1. Spirit Fanfics >
  2. - um novo amor(?) - >
  3. 🥀Querido e amado “líder”🥀

História - um novo amor(?) - - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - 🥀Querido e amado “líder”🥀


▪️▪️▪️▪️▪️▪️▪️▪️▪️▪️▪️


| Tom on |


Estava tudo bem agora. Depois de falar com o Edd por mensagem, desliguei meu celular e fui tomar um banho rápido... pelo menos no banheiro temos um pouco de paz..


Mesmo eu estando sozinho em casa, ainda sim, sinto alguém me observando.


Olho para a fresta da porta do banheiro e fico uns breves minutos olhando sentido alguma presença no recinto...


Logo dou um leve chute na porta e dou um paço para trás, rapidamente vou no interruptor e o logo...


Como sempre,... não avia ninguém ali tudo estava em seu devido lugar.... 


....Depois de tomar meu banho fecho e tranco a porta do banheiro somente por precaução!


Tenho leves problemas de ficar sozinho... não é legal ter traumas por causa de seus "amigos" babacas... por causa deles eu sou alcoólatra..


Sem mais enrolação pego meu celular para ver se Edd avia mandado mais alguma mensagem e não avia nada.


Releio toda a conversa e paro para analisar especificamente só uma delas...


"Seu gay não assumido"


Fiquei fitando o celular por alguns breves segundos ate ouvir algo cair... Alguém avia invadido o apartamento.. 


Tive um mini ataque de pânico e logo depois disso ouso "essa pessoa" murmurar algo.. não era o Edd, pois ainda estava chovendo...


E ele chega arrombando a porta...


Apago a luz do meu quarto e abro a posta lentamente, ando devagar até uma parte da sala e tento distinguir onde a pessoa está.


Logo vejo uma silhueta em minha frente, ela estava apalpando a parede a procura de algo... chego um pouco perto do mesmo e encaixo meus braços em suas costelas...


Logo o jogo no chão,... junto comigo... fico por cima dele e tento enxergar um pouco o rosto do desconhecido..


Eu avia avistado o interruptor de luz, logo prendi suas mãos e me levantei um pouco e logo acendi.


Olho para a pessoa abaixo de mim, e logo percebi....


Fiz a pior coisa da minha vida.


| Edd on |


- Achei que tinha se esquecido do seu "velho amigo" haha!


- Desculpa eu tinha e ainda tenho uma memória péssima.


- É eu sei disso, mais como anda a vida dês de que eu apontei uma arma pra sia cabeça?..


Olho para ele esperando sua resposta.


- Espera um pouco aqui?..


- Claro.


- Obrigado!


Vejo ele forçando um sorriso para mim e o vejo andando até uma das balconistas que estava em seu horário de descanso.


Vejo ele sussurrar algo para a mesma e logo os dois vem em minha direção..


- Poderia ficar no meu lugar, até eu voltar?


- Nem sonhando seu gay de merda.


- Oh, okay. Vou perguntar de novo!


Ele logo da um sorriso e puxa algo de seu bolso, não consigo ver direito, pois a garota estava na frente..


Logo ela levanta o olhar para Matt um pouco assustada.


- E-ei,.. não precisa disso,.. certo? Eu fico até você voltar.. tá bom? Eu fico eu juro...


- Obrigado! Você é uma ótima amiga Isabely!


- Hmm...


Estranho...


- Vamos Eddy. Vamos conversar lá fora um pouco.


- Mais tá chovendo.


- Você não é de açúcar né?


- Não mais eu posso pegar um-


- Então cala a boca é bem logo!


Ele me diz sorrindo e puxando meu braço até uma porta que parecia ser apenas para funcionários.


Logo saímos do local. Ele me joga contra a parede e fica me encarando por uns breves segundos.


- Não vai dizer nada?


- Está chovendo.


- Não me diga o óbvio!


Vejo ele pegar um revólver de seu cinto e destravando, logo colocando na minha cabeça.. Parecia que ele tinha acabado de usar pois a arma parecia um pouco quente.


- Ou... 


- Posso te matar a qualquer momento, já viu essa possibilidade?


- ...Você não teria coragem..


- Você não está me desafiando está?


- Talvez..


- Eu não sou mais aquele garotinho que você encontrou no beco..


- Sim, tanto que esse garotinho está muito perto do meu rosto..


- Ah... eu te odeio, não tanto quanto meu amigo..


Ele tira a arma da minha cabeça e a guarda novamente.


- Quem é seu amigo?


- Um amigo que eu conheci por aí,... faz um tempo que eu não o vejo.


- Como ele é, acho que posso ajudar.


- Não você não entende, ele está sendo caçado e você quer achar ele?


- Eu não sabia desculpa! 


- Nah tudo bem, vamos pra dentro.


- Tá.. Matt.


- Que?


Ele para de andar e se vira para mim.


- Eu vou te matar! Tenha certeza disso.


- Bom,.. eu quero ser morto por você!


- Vamos logo pra dentro.


- Vamos antes que nós dois peguemos um resfriado.


- Aliás, gostei da sua arma..


E continuamos conversando até chegarmos dentro do local novamente..


Faz tempo que eu não tinha essa adrenalina dentro de mim. Eu gosto de sentir isso, faz eu me sentir mais vivo.


| Tom on |


Ele parecia um pouco assustado ao meu ponto de vista, mais começou a lutar para que eu sai-se de cima dele.


- Ei. 


- Hum...


Por algum motivo ele tinha um pano cobrindo seus olhos, me pergunto como ele consegue enxergar..


- Quem é você? E porque invadiu meu apartamento?


- Eu...


- ?


- Vai se fuder..


- Seu filho..


Não vou me estressar com isso vou? Estávamos perto da mesa então Edd por algum milagre deixou seu revólver aqui em casa.


Prendo as suas mãos mais perto de sua cabeça com somente uma das minhas mãos. Com minha outra mão livre, pego a o revólver e destravo. 


Logo após isso aponto a arma para a sua testa. 


- Vou perguntar de novo e você vai me responder... ok?


- Huhum..


Dava para ver que ele estava com medo, eu conseguia sentir...


- Quem é você?


- ...Eu não posso falar... quem sou eu..


- E porque não pode?


- Porque eu... ...


- Já vi que não vai falar..


- Pergunte outra coisa..


Ele se debate um pouco desesperado para sair dali.. se ele realmente não quer morrer...


- Vai uma pergunta fácil,..


- O-Okay...


Ele logo para de se debater e fica a espera da minha pergunta..


- Porque tem um pano cobrindo seus olhos?


- Para não me reconhecerem,..


- E quem te reconheceria.?


- Você.


Espera.. como assim? Oque esse cara tá falando.


Coloco a arma no chão e a travo novamente, coloco minha mão perto de seu rosto logo tentando tirar o pano..


Mais ele logo começa a se debater assim dificultando com que eu tirasse.


- Anda pare de ser idiota e deixe eu tirar.


- ..Não! Por favor não faça!!


Já estava começando a ficar sem paciência, solto suas mãos e logo e agarro seu pescoço...


- Fique quieto!!


Ele.. me obedeceu..?


Ele literalmente parou de lutar pela sua vida,.. e me obedeceu? 


Chego mais perto de seu rosto, e tiro lentamente o pano. Vendo oque ele tanto queria esconder..


Seus olhos estavam fechados com algumas lágrimas saindo, olho para uma de suas mãos e estavam tremendo.. 


Sinto que já o vi antes.. mais não me lembro..


- Eu posso.. ir embora agora..?


- Ah?...


- Porque.. isso tá acontecendo comigo...


Logo depois de ele dizer isso ele começa a chorar muito.. tanto que tampou seu rosto novamente com suas mãos.


| Matt on |


- Vai logo Matt, diga com ele é.


- Pra que? 


- Vai que eu já o tenha visto em algum lugar.


- Não você não o viu em nenhum lugar.. 


- Aé? Como eu posso saber se você não fala?


- Edd vai pra casa vai, já me irritou de mais essa noite.


- Me da seu número pelo menos?


-...


- Me da seu número que eu vou embora.


- Tá me da seu celular.


- Eba!


- Vai logo!


- Toma.


Ele me entrega o celular desbloqueado, e eu vou nos seus contatos e coloco o meu número.


- Pronto,.. agora vaza.


- Ta bom. 


- .. 


- Ah quase avia me esquecido.


- Oque?


- Chega mais perto quero te falar uma coisa.


Chego mais perto dele e logo ele ia me falar,.. ele dá um beijo na minha bochecha.


- E-Edd!


- Tchau Matt!


O vejo sair de perto de mim correndo para fora da boate..


Eu o odeio... 


| Edd on | 


Ainda bem que já parou de chover, mais como esse clima é doido melhor não arriscar.


Vou correndo para casa, e logo que chego na entrada do apartamento dou um olá para o vigia que estava ali.


- Olá S.Edward


- Olá senhor José. Como foi o dia hoje?


- Foi normal como todos os outros dias.


- Espero que isso mude algum dia. Certo?


- Com certeza.


- Bom boa noite senhor José.


- Tenha uma boa noite S.Edward.


Dou um 'tchau' para ele é vou até o elevador. Aperto o botão e espero o mesmo chagar ao térreo.


Assim que chega a porta se abre e logo entro, aperto novamente o botão para fechar a porta.


Espero um pouco e aperto uma sequência de 3 números ao mesmo tempo. Logo o elevador sobe para o meu andar.


A porta se abre e logo saiu dali já abrindo a porta de casa, digamos que a porta do elevador e quase ligada com a do apartamento... 


Logo que entro em casa fecho a porta, ela me parecia silenciosa acho que o Tom já está dormindo.. É melhor dar uma verificada.. mais antes 


- Onde eu deixei meu revólver...


Procuro praticamente quase na casa inteira e logo a vejo em cima do armário. A pego e tiro suas balas, logo guardando tudo na gaveta do armário que ela estava.


Estava preste a ir ao meu quarto, quando eu escuto um leve barulho de choro.. 


Pelo que eu saiba o Tom nunca avia chorado.. bom não na minha frente.


Vou até o seu quarto e dou leves batidas na porta e pergunto se o mesmo estava acordado.


Sem respostas abro a porta divagar e adentro seu quarto tentando fazer o mínimo de barulho possível. 


Caminho até sua cama e fico o observando por longos minutos.. tentando pelo menos achar alguma razão para ter ouvido aquele choro.


Não tínhamos vizinhos, e nem uma criança morava conosco então...


Mesmo suspeitando de que Tom tenha feito merda.. eu preciso dormir,... aliás amanhã ainda é sábado..


Saio de seus quarto do mesmo jeito que entrei, e logo fecho a porta suspirando por não o ter acordado.


Saio dali e vou para meu quarto, tomar um banho quente porém tinha que ser rápido. Pois normalmente banhos me deixam acordados e não consigo dormir direito.


...


Assim que sai do banheiro me troco e coloco uma roupa confortável. E logo me deito, me ajeitando e caindo no sono logo em seguida.


| Tom on | 


Espero e sair do meu quarto, e espero mais alguns minutos, pra ter a certeza de que ele já tinha ido para o seu quarto.


Suspiro aliviado, e logo chego mais perto da parede. 


- Quase fomos pego por ele.. 


Sussurro, assim esperando uma resposta vindo dele


- D-Desculpa..


Acho que o assustei de mais.. preciso do nome dele..


Me sento na cama, logo o puxo para se sentar no meu colo, colocando minha cabeça na curva de seu pescoço..


- Ah- Oque está f-fazendo?!


- Shii.. só quero te ajudar a se acalmar..


- ..


- Eu sei que não quer falar quem você é.. mais pode me dizer pelo menos o seu nome?


- E porque quer saber o meu nome?


- Caso eu te encontre de novo, não vou tentar te matar.. 


- Como se isso importa-se agora.


- Bom pra mim importa.. já que não quer falar quem você é.


- Eu realmente não posso falar quem eu sou..


- Porque?.. está sendo caçado ou algo do tipo?


- Sim,..


- Espera, você realmente está sendo caçado?


- Sim,...


- Porque? 


- Meio que eles estão me caçando por eu ser o "Líder" deles...


- Líder?


- Eles me querem por perto.. mais sempre me ameaçaram se eu não aceita-se então.. Eu fuji..


- Então você é o "querido e amado líder" de quem tanto falam?


- Eu f-fui pego..?


- ...Não. 


- Você é um deles certo..?


- Sim mais não ao ponto de te entregar... eu sei que esse é o meu “trabalho” mais...


- Esta tudo bem.. eu entendo..


- Ele logo olha para a porta e para a janela, logo depois olhando para mim.


- Ah tá,.. vou te deixar ir..

▪️▪️▪️▪️▪️▪️▪️▪️▪️▪️▪️



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...