História 18 Açucarado - Capítulo 41


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Doce 16, Drama, Família, Romance
Visualizações 8
Palavras 833
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oláá leitores e leitoras!
Espero que estejam gostando!
Estou meia desestimulada com a fic, mas vou continuar mesmo assim!

Capítulo 41 - Capitulo XLI


Capitulo XLI:

Como ele disse na noite anterior quando deu exatamente sete horas o Rodrigo apareceu na minha porta.

_ Oi.

_ Oi, eu vim ver a Júlia, como eu tinha prometido.

_ Ah sim.... ela ainda não acordou na verdade.

_ Eu acordo ela, eu arrumo ela pra ir pra escolinha.

_ Tá bom.- Eu disse dando espaço pra ele passar e ele deixou uma mala no meu sofá depois foi até o quarto dela. Quando eu me recuperei da imagem de super pai do Rodrigo, eu fui fazer o café, coloquei uma xicara a mais na mesa, caso ele quisesse comer, depois fiz um lanche pra Júlia levar na escola.

_ Ei mamãe, olha pra mim.- Júlia disse enquanto estava no pescoço do pai.

_ Nossa, se você derrubar ela eu te mato.- Eu disse pra ele que sorria.

_ Não vou derrubar.- Ele disse e colocou ela na cadeirinha.

_ Você quer café?- Eu perguntei pra ele, que me encarou por um tempo depois disse:

_ Eu prefiro o seu leite, mas pode ser só o café mesmo.- Ele disse e eu corei de vergonha e servi café pra ele. Depois me sentei no meu lugar.

_ O Romulo não dormiu aqui?- Ele disse

_ Dormiu.- Eu menti.

_ E cadê ele?

_ Ah... an... ele foi tomar banho na casa dele, se arrumar pro serviço lá.

_ Então ele vai vim aqui ainda?

_ Ah... não... provavelmente ele vai direto pro trabalho.- Menti e forcei um sorriso.

_ Ah sei, ele trabalha do que?

_ Ele... ele tem uma empresa.- Eu disse tentando esconder que ele era cabelereiro

_ No ramo do que?

_ De... estética, beleza feminina, essas coisas- Eu disse como se isso não importasse.

_ Então ele conhece muito de mulheres.

_ Com certeza.- Eu disse olhando nos olhos dele, e ele apenas sorriu e disse:

_ Eu encontrei ele antes de entrar aqui. Ele estava indo pro serviço... salão, é... salão de beleza ele me disse.

_ É... ele é gerente de um também.

_ Legal. Deve ser por isso que ele é tão delicado.

_ O que você está insinuando.

_ Eu? Nada.

_ Você não passa de um idiota, ele é delicado mesmo, muito melhor do que ser grosseiro...

_ Mas ele te pega de jeito?- Ele  disse sem se importar com a nossa filha que estava do lado.

_ Isso é da sua conta?

_ Ele não tem jeito.

_ É você está entendendo demais de jeito masculino.- Eu disse e ele sorriu balançando a cabeça.

_ Não acho que seja eu que entenda de jeitos masculinos.

Eu não respondi nada, apenas me levantei e tirei a mesa, ele tirou a Júlia da cadeirinha e ela foi buscar a mochila dela, e eu senti ele se aproximar de mim na pia, e me agarrar pela cintura enquanto relava o nariz no meu cabelo, eu tive que fechar os olhos e contar até dez pra não me virar e agarra-lo ali mesmo.

_ Ele te pega assim?

_ Rodrigo para, a Júlia pode voltar.

_ Ele faz isso?- Ele disse segurando meus quadris perto dele.

_ Ele faz melhor que isso Rodrigo.- Eu tive que ajuntar força pra dizer isso.

_ Melhor como?

_ Ele me trata como mulher, e não como objeto.- Eu disse e me afastei dele.

_ Eu te trato como mulher.

_ Não, não mesmo.

_ Eu te fiz mulher.

_ Que nojo da sua cara.- Eu disse realmente com raiva.

_ Patrícia, eu não quero brigar com você, mas é que esse cara me tira do sério e você fica elogiando ele, me desculpa, por favor.- Ele disse quando notou que eu fiquei brava.

_ Papai.- Júlia disse entrando correndo.

_ Me desculpa?- Ele disse me encarando.

_ Pelo o que?

_ Por ter falado essa besteira.

_ Tudo bem.

_ Vamos pra escolinha?- Ele disse pra Júlia que sorria ao ser levantado por ele. Depois ele me olhou e disse:_ Eu vou levar ela na escolinha, tudo bem?

_ Sim.- eu disse ainda paralisada no mesmo lugar.

_Está tudo bem?

_ Sim.

_ Sim.- Ele disse me imitando. E eu apenas sorri, esperei ele sair da casa e finalmente pude respirar e tentar esquecer ele me olhando com aqueles olhos verdes.

 

(...)

 

Na hora do almoço ele veio trazer a Júlia, e então me disse:

_ Patrícia, eles mandaram avisar que amanhã não vai ter aula porque eles vão preparar pra noite do soninho na quarta, mas dai é pra ela ir lá amanha a noite, porque ela vai dormir lá.

_ Tá bom.- Eu disse enquanto Júlia passava correndo por mim indo até o quarto.

_ Eu posso levar ela a noite se você quiser.

_ Não eu vou.

_ É que eu queria garantir que ela não fosse deitar perto de nenhum...

_ Possessivo.

_ Não, eu só... Tá. Então você leva.

_ Isso.

_ Então tá. Tchau.

_ Tchau,- Eu disse fechando a porta.

 


Notas Finais


O que acharam?
COMENTEM
Até mais!
Capitulo que vem....hummm, vai estar animado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...