História 18 Açucarado - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Doce 16, Drama, Família, Romance
Visualizações 6
Palavras 1.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oláá, primeiro capitulo do dia.
Desculpa ter causado toda essa agonia em vocês por causa da história, mas é que faz parte!
Espero que, apesar dos pesares, tenham gostado!
Obrigado pelos comentários.

Capítulo 34 - Capitulo XXXIV: Solução de problemas


Capitulo XXXIV:

Nós fomos pra um bar perto dali. E quando chegamos o Júlio já foi pedindo logo duas bebidas, eu não estava afim de beber, mas, eu estava num bar.

_ Tá, agora me diz qual é sua desconfiança.- Eu disse.

_ Então, depois que meu pai e minha mãe disseram aquilo eu fui tentar me lembrar de alguma coisa que aconteceu... e não consegui me lembrar de nada.

_ Como assim? Não estou te entendendo.

_ Quando a Paty nasceu eu já tinha 5 anos, mas não me lembro da mamãe nessa época. Ai eu parei pra pensar e me lembrei, que quando eu tinha 3 anos eu tinha duas casas, as vezes eu ficava na mamãe e outras no pai, mas eu não lembro deles juntos...

_ Então a Paty não é filha do seu pai?- Eu disse espantado.

_ Calma, deixa eu terminar. Ai eu lembrei que quando eu tinha 5 anos a mamãe voltou pra casa, e logo depois a Paty apareceu....

_ Quanto tempo? Nove meses?

_ Não, bem menos.

_ Ah isso não é garantia, cara.- Eu disse desanimado.

_ Como não?

_ Ela pode ser o filho da reconciliação, eles estavam brigados, ai se acertaram, ela engravidou e os dois voltaram.

_ Não é assim Rodrigo, a minha mãe só voltou com o meu... nosso pai, porque ele concordou de criar a filha dela com outro cara...

_ Por que ele faria isso?

_ Alguém sabe que eles ficaram separados, a não ser eu?

_ Não...

_ Então, ele aceitou que ela voltasse pra não manchar a família, imagina, a minha mãe teve um filho com outro, meu pai ia ser chamado de corno na empresa, ia perder o respeito e a credibilidade nos negócios.

Fiquei uns minutos a pensar, é claro que fazia sentido, o Senhor Alencar faria qualquer coisa por uma boa imagem, e talvez, minha... a Patrícia não seja filha dele.

_ É até que faz sentido.

_ Eu sei, por isso eu marquei um exame de DNA, mas não foi liberado ainda.

_ O que? Como assim?

_ É claro que o meu pai não permitiria fazer um exame de DNA com a filha dele...

_ É claro, ela é a princesinha...

_ Sim, por isso, eu peguei uns fios de cabelo dele.

_ Como?

Ele não me respondeu, apenas pareceu pensar e então disse:_ O que importa é que eu peguei, e enfim, eu peguei uns dela também, e mandei pro laboratório, meu objetivo era que chegasse antes disso acontecer hoje, mas não deu tempo...

_ E quando vai ficar pronto?

_ Eles disseram ontem, mas até agora nada.

_ Será que seu pai não descobriu?

_ Não...- Ele disse e pareceu pensar, depois disse de novo:_ Não, e se ele descobrir é bom, a gente pressiona ele até ele fazer.

_ Ele vai me matar.

_ Se você não fosse filho dele e se a comunidade de investidores dele não soubessem, sim, mas agora, acho que não.

_ Mas e a Patrícia? Ela vai ficar arrasada quando descobrir que não é filha do pai dela.

_ É pode ser, mas acho que ela vai ficar grata por poder ficar contigo.

_ Não sei não, não sei se vale a pena isso Júlio.

_ Fala sério, essa menina te ama.

_ Me ama, eu sei.- Eu disse me lembrando dela.

_E você também ama ela.

_ Sim.

_ Eu sei, eu estou confirmando, não fazendo uma pergunta.- Ele disse e sorriu.

_ Ai, é tanto problema na minha cabeça.- Eu disse colocando minha cabeça entre as mãos.

_ Qual mais você tem, um eu já resolvi.

_ Não resolveu cara, isso ainda vai dar em muita coisa.

_ Cara, cara, presta atenção, você não é irmão dela, tá legal? E se deu errado o exame, deixa comigo que eu vou dar um jeito em arrumar outro.

_ Já que você diz.- Eu disse sorrindo pra ele.

_ Tá, vai qual outro problema?

_ Não, ah, deixa quieto.

_ Não, me diz ai.

_Bem, a Patrícia está gravida.

_ Pensei que você que quisesse outro filho.

_ Eu quero, mas não no meio disso tudo, não quero que a criança nasça no meio dessa confusão, com todo mundo olhando feio pra ela, achando que ela é filha de um incesto, sem contar na minha filha que já está passando por isso, não quero que outra pessoinha passa pelo que a Júlia vai passar.

_ Alguém está ofendendo minha sobrinha?

_ O que tu acha Júlio? Todo mundo acha que ela é filha de um...

_ Mas ela não é, isso é por pouco tempo Drigo, só até eu provar aquela outra coisa.

_ Tomara que você consiga rápido então. Antes do meu outro filho nascer.

_ Pode deixar, é garantido mano, fica tranquilo.

_ Eu só não quero ser irmão da Patrícia.- Eu disse suspirando.

_ Você não é.- Ele disse com aquele mesmo tom solidário. E então continuou:_ Mas algum problema?

_ E até injusto eu não poder curtir meu filho depois de...- Eu deixei a frase no ar lembrando que ele não sabia das minha dores.

_ De?

_ De... tudo que a gente passou.

_ Olha Drigo...- Ele disse tomando um gole da cerveja, depois continuou:_ A Patrícia me disse...

_ Não acredito, pra quem mais ela falou?

_ Ela queria ajudar Drigo, só pra mim ela falou, eu sei da dor, eu sei que você... enfim, eu acho que você devia procurar um medico...

_ Eu já fui num medico.- Eu disse me sentindo desconfortável na cadeira.

_ Você precisa ir em outro, até algum dar certo, quer viver pra sempre com essa dor?

_ Não, mas e se não tiver cura?

_ Quanta besteira, é claro que tem. Para de ser babaca. Eu não vou resolver esse seu problema, até porque não tem como, não vou ir atrás de um medico pra você ou coisa do tipo, mas você precisa se resolver poxa.

_ Tá bom, vou ver isso depois, mas vamos se concentrar primeiro nos DNAs, a gente precisa...

_ Eu sei, eu sei, deixa comigo parceiro.

Ok, eu vou deixar com ele, o que eu posso fazer a não ser torcer e desejar com todas as minha forças que o que ele disse seja verdade? Eu preciso acreditar nisso, eu preciso fazer ser verdade, custe o que custar.


Notas Finais


Será que o Júlio vai resolver mesmo esse problemão?
Então a Paty não é filha do senhor Alencar? Vixiii... prevejo climão!
COMENTEEMMM qualquer coisinha!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...