História 18 Açucarado - Capítulo 38


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Doce 16, Drama, Família, Romance
Visualizações 9
Palavras 1.292
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oláá
Gente personagem novíssimo na área! E eu adoro ele!!!!
Espero que gostem tanto do capitulo quanto do Rômulo.
Último capitulo de hoje ('choro') mas amanhã eu volto.
Não esqueçam de comentar!
Tchau!!

Capítulo 38 - Capitulo XXXVIII: Rômulo


Capitulo XXXVIII:

Como se a Patrícia tivesse adivinhado no outro dia o senhor Alencar foi até a minha sala conversar comigo, e eu já imaginava o que era

_ Rodrigo, você deveria aceitar.- Ele disse insistindo pra que eu aceitasse ir na festa que ia ter no domingo na casa dele, onde a minha futura perfeita namorada estava.

_ Eu já disse que não.

_ Filho, você vai ficar pra sempre com essa Patrícia na cabeça?

_ Como você pode falar assim? Até ontem ela era sua filha e eu o cara que você odiava.

_ Foi ela quem abandonou a gente.

_ Também você esperava o que?

_ Não vamos falar disso, filho, eu espero você no sábado.

_ Já disse que eu não vou.

_ Porque? O Júlio vai estar lá.

_ E daí? Eu não quero nenhuma namorada, nenhuma menina que você ache perfeita, eu não quero que você domine minha vida.

_ Eu não estou dominando. Eu só acho que você deveria ter uma namorada já que a fila já andou pra Patrícia.

_ Não andou.... como você sabe?

_ Bem, eu chamei ela pra ir no domingo também, e ela pediu pra levar o namorado.

_ Ela vai?

_ Com o namorado, sim.

_ Eu vou também, não por causa que você quer, eu nem vou falar com essa menina, e é melhor você me deixar em paz em relação a isso, eu vou por causa da Patrícia.

_ Tudo bem, eu não vou chamar a menina nesse domingo, vou deixar você se decepcionar, cair na real que a Patrícia já está bem sem você.

_ Você não sabe de nada.- Eu disse como se essa afirmação anulasse todas as outras dele. E ele apenas sorriu de mim e saiu.

 

(...)

 

Domingo

13:00 hrs

Patrícia P.O.V.

É claro que eu estava nervosa, eu queria causar a impressão adequada na festa. Eu arrumei a Júlinha e estava esperando Romulo. Em pouco tempo ele chegou, eu abri a porta e ele disse:

_ Oi amiga.- E me deu um beijo no rosto.

_ Romulo você precisa fazer papel de...

_ Eu sei, eu sei, não estou vendo seu boy por aqui.- Ele disse bravo.

_ Você está mesmo tudo bem com isso não é?

_ Claro, mas ainda assim não acho que seja a melhor coisa a se fazer.

_ Você vai achar quando ver a infinidade de meninas perfeitas que vão estar nessa festa, só esperando pro Rodrigo escolher uma delas.

_ Você é perfeita amiga.

_Bem, eu não tenho um pai que vai com contratos lucrativos a oferecer.

_ Mas o boy gosta de você.

_ E de que isso importa Romulo, vai por mim, eu já estive na pele dele.

_Não acredito nisso, o boy deve ser feio, por isso você está fugindo dele.

_ Ele não é feio.- Eu disse me lembrando de como o Rodrigo era bonito.

_ Tio Romulo.- Júlia veio gritando em direção a Romulo para abraçar.

_ Que princesa linda tio.- Ele disse pegando ela no colo.

_ Você vai com a gente na festa do papai?

_ Sim, eu vou acompanhar sua mãe.

_ Legal, o meu pai vai gostar de você.

_ Aposto que sim.- Ele disse e olhou pra mim e sorriu.

_ Vamos?- Eu perguntei e eles confirmaram com a cabeça.

 

(...)

 

13:30 hrs

Chegamos lá, e não tinha o tanto de carro que eu esperava, eu segurei na mão do Romulo, e ouvi ele sussurrar um “ fica calma princesinha”, e não pude negar que sorri. Nós entramos e eu notei que não tinha tantas mulheres assim, e estava cheio dos nossos amigos, como: Paulo, Pedro, Léo, Fernanda e claro meu irmão. Quando nós entramos eu vi o Rodrigo ao longe, e ele vi ele vindo em nossa direção. Ele estava bravo, e se aproximou de nós e pegou minha filha que estava nos braços no Romulo, e então olhando pra mim ele disse:

_ Você veio mesmo.

_ Pois é. Seu pai me chamou.- Eu disse e senti Romulo apertar minha mão com força.

_ Papai.- Júlia disse abraçando ele. Mas ele não a deu atenção, e sim fixou os olhos no Romulo e disse:

_ E você deve ser o namorado dela.

_ Sim, Romulo, prazer.- Romulo disse estendo a mão. Mas Rodrigo apenas a olhou e disse sem apertar.

_ Rodrigo.- E com um leve aceno de cabeça saiu com a minha filha nos braços.

_ Ok, o boy não é feio. O que aconteceu pra você não querer ele?

_ Romulo não esquece que você é meu namorado homem hoje, e homens não falam boy.

_ Desculpa gata.- Ele disse e sorriu, eu sorri também e ele continuou:_ Ele é lindo Paty, até meu coração bateu mais rápido.

_ Para Romulo.- Eu disse enquanto nós íamos nos sentar.

_ Ele tem uma cara de bebê. Deve ser o cabelo enrolado.

_ Para Romulo.

_Bem, se eu pudesse eu pegava. Já sei.

_ Já sabe o que?

_ O boy é ruim de cama? É isso?

_ O que? Não. não ele não é.

_ Então acho que vou ter que começar a acreditar nessa loucura de ser por causa do seu pai que não é mais seu pai e que agora é pai dele.

_ Eu disse que era por isso desde o começo.

_ Paty.- Ouvi a voz do meu irmão perto de mim, e me levantei no mesmo instante abraçando ele.

_ Júlio, que saudade!

_ Eu também minha princesa.

_ Fernanda!- Eu disse me separando do meu irmão e abraçando minha amiga que estava enorme por causa da gravidez e segurava um menino lindo nos braços.

_ Que saudades Paty! Espero que o apartamento esteja te servindo.

_ Está, está sim! Mas eu não vou perturbar por muito tempo, estou procurando um pra mim, bem, um que esteja no meu orçamento.

_Que isso, pode usar o quanto precisar. Ele é seu!

_ Obrigada...

_ E esse deve ser o Romulo.- Júlio disse.

_ Sim, meu namorado. Romulo.- Eu disse apresentando ele.

_ Prazer.- Ele disse apertando a mão do meu irmão.

_ Meu irmão Júlio. E minha cunhada Fernanda.- Eu disse.

_ Ela falou muito bem de vocês.- Romulo disse. E percebi que ele seria meu melhor amigo pra sempre.

_ De você também.- Fernanda disse.

_ É, quando ela falou, ela falou bem.- Júlio disse meio seco.

_ Imagino.- Romulo disse sem graça.

 _ Bem, nós vamos indo cumprimentar os outros.- Júlio disse.

_ Foi um prazer.- Fernanda disse enquanto ambos saiam.

_ Ok, ele é time Rodrigo 100 %- Romulo disse se sentando de novo.

_ Desculpa por isso.- Eu disse olhando pra ele.

_ Tudo bem amiga, eu já esperava por isso.

_ Ah, nem sei como te agradecer.

_ Bem, você tem amigos lindos.- Ele disse e ambos sorrimos. Depois ele ficou sério e disse:_ Não olha agora, mas o boy está olhando pra cá.

_ Me beija Romulo.- Eu disse.

_ O que?

_ Fala sério, todo namorado se beija, e é só um beijinho, isso não vai te fazer menos gay.

_ O que eu não faço por você.- Ele disse e então se aproximou de mim e disse:_ Vem cá.

E então me deu um beijo. É claro, eu não senti nada, mas não posso negar que ele é um ótimo beijador, e sim, ele vai ser meu amigo pra sempre, que amigo faria isso?

_ Pronto.- Ele disse nos separando.

_ Obrigada.-Eu disse sorrindo.

_ De nada. Mas estourou minha cota de beijos por hoje.- Ele disse meio emburrado.

_ Ok, mas ele está olhando pra cá ainda?

Ele olhou através do meu ombro e disse:_ Não, ele já se virou.


Notas Finais


E aí o que acharam dele?
Ótimo não? Engraçadíssimo!
Espero que tenham entendido a proposta do personagem novo (' É um namorado de mentira') hahahah
Espero de coração que tenham gostado.
Até mais!
COMENTEM


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...