1. Spirit Fanfics >
  2. 1 de Hogwarts lendo Harry Potter ... >
  3. O guardião das Chaves parte 2

História 1 de Hogwarts lendo Harry Potter ... - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - O guardião das Chaves parte 2


Uma coruja de verdade, viva, meio arrepiada, uma longa pena e um rolo de pergaminho.

- Como ele colocou uma coruja viva no bolso dele ? – perguntou Magnus (Quem se esqueceu deles alem de mim?).

Com a língua entre os dentes ele rabiscou um bilhete que Harry pode ler de cabeça para baixo:

- Voce não me disse que conseguia ler de ponta cabeça – disse Draco.

- É um dom – disse Harry.

 

“Prezado Sr. Dumbledore,

Entreguei a carta a Harry. Vou leva-lo amanhã para comprar o material. O tempo está horrível. Espero que o senhor esteja bem.

“Hagrid”

Hagrid enrolou o pergaminho, entregou-o á coruja, que o prendeu no bico, depois ele foi até a porta e lançou a ave na tempestade. Quando voltou, sentou-se como se aquilo fosse tão normal quanto pegar o telefone.

 

Harry percebeu que sua boca se abrira e fechou-a rapidamente.

- Onde é que eu estava? – disse Hagrid, mas, naquele momento, tio Válter, ainda cor de cera, mas parecendo muito furioso, adiantou-se até a luz da lareira.

- Ele naão vai – falou.

- Ouse impedir... – Tiago não terminou.

- Continue – disse Harry.

 

- Ele vai sim – disse Tia Petúnia.

- E eu gostaria de ver um grande trouxa como  voce impedi-lo – respondeu HAgrid.

- Um o que? – perguntou Harry, interessado.

- Um trouxa – disse Hagrid – È como chamaram gente que não é mágica como nós e sua tia Petunia.

- O que? – perguntou/berrou Lilian.

- Ela tem magia – disse Harry.

- Ela é muito poderosa – disse Draco tomando cuidado com a termologia.

- Como isso é possível? – perguntou Lilian.

- Não podemos contar ainda. – disse Harry.

 

E você teve o azar de ser criado na família dos maiores trouxas que já vi na vida.

- Juramos quando o aceitamos que poríamos um fim nessa bobagem – disse tio Válter -, juramos que erradicaríamos isso nele. Bruxo, francamente!

- Escuta aqui, você disse isso, por que eu aceitei o meu sobrinho como ele é, voce quer erradicar isso nele, por que você não nasceu com magia – disse Petúnia.

Todos estavam de olhos arregalados, e o Harry estava tendo uma crise de riso.

 

- Você sabia? – perguntou Harry – Você sabia que sou... Bruxo!

- Sabia sim, eu queria te contar, mas Valter me impediu – disse Petúnia – Sua mãe recebeu uma carta igual a sua, e ela foi, ela aprendeu muita coisa lá, como controlar sua magia, assim como você vai controlar a sua, lá ela conheceu o seu pai, de muita insistência dele e depois de muito tempo também, eles se casaram e teve você, eles não morreram em um acidente de carro como Valter falou – disse tia Petúnia.

- O que aconteceram com eles? – Perguntou Harry.

Petunia se sentou com Harry no sofá.

 

- Eles foram assassinados, por uma pessoa muito má – disse Petúnia.

- Por quem? – Perguntou Harry.

- Por Voldemort, mas todos dizem quem não deve ser nomeado – disse Petúnia.

- Em todo caso, esse bruxo, faz uns vinte anos agora, começou a procurar seguidores. E conseguiu alguns por medo, outros por que queriam ter um pouco do poder dele, sim, por que ele estava ficando poderoso. Dias funestos, Harry, ninguém sabia em quem confiar ninguém se atrevia a ficar amigo de bruxas e bruxos desconhecidos... Coisas horríveis aconteciam. Ele estava tomando o poder. È claro que algumas pessoas se opuseram a ele, e ele as matou. Terrível. Um dos únicos lugares seguros que restaram foi Hogwarts. Acho que Dumbledore era o único de quem tinha medo. Não ousou se apoderar da escola, não no começo, pelo menos.

“Ora, sua mãe e seu pai eram os melhores bruxos que já conheci. Primeiros alunos em Hogwarts, no seu tempo! Suponho que o mistério era por que voce-sabe-quem nunca tentou convencer os dois a se aliar a ele antes... provavelmente sabia que eram muito chegados a Dumbledore para querer algumas coisa com o lado das Trevas. Talvez ele achasse que podia convence-los... talvez quisesse tirar os dois do caminho. E assim como sua tia esplicou, ele apareceu na vila onde vocês moravam, num dia das bruxas, faz dez anos. Na época voce só tinha um ano. Ele foi á sua casa e...e...”

Todos estavam calados, uns absorvidos na historias, outros temendo pelo futuro. Mas o Sr. e a Sra. Evans estavam muito apavorados, no que a Lilian estava descobrindo sobre sua irmã, não tão irmã assim.

 

- Desculpe- disse – Mas é muito triste, conheci sua mãe e seu pai e não podia existir gente melhor, em todo o caso...

“Voce sabe quem matou os dois. E então, esse é o verdadeiro mistério da coisa, ele tentou matar você. Queria fazer o serviço completo, acho ou então ele tinha começado a gostar de matar. Mas não conseguiu. Você nunca se perguntou como arranjou essa marca na testa? Isso não foi um corte normal. Isso é o que se ganha quando um feitiço poderoso e maligno atinge a gente; destruiu os seus pais e até sua casa, mas não fez eleito em você, e é por isso que você é famoso, Harry. Ninguém nunca sobrevivia depois que ele decidia matar, ninguém a não ser você, e ele já havia matado alguns dos melhores bruxos da época

Belatrix tinha dado um sorriso presunçoso.

Os McKinnon, Os Bones, Os Prewwett,

A Sra. Weasley tinha colocado a mão na boca, seus irmão não, ela não acreditava. Já os dois tinham engolido em seco, já que aquele era o seu último ano (Gente, não sei a idade deles, então estão no ultimo ano)

E você era apenas um bebe, e sobreviveu”

Continua...


Notas Finais


Será mesmo que Petúnia é mesmo irmã da Lilian? Ou será que é outra coisa?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...