1. Spirit Fanfics >
  2. -Uma Única Noite- (C!Quackbur One-Shot) >
  3. -Las Nevadas- ;Parte Extra

História -Uma Única Noite- (C!Quackbur One-Shot) - Capítulo 2


Escrita por: Juh_McytSimp

Notas do Autor


Já que bastante gente pediu, tá aí :]

Gente isso não se relaciona aos eventos atuais do SMP, estou meio atrasada das coisas que estão acontecendo então espero que entendam.

Capítulo 2 - -Las Nevadas- ;Parte Extra


Fanfic / Fanfiction -Uma Única Noite- (C!Quackbur One-Shot) - Capítulo 2 - -Las Nevadas- ;Parte Extra

____________________|=🚬=|___________________


O mexicano suspirava imerso na extensa fumaça que pairava por seu escritório, a névoa encobria seus mais profundos pensamentos, o olhar turvo perdido naquela silenciosa sala era frustrante, o maço ponderava sobre o cinzeiro indiferente, enquanto sua outra mão ficava na delicada taça repleta de luxuria avermelhada. 

Quackity negaria eternamente seus constantes pensamentos sobre o indesejado britânico, a noite coberta pela geada sempre retornava em seus mais profundos desejos, e com sua curta expectativa ele retornava ao mesmo ponto, aquela fria grama o acolhia sempre no aguardo de alguém que nunca aparecia, Wilbur parecia indiferente sobre o assunto, afinal, ambos concordaram que tudo não passaria de uma única noite, nada de compromissos com algo que nem ao menos era duradouro – Sua provável indiferença e egoísmo o levou para tal necessidade, algo completamente emocional e carnal no qual ele queria sentir novamente, talvez fossem seus lábios, ou o modo que eles traçavam sua pele lentamente lhe causando arrepios suspirantes.

 britânico não lhe passava de uma mera escolha, alguém que não acordaria ao seu lado mesmo que pudesse – Ficariam no mesmo ambiente e fingiram não se conhecer apenas pela adrenalina pulsante de suas veias. Wilbur era um grande babaca, mas Quackity estava no mesmo nível, ambos carentes pela atenção de alguém que não desejava nada menos que o prazer e luxúria.

"Aquele babaca oportunista, tudo isso provavelmente não passou de seu plano para entrar em Las Nevadas, mas o que eu deveria esperar? Ele é um corpo morto vagando por atenção alheia" –Exclamou o mexicano, sua garganta secava ao dizer tals palavras em voz alta, não queria acreditar que realmente havia colocado esperanças no britânico, não o cara que explodiu uma nação e jurou libertar Dream a qualquer custo– 

Seu egocêntrico gosto por amar pessoas diferenciadas havia se limitado, como um ímã para relações tragédicas ele atraia problemas, desde de um ex presidente maléfico, para um trisal com pessoas que o abandonaram, e tudo seguia naturalmente como um ato de seu cotidiano, mas em um caso de meio termo o britânico se encontrava, Wilbur não era terrível, seus flertes eram suportáveis até certo ponto, mas sua ignorância era completamente oposta e indgnante, tratar assuntos com indiferente era provavelmente seu hobby – Wilbur adorava Dream, completamente oposto de Quackity.

Imaginar o mesmo caminhando pelo seu escritório enquanto dividiam um maço soava estranhamente bem. Imaginar ambos dividindo o calor corporal novamente, soava bem – Um pecado no qual gostaria de se afundar, até que nem mesmo orações pudessem lhe salvar.

"Ei Quackity de Las Nevadas!" –Exclamou o garoto slime invadindo seu escritório sem restrições, o mexicano já havia perdido a conta de quantas vezes o repreendeu por tal invasão – "Está bebendo o suco de uva de novo?" –Sua ingenuidade era graciosa, algo que salvava o mexicano de questionamentos–

"Ei Slime, o que quer aqui?" –Perguntou ignorando completamente seu questionamento anterior–

"O Tommyinnit de nenhum lugar está aqui junto com o homem morto mas não mais" –Ele respondeu calmamente, sua atenção estava na cadeira de escritório giratória–

"Homem morto mas não mais?...Wilbur?" –Quackity estava incerto se realmente gostaria de ver o mesmo, clamar por sua volta ao ponto inicial lhe soava completamente ridículo, se sentia de tal modo a presença do britânico–

"O pai de Fundy, amante de salmão" –A confirmação que o mexicano precisava para concluir seus pensamentos–

"Ok...diga a eles que estou a caminho" –O mexicano disse suspirando longamente, virou a taça em seus lábios e observou o maço seco que ainda pairava pelo cinzeiro, o forte cheiro da fumaça espaireceu com a vinda do Slime–

Slime saiu sorridente, deixando para trás um mexicano completamente enfurecido – Se perguntando como o britânico teve coragem de desaparecer e reaparecer pretendendo que nada nunca ocorreu entre ambos, era apenas uma noite, não deveria estar tão irritado.

Seu escritório era uma válvula de escape para pensamentos do gênero, ele desejava ter a frieza de ignorar sentimentos assim como o britânico, olhar para alguém e não ver nada além de um momento, uma noite. 

"Como ele consegue fazer isso?" –Ele se perguntava consciente de que não teria uma resposta, estava cansado de ter empatia por pessoas que iriam o abandonar, mas também odiaria ver alguém chateado por sua causa, uma adaga de duas pontas–

Um largo som de passos ecoaram em harmonia pelos solitários corredores, o tirando completamente dos pensamentos ilegíveis no qual seu subconsciente se deixava levar, parte sua agradeceu pela interrupção, mas outra se sentiu arrependida após notar que carregava tamanha atenção – O britânico no qual queria matar com as próprias mãos, mas ao mesmo tempo reviver uma noite sem sentimentalismo. Ele era o mesmo, carregava um maço aceso enquanto a ironia pairava sobre seus lábios, o casaco com leves flocos de neve exporam sua caminhada até o local, Quackity não sabia o porque dele estar ali, mas ainda sim não queria que ele desaparecesse tão cedo.

"O garoto Slime estava certo, você está realmente aqui" –O britânico disse calmamente enquanto soltava a fumaça quente contra seu rosto, seu olhar de divertimento só provava que seu objetivo ali era provocar o mexicano–

"Eu sempre estive aqui, você apenas não teve a força de vontade de vir me ver" –Soltou as palavras secamente, não estava afetando o britânico, apenas a si mesmo–

"O que você esperava? Que eu voltasse todos os dias com um café da manhã para você? Prometemos que seria apenas uma noite, nada de sentimentos" –Wilbur carregava ironia, isso irritava profundamente o mexicano que tentava levar a conversa a sério–

"E foi uma noite sem sentimentos, tudo o que eu sinto por você agora é raiva" –Quackity estava consciente de todas as vezes que retornou ao mesmo ponto de encontro, com a expectativa de encontrá-lo de novo, mas nunca ocorreu, ele se deixou iludir–

"Sabe, você fica extremamente gracioso com raiva, tem certeza que não está tentando me encartar?" –O britânico questionou, seus passos seguiram até a mesa central de seu escritório, depositando rapidamente o cigarro completamente acabado contra o cinzeiro–

"Wilbur porque você voltou aqui? Para me provocar e conseguir dormir comigo de novo? Sabe que isso não vai rolar" –O mexicano sabia que no fundo aceitaria tal oportunidade sem objeções, passar a noite com seu inimigo de negócios soava interessante–

"Se eu disser sim, você ainda vai negar?" –O britânico sabia que suas provocações de algum modo afetavam o mexicano, ele só queria testar a quantidade de tempo que ele as aguentaria–

"Se eu aceitar, você vai desaparecer por meses de novo?" –O mexicano precisava saber antes de simplesmente se afundar novamente no sentimento repulsivo de esperar por alguém que não se importa–

"Não sei, você sabe que estou sobre a guarda de uma criança, é difícil sair sem ele pedir para vir junto" –Wilbur não demonstrava interesse nas perguntas retóricas, assim como não desmontava importância com nada ali, seu objetivo não passava de irritar o mexicano ao ponto de o ter nos braços novamente–

"Espera aí, o Tommy está solto por Las Nevadas com o Slime?!" –Quackity exclamou correndo para sua grande janela central, em busca de avistar as duas 'crianças que corriam por seu país–

"Se isso te tranquiliza, eu fiz questão de trancar a área de stripper" –Ele novamente sorriu com o mesmo olhar sínico, o mexicano não conseguiu segurar sua risada–

"Que droga Wilbur, eu deveria estar com raiva de você...como você achou meu escritório de qualquer forma" –O mexicano estava contente pela corta de clima, a tensão que ambos carregavam parecia espairecer–

"O garoto Slime, ele é interessante" –O britânico disse– "Deveria o ensinar a não dar informações tão facilmente"

"O Slime está aprendendo, mas se parece com uma criança" –Quackity respondeu, seus olhos pararam contra a garrafa ainda cheia de vinho, as taças perfeitamente colocadas ao seu lado eram tentadoras– "Aceita vinho?"

"Como eu poderia negar?" –Wilbur disse se aproximando lentamente do mesmo–

O mexicano tomou a oportunidade, seus dedos lentamente se moviam contra a garrafa em uma 'tentativa de abrir a mesma, seu olhar queimava contra o britânico que apreciava o momento silenciosamente, a mesma tensão sexual posta quando se encontraram no hotel – Quackity suspirou levemente, enquanto se encostava na mesa, seus pés ficavam fora do chão pela falta de altura, enquanto a garrafa se posicionava entre suas pernas, Wilbur suspirou finalmente deixando sua paciência de lado, e se colocando entre as pernas do mesmo.

"Para alguém que só queria uma noite, você está muito abusado" –O mexicano disse elevando seu olhar, sentindo sua pelo queimar pela ousadia, a mesma ousadia que guardou por muito tempo–

"O que? Estou apenas te ajudando a abrir a garrafa, vejo que está com dificuldades" –Ele respondeu com seu sorriso lateral, obviamente divertido pela situação– "E depois dessas provocações você realmente acha que vou ficar sentando como um cachorro aguardando pela comida?"

"É interessante ver você tão necessitado, realmente parece um cachorro faminto" –O mexicano disse antes de arrancar rapidamente a rolha do vinho, sentindo o forte cheiro da luxuria se espalhar pela sala– "Eu posso fazer isso sozinho, com licença"

Seus dedos empurraram o peito alheio sentindo seus fortes batimentos, além do calor que se concentrava no corpo do mesmo. Um suspiro insatisfeito foi tirado do britânico, que apenas se sentou na poltrona avermelhada.

"O pobrezinho pensou que poderia comer o prato principal sem nem ao menos molhar os lábios? Seja mais paciente cachorrinho" –O mexicano disse sentindo suas provocações afetarem o britânico, finalmente estava se vingando das suas noites de aguardo–

O mexicano carregava a garrafa em uma das mãos, enquanto na outra duas taças dividiam equilíbrio.

"Tudo bem, se você quer jogar deste modo assim será" –O britânico disse puxando o mexicano para seu colo, o calor de seus corpos se chocando causou uma faísca entre ambos, Quackity pode ver o sorriso sorrateiro de Wilbur enquanto sentia seu rosto queimar na cor vermelho– "Vamos lá, sirva meu vinho"

"Acha que isso pode me impedir? Pois saiba que eu vou fazer você se arrepender" –O mexicano disse se remexendo em busca de uma posição favorável para si, o incomodo do britânico era óbvio após colocar ambas as mãos na cintura do menor–

"Se mexer muito irá derrubar o vinho, e eu acho que você não quer sujar esse belo carpete" –Wilbur disse tomando uma das taças da mão do mesmo, dando apoio para o vinho ser servido–

"Isso realmente importa agora?" –O mexicano questionou não recebendo uma resposta– "O vinho já foi servido, agora se me der licença" –Quackity se levantou com um sorriso provocativo nos lábios–

"Você não é divertido" –O britânico disse tomando um gole do vinho, sua temperatura não era das melhores, mas o sabor da luxuria era o suficiente–

"Tenha mais paciência, você esperou pacientemente para ser ressuscitado" –O mexicano disse segurando a inconveniente risada, soltando uma tosse abafada–

"Que insensível" –Ele respondeu fingindo um chateamento–

Ambos se mantiveram em silêncio, tudo que ecoava pelo escritório era o som de suas taças batendo contra a mesa de vidro, Wilbur optou por acender um cigarro, que preencheu o escritório com seu cheiro, Quackity não poderia se importar menos, ele também fumava ali, seria um hipócrita se reclamasse – A fumaça penetrava seu nariz a cada tragada, a tensão permanecia a mesma, mas diferente de antes ambos preferiram aguardar.

"Seja sincero Wilbur, porque desapareceu depois daquela noite?" –O mexicano cortou o silêncio confortável com uma pergunta, vendo o britânico tragar profundamente a sua frente–

"Você é realmente alguém que adora fazer perguntas não é mesmo Quackity?" –Ele perguntou sorridente, deixando o cigarro quase acabado pairando sobre seus lábios–

"Apenas responda" –O mesmo insistiu–

"Não tenho um motivo, acho que estava constrangido" –O britânico admitiu–

"Constrangido?" –O mexicano repetiu suas palavras–

"Foi o que eu disse, estava com vergonha de olhar para você de novo" –Wilbur disse desviando o olhar, Quackity poderia jurar ver um rubor avermelhado nas bochechas do mesmo–

"Você fica fofo assim, me respondendo sem ironia" –O mexicano disse com a taça nos lábios, pronto para afundar na bebida alcoólica novamente–

"Esse não é o tipo de elogio que eu costumo receber, mas vou aceitar" –O britânico respondeu engolindo seu orgulho–

"Apenas engula o elogio, não digo essas coisas para todo mundo" –O mexicano disse, deixou de lado sua taça e encarou o mesmo, seu olhar era neutro, impossível de ler seus pensamentos– "No que está pensando?"

"Para ser sincero? Em acabar com suas pernas encima naquela mesa" –Ele respondeu vendo o rubor avermelhado crescendo nas bochechas alheias– "Não fique envergonhado, eu sei que você também está pensando nisso"

"Sua sinceridade me agrada, mas ao mesmo tempo me enoja" –Quackity respondeu caminhando até o mesmo em passos lentos, puxou o cigarro de seus lábios e deu uma longa tragada, vendo o olhar do britânico queimar sobre si–

"Esse era o meu último, está me devendo" –Wilbur disse passando os dedos levemente pelos seus fios castanhos, junto a mecha cor esbranquiçada–

"Posso pagar de outro jeito?" –Quackity questionou posicionamento ambas as mãos contra o calor que seu peito, a palpitação do mesmo parecia acelerar no decorrer do tempo– "Acho que já enrolamos demais"

"Quem é o impaciente agora?" –Wilbur disse não perdendo a oportunidade de soltar sua ironia gratuita com um sorriso sorrateiro–

"Cala a boca" –O mexicano respondeu impaciente–

Quackity segurou firmemente os fios castanhos do britânico com uma das mãos, os puxando para trás levemente para aprofundar o contato, sua outra mão apertava os ombros alheios sem qualquer hesito, tentavam explorar ao máximo suas cavidades bocais enquanto o clima mormaço encobria o escritório – Wilbur apertava a cintura do mexicano sem pensar nas marcas que ficariam de seus dedos, estava orgulhoso de deixar uma memória marcada no mesmo.

O mexicano se aprofundava no prazer, se esquecendo completamente da raiva anterior que carregava pelo britânico, depois de esperar ele finalmente estava ganhando o que queria, e seu orgulho não iria se deixar levar pelo ego. Poderia odiar Wilbur nas horas vagas, criar mil e uma maneiras de o matar, mas mentiria descaradamente se dissesse que o mesmo não era bom do que fazia. Suas mãos faziam milagres e o mexicano era a prova viva de tal prazer.

"Parece que realmente sentiu minha falta, e sinceramente eu não sinto vontade de desaparecer agora" –O britânico disse puxando o ar que lhe faltava, enquanto isso o mexicano se escondia contra a curvatura de seu pescoço, soltando seu bafo quente contra o mesmo–

"Eu sabia que você iria voltar uma hora, uma única noite não iria te satisfazer" –O mexicano rebateu orgulhoso–

"Que tal eu cumprir com minha promessa? A mesa ainda está vaga" –Wilbur questionou encarando o amplo local–

"Ninguém está te impedindo" –Quackity respondeu simplista–

As grandes mãos do britânico seguraram firmemente as nádegas alheias, um passe livre para o mexicano se entrelaçar na cintura do mesmo, retornando ao beijo necessitado, suas mãos buscavam mais contando corporal, tentando descaradamente retirar o casaco do mesmo, que aparentemente notou e acelerou o processo – Wilbur caminhou rapidamente até a mesa central, colocando o mexicano sobre a mesma, ficou entre suas pernas e se deixou levar pelo desejo.

As mãos do mexicano atravessavam seu corpo rapidamente sem o grande casaco, as palmas frias causavam arrepios por baixo da camiseta quente do britânico, que descia seus lábios pela delicada pele pálida, deixando leves marcas avermelhadas, Quackity deixava para trás características marcas de unha por suas costas, tirando suspiros satisfeitos do mesmo – Seus dedos desceram para o sinto de Wilbur sem precipitação, seu corpo clamava pela atenção carnal, apenas beijos não poderiam matar tal desejo.

"Ei, que tal você colocar essa boquinha para trabalhar?" –O britânico questionou, usando uma das mãos para empurra a cabeça do mesmo levemente para baixo–

"Oportunista desgraçado" –O mexicano sussurou antes de cumprir com o pedido e se colocar de joelhos–

Suas falhavam levemente na tentativa de tirar o sinto do maior, que parecia contente em observar a cena, Wilbur acariciava levemente os fios negros do menor, que abaixava sua calça sem antecipação – O mexicano suspirou envergonhado antes de colocar as mãos sobre o membro do mesmo, que arfou contente. Sua mão fazia um movimento de vai e vem, o pré gozo já se manifestava ajudando na providência dos movimentos acelerados, sem enrolar, preencheu o mesmo com sua cavidade bocal, colocando todo o calor de sua saliva no momento, ouvindo os gemidos do britânico que só provavam sua eficiência.

"Já chega de enrolação, eu quero você nessa mesa agora" –O britânico disse autoritário, puxando o mesmo pelo cabelos, restando apenas um fio de saliva os conectando–

"Peça com educação" –O mexicano disse com um sorriso provocativo, seria divertido o ver clamando por seu corpo–

"Quackity você poderia por favor ficar de quatro sobre essa mesa por gentileza?" –Ele questionou fazendo uma leve reverência–

"Já que você foi tão educado" –Quackity apoiou ambas as mãos na mesa, deixando sua cintura levemente erguida, ficando na ponta dos pés–

Um estralo ecoou pelo local, enquanto as digitais do britânico se mantiam marcadas nas nádegas alheias, a cor avermelhada que fez o mexicano suspirar, ele não se diria alguém que gostasse de ser depravado, mas em momentos como aquele, ele não questionaria os métodos do britânico. Wilbur parecia analisar como havia chegado em tal situação, seus olhos bateram no cinzeiro ao lado, vendo um cigarro recém apagado colocado indiferente, pegou o mesmo e o apertou contra a coxa do menor, que rapidamente respondeu negativamente ao ato.

"Aí! O que pensa que tá fazendo?" –O mexicano questionou passando a mão pelo local levemente queimado–

"Foi mal, pensei que era algum tipo de sadomasoquista" –Wilbur respondeu com uma leve risada ironica, as mesmas que irritavam o mexicano, mas naquele momento ela eram apenas sensuais–

"Wilbur não quebra o clima agora" –O mexicano praticamente implorou, encostando a testa contra a mesa em um ato de desapontamento–

O britânico suspirou silencioso e agarrou com ambas as mãos a cintura do mexicano, seu membro rígido raspou levemente contra a entrada do menor, que se encolheu defensivo, um gemido abafado chegou aos ouvido de Wilbur quando finalmente o penetrou, o calor preencheu seu corpo enquanto fazia lentos movimentos de vai e vem – Quackity colocou ambas as mãos contra a boca em busca de abafar o som de seus gemidos, algo que foi praticamente inútil.

O som de seus corpos se chocando era a única coisa que podia ser ouvida no escritório, nada mais importava contando que estivessem juntos compartilhando aquele momento – Não demorou muito tempo até o britânico se desfazer sobre o mexicano, o deixando com as pernas bambas completamente sobre o apoio da mesa. Wilbur não estava diferente, sua respiração acelerada batia contra o pescoço do mexicano.

"Porra...isso foi bom" –O britânico sussurou calmamente, ainda tentando arrumar sua respiração avulsa– "Sem sentimentalismo né?"

"Nada de sentimentos idiota, mas não desapareça de novo" –O mexicano respondeu sem tirar os olhos da mesa, soltou um suspiro involuntário após sentir os lábios alheios novamente na sua pele frágil–

O britânico segurava firmemente seus ombros, enquanto traçava beijos quentes por seu pescoço, seu quadril involuntariamente se movimentava, causandi satisfação a ambos – Wilbur não segurou sua vontade, deixou um visível chupão em seu pescoço junto a um sorriso orgulhoso.

"É uma bela marca" –O britânico disse acariciando os fios negros do mesmo–

"Vai se fuder" –Quackity respondeu–

"Só se for com você" –Wilbur disse dando uma piscadinha debochada–

"Eu não vou contradizer isso" –Respondeu o mexicano–

Um som de passos alarmou ambos os homens, que se apressaram a arrumar suas roupas, Quackity tentou ignorar as (in)desejadas marcas em seu pescoço enquanto o britânico continha um sorriso lateral – As portas foram abertas por ninguém menos que Tommy e Slime, ambos os garotos pareciam cansados, provavelmente andaram pela nação inteira neste meio tempo.

"Will vamos embora, Tubbo e Ranboo precisam de mim" –Tommy exclamou impaciente, ao seu lado Slime parecia não querer a ida de seu novo amigo–

"Eu já estou indo Tommy, eu e Quackity só estávamos resolvendo alguns assuntos" –O britânico disse cruzando seu olhar com o mexicano que encolheu de ombros–

"Isso, apenas assuntos" –Quackitu disse devolvendo o mesmo olhar perfurante–

"Vocês provavelmente estavam se beijando ou alguma merda do gênero, eu não ligo, vamos Will" –Exclamou novamente–

"Adeus Quackity até a próxima, adeus Slime" –Wilbur disse passando pela porta sem precipitações–

"Tchau Big Q! Tchau Slime" –Tommy também exclamou acelerando seus passos até o mais velho–

"Eu espero que eles venham mais vezes Quackity de Las Nevadas" –Slime disse contente com a ideia de ter mais amigos–

"Eu também espero"


Notas Finais


Desculpe se a escrita não ficou tão parecida com os personagens, fiz o meu melhor :] ❤️

🛑 NÃO FOI REVISADO

Eu estou ficando melhor em escrever baixaria, medo de mim mesma
(。・//ε//・。)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...