História 1 minuto e meio. - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Kookv, Taekook, Vkook
Visualizações 471
Palavras 2.008
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa noite, Meushinhos ~~

Leiam as notas.

Consegui o celular da minha vovó pra escrever e postar esse capítulo.
Um tanto que pequeno, mas, talvez, melhor do que ficar na demora e curiosidade de saber quem é o bendito ou a bendita a quem Taehyung ira abrir a porta.

Eu também fiz uns ajustes no capítulo anterior, quase que insignificantes, mas que seria bom que lessem.

Obrigada pelos favoritos e as mensagens de apoio.
Cara, vocês sabem como eu amo ler comentários e eu tô adorando ver como vocês estão comentando mais.

Como o de costume usarei o "---" para a troca de personagens (Taehyung e Jungkook) e o "***" para demonstrar que se passaram algum tempo.

Espero que gostem.

Capítulo 12 - Capitulo doze.


Fanfic / Fanfiction 1 minuto e meio. - Capítulo 12 - Capitulo doze.

O barulho vindo da frente da casa chegou aos meus ouvidos, e eu gostaria muito de que fosse o barulho de Dellé cantando alguma de suas músicas que eu tanto gostava, mas não era.

Parei em frente a porta, receoso em abri-la e acabar por dar de cara com alguém que eu não queria ver. 


Com medo.

Afastei-me um pouco da porta e por um minuto cogitei em fingir não estar em casa para que não fosse preciso atender a porta. Minha mão foi na maçaneta, mas eu não a girei.

Silêncio.  


Soltei o ar que eu tinha preso no meu peito e suspirei, tirando a mão da maçaneta eu me virei para subir ao meu quarto, talvez tenha ido embora. 

Engano meu. A campainha foi tocada e eu me xinguei baixinho por não ter colocado um olho mágico na porta, facilitaria muito mais a minha vida, nota importante: comprar um olho mágico. 

Arrumei minha postura por instinto e então abri o objeto de madeira a minha frente, já me amaldiçoado por não ter seguido com o plano de fingir não estar em casa e deixar com que a pessoa do lado de fora desistisse de tocar a campainha e bater na porta.

Meu coração acelerou e minhas mãos suaram. Meus olhos tremeram e por um momento eu quis chorar, minhas pernas molejaram e eu quis desabar ali mesmo  mas esse sentimento foi consumido e substituído pela raiva e desgosto que me subiram a cabeça.

A mão que abrira a porta agora a pouco, estava a judiar da mesma em um aperto. Meu maxilar trancou e eu engoli em seco encarando a figura de terno preto e óculos segurando a maleta habitualmente, com expressão seria e de desgosto. Mordi minha língua tão forte que pude sentir o gosto de ferrugem que tem o sangue na minha boca, nem sequer liguei para a dor incomoda que se fazia presente. Pra falar a verdade eu so queria fechar a porta e fingir que isso não estava acontecendo.

Mas eu travei.


Fiquei paralisado analisando- o. Fazia dois anos que não nos viamos. Dois anos que eu me questionava da sua lealdade para com a minha - se é que eu posso chamar assim - família. 

 


- Como me achou? - questionei simples, mas de tom de voz forte.

- É bom rever você também, Senhor Kim. - falou colocando a mão livre no peito e se curvando em  seguida. 


---

Eu estava em pé em frente  a primeira fileira do lado direito da passarela, juntamente com os demais fotógrafos, críticos, editores  e outros relacionados a midia. O desfile estava prestes a começar e o meu trabalho tambem.

Eu dava os últimos ajustes na minha câmera, enquanto dava uma última olhada no local. Yoongi bajulava uma modelo estrangeira perto da entrada dos provadores, me pus a observar a cena do baixinho de cabelo azul bagunçado, escorado no batente da porta enquanto falava com a mulher loira alta e magra todo animado. Arrancava sorrisos e empurrãozinhos da mulher,  quando recebeu uma bofetada na cara da mesma que se pôs porta a dentro enquanto o Min permanecia parado, estático segurando  onde o tapa tinha sido depositado. Comecei a gargalhar e bater na minha perna  me sentando, enquanto Yoongi vinha na minha direção emburrado. Pena que Hoseok não estava mais aqui para ver essa cena comigo, mas de certo eu o contaria. 


- Que foi? Ofereceu a ela uma noite na camioneta vermelha e ela não aceitou, hyung?- questionei enquanto ria.

- Cala a boca, Jungkook, seu muleque insolente. - disse ainda com a mão no rosto. 

- E o que foi então? - perguntei sentindo meu olho se encher de lágrimas enquanto eu tentava me manter sério. 

- Pare de rir - bradou se sentando ao meu lado -  Ela não sabia falar em coreano, ela morava em malibu,  fui falar pra ela me levar la pra conhecer as praias e invés de praia, acabei falando vadia. 

- 'Que? - voltei a rir descontroladamente, abafando com a minha mão para que não saísse tão alto. - Seu inglês é péssimo, hyung. 

- Aish ... - Yoongi me empurrou de leve. - Não custava tentar. 

- ... Mas bem que você ia querer conhecer as mulheres de lá também, não negue. 


"Daremos inicio ao desfile em alguns minutos, por obséquio permaneçam em seus assentos " - a mulher loira falou.- "James logo estará aqui para dar inicio a sua coleção de inverno em Seul."


- E quem seria o doido de negar conhecer aquelas gringas tudo de biquíni andando pelas praias de malibu? Eu que não ia. - ele disse pegando o tablet e abrindo em notas - eu que não ia mesmo. A vida é curta de mais pra não aproveitar. Alias, podiamos passar nossas férias em malibu. 

- Hyung - coloquei minha mão em seu ombro - não posso ir para malibu com você. 

- Por que? - franziu o cenho.

- Imagina se você acaba pedindo uma roupa de vadia invés de roupa de praia - comecei a rir novamente.

- Aish... - ele murmurou me dando um tapa 


"Espero que aproveitem o desfile."- E assim ela saiu, dando um sorriso simpático  e indo para de tras do palco. 


***

- Jungkook, veio de moto né? - Yoongi perguntou e eu assenti colocando a câmera dentro da minha bolsa - Ótimo, não vou voltar pra revista. Me da carona ate a casa da Hyuna? 

- Beleza. A gente só vai ter que ir por dentro, porque eu não trouxe outro capacete - expliquei colocando a bolsa no meu ombro e começando a andar com Yoongi. 

- De boa. 

Fomos andando para fora do estabelecimento, rumando o estacionamento, conversado assuntos aleatórios e bestas como sempre fazíamos. Nos aproximamos da moto e então escutei vozes, me virando para ver de onde vinha.

Puxei Yoongi para trás do carro ao lado e observei as três figuras no carro a frente.

- Tá' doido? - Yoongi falou e eu tapei a sua boca pedindo ssilêncio. O azulado me olhou confuso e então fiz sinal com a cabeça pra que olhasse - Oh, esse não é o Park? - sussurrou e eu assenti-  Ele foi a tal surpresa que James disse que teria no desfile.

- Sim - falei vagamente tentando reconhecer os outros dois com quem ele conversava. - Yoongi, tá reconhecendo algum dos dois que estão com ele? 

- Espera ... - ele disse, se agachando ao meu lado - o loiro da direita é o Jackson Wang, ele desfilou também e esta em terceiro em lista dos melhores modelos internacionais.- comprimi os olhos e observei melhor os três, Jimin conversava animado com os dois, pareciam esperar alguém - E o da esquerda ...

- ... Byun Baekhyun!


---


- Por que esta aqui? Como foi que me achou? - questionei entre dentes. 

- Você sabe o porque, e eu tenho meus contactos, você não se esconderia por muito tempo. - falou calmo.

- Já sabe minha resposta. 

- Por que continua a teimar com esse assunto, jovem Kim? Por que simplesmente não aceita a proposta de seu pai?

- Não aceito nada que venha dele. - respondi ríspido, ameaçando fechar a porta.

- Essa casa é dele, você esta a morar nela - ele pôs a mão na porta.

- Essa casa é do meu avô, Lee. Não há nada aqui pertencente a ele.

- Taehyung, por favor ... Compreendas os motivos de seu pai. 

- Não há nada a ser compreendido. Vá embora.

- Pense no seu irmão- falou me encarando - Pense em como é que ele deve estar se sentindo. Jovem Kim, já fazem dois anos que não vai vê- ló. Dois anos. 

-Não vou cair na sua chantagem emocional novamente, Lee. Não vou. - fechei a porta e segurei o choro que se instalava na minha garganta, encostando minha testa na porta gélida, apertando a maçaneta metálica. 

Ouvi mais um bater na porta e senti minha cabeça apertar - Vai embora! - gritei com raiva. 

- Pense, jovem Kim. - ele disse - Sabe que não tem muito tempo. 

 

Escutei os passos de Lee descer as escadas da minha casa e logo  o carro dar a partida. Gritei com raiva e acabei por jogar meu abajur contra a parede, me abaixei segurando minha cabeça sentindo as lágrimas molharem meu rosto. 

Eu sentia raiva, sentia tristeza, decepção, nojo, remorso, me sentia fraco, incapaz e tudo mais que podia acompanhar isso. Eu queria correr, mas minhas pernas não respondiam aos meus comandos. Queria gritar mais, mas nada saia, eu não conseguia. O único barulho que se ouvia era meus soluços. 

Odiava esse sentimento. Odiava o que estava acontecendo, odiava não saber como tudo tinha chegado a esse ponto, ou melhor, odiava saber que o motivo de tudo chegar a esse ponto foi eu.

Odiava simplesmente ser eu.


---


Baekhyun, Byun Baekhyun. Aquele que eu tinha visto com Taehyung outro dia, sobrinho de Choyn. 

Me levantei ouvindo Yoongi me chamar em sussurros, andei em direção aos três ali. Eu não sabia o que eu faria e nem sabia de onde eu tinha tirado a ideia de ir ate eles, quando percebi já estava parado na frente dos três modelos que me encaravam curiosos.

- Baekhyun- falei 

- Oh, Jungkook-  disse sorridente me abraçando. De início me assustei, mas descobri que na França eles tem essa mania de muito contato físico, dei apenas dois tapinhas em suas costas e sorri para o acobreado.

- Você veio ver o desfile também? - perguntei.

- Na verdade não deu tempo, acabei de chegar. Oh, como vai meu dongsaeng? Ultimamente tenho falado come ele mais por mensagem e não sei se ele esta mentido ou não.

- Que dongsaeng você esta falando, Hyung? - Jimin perguntou. 

- Ah... - o Byun me olhou afobado - que dongsaeng? - riu nervoso.

- Yoongi-sii ? -  disse rápido - Pra falar a verdade quase não tenho o visto também, mas as poucas vezes que fui em sua casa ele parecia bem. 

- Que bom. - ele sorriu pra mim. - Ah, esse é Jimin e Jack. Meus amigos de Paris.

- Prazer em conhecer você, Jungkook - Jimin disse.

- Muito prazer -Jackson me abraçou de lado e baguçou o topo da minha cabeça. 

- Bem, - disse assim que Jackson se afastou - Vou indo. Prazer em conhecer vocês, bom rever você Byun. 

- Ah, Jungkook-  me chamou antes de eu sair- Você vai com Yoongi para o aniversário da Choyn, né? -Franzi o cenho, fingindo que não sabia do que ele estava falando. - Ele não te falou? Por que ele sempre esquece das coisas? Enfim, esse final de semana na casa do lago da minha tia, arrume uma mala para passar duas noites e vá com Yoongi até a o centro, encontraremos vocês lá.

- Ok, ate sábado então- acenei e me afastei dos três indo ate a moto novamente. 

Yoongi me olhava incrédulo escorado na parede de braços cruzados. 

- Inacreditável - ele disse balançando a cabeça negativamente enquanto sorria irónico. 

- Vamos logo.


***


Estacionei a moto na minha garagem e peguei a porta da mesma para dentro de casa. Deixei as chaves encima da mesa e corri para o andar de cima assobiando uma melodia que nem mesmo eu lembrava de onde era.

Estava realmente surpreso, não esperava acabar me encontrando com Baekhyun, muito menos ser convidado por ele para ir ao aniversário de sua tia com tanta facilidade. Pra falar a verdade eu nem esperava que o Byun fosse me tratar tão naturalmente assim, considerando que da primeira vez  que nos encontrámos não foi muito ... Agradável. 

Estava a pensar em que tipo de relação que Park Jimin, Byun Baekhyun e Kim Taehyung tinham e o que tinha acontecido para que o Byun tivesse que suplicar por ajuda mudamente. Por que ele não disse que era Taehyung o dongsaeng de quem estava falando? Estaria ligado com o fato de Taehyung ter vindo para cá praticamente fugido?

Pensava também se James tinha entregue o bilhete a Jimin.

Queria ver a reação do Kim quando se encontrasse com o loiro e enfim saber o porque de se manter escondido.

Me joguei na cama e suspirei longamente, que dia.




Notas Finais


Eu queria dizer que eu tenho toda a fanfic feita na minha cabeça e confesso que estou com medo da reação de vocês quando descobrirem o real motivo pelo qual Taehyung ter ido embora de Paris e ter se afastado de todos. Não vou mentir pra vocês, minha intenção com essa fanfic não é ter um final "feliz" de conto de fadas e por isso ela vai ter partes bem fortes. Vocês sabem que eu quero retratar a realidade aqui, e a realidade infelizmete, é nua e crua.

Afinal, o que seria uma fanfic minha sem drama?

Mas não se preocupem, a fanfic terá seu lado fofo e romântico. Por isso eu estava pensando em colocar mais um casal na fanfic. Como eu tinha falado antes, eu tinha em mente colocar apenas taekook como casal gay, mas abri uma possibilidade para dois shippes.

Chanbaek - OTP desse

MinJoon - Shippe maravilha

Obrigada por lerem, espero que sejam pacientes e quando der eu irei responder os comentários.

Comentem o que acharam do capítulo e da nova capa, não esquecendo de escolher qual dos dois shippes escolher.

Obrigada e beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...