma de Chara.... e ainda vive lá em Underground”



todos ficam nervosos sem conseguir entender muito bem.


Tori parece aflita muito nervosa querendo falar ou perguntar qualquer coisa.... mas sabe que não pode.

Ele esta vivo ainda?

Frisk sabe que é essa a questão principal agora e ela apenas balança a cabeça de forma negativa em um ato de gentileza.


“Asriel está morto”


“Mas... sua vontade de existir ainda está no meio das flores amarelas”



“Se descobrirmos um jeito de eu conseguir ir até ele....”

O que? Ir até lá embaixo? Ela só pode está brincando.

“Sem resetar tudo de novo”


“Eu.....tenho quase certeza que conseguiria.... ‘salvar’ a todos”

Salvar? Chara?


Não deveria existir uma palavra dessas para uma criança daquela.




Toriel estava muito triste.

Suspiro.


Eu devo pensar nisso. Nessa palavra, não por ela... mas por uma amiga.


Frisk faz o sinal de que terminou de falar.


Escrevo no caderno por conta própria.

“Se despeçam deforma normal e vão para casa”


“Frisk precisa dormir”




Olho para a doutora e ela já sabia que deveria ir para o núcleo.



Em um pequeno teatro de lamento todos se despedem. O robô é o único que fazia aquilo de forma exagerada, mas no fim. Não importa.



Todos se foram. Até o meu bro.


Olho para Frisk vendada que era a única que não sabia bem o que estava acontecendo.


Suspiro.

Pego ela no colo como se tivesse pego ela no colchão e tiro sua venda.

Ela se assusta.

-Relaxe, Kiddo- começo a andar as escadas com ela em meus braços – Todos já foram, hora de dormir em uma cama de verdade.


Ele me olha envergonhada mais sorrir.




Frisk pensou em um plano.... e eu vou confiar nele.

Vou confiar nela.

 


Notas Finais


Obrigada por lerem até aqui~~
Estamos chegando a um momento meio tenso da historia~~~

ai ai

to roendo as unhas
Como sera que frisk descobriu isso em?




EUAMOVOCES!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...