História 18 Açucarado - Capítulo 42


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Doce 16, Drama, Família, Romance
Visualizações 6
Palavras 1.843
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oláá
Espero que gostem desse capitulo.
Até mais!

Capítulo 42 - Capitulo XLII:


Fanfic / Fanfiction 18 Açucarado - Capítulo 42 - Capitulo XLII:

Capitulo XLII:

Eu já havia levado a Júlia na escola, pra noite do soninho, ela estava tão animada, espero que ela realmente fique satisfeita com o que vai ter lá. Eu estava cansada, então resolvi ir dormir mais cedo, tomei banho e coloquei uma camiseta qualquer que estava no meu guarda roupa e fui dormir.

Acordei com a campainha tocando, olhei o relógio e era 1 hora da manhã. Quem era? levantei meio sonolenta sem acender a luz e olhei pelo olho da porto e vi Rodrigo parado na minha porta com a cabeça baixa, o que aconteceu? Será que era algo com a Júlia? Por que ele está aqui? Porque não me ligaram? Será que ligaram e eu não atendi porque estava dormindo? Abri a porta sem acender a luz e disse:

_ O que foi? Aconteceu alguma coisa com a Júlia? Eu estava dormindo nem escutei me ligarem, mas espera só um minutinho, eu só vou por uma roupa e a gente vai pro hospital.- Eu disse correndo até o meu quarto.

_ Patrícia? O que você está fazendo? Não aconteceu nada com a Jú.- Ele disse e eu voltei pra onde ele estava e vi ele na sala.

_ Então... o que você está fazendo aqui?

_ Eu só... só vim ver como que... foi deixar a Júlia lá, se... bem, se tinha muitos garotos.

_ Você não conseguiu dormir por que ficou pensando em um bebê dormindo perto da nossa filha não é mesmo?- Eu disse querendo rir.

_ Não, eu dormi, mas eu só...

_ Ah tá bom Rodrigo.- Eu disse me aproximando dele.

_ Bem, já que ela está bem, então eu vou embora... espera, essa camisa é minha.

_ Essa aqui?

_Estranho, você namora com um cara e dorme com a minha camisa, fica sentindo meu cheiro é isso?- Ele disse com tom irônico levantando uma sobrancelha. 

_ Ridículo, claro que não. Eu estava cansada, eu só peguei uma camisa, a primeira que eu achei, nem sabia que era sua.

_  Ah tá, você precisa de outra? Que tal essa?- Ele disse tirando a camisa dele e se aproximando de mim.

_ Não eu não preciso de uma. Se veste, vai que meu namorado chega ai e pega um cara pelado na minha sala.- Eu disse realmente preocupada enquanto ele se aproximava de mim.

_ Eu não estou pelado.

_ Se veste logo Rodrigo.

_ Já que você quer que eu fique pelado.- Ele disse e começou a desabotoar a calça e eu fiquei paralisada vendo aquilo, então ele ergueu os olhos pra mim e sorriu ao ver minha cara de hipnotizada e então abaixou as calças.

_ Já chega, veste isso agora.- Eu disse juntando toda minha força pra dizer algo, e então me aproximei dele, bem, eu ia tentar convencer ele a vestir a calça, mas ele me agarrou, e eu não consegui negar ao beijo, ele estava tão desesperado quanto eu, ele me pegou no colo e foi até meu quarto.

_ Rodrigo eu acho...

_ Não, não agora Patrícia.

Ele disse e começou a me beijar, então parou e começou a erguer a camisa que eu vestia com as mãos enquanto esfregava a boca no percurso feito pela camisa e eu arfava com o toque da boca dele. Então por fim, ele me levantou tirando a camisa, e logo se concentrou nos meus seios, eu apertava o rosto dele contra um, e por conta própria comecei a massagear um, mas ele tirou mão e colocou a dele, eu me agarrava aos lençóis tentando segurar os gemidos.

_ Você gosta de mim Patrícia?- Ele disse levantando o rosto pra mim, e eu confirmei com a cabeça, senti ele sorrindo, ele então abaixou a mão para tirar minha calcinha e a cabeça dele ficou no meio das minhas pernas, então eu disse:

_ Me beija Rodrigo.- E ele olhou pra mim vindo em minha direção, mas eu segurei a cabeça dele embaixo e disse:_ Não, ai. Me beija ai.

Eu ouvi ele sorrir e umedecer a boca, então começou a me beijar, e eu não pude segurar um gemido alto quando eu senti a língua dele em contado com a minha pele, eu comecei a empurrar a cabeça dele contra minha parte e abrir mais minha perna e arqueei minhas costas, mas ele se levantou e disse:

_ Eu só sou especial pra você Patrícia?- Eu neguei com a cabeça ainda com a respiração acelerada, ele segurou meu braço que estava apertando a cabeça dele, e veio até meu rosto e me beijou, ele se posicionou no meio da minhas pernas e colocou um dedo dentro de mim, mas eu esperava por outra coisa, mas mesmo assim eu gemi, abrindo minha boca entre o beijo, ele sorriu, e começou a beijar meu pescoço enquanto me massageava, então eu dobrei minhas pernas e ele sorriu, comecei a rebolar de uma forma incontrolável, e me agarrei ao ombro dele.

_ Rodrigo... você... não... vai... me...- Eu disse em meio a gemidos sentindo alguns dedos dele dentro de mim.

_ Você quer que eu vá?

_ Quero.

Ele abaixou a cueca, e eu nem tinha reparado que ele ainda estava com ela, então olhou pra baixou, depois pra mim, mas não me penetrou, mas eu podia sentir o membro dele em minha pele, e isso me fez arfar.

_ É você que você quer?

_ Sim.- Eu disse me agarrando a um lençol.

_ Você me quer?

_ Quero Rodrigo... eu te quero.- Eu disse olhando pra ele. Ele sorriu e então me penetrou, eu senti uma dor com o impulso, mas eu estava concentrada nos olhos dele, e eles logo me acalmaram, ele começou com os movimentos primitivos, no inicio com calma, e depois um pouco mais rápido.

_ Você me ama Patrícia?- Ele me perguntou em uma estocado e eu confirmei com a cabeça e ele sorriu, então ele disse:_ Diz que me ama. Vai diz que ama.

Eu não tinha força pra fazer isso, então não segui o que ele disse, apenas o beijei, ele me largou e olhou pra baixo onde nossos corpos se encontravam, depois me olhou e começou a me dar estocadas mais violentas, mas ainda assim muito boas, ele não me beijou ou coisa do tipo, ele ficou encarando meu rosto, e eu percebi ele sorrindo, e a coisa que eu mais amava nele era as bochechas vermelhas que ele ficava, que deixava ele com extremo ar de criança, ele me viu apreciando ele e sorriu pra mim, meu corpo começou a tremer, e ele disse:

_ Não goza ainda amor, me espera.

E eu apenas gemi como resposta e ele colocou o rosto entre meu pescoço e continuou com os movimentos, em determinado momento eu não aguentei mais esperar, e me derramei, e logo após eu senti ele fazer o mesmo. Ele ficou deitado um tempo, mas depois se levantou, e sem nenhuma palavra, abriu minhas pernas e começou a deslizar a língua por ali, e a sensação era ótima, depois ele se voltou e deitou perto de mim, e aos poucos, minha respiração voltou ao normal, e eu finalmente consegui dizer:

_ Eu te amo Rodrigo.

Eu senti ele sorrir, mas ficou em silencio acariciando meu cabelo.

(...)

 

_ Patrícia, meu amor, acorda, a gente tem que ir buscar a Júlia.- Eu ouvi alguém me dizer, e julguei ser o Romulo, já que ele ia me levar buscar ela na escolinha.

_ Romulo me deixa dormir.

Eu senti ele parar de me empurrar e se afastar de mim, então disse baixo:

_ Não é o Romulo, Patrícia.

Eu me levantei nesse exato momento reconhecendo a voz e lembrando do que tínhamos feito na noite anterior, era o Rodrigo, claro que era.

_ Desculpa meu amor, é que o Romulo ia vir me levar...

_ Não, tudo bem.- Ele disse se afastando de mim e levantando da cama.

_ Rodrigo, espera.- Eu disse me agarrando ao lençol e indo atrás dele.

_ Não, eu entendi.- Ele disse perto do sofá vestindo a calça, nós tínhamos deixado ela ali ontem.

_ Entendeu?- Eu disse perto dele.

_ Você ama ele não é? Era nele que você estava pensando ontem a noite?- Ele disse com os olhos cheio de lagrimas.

_ Claro que não Rodrigo, eu...

_ Por isso que você disse me amava, era ele que você estava vendo?- Ele disse meio alto derramando as lagrimas.

_ Claro que não Rodrigo, não seja ridículo.

_ Eu não queria que você tivesse feito isso, você transou comigo pensando em outro.- Ele disse chorando, mas dessa vez baixo.

_ Eu não fiz isso, eu sabia que era você.- Eu disse segurando o rosto dele, mas ele me afastou e disse:

_ Por isso você amanheceu me chamando pelo nome dele?

_ Rodrigo é por que ele ia vim me buscar pra ir...

_ Para de desculpa Patrícia.- Ele disse e colocou a camiseta.

_ Rodrigo, eu não queria te dizer isso... mas...

_ Dizer o que?

_ Eu nem sinto... tesão por ele.- Eu disse e ele ficou me encarando.

_ E aquilo de ele te tratar como mulher...

_ Era mentira. Eu nunca... nunca....

_ Você transou com ele?

_ Não.- Eu tive que me segurar pra não rir de como isso soava ridículo já que eu sabia o que o Romulo era.

_ Então você não...

_ Não.

_ Você é minha.- Ele disse e eu confirmei com a cabeça enquanto ele roçava o nariz no meu, eu fechei os olhos e ele me beijou, eu senti ele abrir minhas mãos que seguravam o lençol e eu fiz o que ele queria, e deixei o lençol cair, ele começou a beijar meu pescoço enquanto passava a mão pela extensão do meu corpo.

_ O que é isso? Ah.- Nós ouvimos uma voz, e depois um grito, e então eu vi Romulo na porta, eu me abaixei e peguei o lençol e me cobri de novo.

_ Não é isso que você está pensando, meu amor.- Eu disse pra ele e senti Rodrigo sorrir atrás de mim.

_ Nós transamos, a noite inteira.- Ele disse.

_ Isso é verdade Patrícia?

_ Bem, nós...

_ Vai se vestir eu não vou falar com você pelada, te espero no meu apartamento. E você- Ele disse apontando para Rodrigo, depois continuou:_ Fica longe da minha namorada.

E então fechou a porta.

_ Onde estávamos mesmo?- Rodrigo disse.

_ Rodrigo para.- Eu disse afastando ele.

_ Fala sério.

_ Ele é meu namorado, você deveria voltar pra casa do seu pai, quem sabe ele não arrumou alguém pra você.

_ Ah tá, já voltou a Patrícia de antes.

_ O que? Você está falando que eu sou bipolar, duas caras?

_ Não eu só estou falando que você age de um jeito quando só estamos nós dois e de outro quando tem outra pessoa perto.

_ Rodrigo como você...

_ Eu vou embora. Tchau.- Ele disse e me deu um beijo rápido e então saiu.


Notas Finais


Ai ai, eu adoro esse capitulo!
Espero realmente que tenham gostado!
Até mais.
COMENTEM


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...