História 103 dias - incesto - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 70
Palavras 1.133
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 30 - Final


Eu gozo e saio de cima dela sem espera-la. Ela continua ali no chão e começa a chorar. Visto minha roupa de volta e pego todas aquelas roupas do chão, coloco na mala e a fecho. Pego a Larissa no colo e a deito na cama enquanto a abraço "Perdão, eu não queria fazer nada disso." ela me abraça e entrelaça as pernas em mim ainda nua

"Nós temos que acabar com isso" ela diz passando a mão no meu rosto, eu a beijo e respondo "Não vamos acabar, vamos consertar e começar de novo." Levanto e pego qualquer roupa na mala, entrego pra ela e começo a arrumar as minhas roupas "A gente vai sumir do mapa" digo olhado pra ela que esta sentada na cama me olhando enquanto veste suas roupas

 "Eu não sei se essa é a melhor escolha" 

"Confia em mim Larissa, só isso."

Segurando as malas saímos do prédio, não estamos levando comida nem nada do tipo mas vou comprar tudo na viagem. Tenho dinheiro suficiente pra sair do país se eu quiser. Pegamos a estrada e saímos da cidade tranquilamente. Ligo o som do carro e olho pro lado, ela está mais tranquila, sorri me vendo dirigir e tudo parece estar dando certo. Viajamos o dia todo ate chegar em uma cidade pequena, eu sei que agora posso ser considerado foragido pela justiça e por isso não pretendo ficar muito tempo em uma cidade, quero viajar pra caralho com ela. Paramos em um hotel e chegando lá eu jogo nossos celulares na privada "Mas que porra é essa?" ela pergunta me vendo dar a descarga 

"Esquece eles, esquece tudo."

"Acho que o papai teve alguma coisa."

"Eu não ligo, foda-se ele. Vem cá." vou ate ela e começo beijar seu pescoço, indo para a boca, ela segura meu pescoço e da umas mordidas no meu lábio, afasta o rosto e sorri me olhando "Onde a gente vai parar com isso?" ela pergunta, eu puxo sua cintura para ainda mais perto e sorrio de volta "Nós não vamos parar." 

Aquela foi nossa primeira noite real, primeira noite em que nos assumimos para nós mesmos. Foi o começo de uma nova vida. Eu tive muita ajuda do meu chefe que hoje é um irmão pra mim. Hoje sou um dos maiores traficantes de armas do país, tenho dinheiro pra caralho, viajo o mundo com a Larissa, ela chegou a ficar gravida outra vez mas por vontade propria quis abortar, ela não quer atrapalhar a nossa vida, a gente ta curtindo muito e uma criança agora não seria bom. Eu enchi ela de luxo, Larissa tem tudo o que ela quer, absolutamente tudo. E eu? Eu tenho o mundo todas as noites na minha cama.

Anos se passaram, viagens, carros, casas, tudo o que você imaginar nós tivemos , não tivemos mais contato com os nossos pais mas aquela noite tivemos uma surpresa. Estávamos em um restaurante em Miami e o garçom veio ate mim, ele disse que uma senhora estava la fora me esperando. Não entendi muito bem mas sai la fora e a Larissa veio comigo. "Mãe?" minha irmã e eu ficamos completamente paralisados ao ver a nossa mãe suja, em roupas velhas e cheirando mal, eu acredito que meu pai tenha morrido mas ele tinha dinheiro, eu duvido que ele tenha deixado ela naquela situação "Mãe, vamos sair daqui." tento leva-la para o carro mas ela me empurra bruscamente e não tira os olhos da Larissa "Sua vadia" ela diz indo em direção a Larissa, fico entre as duas e tento não deixar elas se aproximarem "Mãe você ta maluca?" Larissa pergunta rindo da situação "Você acabou com a nossa vida." minha mãe também parecia estar bebada e ao dizer essas palavras ela puxa uma arma da cintura e aponta para a Larissa

"Mãe abaixa essa merda."

"Sai da frente filho. Ela também enfeitiçou você, mas isso vai acabar aqui."

"Mãe abaixa isso" Larissa diz andando pra trás "Fala pro seu irmão, seu amante, marido sei lá o que vocês são, diz pra ele o que você fazia com o seu pai." eu olho pra Larissa que esta palida e uma lagrima cai do rosto dela enquanto me olha

 "Gus..."

"FALA LARISSA" minha mãe gesticulando com a arma

"Calma" ela responde e começa chorar, minha mãe continua com a arma apontada, eu fico parado a olhando e esperando o que ela tinha a dizer "Eu ficava com o papai de vez em quando." Larissa chora descontroladamente e se senta no chão e eu... Eu.... não sei. Eu não me sentia ali, parece que meu corpo estava lá mas minha alma estava assistindo aquela cena. Fico muito perturbado, começo me sentir mal me afasto e me apoio em uma parede "Eu vou resolver tudo meu amor" minha mãe diz vindo ate mim e passando a mão no meu cabelo "Não vai fazer nada mãe" ela anda ate a Larissa e acaba com a munição da arma na filha dela, eu me apavoro e vou correndo ate a Larissa caida no chão "Desculpa" ela diz chorando nos meus braços,  perdendo muito sangue, ela sorri e eu não consigo dizer nada. Ela passa com muita dificuldade a mão no meu rosto secando as minhas lágrimas 

"Eu sempre te amei Gus" 

"Eu amo você Larissa. Pra sempre."

 E foi assim que eu perdi o amor da minha vida. Minha mãe foi presa, e eu estou preso também, mas nada disso importa, a unica coisa que eu amei de verdade agora esta morta. Eu amei cada minuto ao lado dela, amei cada beijo, cada sorriso, cada toque, cada noite, absolutamente tudo.

 Ela foi a minha vida e mesmo estando aqui atrás dessa cela, escrevendo essa merda, eu não estou mais vivo.

Todos os dias eu lembro daqueles 103 dias que eu fiquei sem ela, lembro que eu sentia como se estivesse morrendo de tanta dor que sentia por não te-la comigo, e agora? Bom, agora eu sinto a mesma dor. Todos os dias acordo, choro lembrando dela e de tudo o que tivemos e de tudo o que poderíamos estar tendo agora. Amei muito a Larissa mesmo isso sendo errado. Eu nunca quis ser um criminoso, todos os crimes que cometi foi pensando nela, e em dar uma vida boa pra ela, a minha vida era ela. Larissa era uma pessoa boa e só por isso eu vou pagar todos esses anos que eu devo a justiça, para que ela sinta orgulho de mim independente de onde ela esteja.


5 Anos Depois

A mãe deles morre na cadeia depois de uma briga.

1 Ano Depois

O Pai de Gustavo e Larissa teve um infarto, perdeu os movimentos das pernas e se suicidou em uma casa de repouso.

5 Anos Depois

Gustavo sai da cadeia por bom comportamento e atira na própria cabeça na frente do tumulo de sua irmã.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...