História - xoxo, Gossip Girl. - Capítulo 13


Escrita por:

Visualizações 5
Palavras 2.543
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Galera, serio to com 0 criatividade de titulo kkkkk. Enfim, o cap tá curto mas eu queria pelo menor postar algo essa semana. Eu talvez poste mais um capitulo antes de outro evento na história.

Capítulo 13 - Capitulo 13 - Segredos e acordos.


Chloe estava sentada sobre o piso do elevador. Vestido amassado, cabelo amarrotado, maquiagem borrada, suada e com os sapatos na mão. As portas de metal se abriram, e Chloe - com certa dificuldade - levantou do chão pegando suas coisas e entrando finalmente na cobertura dos Turnners. O apartamento era enorme e tinha dois andares, cinco quartos e diversos cômodos além de muitos banheiros e janelas que iam do chão ao teto. Uma decoração contemporânea lotava a cobertura assim como diversos quadros de pintores e fotógrafos modernos. Chloe andou pela casa e subiu a escadaria com peitoril minimalista de vidro e mancando pelo caminho até seu quarto. 

 

Chloe entrou no cômodo tento suas vistas machucadas pelas janelas de seu quarto que permitiam um quantidade exagerada da luz adentrasse o quarto. Chloe fechou a porta e correu até as cortinas de tule dourado e as fechou junto deixando apenas as cortinas de veludo marrom com flores douradas estampadas. Chloe andou até a porta de vidro branco - quase transparente - que poderia ser confundida com uma janela, e entrou seu banheiro retirando seu Red Valentino e tomando um belo banho frio. Chloe estava com a mente cheia, mas ao mesmo tempo vazia pensando em tudo que tem acontecido e todos os seus pensamentos iam para o mesmo lugar, Sebastian, o garoto que tirou sua virgindade e roubou seu coração. 

 

Flashback on:

 

Os dois tinham quatorze anos. Estavam na casa de Sebastian, Chloe sentada sobre uma espreguiçadeira, lia e relia o livro de história para um trabalho de escola sobre a segunda guerra mundial, ou algo assim. Chloe vestia seu uniforme escolar e anotava no livro quando Sebastian se aproximou vestindo apenas um calção de banho, o que fez a garota ficar um tanto confusa enquanto o garoto colocava uma bandeja com uma jarra de limonada e dois copos em uma mesa ao seu lado. Chloe esperou uma resposta com as sobrancelhas franzidas, mas percebendo que teria que perguntar, o fez.

 

- Você não vai explicar o por que do calção de banho? - Questionou a loira recebendo apenas uma risada infantil de Sebastian, que mesmo naquela época, já tinha um corpo atraente e seu charme.

 

- Ué, está calor. Pensei que poderíamos nadar um pouco. - Respondeu o maior se sentando na espreguiçadeira ficando de frente para a garota sentando ao lado de seus pés.

 

- Nadar? Primeiro que temos um trabalho para fazer, e segundo que eu não trouxe roupa pra isso, Sebastian. 

 

- Você pode nadar com essa roupa, qualé Clo, não sabe nadar? - Indagou o garoto de forma provocativa apenas para irritar a garota. Chloe vestia uma camiseta de gola polo branca com um saía plissada e xadrez azul e calçava sandálias de salto baixo Nine West rose. 

 

- Eu sei nadar, ok? E eu não quero molhar meu uniforme. - Falou a menor cruzando os braços e recebendo em troca uma pequena risada do menino que arrumou o cabelo passando sua mão por ele. 

 

- Então tira ele, ué. A vida não é difícil Clo, você que complica ela. 

 

- Não. 

 

- Urgh. Tá bom... - Resmungou o garoto se levantando sendo interrompido pela garota.

 

- Obrigada. 

 

- Vamos ter que fazer do jeito difícil... - Falou o garoto se aproximando de Chloe que foi agarrada pela cintura e colocada em seu ombro enquanto gritava de desespero por ajuda enquanto o garoto ria.

 

- Sebastian, me solta. É serio Sebastian não faz isso. - Implorou a garota que também ria. A situação podia ser ruim, mas ainda assim era cómica para ela.

 

- Ultimas palavras caichinhos dourados. 

 

Sebastian ria enquanto se aproximava da piscina e antes que Chloe percebesse, Sebastian havia pulado na piscina deixando ambos abaixo da água, e molhados. Sebastian nadou para cima agora segurando a garota pela cintura de frente para si recebendo risadas e pequenos socos da garota que mesmo furiosa, não conseguia parar de rir. 

 

- Você. É. Muito. Infantil. - Resmungava a garota entre respirações ofegantes olhando para o garoto que a este ponto já havia parado de rir e apenas tinha um sorriso em seus lábios carnudos e rosados que agora, pareciam atrativos para a garota.

 

- Você fica muito bonita brava sábia? - Indagou o garoto vendo o pequeno rubor nas bochechas da loura que revirou os olhos pronta para sair da piscina se Sebastian não a tivesse segurado. - Ei, fica.

 

- Temos um trabalho pra fazer. 

 

- Mas aqui está melhor, não acha? - Indagou Sebastian se aproximando da garota e colando suas testas uma na outra. Ambos olharam nos olhos um do outro quando Chloe aproximou seus lábios um do outro e Sebastian avançou mais um pouco selando os lábios em um beijo intenso e caloroso. E depois disso, as coisas esquentaram, e ambos acabaram cansados, suadas e abraçados na cama de Sebastian, era algo novo, excitante, desafiador e perigoso, mas ambos se sentiam bem....

 

Flashback off:

 

Chloe saiu do banho e foi até seu closet com portas feitas em um vidro branco e quase transparente. Abriu as portas de correr do objecto e ficou um tempo olhando suas roupas antes de vestir um de seus jeans surrados Diesel e vestir um suéter qualquer extremamente quente e confortável. 

 

Chloe se jogou sentada sobre a cama pegando seu notebook o abrindo, vendo de primeira uma notificação da garota do blogue. Revirou os olhos bufando e começou a ler o post que tinha uma imagem sua dançando na boate noite passada, mas antes que tivesse a oportunidade de começar a leitura, risadas extravagantes e barulhos estranhos foram ouvidos do lado de fora do quarto. 

 

Chloe se levantou da cama fechando o notebook e andou sorrateiramente para fora do quarto andando pelos corredores repletos de decorações pisando no chão frio com suas sapatilhas Fendi. Chegou perto da escadaria e seus olhos quase saltaram para fora das orbes quando viu sua mãe, Regina Turnner junto de Victor Pierson, ou conhecido como, o pai do Sebastian.

 

- Tem certeza que seus filhos não estão em casa? - Questionou o homem dando um beijo no pescoço da moça que tinha os braços nos ombros do homem.

 

- Luke está na aula de esgrima e Chloe toma café da manhã com Rebekah na Sarabeth's todos os sábados. - Falou a mulher sorridente selando seus lábios com o do homem que a abraçou levando-a escada acima entre risadas e beijos.

 

Chloe já nervosa e pálida, correu pelos corredores do apartamento e entrou em seu quarto pegando seu casaco e uma bolsa, em seguida correndo pra fora do quarto já ouvindo conversas entre os mais velhos e correu até a escadaria dos fundos e desceu correndo até o elevador apertando freneticamente o botão para sair daquele lugar.

 

(---o---)

 

- Onde ele está? - Questionou Kyle quando Janet Pierson abriu a porta de sua casa usando apenas um roupão de ceda por cima de sua camisola. 

 

- É bom te ver Kyle. Sebastian está lá em cima, no quarto dele. - Indicou a mulher indo para o lado da porta com os braços cruzados na altura dos seios. - Deseja alguma coisa, Ky? - Questionou a mais velha com um olhar sugestivo para o mais novo. 

 

Kyle já estava acostumado. Desde os quatorze anos a mãe de Sebastian vem tentando seduzir o amigo do filho, coisa que não passou despercebida pelos olhos do mais novo que ao ver mais uma das tentativas falhas da mais velha, Kyle apenas revirou os olhos e passou pela mulher andando até a escadaria de mármore preto e a subiu até o quinto andar da mansão, que era a número 10021 da 4 East 74th Street. 

 

Kyle andou pelos corredores decorados com mobílias vitorianas em tons de chocolate, dourado e vermelho. Diversas decorações raras e importantes que eram de Janet - uma das maiores colecionadoras de Manhattan. - se encontravam espalhadas pelo local sobre mesas de madeira talhadas ou pedestais. Diversos quadros e até mesmo pinturas da família, estavam espalhados pelas paredes que eram de madeira até uma parte,  e continuadas pelo papel de parede vermelho. 

 

- Sam, tá aí? - Questionou Kyle batendo na porta do quarto e recebendo como resposta, apenas um murmuro que já mostrava o estado de Sebastian, péssimo. - Beleza, eu estou entrando. - Anunciou o moreno abrindo a porta lentamente ouvindo o ranger da madeira. 

 

Kyle entrou no quarto e a primeira coisa que aconteceu foi pisar em uma cueca de sebastian, e o menor não estava nenhum pouco afim de saber com o que aquela cueca estava molhada. Kyle olhou para a cama onde viu Sebastian dormindo de bruços e a cara enfiada no travesseiro com o corpo jogado como um grande pedaço de bosta em meio aos lençois brancos que cobriam apenas as nadegas do mais velho. 

 

- Ei mané, acorda e se veste. - Falou Kyle remexendo o corpo do maior mexendo em suas costas, recebendo apenas um gemido de xingamento de Sebastian. - Mas que merda. Eu vou começar a cobrar por isso. - Kyle revirou os olhos e cruzou os braços passando o olhar pelo quarto pensando. 

 

Kyle andou até as janelas do quarto e abriu as cortinas vermelhas uma por uma fazendo que o sol invadisse o quarto e mais um resmungo de Kyle seguindo de gemidos, ele estava vomitando, bem ao lado da cama. O moreno abaixou o rosto massageando o espaço entre as sobrancelhas e o nariz e viu diversas garrafas de bebida, tanto sobre a mesa quanto soltas pelo chão. Kyle pegou uma das garrafas, um whisky Bruichladdich 4X + 1.

 

- Sinceramente, como você ainda está vivo idiota? - Kyle ficou fulo da vida, Sebastian era fraco para bebida, e ainda assim decidiu tomas a bebida mais forte do mundo que possuía noventa e dois por cento do teor alcoólico. - Meu deus eu juro que eu vou matar você se fizer isso de novo. 

 

- Hm...vá...Ky...fuder...c-chatu. - Entre os resmungos confusos, Kyle se esforçava para entender alguma coisa. Kyle revirou os olhos e voltou a andar até a cama onde parou ao lado. Kyle avistou ao seu lado, algo que chamou sua atenção, e com um sorriso travesso pegou o balde de "gelo" e atirou a água de temperatura congelante sobre o corpo dormente do maior.  - PORRA KYLE PRA QUE ISSO CARALHO.

 

- Cala a boca, S. Anda, levanta daí que eu vou preparar a banheira pra você. - Kyle tinha uma carranca incomparável no rosto quando entrou no banheiro do maior. 

 

- Idiota. - Murmurou Sebastian se levantando com o cobertor branco ao redor de algumas partes do seu corpo. Sebastian tinha uma cara péssima e o rosto amassado com cebelos bagunçados e emaranhados. O quarto estava uma bagunça, alguns moveis estavam virados assim como garrafas de bebidas e alguns outros objectos, isso sem falar das roupas jogados pelo local. Sebastian desarrumou todo o closet para achar um pijama, e o acabou tirando no meio da noite. 

 

- Anda logo, vamo nessa. - Kyle abriu novamente a porta do banheiro apenas esperando por Sebastian e sua feição horrenda de acabado no rosto. 

 

(---o---)

 

- Cara você é mais fraco do que a Kitty pra bebida e ainda assim toma as bebidas mais fortes da adega do seu pai, você tá querendo entrar em algum tipo de coma alcoólico? - Questionou o menor que colocava a última lata de cerveja russa dentro da lixeira do quarto antes de voltar e se sentar na ponta da cama onde ficou encarando Sebastian que agora vestia um roupão branco por cima de seu pijama Ralph Lauren. - Vai me contar o que houve ou eu vou ter que ler sua mente? Eu tenho duas bolas e adivinha, nenhuma é de cristal. - Kyle falou serio  o que fez Sebastian rir, sendo seguido pelo menor.

 

- Lembra quando eu te contei que eu estava gostando de outra pessoa? E depois você descobriu que era a Chloe? Pois é eu meio que comecei a gostar dela um pouco antes de tipo, transar com ela. - Confessou Sebastian retirando um enorme peso de suas costas após ponderar a se falaria ou não por cerca de dois minutos, já suando de nervoso com o olhar fixo nos próprios pés.

 

- Eu já sabia. - Kyle falou indiferente. Sebastian arregalou os olhos olhando para o menor atrás de algum sinal de mentira. Mas ele não estava mentindo.

 

- O que? M-mas como voc...

 

- Isso não importa agora. Mas claramente tem mais coisa, anda desembucha. 

 

- Eu terminei com a Rebekah...

 

- Isso é novidade. Mas olha pelo lado bom, vocês já estavam com problemas mesmo. 

 

- E na verdade, seu irmão também tá envolvido. - Sebastian tinha um sorriso nervoso enquanto coçava a nuca. Kyle apenas suspirou massageando as têmporas, o que significava que Sebastian poderia continuar. E depois de um tempo, Sebastian terminou de contar sobre a enorme montanha russa que estava a sua vida amorosa. 

 

- Bom, pelo menos eles não transaram, já que estavam apenas tentando te fazer ciumes. 

 

- O que? Como você sabe disso? 

 

- Eu sou um Thompson, e assim como Kol, Alex e meus pais, eu adoro joguinhos. Principalmente aqueles que podem abalar o psicológico de alguém. Eu sei como meu irmão joga, e também conheço a Chloe melhor do que você... e meu irmão voltou sozinho pra casa ontem e ele não transar em outro lugar que não seja a cama dele. - Kyle não estava mentindo, ele adorava joguinhos, assim como todos de sua família. Mas Kyle preferia joguinhos mais, quentes. 

 

- Ok, eu já fiz a minha parte do acordo, agora só falta você. - Dizia Sebastian com um sorriso travesso no rosto igual uma criança quando ganhava um doce depois de aprontar. Merda, o acordo, Kyle quase não se lembrava disso, mas pelo menos tentaria. 

 

- Acordo? Que acordo? - Questionou o menor franzindo as sobrancelhas se fazendo de desentendido fingindo estar extremamente confuso, o que fez Sebastian rir, pois geralmente Kyle era um ótimo mentiroso. 

 

- Aquele de que se eu falasse a verdade pra Chloe e terminasse com a Rebekah e vivesse feliz, você iria se confessar para o amor de sua vida. - Falava Sebastian de forma dengosa com as mãos entrelaçadas uma na outra soltando beijinhos no ar como uma criaça zoando alguém apaixonado. 

 

- Pelo estado que eu te encontrei, você não parecia estar feliz. - Zoou o moreno com um sorriso triunfante ao ver a feição de Sebastian que dizia "Pegou pesado" - E diferente de você, eu não acredito que exista esse lance de "amor da sua vida", e muito menos que vai rolar algo entre mim e o falso bad boy. 

 

- Beleza, mas ele parece estar de olho em você e no seu corpinho. 

 

- Se continuar com isso, quem vai estar de olhos em você será um patologista forense. - Kyle acabou de ameaçar a vida de Sebastian pela miléssima vez naquela manhã. 

 

- Tá bem, tá bem. Quer tomar café da manhã no Sant Ambroeus comigo? - Questionou o maior andando para dentro de seu closet para se vestir com seu habitual estilo de mauricinho de sempre. 

 

- São onze horas. 

 

- Então... torradas ou panquecas?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...