1. Spirit Fanfics >
  2. '119; markhyuck! >
  3. I want play a game;

História '119; markhyuck! - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - I want play a game;


Fanfic / Fanfiction '119; markhyuck! - Capítulo 1 - I want play a game;

SONG - DADDY ISSUES 

 

                            ㅡ MARKHYUCK ㅡ

De fato, nada conseguia lhe proporcionar o prazer que Mark o proporcionava. 

 

O garoto de madeixas violetas, recém pintadas, tentava os diversos brinquedos sexuais que comprara, mas nada cessava seu tesão, talvez o aumentasse ainda mais, por o lembraram do quão melhor seria sentir o canadense, ao invés deles. Seus toques ágeis e precisos, os beijos e chupões, ou o sorriso cafajeste que o fazia se render por inteiro, tudo bem melhor do que sua mão ou qualquer objeto de plástico. 

Largou os objetos e suspirou insatisfeito. Olhava o teto buscando soluções para conseguir o que queria ㅡ seu Hyung gostoso e cheirosinho ㅡ o fodendo com força, do jeitinho que apenas ele conseguia fazer. Não conseguiria se aliviar sozinho, e nem queria.

Pensem. Se você tem um Hyung gostoso, lindo, habilidoso, gentil, carinhoso, tudo de mais perfeito, porque procurar respostas em outras coisas?

Hyuck não tardou a procurar o número do canadense, tendo em mente sua brilhante ideia.

 

             [chat: mark mo/hyuck denguinho✉]

 

                                       

      hyuck denguinho:

                                                                 ops
                                                        número errado 

mark mo:

poxa, gatinho 

achava q essa delícia 

era unicamente minha 

 

 

          hyuck denguinho: 

um carinho 

bem gostosinho

 

 


mark mo:
foi um convite, amor?
eu posso cuidar muito bem
de um gatinho manhosinho

 

 

hyuck denguinho:

[audio: ah!...a-amorzinho... 

p-pode apagar o fogo do seu 

bebê, hum?

 

 


mark mo:
porra, gatinho
n vale esse seu gemidinho gostoso
quer ser punido por me provocar, hum?
vai deixar seu hyung duro assim?

 

 

hyuck denguinho:

eu quero seu punido pelo meu hyung

vem punir seu gatinho, amor

 

 


mark mo:
a eu n aguento
15 minutos, vida

 

 


Hyuck se permitiu sorrir minimamente ao pensar na possibilidade de ser unicamente do Lee mais velho, se animava ao pensar que algum dia poderiam ser muito mais do que apenas amigos coloridos, não porque se arrependia de aceitar o combinado com seu Hyung, pelo contrário, é que, em sua visão, amigos não sentiam o que ele sentia pelo canadense. Para o pequeno Lee, o sexo era apenas uma das provas de que a ligação deles ia muito além de luxúria ou prazer, exatamente porque ele não queria apenas isso. Gostava de sua companhia, de seus beijinhos, do cuidado, de assistir filmes abraçadinho, de sair e se divertir, de tudo. Haechan gostava, sem dúvidas, de Mark Lee.

 

[...]

 

O canadense, prontamente, tirou a chave reserva do apartamento de Donghyuck, o abrindo e indo procurá-lo em seu covil secreto e colorido ㅡ seu lindo quarto lotado de pôsteres de girl groups, sendo, Red Velvet, o principal deles.

 

ㅡ Amor, cadê você? ㅡ Mark lançou seu olhar sobre todo o cômodo principal ㅡ Estamos brincando de esconde-esconde, gatinho? ㅡ proclamou alto o suficiente para alcançar todo o apartamento.

 

Ao se deparar com a porta, gravada de desenhos, pinturas e figurinhas, foi cortado por sua reação surpresa e a visão à sua frente.

 

Madeixas castanhas e violetas se mexiam timidamente com o acesso de vento por parte do ar condicionado. A pele bronzeada e exposta, superficialmente atingida pela luz fraca. Seus lábios carnudos e rosados, suas bochechas coradas e aquele rosto brilhante, não mais que seus olhos profundos cravados de pequenos brilhos. Corpo escultural de coxas e pernas extremamente atraentes, de grandes nadegas e tudo o que compunha o garoto mais lindo do mundo, sobre a a visão do canadense e o reflexo do espelho, emoldurado de tecidos vinho.

 

Uma tiara preta, de gatinho, contrastava com a choker preta e sua grande argola de metal,  a calcinha de renda, preta, continha duas grandes tiras de elástico que prendiam e realçavam a delicada e delineada cintura do garotinho, acompanhada de um plug anal de calda de gatinho, com sua pelagem escura.

 

A pele do submisso brilhava, com se o sol o banhasse, mesmo estando sob iluminação fraca e quatro paredes frias e limitantes. Apenas a luz vermelha dava a devida visualização ao quarto e, ao fundo, soava a melodia baixinha de uma playlist de sexo bem desenvolvida pelo casal colorido.

 

Donghyuck virou o rosto imediatamente ao sentir a presença de seu parceiro. Mark não pode evitar uma abertura involuntária de sua boca, ele se sentia absorto por estar à frente da personificação de Afrodite, estar sobre os encantos de toda beleza saturada naquele rosto delicado, naquelas orbes brilhantes e suas pintinhas, essas que simbolizava a ursa menor, distribuídas em sua mandíbula, maxilar e clavícula ㅡ todos os caminhos que gostaria de traçar com sua língua, lábios e dentes. Ele sentia que poderia ter um orgasmo apenas por presenciar seu garotinho atraente daquela forma.

 

Em passos sensuais e movimentos de cintura, induzidas pela batida da música, Haechan, ia em direção ao seu maior desejo carnal, ao seu maior desejo de alma e coração. Não cessavam o contato visual por nem um minuto sequer. Orbes presas, compartilhando suas estrelas e aquele universo, a tensão que pairava sobre seus sentimentos e o aspecto daquele quarto. 

 

O de madeixas coloridas se permitiu brincar com a feição hipnotizada do moreno à sua frente, se aproximando e fechando sua boca, meia aberta, com o indicador em contato ao queixo alheio.

 

Não pendendo tanto aquele breve momento, Mark, segurou com o propriedade a cintura delineada, estando sob duas faixas pretas de elástico, as que o canadense sentia na palma de sua mão.

 

Era surreal a maneira que se encaixavam em todos os aspectos, como até mesmo a mão do Lee mais velho encaixava e tomava a cintura de seu pequeno perfeitamente. Surreal a maneira que a música apenas os impulsionavam à tomar um ao outro. 

 

Com a mão, ainda em contato com a cintura alheia, trouxe seu gatinho o mais próximo possível, o suficiente para chupar seu lóbulo em uma lentidão torturante. Mordeu a pele macia e sussurrou, embriagado pelo cheiro forte e viciante do menor.

 

ㅡ Você quer ser meu, Donghyuck-ah? ㅡ deu-lhe um selinho molhado no pescoço ㅡ Para eu lhe tomar como uma droga.

 

Haechan tombou a cabeça e expôs ainda mais seu pescoço ao sentir o chupão doloroso e prazeroso que recebera do canadense.

 

ㅡ Lhe provar em minha língua ㅡ proclamou passando sua língua sobre os lábios vermelhos e, agora, quentes do coreano.

 

O garoto de madeixas coloridas sentiu um grande impacto diante das palavras retiradas da música que tocava baixinho e repetidamente na dimensão do cômodo e, com o tempo suficiente apenas para assimilar tais palavras, avançou sobre os lábios cheinhos e viciantes da luxúria, bem à sua frente.

Tomado sobre as mãos fortes, novamente, Donghyuck, foi prensando ao corpo alheio, intensificado o contato dos lábios de ambos.

O beijo era repleto de paixão, desejo e troca, compartilhando entre si confiança, amor e a confirmação de que, sim, estavam totalmente entregues um ao outro. Os lábios carnudos de Hyuck eram sugados com volúpia pelo canadense, as bocas conectadas, as línguas explorando o máximo que podiam das cavidades alheias. Os gostos se distinguindo em choque, o amargo e o doce se completando, as mordidas acobertadas pela saliva, e os selinhos, em meio ao beijo.

O ritmo gostoso do beijo foi interrompido pela necessidade de ar, sendo substituído por pequenos selinhos que sinalizavam o seu fim momentâneo.

Impaciente, Mark impulsionou seu garotinho para cima, o carregando em seu colo, sendo recebido por pernas contornando o seu tronco. Mudou a direção dos beijos, agora, focando em seu pescoço amorenado e macio. Chupava lentamente, despejando prazer sobre a pele alheia, raspando os dentes e até mesmo selando, de maneira molhada, a região.

De costas, ainda com seu menino em seus braços, andou até a cama e se sentou com precisão, causando um grande impacto sobre o membros de ambos, rendendo um arfar do canadense e um gemido doce e gostoso vindo do coreano. Se olharam com desejo, voltando, dessa vez, com um beijo quente, cheio de tesão, línguas e lábios sendo chupados com cada vez mais necessidade,  movimentos mais instigantes sendo estimulados, exalando luxúria e grande manchas de pré gozo.

O coreano rebolava e tinha a cintura regida pelos movimentos das grandes mãos de Mark, permitindo um roçar lento e prazeroso dos membros, já duros. O canadense desceu a mão até as nadegas do menor, contornando superficialmente sua entradinha e o plug bem encaixadinho na mesma, provocando um gemido alto e um pequeno espasmo corporal.

ㅡ Está tão sensível assim, gatinho? ㅡ falou rouco, o instigando ainda mais, pressionando o objeto em sua entradinha.

ㅡ Ah... Mark-ah... ㅡ gemeu manhosinho, arquiando sua costas ㅡ N-não torture seu gatinho assim... hm?... AH!... ㅡ o canadense deu um tapa estalado sobre a bunda exposta do menor, se deliciando com o alto gemido que ele soltara.

O coreano esfregava o rabinho no relevo duro sob si, na busca de alívio.

ㅡ Você quer que eu pare essa dor, amor? ㅡ sussurrou em seu ouvidinho, chupando, logo depois, o seu pescoço ㅡ Fala para mim, gatinho. Tá doendo? ㅡ o canadense impulsionou seu tronco para cima, causando atrito no contato de ambos os membros.

ㅡ Ah!... H-hyung... Dói tanto...ㅡ fechou as pernas no tronco do maior ㅡ P-para de doer se o Hyung foder o Hyuck com força? ㅡ perguntou manhosinho, olhando no fundo dos olhos de Mark, rebolando em cima de seu pau latejante.

ㅡ O Hyung te quer tanto, amor... ㅡ desceu a mão para o pau do menor, apertando e massageando por cima da calcinha de renda, recebendo gemidos sôfregos ㅡ Porque tá gemendo assim, vadiazinha? Quer que o seu Hyung te coma, tanto assim? 

O canadense lhe deu um tapa estalado, estimulando seu membro lentamente.

ㅡ Tira a camisa do seu Hyung, hm? ㅡ deu-lhe mais um tapa estalado ㅡ Ele vai lhe recompensar, hm?

O Lee mais novo se prontificou a tirar sua camisa social lentamente, botão por botão.

ㅡ Amor, vai brincar assim comigo? ㅡ sussurou e puxou o corpo alheio, fazendo com que os braços do coreano dobrassem, por estar prensado, novamente, ao seu corpo ㅡ Porque não faz isso me beijando, hm? Deixa eu sentir o seu gostinho, vida.

O canadense beijava seu garotinho, novamente, enquanto o mesmo desabotoava o botão, ás cegas, sendo coordenado pelos movimentos amplos e os estalos que o contato das duas bocas provocava.

Jogando a camisa longe, Donghyuck, o olhou provocante, mordendo os lábios e descendo aquele olhar, de sombras brilhantes, ao abdômen definido do Lee mais velho.

ㅡ H-hyuck q-quer chupar o H-hyung... E-le D-deixa? ㅡ falou manhosinho, enquanto se aproximava. 

O de madeixas coloridas levantou e se pôs à frente de seu superior, dançando devargazinho, se deixando levar pelo ritmo da música.

Desceu, com o rabinho e bundinha empinada, beijando e chupando a região, agora exposta, do canadense, esse que o olhava com cada vez mais desejo. Como um garoto conseguia ser tão instigante e perfeito, em todos os mínimos detalhes? Esse, talvez, era o maior questionamento na mente de Mark Lee.

Ao obter sucesso retirando a calça de seu Hyung, passou sua língua sobre o membro do mesmo, ainda por cima do fino tecido da cueca, arrancando um arfar acompanhado de seu apelido.

Arrancou a cueca com os dentes e apenas se afastou para morder os lábios, visualizando o membro duro do Lee mais velho. Deixava bem claro que estava prestes a salivar com a visão de seu pênis, deixando-o com ainda mais tesão.

Começou a chupá-lo, começando por baixo, pelos testículos, pela base do pênis, suavemente, subindo e descendo a língua umedecendo o membro alheio com sua saliva.

ㅡ Que delícia, gatinho ㅡ Mark gemeu, sôfrego.

Tocou, chupou e colocou os testículos dentro de sua boca, fazendo movimentos circulares com a língua.

Voltando ao pênis, os tocou, masturbando-o enquanto subia sua língua devagar, passando em volta da glande algumas vezes antes de chupá-la toda.

Fazendo suaves movimentos de sucção, movia sua língua ao seu redor, chupando todo seu pênis. Alternando chupadas só na glande e depois, descendo e subindo, colocando-o todinho em sua boca, enquanto o masturbava.

Sua pequena mão segurando e masturbando a base do pênis, controlando até onde conseguia engoli-lo.

O canadense segurava as madeixas alheias com força, controlando a velocidade que seu membro fodia a boquinha de seu gatinho.

Em seus poucos anos de adolescência, Mark, nunca havia recebido um boquete tão gostoso, a boca de Hyuck era definitivamente mágica. Nunca havia se apegado tanto, se envolvido tanto, seu garotinho ultrapassava toda suas expectativas.

Prestes a gozar, afastou seu pequeno e o olhou. Ele era lindo.

O estrangeiro o pegou com força e jogou sobre o tecido de constelações, que cobria a cama, pondo-se no meio de suas pernas.

ㅡ Quer que seu Hyung faça assim, amorzinho? ㅡ estimulou uma estocada, o roçando brevemente.

ㅡ A-amor... ㅡ o coreano já falava com dificuldade, precisava se aliviar.

Vendo o estado que seu pequeno estava, iniciou uma trilha de beijos pelo pescoço e clavícula do pequeno, mordendo e chupando sua pele exposta. Desceu os beijos até seus mamilos, lambendo suas auréolas cor-de-chocolate.

ㅡ Você gosta assim, gatinho? ㅡ passou a pontinha da língua em seu biquinho duro, sendo recebido por um gemido alto e uma mão agarrando seus cabelos com ainda mais força ㅡ Então quer dizer que você é sensível aqui, hum?

Afundou sua boca na região, chupando e lambendo lentamente, queria torturar seu garotinho até ele implorar para ser fodido.

ㅡ Aqui? ㅡ apertou o biquinho direito com seus dedos, apertando e esfregando, enquanto sua boca e língua se ocupavam com o outro.

ㅡ Mark...YAH! ㅡ o coreano gemeu alto com tamanho prazer distribuído em duas partes sensíveis do seu corpo.

O Lee mais velho começou a descer os beijos, chupando e passando a língua pelo seu abdômen, ainda esfregando os biquinho eriçados.

Chegou em sua virilha e a chupou lentamente, sentindo o membro de seu gatinho pulsar por si. Desceu a calcinha preta de renda bem devagarzinho, o virando para ter total acesso ao plug bem encaixadinho em sua entradinha.

ㅡ Mark-shi o que você vai faz- AH! M-markie... Hum... Ah... Ai, amor... ㅡ o menor gemeu ao sentir a língua quente de seu Hyung em sua entradinha piscante.

O canadense passava seu pequeno órgão ao redor da entradinha com o plug, chupava com mais vontade ainda quando seu garotinho insistia em gemer alto o seu nome. Seu pau endurecia ainda mais ao ver seu gatinho se contorcendo de prazer, sua entradinha se contraindo e apertando ainda mais o pequeno objeto. Mark segurou a base do objeto, o pressionando, fazendo Hyuck arquear as costas e afundar o rosto no travesseiro, gritando em um doce gemido ㅡ Mark-ah!

Era demais para si. Novamente segurou o plug, colando ambos os corpos, beijando e mordendo o ombro alheio.

ㅡ Geme para mim, amor ㅡ sussurrou, lhe dando um selinho molhado no ombro ㅡ Implora para mim, Hyuck-ah... ㅡ pressionou o plug mais uma vez.

ㅡ M-mark-shi! ㅡ arqueou novamente as costas em um alto gemido ㅡ Me fode... me fode, H-hyung... Ah... eu quero seu pau dentro de mim! ㅡ gemeu choroso, ele estava implorando.

O canadense retirou o objeto, dando um breve chupão no pescoço, já maltratado, do menor, abrindo suas pernas e separando as duas bandas de sua bunda gostosa, começando, novamente, um delicioso beijo grego.

Lambia e chupava com vontade a entradinha de seu pequeno, satisfeito com a maneira que ele gemia seu nome e se contorcia sobre os lençóis, esses que também exalavam seu cheiro viciante.

ㅡ M-me fode logo, M-markieㅡ falou com a voz embargada ㅡ Eu te imploro! Me fode gostoso e com força, H-hyung ㅡ falou manhoso, em um tom quase choroso.

Isso foi o suficiente para entorpecer Mark de tesão. Seu gatinho manhoso, implorando para ter seu pau dentro dele, era tudo o que queria.

ㅡ Chupa os dedos do seu Hyung, hm? Bem gostoso, gatinho ㅡ virou o coreano e o puxou para perto, dando-lhe o indicador e o médio para ele chupar.

O garotinho enlouquecia o estrangeiro. Chupava como se dependesse daquilo, seu rostinho com um ar tão erótico prendia ainda mais Mark, ele ficava uma delícia  empenhado em chupar seu dedos.

Com um estalo, os dedos do moreno saíram da boquinha do coreano.

ㅡ Bom garoto, hm? ㅡ deu um selinho na testa de seu garotinho ㅡ Hyung vai colocar o primeiro dedo, ok? ㅡ o coreano assentiu.

Penetrous os dedos lentamente, arrancando gemidinhos manhosos do garoto de madeixas violetas, fazendo movimentos de vai e volta na entradinha do coreano. Adicionando mais um dedo, Mark, pode desfrutar de seu gatinho empinando sua bundinha deliciosa para si.

Enfiou mais um dedo e se movimentou como uma tesoura, contra a entrada do menor, ouvindo seu garotinho gritar o seu nome em meio aos gemidos. Ele já estava lubrificado o suficiente, fazendo o Lee mais velho cessar os movimentos na cavidade do menor.

ㅡ Seu Hyung vai te foder, amor ㅡ selou suas costas e masturbou o membro alheio ㅡ De quatro para mim, agora! ㅡ despejou um tapa estalado na bunda do menor.

Donghyuck prontamente obedeceu, não via a hora de ser tomado por Mark.

Tirando a última peça de seu corpo ㅡ a cueca ㅡ, Mark, segurou seu membro completamente duro e enfiou apenas a glande no menor, escutando o mesmo gemer impaciente.

O canadense entrou devagar na entradinha alheia, esperando ele se acostumar. Após entrar completamente, esperou seu pequeno lhe dar algum sinal. Hyuck rebolou contra o pau do canadense, rendendo um gemido afoito do coreano e um arfar do moreno, simbolizando que já poderia começar a se mexer. Mark deu um selinho no pescoço no de madeixas violetas, começando a se movimentar. Sentia seu pau abrindo a entradinha do garoto que tanto amava, sendo movido pelos gemidos gostosos que o mesmo produzia.

Dessa vez, o estocou com força, recebendo altos gemidos carregados pelo seu nome, o influenciando a ir ainda mais forte e fundo no menino abaixo de si. Segurando as madeixas alheias, o puxou com força e começou a estocar forte, fundo e rápido, despejando todo o desejo que sentiam dês do início das provocações e preliminares. Estocando no mesmo ritmo e intensidade, Mark, pode ouvir o som mais gostoso de sua vida, havia alcançado o ponto doce de seu menino.

ㅡ A-amor, p-por f-favor! De novo!... AH!... Q-que d-delicia, H-hyung... hm... ㅡ gemeu, se contorcendo e revirando os olhos de prazer, formando nós em seus dedos da força exercida sobre o lençol da cama.

O canadense estocou diversas vezes no mesmo ponto, se deliciando com o aperto no seu membro e os doces gemidos em seu nome. Levou sua mão livre ao membro de seu pequeno, passando o polegar sobre a sua glande.

Hyuck via as estrelas, sentia prazer em diversas partes do seu corpinho, sentia que chegaria ao céu junto ao garoto que amava. Haechan sabia apenas gemer com o seu ponto doce sendo acertado tantas vezes seguidas, gritava o nome de Mark como nunca, sentindo seu membro sendo bombeado, sentindo sua próstata sendo surrada.

O aperto ao redor do membro do canadense o enlouquecia, ele iria gozar a qualquer momento, era gostoso e demais para sua sanidade. Já sentia o membro de seu gatinho pulsando em sua mão, apertou sua glande e sentiu o líquido escorrer pela sua pele, Hyuck gozou em um gemido doce e demorado, fazendo ele gozar também, dentro de seu garotinho.

Donghyuck se deliciava com a sensação de ser preenchido pelo sêmen de seu Hyung, tudo nele era gostoso e o satisfazia. Mark saiu de dentro de si e se deitou ao seu lado, o puxando para seu peito, contornando sua cintura.

ㅡ Mark, eu não te vejo apenas como um amigo colorido ㅡ falou triste, se distanciando para olhar em seus olhos ㅡ Tudo bem não ser recíproco. Sinto muito por parecer ingrato, porque eu tenho noção de que já é incrível ter esse combinado com você, mas eu não aguento não poder te ter sempre, ou te beijar e te tocar em público. Perdão, Hyung.

Mark levantou seu rosto com cuidado e limpou a pequena lágrima que escorria por suas bochechas cheinhas.

ㅡ Eu te amo, Hyuck ㅡ suspirou, o olhando com ternura ㅡ Não só como amigo. Eu amo seu sorriso e a maneira que ele ilumina o mundo todo, amo o seu beijo e abraço reconfortante, amo o seu jeito afoito de falar e se expressar, amo as piadas sem graça, as provocações, os aegyos involuntários, eu te amo por completo, Hyuck. Não peça desculpas por me amar, porque se não também terei que pedir desculpas por ser completamente apaixonado por você.

Haechan sorriu, iluminando todo aquele quarto e a vida de Mark.

ㅡ Eu te amo, Mark ㅡ lhe deu um breve selinho ㅡ Mais que muito.

 

Eles eram completamente apaixonados um pelo outro, almas gêmeas.

 

 

 


Notas Finais


irru!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...