1. Spirit Fanfics >
  2. 10 Things I Hate About You >
  3. Acabamos Michele

História 10 Things I Hate About You - Capítulo 31


Escrita por: e JonFanfics


Notas do Autor


CHEGUEI MEUS AMOREEEEES! Tudo bem com vocês? espero que sim

Gente, tem novidades importantissimas nas notas finais, por favor leiam.

Desculpem o capítulo curtinho, mas eu não quis enrolar muito nele, todavia eu senti a emoção brotar em cada palavra que escrevi aqui

Sabe, eu to amando a construção da relação do Justin e da Beth, para mim esta sendo tão natural que os dois nem ao menos estão percebendo.

Boa leitura meus amores!

Capítulo 31 - Acabamos Michele


Fanfic / Fanfiction 10 Things I Hate About You - Capítulo 31 - Acabamos Michele

"Não importa o quanto você é forte, o mundo vai te derrubar. Você vai colher o que você plantar e ninguém vai te machucar mais do que a vida."

Orange Is The New Black

Flórida, EUA

07:28 A.M.

P.O.V. Justin Bieber

Segunda-Feira.

Assim que parei o carro na minha vaga de sempre no estacionamento da escola, suspirei pesado ainda com as mãos em cima do volante, apertei o mesmo fazendo com que a ponta dos meu dedos ficasse vermelha.  

Passei a noite inteira acordado pensando no que aconteceu no dia de ontem, sim, eu estou falando sério, se dormi foi no máximo umas três horas. Depois que levei Elizabeth para a casa de meus avós, acabei adormecendo em cima dela por um bom tempo, a garota dormiu também, só acordamos ao anoitecer que foi quando a deixei em casa.  

O que mais me incomodava nisso tudo, era que ela estava deixando o maldito muro que a cerca cair enquanto eu, sendo o belo otário que sou, ainda estou dentro de uma aposta ridícula a cerca da virgindade da gótica. Mas isso acaba hoje. Ontem a noite mandei uma mensagem no grupo da galera, avisando que queria falar com eles antes da aula começar, pedi para virem mais cedo e me aguardarem no jardim, não achei que fosse ficar tão nervoso quanto me encontrava naquele momento.  

Sai do automóvel, o trancando com o comando automático da chave em seguida, após isso, em passos rápidos comecei a caminhar em direção a entrada da Nova Era, não, eu não estava gostando de Elizabeth ou algo do tipo, claro que foi uma surpresa para mim mesmo quando decidi leva-la na casa dos meus avós, afinal, toda vez que transo ou faço qualquer atividade sexual com uma garota geralmente não consigo olhar para a cara dela depois, mas isso não ocorreu com Foster. Eu queria arrumar algum jeito para que ela entendesse que eu não sou apenas um idiota que corre atrás de uma bola no gramado, que não sou apenas um cachorro que só vive atrás de bucetas para comer o dia inteiro, que sou alguém que também carrega marcas e dores que a vida trouxe. Quero sair da aposta porque Foster esta se tornando progressivamente alguém que eu admiro, a forma como ela me surpreende a cada dia faz com que meu fascínio por ela só aumente, porra, Elizabeth se ajoelhou e me chupou no meio de um campeonato nerd, sem dar a mínima para a possibilidade de alguém aparecer, ela apenas fez o que eu queria que ela tivesse feito desde o dia que me interessei pela gótica, se entregou ao tesão. Ainda quero leva-la para a cama, ainda quero tê-la de quatro enquanto eu a arrombo de todas as formas possíveis, ainda quero ouvi-la gemer meu nome, mas sem aposta, sem um joguinho idiota que pode acabar machucando ela, quero fazer sem precisar de um premio para isso, pois o premio, já vai ser tê-la para mim.  

O fato de isso não ter acontecido com nenhuma outra mulher até agora me assusta, mas dou os créditos a característica eminente que Foster carrega consigo mesma, ela é única, e isso faz as coisas ficarem ainda mais exóticas para mim.  

Afinal, nunca vi alguém bater de frente comigo com tanta certeza do que esta fazendo.  

Assim que avistei a minha tropa próxima as escadas da escola, respirei fundo e me aproximei deles, quando enfim me notaram, pararam o que estavam fazendo para dar-me atenção, Michele selou nossos lábios e se colocou ao meu lado, Cait no colo do Ryan, sorriu para mim em sinal de bom dia, Chaz tirou os olhos do celular os focando em mim e por ultimo, Chris apenas me encarou emburrado, sabia o motivo do drama, afinal, ele odiava acordar cedo  

 — O que está pegando Justin? Por que essa reunião a essa hora da madrugada?  — Caitlin coçou os olhos dramática  

— E por que não dava para falar pelo Whats? - Chris completou a indignação da irmã 

— Estou fora da aposta —  Fui direto ao assunto, a reação deles foi exatamente o que eu esperava, surpresa misturada a um choque total. De modo geral, não costumo desistir de nada, mas não precisava dar explicações do porque estava fazendo aquilo, simplesmente não queria mais e ponto. Ryan foi o único que abriu um sorriso malicioso, como se entendesse o motivo da minha decisão  

Duvidei muito, já que nem eu mesmo sabia 

— Decidiu que não vai conseguir comer aquilo? — Chaz coçou a nuca, revirei os olhos, odiava o fato deles precisarem sempre deixar claro o quão achavam a aparência de Foster repugnante, porra, ela é linda caralho  

— Justin o que esta acontecendo? - Michele me questionou em um tom frio 

— Vou ressaltar que achei essa brincadeirinha uma merda desde o inicio – Caitlin pontuou com o feminismo gritante  

Sentei na escada colocando a mochila em cima do meu colo, abri a mesma e retirei de lá um cigarro, o acendi, dando a primeira tragada sem ligar para os olhares curiosos de meus amigos e a expressão furiosa de Smith  

Encostei as costas no concreto duro, começando a perceber em seguida que os alunos da Nova Era já começavam a chegar, odiava segunda-feira, sempre tinha o drama de toda uma semana pela frente, o cansaço do fim de semana geralmente mal aproveitado e a expectativa das horas passarem rápido para esse inferno acabar  

Para mim, a raça que precisa mais ser estudada na humanidade são os nerds. Como alguém, em sã consciência pode gostar de estudar? Isso era um porre. Tire da sua cabeça o estereótipo de atletas serem burros, afinal, minhas notas eram sempre na média sem que eu me esforçasse muito, a questão era que simplesmente odiava fazer essa merda. Sai dos meus devaneios com a voz de Michele voltando a ressoar no ambiente  

 — Será que podemos conversar em particular? — A encarei, estava prestes a negar quando vi que seus olhos exalavam urgência, pedi a paciência infinita aos céus e levantei, irritado pois havia literalmente acabado de sentar, coloquei a mochila nas costas e me afastei da galera com a loira do lado, quando enfim conseguimos uma certa distancia Smith se colocou na minha frente, ela cruzou os braços, fazendo com que seu buço ficasse avantajado com o ato 

— O que foi? — Perguntei tentando não parecer muito desinteressado, apesar de estar. Eu e Michele nunca fomos muito de conversar, nos dávamos bem na cama, mas fora dela, possuíamos uma relação vazia  

— Está acontecendo alguma coisa que você não quer me contar? — Disse entredentes 

— Michele é impressão minha ou você está querendo me cobrar alguma porra? — A garota puxou o canto dos lábios em um sorriso presunçoso  

Você não vai sair da aposta, Justin — A encarei confuso, ela não poderia estar realmente fazendo o que eu achava que estava né? Não podia em sã consciência pensar que mandaria em mim  

— Tá com problema no ouvido, minha filha? Já disse que to fora – Afirmei começando a perder a paciência  

— Tenho a conversa inteira do grupo no meu celular, o que será que a free willy acharia se eu lhe mostrasse isso? — Puta que pariu 

— Qual a sua fixação com a Elizabeth porra? Deixa ela em paz —Smith deu de ombros totalmente indiferente 

Me importo com você, não com ela.  

Que Michele era apaixonada por mim desde que tínhamos começado a ficar, não era novidade para ninguém, na cabeça perturbada dela, acabaríamos casando, tendo dois filhos e um cachorro. Todavia, já deixei claro inúmeras vezes que não namoro, que não pertenço a uma pessoa só, então, logicamente ela não estava sendo iludida  

— Vou perguntar apenas uma vez — Me aproximei da garota segurando firme em seu braço, curvei o rosto em sua direção deixando nossas bocas quase coladas uma na outra — Quem você pensa que é para me chantagear? — Eu sabia que Michele era baixa, tinha plena noção do que ela fazia com as pessoas, só nunca cheguei a cogitar que ela teria a sagacidade de armar para cima de mim  

— Você fica ou a bola vai saber o real motivo da sua aproximação repentina — Soltei a loira passando a mão por entre meus fios loiros, ela queria jogar? Pois bem, vamos jogar então  

— Acabamos Michele — Notei que o sorriso dela se desmanchou no momento que tais palavras saíram por entre minha boca, isso fez com que uma certa paz se apossasse de mim, eu sentiria falta das nossas transas, isso era obvio, mas metade dessa escola quer parar na minha cama, alguém para satisfazer os meus desejos não ia faltar. Não que eu estivesse interessado em alguma no momento  

— O-que? Justin, você não está pensando direito e... — A cortei ríspido  

— Quer que eu continue nessa merda infantil? Continuo. Mas você e eu acabamos garota, aceite as consequências das suas próprias ações. Sabe Michele, você fala tanto da aparência da Elizabeth como se isso fosse relevante, mas esquece de ressaltar que internamente, ela é muito mais mulher que você — Sai andando em direção a entrada da escola sem olhar para trás. 

Entrei na Nova Era passando direto pelos meus amigos sentados na escada, não estava com paciência para conversar com ninguém no momento. Odiava que me dissessem o que fazer, odiava pensar que não tinha o poder de decidir por mim mesmo qual seria o rumo das coisas, odiava ficar a mercê de outra pessoa. Ao chegar no meu armário, abri o cadeado e tirei de lá os livros para a primeira aula do dia que começaria em instantes, quando o fechei e voltei a atenção para o corredor, notei que Elizabeth caminhava por ele com o seu fiel amigo do lado. Foi como se todo o ódio em meu peito se esvaísse instantaneamente, no momento que nossos olhos se encontraram, achei que ela desviaria e fingiria não me ver ali, mas pelo contrario, ela sorriu, ela sorriu porra. Iria a retribuir mas fui impedido pois ela cortou o contato assim que uma tontura tomou conta de si, percebi isso mesmo estando longe pois a gótica se segurou no John com as duas mãos, fechou os olhos e tentou permanecer de pé. Apesar de não ter sido convidado, me aproximei dos dois em passos certeiros, minha chegada fez a garota abrir suas íris, por um momento, um mísero momento, me perdi na imensidão de seu olhar, como ele poderia ser tão preto? Segurei em sua cintura, ela moveu a atenção para minhas mãos em cima de si, mas não tirou-as dali, apenas se soltou do seu amigo 

— Você está bem? — Perguntei com o tom de voz rouco, ela demorou a reagir, e quando o fez, foi balançando a cabeça negativamente, suas mãos agora se seguraram em cima de meu ombro  

— Eu não sei, está tudo girando — Engoli em seco  

— Precisamos levar ela para a enfermaria — John pontuou desesperado, ele soava frio e se estivéssemos em outra situação eu com certeza riria da cara dele  

— Você comeu hoje? — Elizabeth me encarou como se tivesse sido pega no flagra, ela abriu e fechou a boca inúmeras vezes, sem conseguir se pronunciar, estranhei tal reação vinda da parte dela, já era a segunda vez que eu a encontrava passando mal, fraca daquela forma.  

— Já estou melhor — Ela tentou tirar as mãos de cima de mim mas seu corpo pendeu por lado e ela quase caiu  

— Por que ainda estamos aqui parados? Precisamos de ajuda — Willians estava quase em trabalho de parto  

— Dá pra você relaxar porra? Ela tem de ficar mais estabilizada para que consigamos move-la — O nerd começou a roer as unhas — Sorriu pra mim — Quis me dar um soco no momento que tais palavras saíram por minha boca, não estávamos sozinhos, e aquela não era melhor hora para eu dizer uma coisa dessas, mas foi a primeira vez que ela não reagiu de forma negativa assim que seus olhos pousaram em cima da minha pessoa - Você sorriu pra mim Elizabeth — Não dei a mínima para a presença de John nem pros olhos inquisitivos dele nos encarando como se fossemos um filme em estreia  

— Dá pra você parar de me lembrar disso? — Ela revirou os olhos  

— Estou começando a achar que você esta se apaixonando por mim — A gótica tombou a cabeça para trás e começou a gargalhar, foram ótimos minutos antes da sua voz começar a ficar mais fraca, achei que era porque ela estivesse parando de rir, mas não foi isso, um mal estar repugnante tomou conta dela e antes que perdesse todos os sentidos seu olhar se encontrou com o meu, pode parecer loucura mas no fundo deles, vi um claro pedido de socorro.  

Então, Elizabeth Foster desmaiou em meus braços.  


Notas Finais


ATENÇÃO ATENÇÃO! Comecei DUAS FANFICS NOVAS DO JUSTIN.

Price of fame: Estamos em 2014, a era mais rebelde do garotinho de baby, aonde quer que ele vá, a polêmica vai atrás. Sem ligar para as consequências o cantor faz sempre o que lhe dá na telha. Do outro lado, temos a queridinha da mídia, quem sempre cumpre as regras e nunca se envolve em algum tumulto. Um sonho sempre parece ser mágico, não é? Nós passamos anos almejando aquilo, fazendo o possível e o impossível para alcançar o que tanto desejamos. E quando nos demos conta, o sonho de torna um pesadelo. Ambos gerenciados pelo mesmo empresário, ambos dentro do mesmo mundo e ambos com o mesmo sentimento um pelo outro: o ódio. Vocês sabem o que dizem sobre a indústria da música, ela te consome por completo e por vezes faz você questionar sua própria sanidade. Mas esse? Esse é o preço da fama. >>> https://www.spiritfanfiction.com/historia/price-of-fame-20030266

Demonic Souls: “Tá legal, não sei como começar a contar isso, mas vamos lá, sou uma universitária, curso jornalismo e estou no ultimo ano da minha faculdade, prestes a começar a vida de verdade não achei que me depararia com mais surpresas até começar a fazer o meu TCC. Não era qualquer história, tinha de ser a melhor, algo que contivesse todos os sentimentos presos em apenas um enredo, algo que prendesse a atenção do leitor, algo que o fizesse questionar sua própria realidade, algo que carregasse uma certa paixão. Foi quando tive a ideia que mudaria todo o meu destino. A maioria das pessoas foge quando vê uma arma, a maioria das pessoas presa por seu bem estar, todavia, como minha vó costumava dizer, eu tinha uma certa inclinação por coisas perigosas. Decidida a relatar o Mundo do crime em um conto que garantiria o meu diploma, sabia que precisava chegar no centro dele para conseguir uma analise completa, sabia que precisava chegar na cabeça de tudo isso, o problema era que ninguém sabia absolutamente nada sobre ele a não ser como era conhecido popularmente, o famoso Bizzle. Dono de todo o tráfico de Atlanta era ele que eu precisava alcançar para conseguir finalizar o meu trabalho, precisava convencê-lo a me ajudar, nem que para isso eu tivesse que arriscar tudo o que mais acreditava. O inferno foi feito para ser temido, me chame de louca ou do que preferir, mas o fogo sempre me atraiu e foi por isso que pedi 30 dias ao lado do próprio demônio” - Alexia Johnson >>>https://www.spiritfanfiction.com/historia/demonic-souls-20080004

QUEM GOSTAR DA MINHA ESCRITA, POR FAVOR, DÊ UMA CHANCE!

Agora foco aqui

DESAFIO >>>> Se esse cap chegar a 40 comentários até amanhã, posto outro cap amanhã.

Que os jogos comecem!

Até a proxima,
Xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...