História . meu anjo... - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Taehyung (V)
Tags Kookv, Taekook, Whipped!jk
Visualizações 27
Palavras 774
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Shoujo-Ai
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Isso me basta, meu anjo.


Oi, meu anjo...

Esta deva ser a minha décima tentativa “frustrada”. Em aspas mesmo, porque, por mais que eu queria que você saiba, eu não quero que você se cobre.

Uma vez o Yoon me perguntou o que eu realmente sentia por você.

Vamos colocar em pautas.

Eu amo o seu sorriso.

Anjo, é o sorriso mais lindo que eu já vi na vida. Tão único. Tão você.

Eu amo como você é vida.

Anjo, eu sinto por tudo o que aconteceu com você no passado. Eu chorei tanto quando me contou. Chorei como a rocha de manteiga que eu te disse que sou. Chorei, e, em momentos do meu dia a dia, longe de você, me ponho a pensar nas coisas que me disse, e quando vejo, estou chorando novamente. Me pergunto onde eu estava que não te conheci antes; onde eu estava que não pude te ajudar. Mas mesmo com os trancos e barrancos que você sofreu, você vive. E exala vida. E eu amo isso em você. A forma como ainda se mantém de pé, com esse sorriso.

Eu amo como você ainda não desistiu de tudo.

Eu realmente me preocupo muito com você, meu anjo. Tenho medo de não ter tempo o suficiente para te ajudar ainda, mesmo que seja para passar horas falando de assuntos aleatórios, sem nos prender a uma coisa; Tenho medo de não saber o que falar pra te confortar, pra ajudar a tirar, pelo menos, os nós de tua garganta, as pedras no teu caminho.

Eu sei que não tem muito o que eu possa fazer, mas se conversar comigo sobre sua faculdade — essa que eu não faço a mínima ideia dos assuntos abordados em suas milhares de matérias — eu tô aqui, meu anjo. Eu vou te ouvir. Eu quero te ouvir.

Eu quero ser uma distração pra você, um ombro amigo. Que você possa contar qualquer coisa pra mim. E eu não vou te cobrar, nunca, jamais pense isso. Por favor, eu só quero que você saiba que eu ‘tô aqui. E vou sempre estar.

Sem cobranças, meu anjo. Só eu, pra você.

E, principalmente, eu amo você, por pura e simplesmente, ser quem tu és.

Eu cheguei a conclusão que tudo que eu sinto por você é a coisa mais pura que eu já senti na vida. Sinto que estava em mim o tempo todo, só esperando o dia certo para que, quando eu colocasse meus olhos em você, a caixa abrisse, e lá dentro estava. O tempo todo.

É sutil, meu anjo. Leve, não me machuca e não me corrói. A tendência é aumentar, eu sei.

Dizem que o amor transborda quando se sente demais, mas... eu não sinto assim.

Faz parte do meu DNA te amar da forma mais doce e sutil que eu pude um dia fazer. E isso nunca vai mudar. Nunca vai acabar e nunca vai me machucar.

Eu não quero uma resposta, meu anjo. Eu não quero que as coisas mudem entre nós. Eu não quero que você se sinta na obrigação de me responder. E é por isso que, por diversas vezes, eu desisto de te contar por mim mesmo. Porque não quero te pressionar a nada.

Nem sentir, ou deixar de sentir.

Às vezes, eu quero que saiba, e às vezes, prefiro guardar pra mim.

Não se cobre”, me disseram uma vez. Eu não me cobro. “Não desista”, nunca vou. “Não se ache insuficiente”, eu ‘tô tentando. “Não espere uma resposta, positiva ou negativa”, essa eu nunca ouvi de alguém (a não ser de mim mesmo), mas eu não espero.

E isso não é culpa sua. Nunca será.

Quando se trata de você, eu sou uma inconstância absoluta. Eu sinto tanto, ao mesmo tempo que é tudo calmo. Eu me debulho em lágrimas, mas meu coração é calmo. É emoção demais, ao mesmo tempo que não me desespero.

E no fim, eu só quero te ouvir e ser teu amigo.

Só isso me basta, meu anjo. Isso é tudo que eu mereço de ti. E isso tá bom ‘pra mim.

Porque você é precioso demais para ser só meu.

Mas eu posso ser só seu.

Mas tudo bem se eu só for só mais um amigo na sua vida, que pode ou não significar algo pra ti.

Pra mim, me basta. Os cinco minutos, a meia hora, ou até mesmo as madrugadas em claro.

Isso me basta, meu anjo.

Ainda não chegou o dia que eu consiga te contar, cara a cara, mas quando chegar, prometo não chorar tanto como agora, meu anjo.

Durma bem, fique bem e… eu ‘tô aqui.

 

E sempre vou estar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...