1. Spirit Fanfics >
  2. - Almas despedaçadas (a ser construído) >
  3. O Resgate a Godric's Hollow

História - Almas despedaçadas (a ser construído) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


FINALMENTE! A obra Mortal Souls que eu prometi há um tempinho... chegou! Eu modifiquei algumas... poucas coisas, para que se adequasse melhor ao plot — e meu Deus, QUE plot —, e estou me esforçando bastante para fechar buracos... Espero que gostem!

Desejo a vocês uma boa leitura!

Capítulo 1 - O Resgate a Godric's Hollow


Fanfic / Fanfiction - Almas despedaçadas (a ser construído) - Capítulo 1 - O Resgate a Godric's Hollow

RÉGULOS portava em seus braços cobertos pela manta negra, o bebê Potter. Este possuía olhos esverdeados, quase tanto como os próprios. Sorrira quando pego pelo mais novo dos irmãos obscuros, como se não houvesse sido quase morto há instantes ou visto os seus pais morrerem nas mãos de Voldemort que, por consequência, desaparecera.

Mas Régulos não é tolo e provara disto muitas vezes. Tanto que estava, nesse momento, vivo. Sem poder aparatar com um bebê pequenino em seus braços — também pela inexperiência na área —, o melhor que pôde fazer fora entrar em contato com o seu velho amigo, Lúcio, um comensal da primeira fileira, tanto capacitado quanto.

Agora, na mansão Malfoy, Harry recebia os cuidados necessários para um bebê, sendo banhado por elfos domésticos e alimentado posteriormente, enquanto Régulos, na sala-de-estar, estava atormentado, mas, por conta de, em todos estes — poucos — anos de vida, aprender a mascarar a sua tormenta, o casal não estranhou o seu comportamento e olhar distante.

O patriarca da família, todavia, sentou-se ao seu lado e pusera uma das mãos em seu ombro: — Você é bem-vindo em nossa família. Fique. — ofereceu com um sorriso convidativo.

Black nada fez senão negar com a cabeça num aceno simplório. As mãos cobriam-lhe a boca e estavam apoiadas nas próprias pernas enquanto ponderava, afinal, que seria melhor a fazer naquela situação. Por que salvara-o, o apadrinhado de seu irmão, filho dos proclamados inimigos... Parecia-lhe o certo a ser feito. No fim, não morrendo há meses pelo Lord quando descobrira o seu segredo, morreria quando retornasse, e sabia, ele retornaria.

Levou os seus globos verdes a Lúcio e Narcisa, mais precisamente à mulher que, como mãe, recentemente, compreenderia melhor o seu pedido: — Cuidem dele. — Sua voz saiu num sussurro. — Por favor. Será melhor para todos.

Os senhorios jaziam confusos, entreolharam-se, duvidosos das próprias capacidades, e de sanidade, afinal, a missão oferecida — imposta, mais precisamente — não seria simples. Nem um pouco. Aquele bebê não era normal. Aparentemente tendo lido as suas mentes, Régulos acrescentou.

— Criem-no como o vosso próprio filho. Mintam! — vozeou. — Vocês são bons nisso, afinal. — alfinetou e, ressentidos, distanciaram os olhares. — ... Mas não permitam que aquela criança morra, nem pelo LORD VOLDEMORT.


Notas Finais


O que vocês acharam deste primeiro capítulo? Por mais que eu ame um Harry sonserino, mantenho-o como um grifinório.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...