História . Wanna One- One Shots . - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Wanna One
Personagens Daehwi, Guanlin, Jaehwan, Jihoon, Jinyoung, Jisung, Kang Daniel, Minhyun, Seongwoo, Sungwoon, Woojin
Tags 2ji, 2park, Jiji, Jinhwi, Kpop, Minhwan, Nielwink, Ongniel, Panhwi, Panwink, Ricewink, Wanna One, Winkdeep, Winkniel
Visualizações 332
Palavras 1.875
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drabble, Drama (Tragédia), Droubble, Ficção, Fluffy, LGBT, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


"Em dias como hoje quando a chuva fina cai
Lembro-me de sua sombra
Nossas memórias que eu secretamente coloquei em minha gaveta ♡"

{Minhwan fic}
(Favor não jugar ship alheio ^^)

Capítulo 6 - . If You .


Fanfic / Fanfiction . Wanna One- One Shots . - Capítulo 6 - . If You .

Dói muito ver a pessoa que você ama com outra. É ainda pior quando você está em uma festa que a pessoa que você ama é a única pessoa que você conhece.

“Ótimo!”- pensei- “com quem eu vou ficar agora?”- completei. Depois de ficar na mesa observando de longe o Sungwoon ficar com outra pessoa que não era eu, me cansei daquela tortura. Fui em busca de um lugar para eu me acalmar e poder ouvir minhas músicas da bad em paz.

Encontrei um lugar simplesmente perfeito, era no grande jardim daquele imenso salão. Tinha 3 cadeiras e era bem pouco iluminado e quieto. A única iluminação existente alí, era a da lua e das estrelas, e o único som era da música abafada que estava tocando dentro do salão.

Sorri ao me sentar em uma daquelas cadeiras e acalmar o meu coração que estava bem agitado.

Fiquei um bom tempo olhando para o céu e imaginando como seria se eu tivesse tomado um rumo diferente. E em meio aos meus pensamentos que estavam bem distantes daquela festa, não percebi a presença de outra pessoa.

“Está tocando If you do BIGBANG?”- ele perguntou, me fazendo acordar- “ahn? Ah! Me desculpe”- falei tirando a música- “não precisa tirar não. Eu gosto desse grupo, e essa música é boa para a bad”- ele falou se sentando e dando um longo suspiro depois.

“Mas e aí... como foi a história do coração ferido?”- eu apenas fiquei quieto- “ah me desculpe! Eu esqueci que essas conversas não podem ser feitas entre estranhos”- ele estendeu o braço para me cumprimentar- “me chamo Hwang Minhyun, e você?”- ele perguntou sorrindo, ainda com o braço levantado- “me chamo Kim Jaehwan”- apertei sua mão.

Conversamos sobre o acontecimento de ambos os lados, e nós sofremos praticamente a mesma coisa, mas ele era pior, porque o cara era hétero. Começamos a conversar sobre outra coisa, e sem esquecer a trilha sonora de fundo.

E quando o assunto acabou, apenas ficamos olhando o céu- “Marte é meu planeta preferido”- falei olhando para o céu- “o meu é Plutão”- ele falou rindo- “mas Plutão não é mais um planeta”- falei, e ele concordou com a cabeça- “eu sei, mas, eu não gosto de imaginar o bullying que deve ser com ele, então, pelo menos no meu coração, Plutão é um planeta! E o melhor de todos. Essa é a hora que você me chama de maluco e sai de perto de mim”- comecei a rir- “isso não tem nada a ver cara! Isso é muito fofo”- ele sorriu.

O resto da noite foi resumida em nós dois, juntos naquela noite fria, apenas com o calor um do outro.

“Depois eu vou agradecer ao meu amigo por ter ficado com aquela garota, e ter feito que eu conhecesse você”- ele falou sorrindo, me olhando- “eu digo o mesmo.”

Estávamos novamente em silêncio, observando o céu, pela quadragésima sétima vez naquela noite. Quando ele me chamou, e eu virei para ele, que estava ao meu lado, e acabei batendo minha cabeça na dele. Rimos, mas ainda estávamos com o rosto próximo um do outro.

Ele segurou minha cabeça a puxou para um beijo. Fechei meus olhos, esperando um beijo na minha boca mas, infelizmente, foi na minha bochecha.

“Vai precisar mais do que uma conversinha para ganhar um beijo de verdade”- ele riu, enquanto meu coração estava quase pulando pela minha garganta.

Quando começou a cantar o parabéns, me toquei da hora- “caraca! Eu preciso ir embora! São que horas? Caraca meus pais vão me matar, e eu nunca mais vou sair. Faz tanto tempo que eu não saio. Eu não acredito eu vou ficar de castigo!”- ele colocou sua mão na minha cabeça- “calma cara! Eu tenho carro, fala para seus pais que acabou de cantar parabéns e que um amigo que você fez na festa vai te levar. Simples assim”- assenti com a cabeça, enquanto ele fazia um cafuné- “não precisa se preocupar, meu amor”- ele sussurrou.

“Quando ficamos tão íntimos?”- perguntei brincando- “quando você achou que eu fosse te beijar”- ele fez uma cara debochada- “haha muito engraçado Minhyun”- ele riu e começou a puxar assunto.

“Jaehwan, você quer sair daqui?”- ele me perguntou, olhando profundamente para meus olhos- “se eu chegar em casa antes das 2:30... tá ótimo”- ele sorriu- “então vamos”- ele se levantou e me puxou para dentro do salão de novo, para pegarmos nossas coisas- “devemos falar com os meninos?”- perguntei, porque tenho certeza que o Sungwoon iria ficar preocupado- “depois manda uma mensagem”- assenti.

Saímos do salão e ficamos andando no carro, conversando, eu ainda não sabia aonde iríamos. Optei por esperar, sempre gostei de surpresas. Queria ver que lugar estaria aberto às uma da manhã.

Eu estava muito distraído com a conversa e as músicas que tocavam no rádio, então demorou um pouco para eu processar o “chegamos” que ele havia falado.

“Onde estamos?”- perguntei confuso- “em um parque!”- ele falou- “eu descobri esse lugar com o meu pai, um tempo antes de ele...”- Minhyun não conseguiu terminar a frase, mas já tinha dado para entender o acontecimento- “enfim... esse parque é considerado abandonado, porque ninguém vem aqui. Meu pai me pediu para que fosse um segredo nosso, e que eu só poderia falar para alguém especial, que eu sinta que precisa de uma ajuda. Eu acho que esse é você!”- ele falou enquanto andava, antes de se sentar no chão.

“Por que você acha que sou eu?”- perguntei- “me sinto honrado por ter sido escolhido e tudo mais, mas... eu não mereço”- ele riu- “ele falou que a pessoa estaria muito confusa, e que teria muitos sentimentos acumulados. Tenho certeza que esse é você”- Minhyun falou deitado, olhando para o céu- “meu pai escreveu uma coisa para você. Está naquela árvore, e ele não me deixou ler de jeito nenhum. Então, vai lá e boa sorte”- ele falou voltando a observar o céu.

Comecei a andar em direção à árvore, ela era muito bonita, tinha muitos vagalumes ao redor dela, parecendo pequenas estrelas bem perto de mim.

Fiquei observando o pedaço de papel dentro de uma bolsa de plástico, que estava preso na árvore. O abri e percebi que na verdade eram duas folhas. Uma com um desenho de uma semente, e ao lado uma mudinha, e em baixo uma árvore pequena e, para terminar, uma imensa árvore.

E na outra, uma carta

Olá, boa noite! Espero que a noite esteja bem bonita aos seus olhos, pois para mim, não importa como esteja, sempre está maravilhosa.

Essa árvore é uma acácia Imperial rosa, eu que plantei-a. Eu soube que elas simbolizam a imortalidade da alma!

Continuando... se você está aqui, lendo isso, é porque eu morri e meu filho te escolheu. Eu não sei se você é homem ou mulher, mas independente do gênero, meu filho gostou de você. Se ele realmente te escolheu, você está confuso e perdido. Você provavelmente não sabe que caminho seguir ou se você continua a seguir algum caminho.

Infelizmente o mundo é um lugar bem ruim. E eu sei disso melhor do que ninguém. Pois eu morri, eu morri de câncer. Um grande tumor no meu cérebro, e eu não tinha o que fazer, apenas escolhi aproveitar com o meu filho e fazer ele perceber que a vida é única para nós ficarmos presos em coisas bobas e banais.

Independente do tamanho da sua dor, independente dos problemas pelos quais você passa e independente se você vai acordar amanhã ou não, você não deve desistir! Ninguém nunca está sozinho, nunca. Então, por favor, não desperdice a sua preciosa vida e curta bastante.

Se alguém te falar que é impossível ou que você não conseguirá, mostre para essa pessoa que você é capaz!

E para terminar, cuide muito bem do meu garoto! Ele é muito especial para mim, ele me fez não desistir e apenas curtir o final da minha vida, apesar de eu não poder fazer certas coisas, estou morrendo feliz nesse exato momento, porque estou certo de que eu fiz o meu papel para a humanidade.

Tenha um boa vida e curta essa bela noite, jovem!

Abraços, homem que morreu feliz ♡

E com lágrimas escorrendo pelo meu rosto, guardei a carta e o desenho em meu bolso. A última linha estava escrita a mão, e com uma letra feia, que provavelmente era a letra dele. Sei que pessoas com câncer no cérebro tem muitas dificuldades para escrever e ler, ele deve ter demorado muito tempo para fazer isso sozinho.

Mas chegou a hora de falar com o Minhyun. Eu apareci lá com o rosto inchado e ainda com lágrimas saindo de meus olhos. Junto com uma fina chuva, que começou a cair.

“Jaehwan? O que aconteceu?”- ele perguntou se sentando, e me encarando. Eu não tive nenhuma reação então apenas me sentei ao lado dele e continuei a chorar. Ele ficou um tempo quieto e, provavelmente, percebeu que falar qualquer coisa comigo não iria adiantar, e se lembrou de como o seu pai era poético. Então, ele me abraçou. Ele me abraçou e sussurrou um “pode chorar, está tudo bem, eu estou aqui com você.”

E depois disso não conseguimos ter uma conversa. Decidimos que seria melhor irmos embora.

Quando estava engarrafado, ele me puxou, e me beijou, foi um selinho bem rápido porque eu levei um susto, mas foi o suficiente para me animar.

“Seu pai era um homem muito sábio”- falei sem retirar os olhos da estrada e da chuva leve que não acabava- “é, eu sei disso melhor do que qualquer pessoa! Eu amo muito o meu pai”- apenas fiquei quieto olhando para o caminho.

Quando estávamos perto da minha casa, ele parou- “você está bem? Você trouxe a carta? Esqueceu alguma coisa?”- ele perguntou preocupado- “está tudo bem. E eu estou com tudo aqui”- sorri para ele.

“Acho que você tá esquecendo uma coisa sim”- ele falou estacionando na porta da minha casa- “o que?”- perguntei checando os meus bolsos- “isso”- então ele me beijou.

E quando nossos lábios entraram em sincronia, pude ouvir “If you” tocando no fundo, fazendo aquele beijo ser o mais significante para mim, e possivelmente para ele- “essa definitivamente é a nossa música”- ele falou sorrindo, dando um fim no beijo- “re-realmente"- concordei com o rosto vermelho, porque eu sempre fiquei sem jeito após os beijos.

“Ei!”- ele me chamou quando eu estava prestes a entrar em casa- “meu número está no bolso de trás da sua calça!”- ele riu da minha cara- “eu não sou o tipo de cara que tem mãos bobas!”- ele brincou e foi embora.

Ao entrar em casa, fui direto para meu quarto e tirei todas as coisas dos meus bolsos. Peguei a carta, ainda na bolsa de plástico e coloquei dentro do meu pequeno cofre de segredos, que fica escondido no meu armário, junto com o desenho, e salvei o número do Minhyun.

Quando mandei “esse é o meu número” ele respondeu com:

Em dias como hoje quando a chuva fina cai

Lembro-me de sua sombra

Nossas memórias que eu secretamente coloquei em minha gaveta ♡

Então eu sorri e mandei um “boa noite”, olhando pela janela e vendo que a chuva fina estava parando.


Notas Finais


Foi isso ♡
Espero que tenham gostado ♡
Se alguma coisa estiver errada ou não fizer sentindo, me desculpem mesmo. Eu revisei sozinha e na correria para postar logo.
Muito obrigada ♡
obs.: o bônus por causa do tédio mesmo :p


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...