1. Spirit Fanfics >
  2. 10 coisas que eu odeio em você - Guiquel >
  3. Capítulo 8

História 10 coisas que eu odeio em você - Guiquel - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Capítulo 8


No apartamento de Roger

Guilherme chega em casa um tanto frustrado. Se senta na poltrona e massageia as têmporas, pensando seriamente no que aconteceu naquela tarde. Ele até se alegra com o fato de ter conseguido ao menos um encontro com Raquel, mas se sente mal pelo jeito que a garota ficou no final. O que menos ele quer é fazer ela sofrer e teme que qualquer coisa nesse plano possa acarretar nisso. Essa história faz com que ele sinta remorso.

"Não entendo o porquê dela agir assim. Caramba, a Raquel é uma garota bonita, com certeza já namorou várias vezes. Mas, existe uma tristeza nela, um bloqueio que não deixa eu nem um garoto se aproximar. Eu não posso deixar que ela sofra mais do já supostamente sofreu, mesmo que eu tenha que perder aquela grana toda. O mais ético seria eu cair fora desse plano antes que a Raquel se machuque."

-Finalmente você chegou, seu imprestável. - Roger entra na sala com o mau-humor de sempre.

-Oi pra você também, pai. -Guilherme revira os olhos.

-Onde é que você estava até uma hora dessas?

-Eu tava num rolê com uns amigos aí, só isso.

-Claro, que engraçadinho. Uma dívida enorme pra pagar e fica fazendo corpo mole e se divertindo por aí.

-Não se preocupe, pai, eu vou pagar cada centavo da dívida.

-Ah é? Tá confiante, hein? Já arrumou emprego?

-Não, eu não tenho experiência e ninguém faz um adiantamento tão alto.

-Hahahaha, que piada! Ah, mas é claro que ninguém iria contratar um zé ninguém que sempre teve tudo na mão. Acho que alguém vai ir pra Suiça. -Roger zomba e Guilherme fecha a cara.

-Pai, para! Eu não vou pra Suiça! Eu vou conseguir te pagar, você vai ver.

-Haha, pois eu duvido. E, sugiro que já vai logo fazendo suas malas.

Guilherme vai pro seu quarto, furioso. Ele bate a porta com força.

-Droga, meu pai me irrita! E, agora? Eu tô completamente sem saída. Não tem outro jeito de conseguir esse dinheiro. Só espero que isso não faça a Raquel sofrer. Bem, talvez é só não ser algo sério. Só uns encontrinhos, umas ficadas. Eu não me apego, ela não se apega, e eu fico com a grana. Só preciso de um jeito de fazer a Raquel confiar em mim. 

No dia seguinte - na escola

Mirela e Raquel chegam juntas.

-Miga, eu tô muito estressada por causa dessa festa. É muita coisa pra fazer. Sabe o que é MUITA coisa? Agora duplica, isso é só uma parte de todas as minhas tarefas.

-Menos, Mirela, era só cancelar a festa.

-Vira essa boca pra lá, Raquel. -Mirela percebe a amiga um pouco triste. -Quel, você ainda tá mal por causa do que rolou ontem?

-Tá tudo bem, miga, de verdade. Foi só uma tristeza rápida. É só eu manter a minha pose de durona que nenhum garoto vai chegar no meu coração.

-Ai, miga, só você mesmo. O Luca chegou. Vou lá falar com ele, já volto, Quel.

Mirela se afasta e Raquel fica olhando o movimento no pátio. Ela sabe que Guilherme deve chegar em breve e por isso vai logo evitar olhar e falar com ele. De repente, alguém vem em sua direção.

-Sua invejosa! -Carla a empurra.

-Ei, você ficou louca, garota? 

-Eu já sei qual é o seu joguinho, sua pilantra. Quer ficar com todos os garotos que eu já fiquei, né?

-O quê? Do que é que você está falando, sua maluca?

-E ainda se faz de sonsa, pois saiba que você nunca vai ficar com o Guilherme, tá me ouvindo?

-An? Com o Guilherme? Por que eu quereria ficar com ele?

-Não vem com essa, eu vi vocês saindo juntos ontem. Qual é? Tá aproveitando que ele terminou comigo e quer dar em cima dele? Pois saiba que ele nunca vai te dar bola e é bom você sair de perto dele, senão...

-Senão o que? Você vai fazer o que comigo? -Raquel começa a jogar o joguinho de Carla. -Que eu saiba você não tem mais nada a ver com ele, ou devo me lembrar de quem traiu quem aqui?

-Não vem com esse papinho não. Você não sabe como as coisas realmente aconteceram.

-Vindo de uma cobra como você não me surpreenderia se fosse verdade.

-Haha, claro. É óbvio que você acreditaria em qualquer coisa sobre mim. Afinal de contas, você nunca superou o fato do Jerry ter te botado chifres comigo, não é?

-Agora você foi longe demais, garota.

Raquel parte pra cima de Carla, e ela começam a brigar com tapas e puxões de cabelo. De repente, aparecem Guilherme e Jerry para separar a briga.

-Meninas parem com isso! -Jerry segura Carla.

-Não se mete seu idiota. -Raquel tenta se soltar de Guilherme, mas sem sucesso.

-Calma, Raquel, não faça isso. -Guilherme a segura com mais força.

-Own, que fofo, já tá até tentando acalmar ela. Nossa, Guilherme, como você é cara de pau!

-Do que é que você está falando, Carla?

-Nem vem com essa não, Guilherme. Então, você me esqueceu muito rápido e já com rolinho com essa daí.

-Olha Carla, mesmo que eu tivesse um rolinho com ela, você perdeu qualquer direito de palpitar sobre a minha vida desde que começou a me botar chifre.

-Ei, mas o que é que está acontecendo aqui? -Helô chega furiosa. -Raquel, Carla, me falaram que estavam brigando aqui. As duas pra minha sala, já!

Carla e Raquel se soltam dos garotos e acompanham Helô. 

-Aí, é verdade que você tá tendo um lance com a Raquel?

-E isso é da sua conta?

-Já vou logo avisando que ela não é flor que se cheire, então cai fora logo.

-Claro, pra ficar o caminho livre pra você, não é? Ou pensa que eu não sei que você também quer conquistar ela?

-Já tá avisado. -Jerry se afasta e Guilherme revira os olhos.

Logo, o sinal toca e as aulas começam. 

Na hora do recreio

Os gêmeos e Mário conversam no pátio.

-Aí, cara, acho que eu vou chamar a Kate pra ir comigo na festa. -Benício diz, convicto.

-Haha, conta outra. Só de chegar perto dela você já se borra todo. -Gael zomba do gêmeo.

-Pois agora eu vou tomar coragem. Se eu ficar aqui parado é que eu nunca vou conquistá-la.

-Pois eu aposto que você não vai conseguir nem chegar perto dela.

Os gêmeos percebem Mário um pouco abatido.

-Tá tudo bem, Mário?

-Tá sim, Benício. Só estava pensando numa coisa que meu irmão me disse, mas esquece é bobagem.

-O que o Luigi falou? Porque pra ele ter coragem de namorar a chata da Yasmin ele deve ter minhocas na cabeça. -zomba Gael.

-Não, nada. Mas, posso fazer uma pergunta pra vocês. -Os gêmeos assentem. -Vocês acham que o Pedro tem chances de ficar com a Lorena?

-Olha, Mário, eu vou ser sincero com você, ele tá há séculos tentando ficar com ela, e considerando que ele é o mais popular da nossa turma e o sonho das garotas... -Benício explica.

-Tá, mas, será que ela toparia? Porque não me pareceu ser do estilo dela ficar com garotos do tipo dele.

-Aí, eu já não sei. O que importa agora é que, com a Lorena disponível, qualquer garoto vai querer dar em cima dela, não só o Pedro.

-Então, eu preciso ficar mais esperto. Se eu quero ficar com a Lorena, eu preciso superar todos os meus concorrentes e eu vou conseguir.

-Só precisa se lembrar que o Pedro não pode ficar totalmente fora do jogo, pois ele quem tá pagando não é mesmo? -lembra Benício.

-Eu sei, mas depois eu penso nisso. O que importa agora é eu conquistar a Lorena.

Em outro lado do pátio

-A Raquel, Gui? Tipo assim, a patroinha?

-Exatamente, Jeff.

-Caraca, nunca pensei nisso. E quando você descobriu que gostava dela? -pergunta Vini

-Não sei exatamente, mas sei lá, eu fui atraído por ela desde quando pisei aqui. -Guilherme omite a parte do dinheiro para os amigos não pensarem mal dele. -Mas, eu vou precisar da ajuda de vocês pra conseguir chegar nela. E aí, vocês topam?

Vini e Jeff se entreolham, nervosos e Guilherme estranha.

-O que foi, gente?

-Então, Gui, eu sei que você é um cara bacana e a gente adoraria te ajudar nessa. O problema é que a gente não quer encrenca com a patroinha.

-Como assim, Jeff?

-É que assim, Gui, a Raquel passou por muitos problemas no passado com namorados e se ela souber que a gente quer arrumar alguém pra ela não vai cair bem pra gente, entende? -Vini explica.

-Olha gente, eu sei que vocês não querem se meter em confusão, mas por favor me ajudem nessa. Eu prometo que ela nem vai ficar sabendo de nada.

-Tá, mas eu não entendi o porquê desse interesse todo nela do nada. -Jeff pergunta desconfiado e Guilherme fica nervoso.

-Porque eu acho que eu tô começando a me apaixonar de novo, e eu não quero perder essa chance, entendem?

-Aí, sim, agora eu botei fé. Vou ajudar você, Gui. E você, Jeff?

-Bom, acho que sim. E o Gui é de confiança, não vai partir o coração da patroinha.

-É, pois é. -Guilherme sorri amarelo.

-Mas, me conta, Gui. Já arrumou emprego? Por que ainda tem aquela história toda do seu pai, né? -Vini pergunta e Guilherme arregala os olhos.

-Guilherme, posso falar com você? -Pedro chega por trás e Guilherme suspira aliviado.

-Pode, claro. Eu já volto, meninos.

Guilherme acompanha Pedro até a sala de teatro. Gabriela vê os dois juntos e estranha.

-Muito bem, Guilherme. Conseguiu um encontro com a Raquel. Vai conseguir uma parte do dinheiro.

-Sério mesmo?

-Sim, aqui está. -Pedro entrega uma quantia para Guilherme

-Mas isso aqui não chega nem perto de um décimo da grana que eu devo.

-Eu sei que não, mas esperava o que de um primeiro encontro? Você tem que me provar que o plano tá fluindo pra eu poder te pagar mais. À medida que você vai conquistando a Raquel, eu aumento seu salário, entendeu?

-Entendi.

-Ótimo. Então, vai cumprindo seu papel que eu continuo pagando. E nem ouse tentar me tapear, porque eu tô de olho em tudo.

Guilherme e Pedro saem da sala e cada um vai em sua direção. Guilherme acaba trombando com Raquel, que acaba de sair da sala de Helô.

-Oi, Raquel. O que houve? Você se encrencou muito?

-Vê se me deixa em paz! -Raquel sai correndo chorando e ele fica sem entender nada.

Na sala de Lorena

-OMG! Lorena, o Mário, sério?

-É, Kate. Ele foi super legal comigo me dando aula. E até que eu fiquei balançada por ele.

-Jura? E o Pedro? Você vai dar um pé na bunda dele? 

-Claro que não, né, Kate. Eu e o Pedro temos um lance tão legal, eu não quero estragar tudo. Mas, sei lá, eu sinto que o Mário gosta de mim e eu não quero magoá-lo.

-I don't not, but eu acho que você tá confusa entre os dois boys. Sei lá, mas eu não confio muito no Pedro ele tem uma cara de que apronta, não sei.

-Ai, Kate, para de dizer isso. Eu gosto do Pedro, tá? Não fala assim, parece que tá jogando praga.

-Só quero te alertar, amiga, mas que ele não me desce isso é fato.

-Kate! -Benício a chama por trás.

-Oi, Benício. How are you?

-I'm very good. Você vai na festa de sábado?

-Acho que não, tenho mais o que fazer.

-Não gostaria de me acompanhar?

-An, tá tá bom, eu te acompanho. -ela diz sem graça.

-Obrigado, princesa. -ele beija a mão dela e sai correndo todo feliz.

-Olha só, parece que alguém vai desencalhar.

-Eu não acredito! Isso aconteceu mesmo? -Kate pergunta, vermelha, enquanto Lorena continua zombando da amiga.

-E aí, garotas. Atrapalho? -Pedro entra na sala e entrelaça seu braço no pescoço de Lorena.

-Não. Eu acho melhor eu deixar os pombinhos sozinhos. -Kate dá um sorrisi falso e sai.

-E então, gata, tudo certo para irmos pra festa?

-Acho que meu pai não vai deixar eu ir, Pedro.

-Nem se sua irmã for?

-É aqui que tá, ela não vai pra uma festa nem arrastada.

-Entendo, mas quem sabe ela não mude de ideia, ou tenha acompanhante para ir.

"O Guilherme vai ter que conseguir levar a Raquel de qualquer jeito. A festa é a melhor chance que eu tenho com a Lorena."

Na sala do terceiro, Carla está emburrada depois da advertência que levou. Gabi vem em sua direção.

-O que houve, miga? Por que brigou com aquela sem noção?

-Porque ela tá dando em cima do Gui, e eu não posso deixar ela ficar com ele. Ela vai ficar se achando depois.

-Tá, mas não é o Guilherme que tá dando em cima dela? Porque que eu saiba a Raquel não dá em cima de ninguém.

-Gabriela, não viaja. Eu conheço o Gui, ele jamais se interessaria por garotas como ela. Tenho certeza que ela que tá se oferecendo pra ele por ele ser meu ex.

-Tá, mas o Guilherme é bem estranho às vezes né. Hoje mesmo eu vi ele conversando com o Pedro do primeiro. Tipo assim, do nada.

-Pera como é que é? O Guilherme nunca foi de fazer amizades com gente mais popular. -Carla estranha.

-Pois é, também estranhei. Então não é surpresa que supostamente ele esteja dando em cima da Raquel.

-Não, Gabi. O Gui não seria amigo de gente como o Pedro de jeito nenhum. Ele talvez estivesse conversando com ele sobre outro motivo.

-Pode ser algo proibido, Carla. Eles foram direto pra sala de teatro pra não serem ouvidos.

-Então, o Guilherme deve estar fazendo algum tipo de coisa errada com o Pedro. E se a Raquel souber que ele faz esse tipo de coisa não vai mais querer saber dele. Isso é demais, Gabi. Só precisamos descobrir esse ou outro podre do Guilherme pra Raquel ver que ele não presta. Daí, eu vou ser a única que dou valor a ele e ele vai voltar pra mim.

-E como você pretende fazer isso?

-Você vai me ajudar, Gabi. -Carla sorri maliciosa.

Na hora da saída

Raquel vai embora sozinha e muito chorosa. Ela caminha pelas ruas enquanto as lágrimas escorrem pelo seu rosto.

"Por que, meu Deus? Por que isso tinha que voltar? Eu já tinha superado que meu coração foi partido e agora isso volta a me atingir? Tudo culpa daquela desgraçada da Carla e daquele Guilherme que inventou em se aproximar de mim. Como eu queria sumir dessa escola!"

De repente, Raquel é prensada contra a parede.

-Até que enfim nos reencontramos, Raquelzinha.

-Rodrigo? 

 


Notas Finais


Vish, quem será esse Rodrigo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...