História 002 (Imagine Park Jimin - BTS) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias B.A.P, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Bang Yongguk, Himchan, Jeon Jeongguk (Jungkook), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Chim Chim, Detento, Imagine, Jimin, Park Jimin, Shotfic, Você
Visualizações 46
Palavras 1.188
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura honeys ♡

Capítulo 3 - III


Fanfic / Fanfiction 002 (Imagine Park Jimin - BTS) - Capítulo 3 - III

-É um prazer em conhece-lo 002. -fingir um sorriso. Jimin sorriu soprado. 

-Se teremos uma conversa, acho que devemos ser mais refinados, não acha? -assentir. -Então,  o que acha que usar meu nome quando se referir a mim. É que não gosto muito de 002, me fazer parecer um criminoso.

 -Eu não tenho permissão de usar seu nome verdadeiro com você, mas posso mudar isso em outra sessão.

 -Ótimo. -sorriu sem mostrar os dentes. -Então, por onde vamos começar? Minha família? Minha vida? Você é quem diz doutora.

 -Eu prefiro evitar biografias longas demais. -Ajeitei-me na cadeira, peguei meu prendendor de cabelo e prendi meus cabelos. 


Meus pensamentos fluíam mais quando eu prendia meus cabelos, não que isso funcionasse, mas eu "ensinei" meu cérebro a acha que funciona. Jimin, por outro lado, observada cada movimento meu. 


Observador


 -Minha perguntas serão bem objetivas e eu espero respostas objetivas e as mais sinceras possíveis, combinado? -ele assentiu. -Sua relação com sua mãe, como é?

 -Era. -corrigiu. -Minha mãe nunca gostou de mim, desde que eu era um simples embrião. Eu não fui planejado por assim dizer. 

-Seu pai?

 -Meu pai sempre me deu atenção desde que nasci, mas não era o suficiente. 

-Sua mãe o visitou desde que foi preso? 

-Algumas vezes ela vem, apenas para cuspir suas palavras sujas na minha cara e antes que me pergunte, meu pai está morto.

 -Senti falta dele?

 -Não. -falou seco. -Quero que ele e minha mãe vá para o inferno! Bom, ele já se foi, só falta aquela velha.

 -Senhor 002, o que senti quando me refiro a sua mãe e seu pai?

 -Nada. -falou olhando friamente para mim. Mas no fundo, tinha algo na sua fala que me deixava desconfiada. -Eles nunca me acham importantes, só retribuo o que recebo. 

-Mas disse que seu pai- 

-Eu sei o que eu disse. -cortou-me. 

-Certo, vamos pular essa parte de família. Seu amigos, tem algum?

 -Apenas um.

 -Pode me dizer quem é?

 -Não. -lhe lancei um olhar confusa. -Ainda não confio em você. 

-Podemos trabalhar isso.

 -Podemos sim. -ele sorriu. -Mas alguma pergunta?

 -Sim! Senhor Bang me relatou sobre você já ter sido preso por agressão,gos- ele me contou sorrindo um pouco alto.

 -Essa cara não desiste de mim nunca! Incrível! -se conteve. -Me desculpe! Pode continuar.

 -Pode me dizer o que senti quando agride alguém? Quais suas sessões?

 -Prazer, alívio, é como usa heroína. -deu nos ombros. -Já provou drogas senhorita S/n? 

-N-Não! 

-Ah qual é? -sorriu.

 -Vai me dizer que nem na sua época de universitária nunca provou nada de ilegal?! Me poupe. 

-Estamos falando de você.

 -Você quer minha confiança para eu seja totalmente aberto e você saber de um vez por todas porque matei aquelas pessoas e você ganhar seu caso, huh?! Então seja aberta comigo também! 


 Manipulador 


 -Certo! 

 -Ótimo! -sorriu. -É como uma conversa de amigos, huh?!

 -Tem razão. -sorrir. Eu precisava entra no jogo dele e ganhar sua confiança, assim ficaria mais fácil de trata-lo e desvendar o porque do seu ato. -Eu usei LSD numa festa, quando estava no segundo período da universidade. 

-LSD? -bufou. -Você é muito fraca. 

-Não sou uma usuária e além do mais estava bêbada.

 -Woa! -sorriu. -Eu gostei de você. 

 -Fico feliz. -sorrir. Ouvir duas batas na porta atrás de mim, era Bang, avisando que o horário havia esgotado e precisa sair da sala. -Bom, nosso horário acabou. 

-É uma pena. -fingiu está triste. -Estava começando a gostar de suas histórias.

 -Nosso próximo será em breve, então, prepare uma história sua para me contar. Vou adorar ouvi-la. -falei me levantando e soltando meus cabelos. -Até logo. 

-Até senhorita S/n. -Sair da sala. 


Park Jimin    


 Assim que adentrei na sala para uma nova conversa, mas agora seria com uma psicanalista. Fiquei feliz em saber que era uma mulher, assim podia colocar minhas técnicas de sedução em prática.

 Todas as psicológas e psiquiatras que me atentaram, sempre dei um jeito delas omitiram meu real problema. Nunca transei com nenhuma delas, por não ter como isso acontecer, mas não recusaria a oportunidade.  

S/n era o nome dela, nossa conversa foi normal como qualquer outra de início, mas notei que ela tinha um personalidade forte. Mas todo seu ponto forte, sempre tem seu ponto fraco e eu ia descobrir o dela.

 S/n sabia fazer perguntas bem mais articuladas que as outras, teria que trabalha mais minha lábia, eu não iria entregar os pontos a ela. 


                    [...]


 Voltei para cela, me deitei na cama de baixo, comecei a dividir a cela com um cara a pouco tempo desde que sair da solitária.

 Quase sempre estava na solitária, porque sempre arrumo confusão de propósito, odeio ter que dividir lugar com alguém e muito menos está em ambiente com gente.

 Coloquei meu braço direito atrás da cabeça fazendo apoio, lembrei da doutora, ela mesmo vestida com aquele terno, dava para nota suas curvas. Ela deve ter tão gostosa completamente nua. Balancei minha cabeça, tirando isso de meus pensamentos, mas isso porque já estava tempo demais sem transar.

 O cara que estava deitado na cama de cima, colocou sua cabeça para baixo e me olhou. Ele tinha cara de playboyzinho e de criança.


 -O que está olhando? -perguntei sério.

 -Qual o seu nome?

 -002 e o seu? 

-Não! Digo seu nome idiota. -falou descendo do beliche.

 -Não me chame assim, você nem me conhece seu pivete.

 -Oh desculpa aí valentão. -falou irônico.

 -Me chamo Jungkook. -estendeu a mão.

 -002. -apertei sua mão. 

-Ah qual é cara, não vai me fala seu nome?

 -Não! -me virei para dormir.

 -Qual é a s-

 -Cala essa sua boca porque não tô  afim de volta para a solitária. -o pivete volta a deita em sua cama e permaneceu calado.


S/N 


Sai da sala, vendo logo o Bang de braços cruzados e com uma das mãos no queixo. Me aproximei e entrei o gravador. 


-Como foi? 

-Normal. -dei nos ombros. 

-Normal?

 -Sim.  

-O que descobriu? 

 -Pergunta, se ele confessou algo? -Bang assentiu. -Não e nem vai.

 -Por que? -apontei para o gravador em suas mãos e Bang me lançou um olhar confuso. 

-Ele é esperto e sabe muito bem que conversa inteira gravada será usada contra ele. Então, ele só vai falar o que você já sabe. 

-Está me dizendo que ele contou a mesma história para todos que o atenderam? 

-Não posso afirmar, mas de certa forma, sim. Porém pode ser em versões diferentes. 

-Não pode ser! -Bang trincou o maxilar.  

-Ele é bom de lábia senhor Bang. -cruzei os braços.  

-O que sugere?  

-Que coloque um outro tipo de coisa para gravar a conversa, se qualquer coisa for de ameaça para ele, ele não vai contar e vai sempre enrola. 

 -Iremos providenciar.

 -Agradeço!- sorrir. 

-Algo mais?

  -Sim, mas isso vai para o meu relatório. 

-Mas você pode contar a mim. 

-Senhor Bang, não custumo o expor meus pacientes.

 -Senhorita S/n, será tudo confidencial, não vamos expor ninguém. 

 -Então neste caso posso abrir um exceção.

 -Eu agradeço sua compreensão senhorita. -sorriu. -Quer carona?

 -Oh não, não. Vou pegar um táxi, não vou para casa agora. -sorrir. 

-Então até logo.  

-Até logo senhor Bang. -sorrir.


Notas Finais


COMENTEM *o*
Me desculpem qualquer erro ;-;
Espero que tenham gostado :")
Leiam minha outras histórias também ♡
Até o próximo capítulo~~
Beijos de luz~~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...