1. Spirit Fanfics >
  2. 17:45 ( Imagine Sehun ) >
  3. 19

História 17:45 ( Imagine Sehun ) - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Hey, hey. Como estão?

Bora lá para mais um capítulo.

Espero que gostem.

Bjinhos

Capítulo 19 - 19


“I try to laugh about it

 Cover it all up with lies

                            I try to

               Laugh about it

  Hiding the tears in my eyes

  Because boys dont cry”

                                               - Boys Dont Cry - The Cure

 

O tic tac do relógio parecia perfurar a mente de Sehun. Quanto mais olhava para ele, mais nervoso ficava. Estava tão ansioso que sentia o suor se acumular na testa. Por mais que Baekhyun dissesse que tudo ficaria bem, uma preocupação irritante estava o deixando perturbado. O problema não era _____ mas sim Brad, ele não confiava nem um pouco no sujeito.

 

Assim que o sinal tocou, Sehun levantou-se e jogou o estojo dentro da mochila, Kyungsoo foi o primeiro a se aproximar e colocar o rosto diante do dele.

 

- Vamos ensaiar mais tarde?

 

Sehun coçou a sobrancelha. Não sabia se o clima em sua casa estava bom para isso. Sua mãe faria questão de descer até a garagem e pedir para que seus amigos fossem embora.

 

- Em casa não dá – suspirou cansado.

 

Kyungsoo nem precisou perguntar o porquê.

 

- Então vamos na minha casa, minha mãe está lá hoje e eu queria mostrar como melhorei.

 

Sehun lhe deu um sorrisinho. Era engraçado ver como seu amigo podia mudar de um garoto malicioso e festeiro para o filhinho da mamãe. Ele assentiu, não havia porque ir para casa tão cedo, seria até melhor ficar na companhia deles.

 

Talvez assim ele não ficasse pensando tanto no encontro de _____ com Brad.

 

(..)

 

______ respirou fundo. Seus dedos rasparam na palma de sua mão tentando conter a ansiedade que se acumulava no peito. Será que ela está realmente certa em encontrá-lo sozinha? Talvez devesse ter pedido para alguém vir. Não, não. Brad não iria fazer nada com ela, ele não é assim.

Apesar de que...

Não. Se ela pensar muito, vai perder a coragem. Ela precisa enfrentar os medos.

 

Seus olhos encararam a rua vazia e um sentimento ruim se acumulou em seu peito. Lembranças de seu antigo relacionamento perambularam sua mente, principalmente as diversas vezes em que foi deixada de lado e Brad a deixou sozinha. Tantas vezes.

 

Estranho pensar que foi em uma dessas vezes que ela reencontrou Sehun. Teriam eles se esbarrado em outra situação? Não tem como saber mas, de certa forma, ela gosta de como as coisas aconteceram.

 

______ cruzou os braços enquanto batia um dos pés repetidas vezes no chão. Olhou para o relógio e então surpreendeu-se quando uma sombra surgiu atrás de si e agarrou seus ombros.

 

- Então você veio – Brad disse baixinho, perto de sua orelha.

 

Ela foi rápida o bastante para se desfazer de seus braços e encará-lo. Involuntariamente uma de suas mãos apertou sua orelha, como se não acreditasse que ele a tivesse tocado de maneira tão íntima depois de tudo.

 

- Pois é – disse tentando soar firme – Do que você quer conversar?

 

Brad sorriu de lado. Não é esquisito que quando uma pessoa mostra seu verdadeiro ser, acaba se tornando feia? _____ sempre considerou Brad um dos garotos mais bonitos da escola mas agora não vê nada. Não sente mais aquela agitação no coração ao imaginar seus beijos e abraços.

 

- Você sabe porque eu te chamei – ele encostou na parede enquanto a analisava – Por que não me disse que sabia tocar tão bem?

 

_____ engoliu seco. Babaca. Babaca. Babacão.

 

- Do que está falando? Eu não toco guitarra tem muito tempo, se você se esqueceu meu pai odeia que eu faça isso. E se me lembro bem, você era um dos que o apoiava.

 

Brad levantou as mãos em rendimento.

 

- Eu poderia estar errado sobre isso – seus olhos percorreram seu corpo – Mas eu não estou errado sobre Tiana, não mesmo.

 

- Que Tiana? - _____ colocou a mão na cintura. Talvez assim pudesse conter o tremer de suas mãos.

 

- Você tem que ser muito inocente para pensar que eu não descobriria. Se você não é Tiana, por que sentou na mesa do cantorzinho?

 

- O quê?

 

- Você nunca falou com eles, nunca se quer olhou para eles mas do dia para noite viraram amiguinhos, sentam juntos, conversam nos corredores.

 

______ ergueu o queixo. Não podia demonstrar qualquer tipo de emoção em seu rosto. Mesmo que pare de si estivesse realmente chateada por aquelas palavras serem verdade. Ela nem mesmo sabia que Sehun estudava na mesma escola que ela. Que tipo de pessoa horrível ela era quando estava com Brad?

 

- Isso parece ciúmes – ela disse – Por que fica me observando? Vá cuidar da sua vida.

 

Brad soltou uma risada, ele molhou os lábios antes de voltar a falar.

 

- Sabe uma coisa engraçada? Sehun disse a mesma coisa para mim hoje.

 

______ sentiu uma das veias de sua cabeça saltar.

 

Calma. Respire fundo.

 

Calma. Precisa se manter calma e não cair nos joguinhos dele. Ele é ruim, ele é o malvado na história.

 

- Brad, onde quer chegar? Se isso é tudo o que você tem a dizer, eu vou embora.

 

- Não – ele negou. Se aproximou dela e segurou levemente seu pulso – Eu só vim te dar um aviso, não gosto dessas suas atitudes e sei que seus pais também não gostariam. Você quis se aventurar naquele bar? Tudo bem, agora chega. Você não precisa mais fazer isso. Nós podemos voltar e você me dá tudo o que tenho direito.

 

O queixo de _____ caiu. Meu Deus! Isso não pode ser verdade. É como se seu ouvido estivesse sangrando por ouvir tanta besteira. Como ele pode ter essa cara de pau de dizer tais coisas?

 

Ela tentou empurrá-lo mas Brad a segurou mais forte.

 

- Você ouve o que diz? – ela quase gritou – Saí de perto de mim. Agora.

 

- E se eu não quiser? – ele sorriu ladino. Nojento.

 

A respiração de _____ ficou mais rápida. Ela encarou os olhos de Brad, repletos de raiva e malícia. Um temor correu por todo seu corpo, ele achava que ela gostava desse tipo de coisa? Desse aperto, dessa possessão?

 

Como poderiam existir homens como ele?

 

- Temos um trato? – perguntou aproximando-se mais um pouco.

 

E então ela viu a oportunidade perfeita para se livrar dele. Quando Brad ficou a poucos centímetros de seu corpo, _____ ergueu o joelho entre suas pernas e cuspiu em seu rosto. O empurrou com toda a força que habitava seus braços e virou-se para correr.

 

- Nunca mais toque em mim – ela gritou enquanto um sorriso surgia em seus lábios por vê-lo ajoelhar-se de dor.

 

Mas era melhor correr. Não queria estar ali quando ele se recuperasse.

 

(..)

 

_____ só parou de correr quando avistou sua casa. Ela se escancarou no tronco de uma árvore e se deixou cair no chão. Cansada e suada. Avistou alguns carros passando pela rua e respirou aliviada por nenhum deles ser de Brad.

 

Ela fechou os olhos com força e começou a rir. Que coisa doida. Nunca pensou que podia fazer aquilo com Brad. De onde saiu essa coragem? Talvez seja raiva acumulada.

 

Alguns minutos se passaram e ela continuava no mesmo lugar, aproveitando do vento suave que tocava sua pele e do som de alguns pássaros voando.

 

Quando uma voz a acordou dos pensamentos, ela xingou baixinho.

 

- Está tudo bem? – alguma garota perguntou.

 

______ abriu um de seus olhos e a reconheceu imediatamente. Cyntia, elas estudaram na mesma sala por muitos anos até ela mudar de escola. Nunca foram muito íntimas mas Cyntia sempre foi mais legal que grande parte da sala. Será que ela mora por aqui?

 

- Estou sim – ela tentou dar o sorriso mais convincente – Só corri um pouco.

 

Cyntia anuiu lentamente.

 

- Mas você quer que eu chame alguém?

 

- Não precisa - _____ abanou as mãos – Estou bem, só cansada. Obrigada, de qualquer forma.

 

- Sabe, eu costumo sair para correr de manhã – por um instante, _____ pensou que Cyntia fosse sentar ao seu lado – É meio solitário na verdade, você quer vir comigo na próxima vez?

 

______ piscou atordoada. Como dizer que ela estava correndo de um ex namorado babaca e não por saúde?

 

- Acho.. acho que sim, vamos ver – ela riu nervosa – Onde você mora?

 

 Cyntia apontou para a casa bem em frente a árvore que ela estava apoiada. ______ sentiu seu rosto corar.

 

- Eu te vi pela janela, por isso vim perguntar – explicou – Eu me mudei faz pouco tempo mas me lembro de você.

 

- Eu também.

 

Um silêncio se estendeu entre elas até que _____ finalmente conseguisse força para se levantar e abanar as calças cheias de grama.

 

- Sabe que horas são? – Cyntia perguntou.

 

______ olhou para o relógio em seu pulso e automaticamente todos os seus pensamentos se prenderam em uma outra pessoa.

 

- 17:45.


Notas Finais


hehehehehe

Quem mais adorou essa joelhada no Brad?

Cheirinho de personagem novo no ar, será que Cyntia vai ser gente boa?

Love u Mo

Espero que estejam gostando


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...