História 1,2,3, eu te achei - Kim Taehyung - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 138
Palavras 1.372
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha só quem voltou, exatamente, eu!
Sentiram falta dessa fanfic? Espero que sim.

Bem, eu demorei um " pouco " para voltar mas tive meus motivos e o nome de um deles é: Escola.

Exato, sei que todos temos problemas escolares e muito mais mas poucos sabem o quanto isso é difícil. Enfim, não vamos falar disso, vamos para o capítulo.

Boa leitura família.

Capítulo 16 - 1.6


[ Capítulo 15: O mestre mandou ]


- Não se preocupe - uma voz feminina me despertou, mas especialmente, a voz de Yang me despertou, a garota que antes não pressionava a maldita faca em meu pescoço agora pressionava com uma certa força. - Não iremos matar o Kookie, até porque eu gosto muito dele e não duvido que o TaeTae Oppa não goste, estou certa Tae?


- Está, sempre está. - o garoto que ainda não havia movido sua faca do pescoço de Jeon se pronunciou. - Gosto muito do nosso Jeon, o garoto mais novo entre nossos Hyung's e não acho que eu deveria mata-lo.


Suspirei aliviada ao ouvir suas palavras, ele não iria matar Jeon, não nosso menino biscoito. 


- Sabe S/n - ouvi sua voz e voltei a me preocupar. -, eu gosto muito do menino biscoito, a Yang também gosta muito dele e sei que você e nossos "amigos" também o amam muito, seria uma pena se ele morresse, certo?


Uma risada baixa porém macabra de Kim me assustou, óbvio que amamos JungKook e Tae sabe disso.


- Responda ele Unnie - Yang pede calma, eu estava decidida a não responde-lo, talvez isso fosse um erro mas eu não queria deixar uma sequer palavras sair de minha boca. - Resende logo! 


- Deixe-a Yang. - TaeHyung sorriu - Ela só está assustada. - TaeHyung puxou JungKook vindo para perto de mim. - Olha S/a, eu realmente não quero matar o menino biscoito, eu não quero machuca-lo nem machuca-la mas você...- suspira - Você não está ajudando, se não responder não serei eu quem irei machucar ele, e sim você, então responda a maldita pergunta! 


Suspirei, um lado meu queria responder a pergunta mais óbvia que Kim já havia feito em anos mas outro lado meu não, provocar Kim seria um erro, eu sei, mas temos que jogar, não o jogo dele, e sim o nosso.


- Ela não vai responder Oppa. - sorri fraco. 


- Ela está jogado, menina esperta. - o mais velho sorriu. - Sabe S/n, não achei que seria capaz disso mas olha só, minha garotinha cresceu e está enfrentando um de seus maiores medos, assim que eu gosto. - o olhei - Mas, sinceramente, essa não é a hora de jogar, ambos os dois estão com as vidas em nossas mãos, você sabe que se apenas movimentarmos nossas mãos suas gargantas serão cortadas e vocês...Bem, morrerão, não brinque comigo S/n, você não sabe com quem está se metendo. 


Ri baixo fazendo Kim me encarar.


- Eu não sei onde estou me metendo? Claro que sei. - o olhei - Estou batendo de frente com Kim TaeHyung, meu ex melhor amigo que desapareceu por muito tempo e agora está fazendo teatrinho. - sorri vendo a curiosidade nos olhos de Kim. - Sabe TaeTae, eu sei exatamente onde estou e com quem estou me metendo, você pode ter machucado e tirado a vida de meus amigos, pode ter me ameaçado e provocado várias brigas entre meus amigos, seus amigos e eu, entre meu namorado,seu melhor amigo e eu mas você quem não sabe com quem estão se mantendo. 


Sorri ao terminar a frase, TaeHyung me olhou surpreso e intimidado o que me deixou mais confiante de tudo, um sorriso fraco foi dado por ele antes do mesmo se levantar e aplaudir. 


- Ótimo discurso S/n, muito bom mesmo. - diz rindo. - Incrível como as pessoas mudam ao acharem que não somos capazes de certas coisas. - sorri - Porém, além do seu discurso ter sido bom o suficiente para me deixar com "medo" eu ainda sou o assassino e você a princesinha que precisa de ajuda. 


Revirei os olhos ao ouvi-lo, eu posso ter sido fraca psicologicamente e física mas tenho certeza que minhas reações diante de tudo que está acontecendo é apropriada para isso.


- Eu não preciso de ajuda TaeHyung, já você...Bem...Não diria o mesmo. - o mais velho ri alto. 


- Eu preciso de ajuda mas saiba que ficarei melhor ao terminar o que quero fazer com você e com os Hyung's incluindo o JungKook. - sorriu voltando a puxar JungKook. - Vamos fazer o seguinte. 


O olhei, JungKook não havia dito uma palavra desde que Kim invadiu o quarto com sua cúmplice falsa, mas sempre que eu desafiava TaeHyung ele me lançava um olhar amedrontado e raivoso. 


- Eu não vou topar nada, TaeHyung. - falei olhando para JungKook que encarava Yang. 


- S/n, S/n, S/n, você sabe o que sou capaz. - sorriu enquanto falava. - Não queira perder JungKook, todos irão ficar com raiva de você por não ter ajudado seu próprio amigo.


- S/n...


- Fala logo o que você quer. - TaeHyung tirou o capuz me olhando. 


- Vou facilitar as coisas para você, S/a, você quer jogar? Então nós vamos, mas não será o "nosso" jogo e sim o meu próprio jogo com minhas próprias regras sem nenhuma modificação, entendeu? 


Olhei para JungKook que parecia não gostar da proposta, Yang ria atrás de mim pressionando cada vez mais forte a faca contra meu pescoço. 


- Tudo bem...Sem modificações, seu jogo, suas regras. 


- Ótimo, assim que eu gosto, minha pequena S/n ficou invulnerável a mim. - diz rindo. - Enfim, S/n, o jogo é o seguinte, obviamente você já brinco de " O mestre mandou ", afinal, quem nunca, né?


Respirei fundo, não deve ser coisa boa, afinal, Kim TaeHyung está deixando todas as brincadeiras infantis uma droga. 


- Eu sou o mestre, eu mando e você obedece, caso contrário, de aniversário você receberá a cabeça de JungKook. - engoli minha saliva com força. - Não se preocupe S/a, Jeon é forte, ele aguenta.


- Eu...Não posso aceitar isso...


- Sabe S/n, você não facilita nada, ajuda seu velho amigo a te ajudar, não quero que o menino biscoito fique sem cabeça e entre para minha coleção de corpos. - o olhei espantada. Sério isso? - Aceite e ele vive, recuse e ele morre, mas se aceitar faça tudo como eu digo, caso contrário, você matará seu amigo Biscoito. - diz rindo - Olha que legal, de uma forma ou de outra você será a causadora da morte do menino biscoito se algo der errado, dessa vez a donzela salvará o príncipe perfeito das garras de Kim TaeHyung. Isso deve entrar para os livros de história. 


Suspirei olhando para Jeon, eu deveria aceitar, mas se Kim acha que o jogo será do seu jeito ele está muito enganado. 


- Tudo bem. Eu aceito jogar seu jogo com suas regras sem nenhuma modificação sequer. - não sei se fiz uma boa escolha mas no momento essa é a mais segura. 


- Ótimo. Assim que eu gosto - diz anto -, você nos surpreendeu, enfim, o jogo é o seguinte, JungKook será levado comigo para meu novo esconderijo e você terá alguns desafios simples para cumprir, mas sem a ajuda de seus fiéis amigos.


- Qual o nível de dificuldade dos seus desafios macabros? - pergunto olhando para ele.


- Boa pergunta, não será fácil S/n, não te deixarei ganhar, eu preciso ver sangue e lágrimas. - diz olhando para sua faca. 


- Em uma escala de 0 à 10, qual o nível de dificuldade, TaeHyung? 


- Em uma escala se 0 à 10? Bem, o nível de dificuldade obviamente será 30 a 40. 


- O que? 


- Surpresa S/n? - ri - O que você esperava, Kim TaeHyung está jogando. 


-...Aish...


- Bem S/a, eu gosto muito de conversar com você mas infelizmente seu melhor amigo terá que ir e levar o menino biscoito. - diz se distanciando. - Boa sorte amanhã, você irá precisar, vamos Yang, dê Tchau para o menino biscoito S/a


O mais velho pegou a mão de JungKook acenando para mim, suspirei vendo Jeon e TaeHyung sumirem após saírem do quarto, logo em seguida Yang. 


- Droga...- Suspirei - Ele não vai matar o JungKook...Ele não pode e não vai. 


Sorri olhando para meu reflexo no espelho. 


- TaeHyung acha que ganhou, mal sabe ele que o jogo só está começando. - ri - Ele pode escolher o jogo, pode ditar as regras mas eu deixarei esse jogo ao meu favor. Se ele quer brincar de " O mestre mandou " brincaremos, mas do meu jeito. Boa sorte, TaeTae




Notas Finais


O que acharam da "nova" S/n?
Será que nossa nova " psicopata " vai conseguir salvar JungKook e deixar o jogo ao seu favor?

O capítulo termina aqui, espero que tenham gostado, obrigada por acompanharem e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...