1. Spirit Fanfics >
  2. 11 Minutes (Kookv-Vkook) >
  3. Chapter: Bargaining part. 2

História 11 Minutes (Kookv-Vkook) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Olá💜

Agradeço aos favoritos e comentários.

Ah, mds, que treta hein?

Boa leitura.

Capítulo 9 - Chapter: Bargaining part. 2


Fanfic / Fanfiction 11 Minutes (Kookv-Vkook) - Capítulo 9 - Chapter: Bargaining part. 2

P.O.V. Jeon


ITAEWON

09:36 AM

SATURDAY


Flashback on*


Minhas mãos suavam, não poderia estar tão feliz.

- ah, Taehy? Eu pensei em irmos a nossa boate predileta, que tal? Apenas para comemorar... - daqui a dois dias, seria o nosso aniversário de namoro, e queria montar algo especial para nós.

- bom, sei lá... Talvez não.. - Taehyung falava alto, pois estava no quarto, arrumando as coisinhas para a casinha do seu cachorrinho, Yeontan.

- Ah fala sério Tae, vamos nos divertir.. É uma data especial para nós, e você quer passar ela em casa? 

- qual seria o problema? Acho bem melhor ficarmos em casa, é mais seguro. - achei estranho ele falar isso de modo tão, preocupado.

- como assim? 

- aah, acho melhor ficarmos em casa, sair a noite para ir numa boate pode ser perigoso, e eu vou ficar cansado nessa semana, meu emprego está um caos.

- mais você nunca se preocupou em sair muito tarde? - aquilo estava diferente, eu quero comemorar do jeito certo, e ele quer ficar em casa, qual escolho? 

- me desculpa Jeongguk, mais eu quero ficar em casa dessa vez. Estou ficando velho já.

Pensei, e pensei, acho que tenho uma ideia boa para nós.

- tá bom, encontrei um jeito bem legal de nos divertirmos. - saí da cozinha e fui até o quarto, Tae estava sentado na cama, arrumando a caminha para Tannie, que ficaria aqui por alguns dias. - eu acho legal, irmos para a boate, um pouco mais cedo, e voltarmos para casa por volta das 23:00...

- que? Não vou ficar tanto lá? 23:00 da noite é muito tarde... Está louco por acaso? 

- quer me deixar falar meu amor? - fitei meus olhos nos dele, mais abaixei a cabeça. - pode até ser de voltarmos mais cedo, e ficarmos em casa, comemorando, hein? Da para fazer os dois.

- eu ainda acho que não pode ser uma boa ideia.. 

- o que foi? Por que não quer sair? Você nunca agiu assim? - minha mente girava por dentro.

- eu sei lá, so não quero me arriscar, sabe como as coisas funcionam né? Pode haver alguma coisa em qualquer lugar, e tenho medo disso. - me aproximei dele, que parecia estar desapontado.

- Tae, faça isso por mim.. Eu sei que como se sente, mais, não quero que isso prejudique nosso dia, entende o que estou dizendo? 

- ah, claro...

- se não quiser, eu vou entender ok? 

Ele ficou lá, pensando, tão lindo, e de súbito, abriu a boca para falar algo.

- Jeongguk, você faz várias coisas por mim, você é minha família, e, eu não quero que você fique triste por causa das minhas paranóias huh?

 - você não é paranóico, só está preocupado, e eu entendo, você quer nos proteger não é? - minha voz saiu doce.

- sim, mais, eu aceito sair com você, mais só um pouquinho.

- perfeito! Claro que se realmente não quiser, eu vou entender meu bem.

- não, vai ser legal, eu quero... - depositei um beijo em sua testa, Taehyung era uma maravilha, sempre se arriscando, não queria que ele fizesse algo a força, então eu sempre o avisava para não fazer se não quisesse de fato, mais, era ótimo estar com ele, eu me sentia maravilhoso, me sentia tão bem.

- estou com fome. - Tae falou colocando a mão delicada no estômago após o barulho da fome me impressionar.

- huh, vamos comer então. - coloquei minha cabeça em seu ombro largo, e suspirei, nunca vou me sentir assim, tão bem.


Flashback off*






O trabalho andou tranquilo de manhã, estava tentando me distrair, pois o ocorrido de ontem ainda passava pela minha cabeça, e eu não queria nem lembrar do que ouvi, aquilo me destruiu de certa forma.

- Kook? - Nam entrou em minha sala, ele parecia surpreso.

- Nam? O que foi agora? - respondi organizando todos os materiais para receber o próximo cliente.

- o Jimin está aqui, ele quer falar com você, posso mandar entrar? 

Congelei, aquilo estava me seguindo. Estava tentando fugir desse assunto desde quando acordei, mais parece que ele aparece mesmo assim, não tem como fugir.

- ok... - bufei. - pode deixar sim.

- eu sinto muito cara, realmente. - Nam quis amenizar a situação.

- tudo bem, não importa tanto. - abaixei minha cabeça, sou péssimo em mentir, sou expressivo demais.

- ok, eu vou chama-lo, até depois Kook.

- até. - Nam desapareceu pela porta, e Jimin entrou tímido.

- oi Jeon. - falou baixinho.

- o que quer? - não quis parecer grosso, não queria aparentar estar com raiva dele, e não estou mesmo.

- eu, quis conversar, com você. 

- sobre? 

- Tae. Eu sei porque ele morreu.

Aquelas palavras martelaram a minha testa, como se alguém tivesse acabado de me dar um soco no estômago, eu não queria isso.

- ah, Jimin, eu, não estou no clima, pra isso.

- olha, Jk, eu.... Eu Realmente quero ajudar, eu quero que você saiba de toda a verdade, só não quero te decepcionar como ontem.

- Jimin, você fez merda? fez, mais, de certo modo não foi sua culpa também, as pílulas, aquilo tudo era realmente verdadeiro? 

- era.- Jimin falou e olhou para a janela, o brilho nos olhos dele por causa das lágrimas acumuladas estava me deixando triste. 

- então, eu não estou decepcionado com o fato de que o Tae se drogava apenas por querer a atenção da mãe, eu só não entendo o por que não me contaram? Eu teria ajudado, e você sabe que sim!  

- isso não é comigo! Eu disse tudo, eu apresentei aquilo pro Tae, eu que o levei para um caminho ruim, você tem todo o direito de me odiar! 

- eu não odeio você! Somos amigos! Eu não estou com raiva de você, eu amo você Jimin, só não achei certo você e o Taehyung ficarem me escondendo algo tão importante! 

- isso foi ideia do Tae! Ele quem me disse para não contar! Ele não queria que você soubesse, ele estava com medo de você o deixar! - as pequenas lágrimas cairam nas bochechas de Jimin, era uma cena horrível de se ver, Jimin chorando.

- ah, como o Taehyung é burro! - soltei alto, minhas mãos tremiam.

- não o xingue, ele só estava inseguro.

- e por que ele morreu?

- ele..... Ele, estava devendo alguém e.

- chega Jimin! Eu quero ficar sozinho por favor! 

- me desculpe Kook, eu não queria que terminasse assim! - Jimin chorava feito uma criança.

- tudo bem.

Levei o Jimin até a entrada do estúdio, agradeci por tudo, realmente, ele ajudou muito, mais aquilo era demias pra mim.

- tá bem cara? Deu para ouvir a gritaria de vocês daqui. - Nam falou.

- tudo bem. Eu só me alterei na conversa, Jimin queria me contar como o Tae morreu, e eu.... Eu não quis escutar sabe? 

- eu entendo. E a carta? Já leu ela? Porque eu quero ler também.

Por um momento, achei que tudo na minha frente, fosse cair em cima de mim, acho que se um meteoro caisse na terra, iria na verdade, cair em cima de mim, pois, tudo está me deixando prensado.

- eu vou, acho que estou me sentindo mais confiante diante dela, já que sei agora de quase tudo, Tae e Jimin, acredita que nunca passou pela minha cabeça essa possibilidade? - me questionei.

- bom, eu já suspeitava disso porque, naquele dia em que fomos no parque de diversões, eles estavam tão grudados.

- acha que o Tae me traiu com ele? - isso é o suficiente né Jungkook? Chega de falar bobagem! 

- ah, cara, acho que não, Taehyung era louco por você, ele era apaixonadamente apaixonado por você, era só ver como ele olhava para você, um olhar com carinho misturado com amor, misturado com admiração, assim como você olhava para ele, era realmente bonito ver a química entre vocês. - Nam sabia como me deixar feliz.

- é, o Tae realmente gostava de mim.

- e você dele, afinal, quem se apaixonou primeiro? - aquilo começou a voar pela minha cabeça, nunca parei para analizar esta questão, quem de nós se apaixonou primeiro?

- eu não sei Nam, ele nunca me falou nada sobre isso.

- olha Kook, Taehyung era alguém maravilhoso, ele era compreensivo, era amigável, era gentil, era amável, admirável, ele era bom, ele era incrível, uma pessoa realmente fantástica, mais ele também tinha suas tempestades, ele também tinha seus dias ruins, seus segredos, seus medos, suas frustrações, todos temos, e acho que você só está vendo isso agora.

- mais, Taehyung sempre foi aberto comigo para tudo, nós nos ajudavamos.

- mais Kook, nem tudo ele contou para você. Eu duvido que você tenha sido cem por cento aberto com ele? 

Realmente, nem tudo eu contava para o Tae, tinham certas coisas que eu evitava conversar com ele, mais, eu nunca deixei de ama-lo por isso.

- mais..

- Kook, ninguém é perfeito, Tae aparentava ser? sim, mais, ele tinha um segredo que ninguém de nós acreditava, mais, precisamos entender o lado dele também nesta história, Taehyung parecia estar com medo de te contar.

- eu o ajudaria se ele me contasse.

- Kook, entenda! Nem tudo é como pensamos, Taehyung poderia estar confuso a seu respeito. Para você, se ele contasse tudo, você o ajudaria, mais talvez para ele, você o deixaria se ele te contasse. Kook, o ser humano é difícil, ele é como uma incógnita, nunca vamos saber o que ele estava pensando, eu só quero que entenda a situação de forma correta.

- eu estou tentado entender.

- leia a carta, e perdoe o Taehyung, ele pode ter interpretado de maneiro incerta mais, ele tentou voltar a ser normal, não? Talvez a inspiração dele tenha sido você, como ele foi para você também! Seu bobão.

- huh.. - as lágrimas saiam dos cantos dos meus olhos, estava emocionado com tudo aquilo, Nam era tão inteligente, e me ajudava de maneira esplêndida, eu queria muito que Taehyung tivesse me contado, Nam o ajudaria muito.

- não chora neném. Eu estou aqui! - Nam foi até mim e me abraçou, aquilo foi carinhoso, foi bom, eu queria um abraço, queria sentir o calor de alguém novamente, e Nam me deu isso, Nam era um sonho, um anjo para mim. 

- o-obri-brigado, e-eu amo vo-você. - o abracei de volta, e apoiei meu queixo em seu ombro, aquilo era bom, um abraço, realmente ajudava qualquer um que estivesse com problemas.

- vai trabalhar coelhão, se não, sem salário para você! - Nam sorriu.

- obrigado Nam, se você fosse como eu, eu casaria com você! - debochei

- ah, para, eu gostaria, mais não é comigo Kook, meu negócio é outro.

- eu sei, só estava zoando. - apertei o abraço, perto de Nam, eu me sentia uma criança, que precisava de um super herói para me salvar, e com certeza, Nam era o meu.

- vai lá, seus clientes vão chegar qualquer momento.
























 




Cansado, essa era a palavra que passava em minha cabeça no momento, Cansado, estou cansado.

- ah, que canseira. - destranquei a porta da minha casinha, e como de costume, o cheiro do meu Tae estava presente, era bom lembrar dele, agora parecia ser mais fácil falar dele sem querer chorar e surtar.

Por falar nisso, as coisas do Tae ainda estavam no quintal, todas jogadas, vou dar um jeito nelas amanhã, pois agora, estou morto.

A cozinha estava gelada, fui até o quarto e fitei a gaveta, a última gaveta da escrivaninha, era horrível lembrar que tudo que preciso saber estava lá, escrito com as letras do Tae.

- ah Tae... Será que tenho que ler mesmo? - me questionei alto, esperando qualquer resposta dele, que óbvio, não veio.

Me sentei na cama e olhei para o espelho, que estava pendurado na parede cuidadosamente, era bonito, Taehyung que escolheu o modelo, tão bonito, tão ele. Me olhei e vi o meu estado, não era o que pensei, eu aparentava alguém cansado, alguém infeliz, alguém insuportável, alguém acabado, e realmente estava, mais não queria ficar assim para sempre, esse luto está me deixando assim, descuidado, alguém sem sentido para viver, e não quero isso, eu não quero afundar desse jeito.

- Taehy? O que você acha? Acha que estou indo no caminho certo? - perguntei na esperança de que ele me respondesse. - ah, por que não fala comigo? De algum jeito! Eu quero ouvir a sua voz.

Nada.

Onde estava com a cabeça? Ele tinha morrido, e não posso falar com mortos, não sei fazer isso, está fora de questão eu ter alguma interação com Taehyung de um lado, e eu do outro.

Me deitei na cama e fechei meus olhos, aquilo me lembrava tanto uma bela canção que escutava com Taehyung quando eramos mais jovens, quando ele pedia para dormir em minha casa, e ficavamos a noite toda escutando músicas bonitas, jogando videogames, rindo baixinho para ninguém acordar, e se beijar a cada 11 minutos que passasse. Era tão bom.

Me levantei e peguei um caderninho e uma caneta com tinta preta, fui até a cozinha ver o que tinha para beber além de água gelada, e, por surpresa minha, o vinho que tinha comprado no dia do "acidente" de Taehyung, estava lá, intacto. Peguei um copo de vidro, um bem bonito, abri a garrafa gelada de vinho turco, e joguei em meu copo, vendo o líquido vermelho cor sangue saboroso cair rapidamente.

No quarto de volta, me deitei de bruso, coloquei meu copo em cima da escrivaninha, e comecei a escrever, não sei o porque tive a ideia de fazer isso, mais quis, então comecei.


Não há limite no céu que eu não ultrapassaria por você,

Não há quantidade de lágrimas que eu não choraria por você,

Com cada respiração que eu solto,

Eu quero que compartilhe esse ar comigo

E não há promessa que eu não vou mater,

Eu escalaria uma montanha, pois não há nenhuma tão íngreme.


Respirei, meus dedos tremiam, aquilo era difícil, tudo que escrevia, tudo que eu sentia, tudo que eu queria, era o Taehyung, de alguma forma, eu sei que ele estava me vendo, me sentindo também, eu gosto de pensar que ele sempre está comigo, após o ocorrido ontem, aquela sensação de que ele está sempre comigo, ficou mais forte, de certo modo, e aquilo me deixava forte, para continuar a vida, do jeito certo.

Peguei meu copo e dei um belo de um gole, aquele gosto era espetacularmente maravilhoso, me deixava bem, não que eu venha a me tornar alguém dependente de álcool para me manter vivo, sei que não tenho essa doença, mais, era bom se sentir assim, quente com o álcool.


Quando se tratá de você, não há crime,

Vamos pegar nossas almas, e entrelaça-las.

Quando se tratá de você, não seja cego,

Me veja falar do meu coração quando se tratá de você, se tratá de você.


Realmente, eu ganhei a habilidade de escrever coisas tão lindas só pensando no Taehyung e eu? Como eramos lindos juntos? Como eramos tão livres juntos? E a morte nos separou de um jeito horrível, eu nunca desejaria isso para ninguém, é algo avassalador.


Cupido em mentira, a flecha recebeu seu nome nele,

Nunca perca um amor e se arrependa disso

Abra sua mente, limpe sua cabeça,

Você não tem que acordar numa cama vazia,

Compartilhe minha vida, e a guarde para ser sua,

Agora eu dou para você tudo de mim.


Minhas próprias palavras me atingiram, como se estivesse deixando claro algo para mim mesmo, eu realmente não entendo, como a vida muda de uma hora para outra, e bem quando não esperamos.


Quando se tratá de você, não há crime,

Vamos pegar nossas almas, e entrelaça-las.

Quando se tratá de você, não seja cego,

Me veja falar do meu coração quando se tratá de você, se tratá de você.

Eu quero que você compartilhe isso.


Era lindo, lindo como pensei, estou inspirado mesmo, meu coração bate cada vez mais rápido só de pensar que o Tae pode estar vendo isso, lendo estas palavras que escrevi pensando nele, me deixa constrangido, realmente com vergonha, tímido, por mais que ele não esteja aqui, finalmente estou sentindo que ele está, e sempre esteve desde o começo, me acompanhando até aqui, me sinto amado.

Dei outro gole na bebida e senti, um toque, em uma de minhas mãos, era bom, era ele, meu TaeTae.









" And i'm down and depress, all i want is your head on my chest, touching feets"




Notas Finais


AAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHH!!!!

2U?!?!?!? NÃO DÁ.

NÃO TEM COMO?!? EU NÃO ACREDITO QUE ME EMOCIONEI COM ALGO QUE EU MESMA ESCREVI! QUE MENTIRA!!!

SOCORRROOOO!

esta fanfic, está me matando😉

Pessoal, cada vez mais, o nosso Jk vai se sentindo bem, como se tudo fosse ficar bem, mais acalmem, que ainda tem mais, e ele vai ficar muito melhor no final💜

Agradeço novamente, e qualquer erro na escrita, não liguem.

Boa noite, e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...