1. Spirit Fanfics >
  2. 12 Horas >
  3. Acasos

História 12 Horas - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Mais um capítulo pra vocês!

Boa Leitura!

Capítulo 4 - Acasos


Fanfic / Fanfiction 12 Horas - Capítulo 4 - Acasos

|||

⸙ Narrado em primeira pessoa

❥ Gajeel Redfox

✾ Levy McGarden

(...)

❥ Gajeel Redfox

Estava em minha sala revisando a ficha de cada funcionário da Magnólia's, já havia se passado algumas semanas dês de o Baile, e eu organizava a papelada para efetuar o primeiro pagamento salarial do ano; olhava atentamente as folhas de ponto, horas extras, saídas antes do horário, faltas, atrasos etc e etc...

Mas meu maior problema é que sempre me pegava olhando uma única foto de registro, como seu rosto me era famíliar, não poderia ser aquela azulada. Balancei a cabeça negativamente na intenção de afastar tais pensamentos de minha mente e me concentrar em terminar logo aquele acerto. Todos devidamente assinados e guardados em seus envelopes juntamente com a quantia correta em dinheiro.

Sai de minha sala avisando a secretária que não voltaria mais no dia de hoje e para remarcar tudo, desci até o estacionamento da empresa coloquei a pasta no banco do passageiro e rumei para Magnólia's, por motivos de segurança eu mesmo quem efetuava o pagamento, todos já sabiam como funciona e aos novatos lhes foram passadas as devidas informações, eram chamados em ordem alfabética com excessão de Makarov, esse era sempre o primeiro pois me deixava a par de tudo o que ocorria dentro daqueles portões.

Chego na escola e vou direto para minha sala, está localizada ao lado do observatório exclusivamente para minha pessoa, era limpa uma vez na semana e nos dias os quais estava na escola, me acomodei e logo chamei o Diretor.

_E então? Como anda as coisas por aqui? -perguntei sem delongas

_Imagino que esteja com muitos afazeres, então, serei breve; em todos esses anos nunca vi a escola em tão perfeita ordem

_Otimo! E como estão os novatos?

_Tirando aquele incidente com a cozinheira, tudo bem, os alunos adoram Levy, tivemos uma alta considerável nas notas, Elfman conseguiu fazer todos praticarem os exercícios sem que ninguém fosse parar na enfermaria. Se me permite dizer, foram ótimas contratações

_Muito bem, aqui está, obrigado pelas informações

E assim seguiu todo aquele resto de tarde, um entra e sai daquela sala, que já estava me dando nos nervos, e então chegou a vez dela

_Levy McGarden? É, pelo visto você realmente não é uma criança

_Boa Tarde! Eu diria "prazer em conhecê-lo Sr. Redfox" mas estaria mentindo, e tive boa educação

_Teve? -a olho zombeteiro- Não me parece, sente-se, como está?

_Bem

_Também estou bem, obrigado por perguntar! Enfim, me falaram muito bem de seus serviços, e não foi só aqui na escola

_Não?

Consegui a atenção dela?

_Wendy fala muito de você -falei lhe entregando o envelope enquanto observava ela abrir o mesmo e conferir as cédulas, por que? Não sei, simplesmente o fiz

_Ela é uma das minhas melhores alunas

Era impressionante como ela sempre tinha a resposta na ponta da língua e sempre firme, não a via falhar em uma só pronuncia, seu olhar duro me julgava através daqueles óculos, eu diria que aquele era um olhar duro demais pra um rosto tão delicado

_Me diga, você sempre morou aqui?

_Não sei o que tem haver com a situação atual, mas sim, sou nascida e criada na cidade

_Entendi. Bom, algum problema com a papelada?

_Não -disse já se levantando- Está tudo certo, obrigada!

_Disponha sempre criança

Nada disse apenas saiu

Tratei de terminar logo com aquilo e sai da escola, peguei meu celular e disquei o número de Lily, precisava tirar algumas dúvidas, algo naquela professora me incomodava

_Gajeel? -voltei a realidade após ouvir a voz de Lily através daquele aparelho celular

_Lily, precisamos conversar, na minha casa, agora!

_Estou a caminho -Desligou-

Dei partida no carro e fui para casa, podia ter aproveitado e levado Wendy comigo, mas o assunto o qual queria tomar com Lily era delicado demais pra ter uma criança por perto. Deixarei este trabalho para Laxus que está acostumado. Chegando a meu destino vejo o carro de Lily estacionado, e seu condutor do lado de fora escorado na porta do passageiro com ambas as mãos em seus bolsos, abro minha garagem e adentro com meu carro.

『••📚••』

Todos devidamente sentados e acomodados naquele sofá da sala, Lily toma a palavra

_E então? Qual problema?

_Quais as chances de sobreviventes do reino de Varley?

Fui direto ao ponto, sem rodeios, e pela expressão de Lily ele esperava por tudo, menos isso, o mesmo paralisou, me olhou sério, colocou uma de suas mãos no queixo como se procurasse a resposta e então suspirou

_Eu diria mínimas, quase 0, por que? Algo que eu deva me preocupar?

_Estou apenas pensando, e se alguns deles tivessem conseguido escapar e-

_Impossivel -me interrompeu- naquele dia todo Varley estava em Dragonia e ao julgar todo o estrago da área duvido não teria como sobreviverem

_Eu estou vivo! -disse já a flor dos ânimos- Wendy está viva, você! Está vivo. COMO CONSEGUE DIZER QUE NÃO TERIA MAIS SOBREVIVENTES?? -Nesse instante a porta é aberta e uma cabeleira azul corre em minha direção

_Nii-San -me abraça- Você foi a escola e nem me trouxe pra casa -fez uma cara emburrada-

Me abaixei para conseguir ficar em sua altura bagunçando seus cabelos

_Eu tinha uns assuntos da empresa a resolver com o Tio Lily - falei olhando para o mesmo pelo canto do olho- Prometo te buscar durante toda a semana para me redimir

_De verdade? -acenei positivamente com a cabeça- Tá bom, se cumprir com a promessa eu te perdôo -me deu um beijo na bochecha, outro em Lily e subiu para seu quarto-

_Me recuso a acreditar que somos os únicos -digo a Lily, menos alterado-

_Eu acho que você tá pensando demais, talvez seja por que o Badalar está perto, quer um conselho? Saia, se divirta, faça o que mais gosta de fazer, isso deve ser stress acumulado, você tem muita responsabilidades em suas costas, quanto tempo faz que não sai com uma mulher?

_Algumas horas, Ge-He! -disse com um sorriso de canto me recordando da manhã que tivera- tem razão -desisti daquele assunto, estava claro que Lily estava escondendo fatos, ou simplesmente estava dizendo a verdade, ou talvez achava que não era hora para que eu soubesse de tudo- Devo estar sobrecarregado de serviço

_Exato! -falou indo até minha pequena adega da sala servido uma dose de whisky- Fiquei sabendo que hoje é inauguração de uma boate nova na cidade -entornou todo o líquido do copo-

『••📚••』

E lá estava eu, parado dentro de meu carro em frente a tal boate que se inaugurará naquela noite, depois de muito ser repreendido por Wendy. A quantidade de pessoa em sua porta esperando para que a mesma fosse aberta liberando a passagem era consideravelmente e claro meus olhos não podia deixar de analisar as moças formosas que ali estavam, logo a porta e aberta e o pessoal se fez presente no interior daquele salão, como a maioria das boates está também tinha divisões, como área vip, ou os famosos camarote e pista, com minha entrada em mãos passei pelas portas recebendo toda aquele choque da música alta e dos vários flashes de luzes em meus olhos, fui logo atrás de uma bebida para dar início a verdadeira festa.

Já no bar pedi um whisky e me sentei ali mesmo para apreciar minha bebida, mas aquele dia já havia decidido que seria totalmente diferente dos costumeiros, senta ao meu lado passando os braços pelo meu pescoço um certo rosado insuportável ao meu ver

_Fala Gajeel, nunca imaginei que o veria aqui

_Oi, Natsu

Não demorou muito e sua noiva chegou ali também me cumprimentando, apenas acenei com a cabeça, não que eu não gostasse deles, pelo contrário tinha muita confiança em Natsu, ele e o irmão eram meus braços direto e esquerdo dentro da empresa, mas em festas, eram dois completos idiotas Zeref nem tanto mas Natsu, sem comentários, eu já ia inventar uma desculpa qualquer e ir atrás de uma mulher pra levar a uma motel diferente como sempre fazia em minhas noites até ouvir uma voz que me chamou atenção

_Olha, eu realmente não sei por que ainda saio com vocês

Era ela, a professora, Levy se não me falha a memória, ela estava diferente, estava com semblante diferente, estava fora de sua zona de defesa, pelo jeito era próxima do cabeça de fogo e a loira aguada, mas todo aquele semblante divertido se foi no momento em que ela se aproximou o suficiente para que eu entrasse em seu campo de visão

_Levy-San, deixa te apresentar esse é o Gajeel, mas creio que já devam se conhecer -falou Natsu nos apresentando-

_A quanto tempo criança

_Como vai? Sr. Redfox

Aquele "Sr. Redfox" chegou em meus ouvidos num tom que chega ser impossível de tanto sarcasmo

『••📚••』

Conversa vai, e eu já estava decidido conseguir aquela azulada, eu ia levar ela pra cama, criei esse desafio em minha mente, o que acabou despertando interesse em passar aquela noite ouvindo as piadas daquele cabeça de fogo, subimos pro segundo andar, fizemos pedidos de diversos drinks mas quem eu queria que bebesse pra pelo menos se soltar não colocava uma gota de álcool na boca, o que dificultava um pouco meus objetivos, me aproximei até estar ao seu lado

_Você não bebe? -perguntei como quem não quer nada-

_Não sou muito de beber

_Mas o que é isso? Sem sarcasmo? Você tá bem?

(…)

✾ Levy McGarden

Como era dia de pagamento pra praticamente toda a cidade, Lucy havia me ligado mais cedo chamando pra ir em uma inauguração de uma boate nova na cidade, pra mim esses lugares nem tinha tanta graça, eu não era de dançar e muito menos de beber e era justamente isso que sempre rolava, mas adorava a companhia de Lucy e Natsu, ambos tiravam muitas risadas de mim, estava tudo ótimo, a noite seguia como qualquer outra com aquele casal, até nos depararmos com o Redfox, eu não tenho nada contra, e entendo que devo respeito por ser meu "superior" mas fora da escola pra mim ele é apenas uma pessoa, e se tem algo que qualquer pessoa faça que me tira do sério é fazer trocadilho com minha altura, eu não sei o que acontece simplesmente me sinto muito irrita e quando percebo já respondi sem nem ver o que, e foi exatamente o que ele fez, adora ficar me chamando de "Criança", pro meu azar daquele momento em diante Natsu resolveu que ficaríamos todos juntos, subimos pro segundo andar onde o "Todo Poderoso" tinha reservas, ali a música era diferente, tinha bebidas diferentes e alguns Polly Dance espalhados pela pista juntamente com suas dançarinas, era bem movimentado ao meu ver, os rapazes pediram diversos drinks alguns que dava até vontade de experimentar, apenas pela aparência, eu estava literalmente olhando pro nada e pensando no tudo e quando percebo o Redfox estava ao meu, próximo até demais

_Você não bebe?

_Não sou muito de beber

_Mas o que é isso? Sem sarcasmo? Você tá bem?

Por algum motivo me senti envergonhada com aquilo, eu realmente estava tão óbvia assim quando falava com ele? Se torna feio pra mim, mas por que estou preocupada?

_Só não gosto dos seus trocadilhos

-Hm? -me encarou- Ah, não é trocadilho -se aproximou segurando meu queixo- é um apelido carinhoso, criança

Senti minhas bochechas queimarem, mas o que diabos era isso, eu estava corada? Não falei nada, peguei minha bolsa e inventei uma desculpa qualquer, cheguei até Lucy e disse que iria embora, que queria descansar, ela insistiu em me levar embora mas não ia estragar a noite dela com meus caprichos a convenci que não precisava e que chamaria um táxi, sai da boate e pra minha sorte não tinha um carro táxi se quem em frente aquele lugar, ia caminhar até o ponto mais próximo, já que meu celular havia descarregado e não ia ter como chamar um, algumas quadras caminhadas e aquele carro encosta

_Entra, eu te levo em casa

Meu orgulho batia forte me dizendo para negar, mas razão falava mais alto, eu estava muito longe e quanto mais dinheiro conseguisse economizar pra mim era melhor, aceitei a carona

_Sabia que sair sem se despedir é falta de respeito -falou enquanto voltava pra estrada e eu prendia o cinto

_Eu me despedi

_Não de mim

_E eu precisava?

_Claro, também estava com você

_Minhas desculpas majestade, eu não havia percebido a sua presença

_Voltou com o sarcasmo

Não falamos mais nada o caminho todo, era um silêncio estranhamente perturbador, mas logo foi quebrado por um barulho vindo do lado de fora e o carro ir parando lentamente

_Droga! -exclamou ele

_O que houve?

_Não sei, mas receio que não vamos sair daqui, pelo menos não de carro -falou saindo e indo verificar o que havia acontecido- É, já era, só com um guincho e vai direto pra uma oficina

_De madrugada? Não tem oficina aberta mais, e pelo tempo não vai demorar a chover

_Pelo menos só falta uma quadra até sua casa, vai me passa seu celular

_Esta sem bateria, por que não usa o seu

_Se desse pra usar não pediria o seu, acabou a bateria também

Só podia ser o universo conspirando, não é possível tudo isso acontecendo

_Vai ter que me hospedar

_Eu? De jeito nenhum

_Credo! É desse jeito que agradece a pessoa que sempre te ajuda chegar em casa?

Droga, ele me pegou

_Humpt, vamos logo, mas já vou avisando que não é nada perto do seu castelo

(…)

❥ Gajeel Redfox

O acaso estava a meu favor naquela noite, chegamos em seu apartamento, não era tão pequeno mas também não era muito grande, tamanho perfeito para uma ou duas pessoas, como obra dos Deuses foi pisarmos dentro do local cair uma chuva tremenda lá fora, eu sempre carregava uma troca de roupa casual em meu carro a peguei antes de trancar o mesmo e levei comigo, ela com toda certeza não tava nem um pouco contente mas tiraria proveito disso, ela me mostrou onde ficava o banheiro e tratei de ir me lavar, desci as escadas apenas com minha calça de moletom e os cabelos levemente molhados, me sentei todo largado em um dos sofá

_To vendo que já tá se sentindo em casa, tire os pés do sofá por favor e vem logo me ajudar com isso aqui

_Não!

_Como não? Se quiser comer tem que ajudar

_Ta bom, não precisa se irritar

Caminhei até atrás daquela bancada onde ela preparava algo que não consegui decifrar o que era

_Corte essas cenouras por favor

_Cortar?

_Eu tô falando grego por acaso? Continue a corta-las como eu estava fazendo

Muito bem e lá estava eu, cortando cenouras, quando em minha vida imaginei que ia fazer isso, o cheiro estava realmente bom, era um lamem especial da família dela, segundo as informações que ela me passou, prato perfeito na situação atual, um tempo que iria esfriando mais conforme a chuva caia lá fora e rápido de ser produzido, por motivos desconhecidos por mim observar aquela criatura de meio centímetro cozinhar era agradável, agradável demais

_AI DROGA!! -Praticamente berrei ao sentir a lâmina da faca em dois de meus dedos-

_O que foi? -ela se virou de imediato para verificar e logo começou a rir que nem uma psicopata-

_Você vai ter que me idenizar sua maluca!

_Que culpa eu tenho se você é um desastre, sente no sofá vou fazer um curativo, mas antes vou colocar isso nos pratos

Ela serviu os pratos e colocou na mesa de centro, subiu as escadas e voltou com uma maletinha em suas mãos se sentou em minha frente e foi enrolando meus dedos numa delicadeza que não estava escrito, aproximei meu corpo do dela e a mesma me encarou, me aproximei mais e selei nossos lábios, passei uma de minhas atrás de sua cabeça trazendo mais para perto, dei início a um beijo de verdade, porém quando pedi passagem pra língua ela me afastou bruscamente e desferiu um tapa em meu rosto, se levantou rapidamente

_Coma e de um jeito de ir embora

Foi a última coisa que disse antes de pegar sua comida e sumir escada a cima


Notas Finais


Espero que tenham gostado, a partir daqui o casal começa a se desenrolar ❤️

Críticas Construtivas são sempre bem vindas!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...