História 10 Passos para não encontrar o amor - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Ação, Drama, Romance, Todos Os Membros Do Bts
Visualizações 33
Palavras 2.235
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Estou de volta! O cap está recheado de comédia e romance. E para melhorar seu dia, o Taehyung vai começar a aparecer.

Capítulo 2 - Capítulo dois. - coincidência?


Fanfic / Fanfiction 10 Passos para não encontrar o amor - Capítulo 2 - Capítulo dois. - coincidência?

Capítulo dois. – Coincidência? 

 

 

   Ás seis e meia da manhã o meu celular me acordou e logo em seguida Kaneki. Eu e ele saímos da cama e nos alongamos, após isso eu tomei um banho e  fui abrir as janelas do meu quarto, desde ontem elas permaneciam fechadas. Quando eu as abri eu fui logo querendo observar a paisagem que eu iria ver todos os dias, contudo... A bela imagem que eu veria todos os dias era de um vizinho arrogante e cretino! Sim, As minhas janelas davam acesso à janela do Jimin que no caso estavam abertas e para incrementar mais eu percebi que era o quarto dele, como eu soube? Pergunta para a cama dele. O garoto estava dormindo profundamente... E sem camisa.  MUNDO! EU TE FIZ ALGUM MAL PARA EU TER ESSA PRAGA GRUDADA A MIM?

   Balançando a cabeça eu fechei as janelas e coloquei uma calça jeans com uma blusa de frio preta e antes de colocar uma maquiagem eu fui fazer  o meu café da manhã. Peguei um cereal e fiquei comendo, mas fui interrompida pelo soar da campainha, perguntei quem era e ao ouvi a resposta eu quase pulei de felicidade! Sai correndo até a porta e após abri-la eu pulei nos braços do menino mais incrível desse mundo.

- Bom dia V.

- Bom dia ruivinha.- Respondeu com um sorriso.

   Eu o soltei e puxei para dentro da minha casa, o garoto estava com um casaco de capuz e uma calça jeans meio rasgada e é claro seu sorriso inconfundível estava irradiando meu dia.

- Vim comer aqui. - Indagou pulando como uma criança.

- Folgado! - Falei rindo dele.

   Ele me seguiu até a cozinha e se sentou em uma das cadeiras e logo depois eu peguei um prato e coloquei um cereal para a criança que tinha olhos ansiosos. Enquanto comíamos o clima de risadas não se cessava, era incrível saber que só de vê o meu melhor amigo eu conseguia me esquecer de tudo que havia me causado de problemas! Após a merenda eu subi para o meu quarto e fui terminar de mim ajeitar e ao término de tudo eu desci as escadas e encontrei Taehyung na sala observando os porta-retratos e entre todos eles, seus olhos pairavam um em especial,  era a foto de nós dois sorrindo como dois bobos no parque de diversões, acredito que tínhamos dezesseis anos de idade naquele tempo.

   Eu não queria interrompe-lo, mas precisávamos nos apressar, por isso eu tentei não hesitar e lhe chamei para nos irmos que ao ouvir ele se virou e assentiu com a cabeça, então saímos da minha casa e pegamos um táxi para a faculdade de medicina veterinária. Eu deixei para comprar um carro aqui e provavelmente eu devo comprar depois das aulas de hoje.

   O roncar do motor do carro parou avisando que havíamos chegado. Saímos e admiramos a bela arquitetura do local, com grandes prédios altos e espaçosos, eles eram de tirar o fôlego. Nos dois ficamos perambulando pelas redondezas até achamos nossa sala. Meus pés estavam doendo, mesmo de tênis a gente ficou andando de mais! Em fim, entramos na classe e escolhemos um assento perto da janela no fundão.

--------

   As primeiras aulas foram ótimas, aprendi muitas coisas além de ter um professor super gato, que não mede a forma de seduzir com os olhos e com a blusa apertada que dava ênfase nos seus músculos definidos! Eu babei muito e quem ficou tentando distrair o meu olhar foi o V, o menino fez de tudo, até gritar no meu ouvido! Hum... Ciúmes.

   Estávamos na hora do intervalo e para o meu infortúnio eu acabei me perdendo do Taehyung, fomos arrastados pela multidão e meio que deu nisso! Eu estava em um lugar como se fosse um jardim, então sem saber para onde ir eu acabei me sentando em um banco e comecei a comer meu sanduíche natural que eu havia feito.

- Stalker.

   Alguém havia falando por trás de mim, na hora eu fiquei me perguntando se era aquela voz mesmo, se não era algum engano meu, até eu olhar para trás e ver o rosto do cara mais arrogante que eu já conheci.

- Não seria você o perseguidor? – Perguntei arqueando uma sobrancelha

   O garoto deixou uma gargalhada de sarcasmo escapulir de sua boca e logo em seguida perguntou-me se eu não estava me sentindo sozinha por não ter ninguém para mim acompanhar durante o meu lanche. Engano dele, eu só me perdi do Taehyung! Estou parecendo uma criança que acabou de se perder da mãe, no meu caso, do pai.

- Meu amigo foi comprar o lanche dele.

   Ele andou até ficar na minha frente e depois fixou seu olhar em mim. Por acaso eu tenho cara de ser mentirosa? Ou tem um inseto no meu rosto? Ou os dois?

- Jimin! Vamos logo. – Chamou um menino de cabelos escuros.

- Estou indo J- Hope. – Respondeu Jimin.

   Amém! Vou ter paz novamente. O menino foi embora e eu fiquei sozinha no meu canto, comendo o meu sanduiche. E para ser mais exata, apenas quando o sinal tocou e eu voltei para a sala foi que eu encontrei o Taehyung. Só de carência e raiva, eu me sentei ao seu lado e fiquei o encarando com o rosto sério, desejando do fundo do meu coração que eu conseguisse fazer telepatia, assim ele poderia ler minhas pequenas perguntas: “Onde você estava?” “Não acredito que passei o intervalo todo sozinha”. Não é que eu me sinta mal por ficar sozinha em um lugar, mas se ele estivesse comigo, talvez aquele idiota não aparecesse para encher o meu saco. De alguma forma a leitura de pensamentos foi realizada e o V se desculpou e me abraçou. Ahh como é bom ter ele como amigo! Tirando a parte onde ele começou a cantar músicas infantis como a dona aranha com voz de bebê. Ok, eu não atraio pessoas normais para perto de mim.

 

-----

   Ao concluir as aulas do dia, eu e o alien fomos a uma loja de carros, afinal eu ansiava por um carro novinho e de cor preta ou cinza. Taehyung apontou para um Corola vermelho, ele era bonito, contudo meus olhos foram atraídos por uma Hilux cinza! Caminhei até o automóvel e fiquei o vislumbrando por um tempinho, só babando por ele. V ficou impaciente e me chamou para compramos o carro antes que eu baba-se ele todo, então sem mais delongas eu comprei aquele carro charmoso e fiquei me perguntando qual nome dar a ele.

   Taehyung ficou animado e passou a repetir inúmeras vezes “Você vai me dar carona todos os dias”, que o santo Deus me dê paciência para aguentar as birras dessa criança, então respirando fundo eu confirmei que o levaria. “Esse meu filho é capaz de trocar de ônibus quando for para a faculdade” foi o que eu pensei, e digo filho mesmo, porque ele parece uma criança de cinco anos de idade! Um rapaz lindo e perfeito com a personalidade de um garotinho! Até hoje eu cuido desse filhinho que está grudado no meu colo desde o ensino médio. Ah Taehyung... Ele tinha um físico muito atraente, um sorriso tão bonito que podia se comparar ao sol, seu corte de cabelo lhe dava um aspecto de uma pessoa jovem que juntamente ao seu rosto que lhe ajudava a baixar sua idade.

   Eu não estava querendo perder mais tempo, por isso eu fui logo pegando as chaves e fui me dirigindo para o carro, queria poder estreitar logo o meu novo veiculo. Eu só dou graças aos meus pais que mim ensinaram a poupar dinheiro, se não eu nunca teria conseguido vim para a Coreia do Sul, nem comprar minha casa e nem essa Hilux, PAI, MÃE... EU AMO VOCÊS.

   Sai da concessionaria e fui para casa, o V como já era de se esperar, ficou na minha residência para jantar, uma coisa que as futuras namoradas do meu amigo devem saber é... Taehyung não sabe cozinhar! Ok não vou exagerar, ele sabe fritar um ovo pelo mesmo, mas da última vez ele quase colocou fogo na minha antiga casa fazendo uma carne ao óleo! Eu queria saber como é possível queimar um apartamento cozinhando aquele prato. Mas voltando... De vez enquanto eu o chamo para me ajudar em alguns pratos, assim ele pode aprender aos poucos, é claro que eu deixo o menino longe do meu fogão! Eu ainda sou muito nova para morrer.

   O jantar foi feito e cada um durante a janta ficou falando sobre o que achou de interessante sobre o nosso primeiro dia na faculdade, para mim... Tudo foi ótimo e tranquilo, cheio de surpresas e... Não pode haver mais elogios porque uma certa pessoa acabou com meu recreio, mas tirando isso, os elogios podem voltar a ser contados. Por um momento eu hesitei, mas como o V era meu melhor amigo (filho, irmão) eu acabei chegando á conclusão que deveria abrir o jogo e conta-lo sobre meu vizinho idiota, arrogante, estupido e metido. Devo dizer que o garoto prestou em cada detalhe que eu dizia, desde o primeiro momento que eu havia conhecido o Jimin até a hora do recreio e ainda enfatizar que era por causa dele que eu estava com raiva depois do intervalo. Parecendo um filho que após ouvir o desabafo de sua mãe, o menino mostrou os músculos do braço e falou que iria me proteger de tudo e especialmente do meu vizinho rabugento, ele parecia meu filhinho mesmo, meu filhinho de cinco aninhos que diz que sua mãe é a melhor de todas e que sempre vai ser seu herói para protegê-la. Ok, eu não aguentei ver aquela fofura toda e acabei me levantando da cadeira e fui até ele o abraçando com o maior sorriso de todos, ahh eu acho já disse isso, mas vou dizer novamente... EU AMO ESSE GAROTO. Depois daquele momento carinhoso eu o chamei para lavar a louça, mas ao ouvir pelo meu pedido de ajuda ele acabou saindo correndo da cozinha e saiu da minha casa.

   Bonito, muito bonito! Fugindo das obrigações em!

   Bufando eu fui lavar a louça e depois disso fui direto para um banho relaxante, bem quentinho que ficava com vapor por todo lado. Vejo que ser brasileira na Coreia do Sul não é fácil, como a questão do fuso horário que mim faz ficar cansada rapidamente, contudo aos poucos eu irie me acostumar e também irei me habituar com os costumes daqui. Por um instante eu parei de pensar no presente e levei meus pensamentos para o meu passado... Antigamente meu coração sabia amar, e ele tinha um dono que se chamava Min Yoongi, sim um coreano, ele havia se mudado para o Brasil para morar por um tempo e neste intervalo de vida ele e eu acabamos nos apaixonando, Eu o chamava de Suga e para mim ele era umas das pessoas com quem eu confiaria minha vida, ele me ensinou a falar coreano e instruiu, a saber, como era amar alguém. Que idiotice, amor eterno? Isso não se passa mais do que uma historia de conto de fadas, a pessoa que eu mais amava no mundo, acabou me traindo. Ele espatifou e pisou no meu coração como não valesse nada e para piorar, naquela mesma semana meus pais se divorciaram, antes eu lutava e fazia de tudo para ambos regressassem naquela ideia de se separarem, até o Suga estava me ajudando, (antes de me trair), mas nada do que uma esperança foi jogada fora. Meu coração se trancou e parei de acreditar no amor, por exceção de amizades, pois há muito tempo estou com o Taehyung e ele só me faz bem.

   Balancei a minha cabeça tentando esquecer tudo e sai do meu banho, fui até o meu guarda-roupa e tirei de lá uma camisola de branca com desenhos de rosquinhas estampadas nela, então após me vestir eu olhei para a janela que se encontrava aberta (O V deve ter aberto elas enquanto eu estava na cozinha) e fiquei por um minuto parada olhando para ela até concluir que iria fecha-la para não ter a oportunidade de ver o senhor arrogante, estupido e imbecil aparecer no seu quarto.

   Caminhei até elas e comecei a fecha-las, mas eu travei até ouvir uma voz familiar passar pelos meus ouvidos.

- Bela camisola pirralha. – Elogiou Jimin com um sorriso sacana no rosto.

   O encarei com ódio, quem ligava se ele estivesse apenas de bermuda e regata onde demonstrava seus músculos? Eu não estava ligando para o seu corpo em se, mas para seu sorrisinho que estava me tirando do sério, além de ter aquele novo apelido nem um pouco confortável para a minha pessoa. Ah me esqueci, e dai se estou usando uma camisola de rosquinhas?

- Primeiro: Obrigada e segundo: Eu não sou a única baixinha aqui. – Articulei minhas palavras com um pequeno sorriso também nos meus lábios.

   O garoto abriu a boca provavelmente para rebater sobre minha última fala, mas eu fechei a janela por completo e deixei-o falando sozinho. Perfeito Kim, você é de mais. Pulando de alegria eu fui para a sala e comecei a assistir filmes até dez horas da noite, neste horário eu já estava cambaleando como uma bêbada então eu fui para cama e dormi, mas não antes de conferir se Kaneki tinha comido sua comida.

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Gostaram? Altas patadas da nossa personagem, se liguem ai, uma bela trama está por vim no decorrer dos episódios


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...