História 18 Açucarado - Capítulo 43


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Doce 16, Drama, Família, Romance
Visualizações 10
Palavras 1.165
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oláá
Último capitulo de hoje pessoal ('choro?') hahaha
Espero que gostem!

Capítulo 43 - Capitulo XLIII


Capitulo XLIII:

Patrícia P.O.V.

É claro que o Rodrigo foi pra casa dele, e eu fui até onde o Romulo estava, esperando que ele não estivesse me odiando.

_ Romulo.- Eu disse entrando no carro.

_ Patrícia eu não acredito que você me traiu.

_ Ah amigo, me desculpa, por favor.- Eu choraminguei.

_ Não, olha, é claro, eu sou seu amigo, então em relação a isso tudo bem, mas eu espero que você não pense que nós vamos continuar com a farsa, ai seria demais, não acha?

_ Demais como?

_ Eu, todo mundo me olharia com cara de corno manso.- Ele disse e eu sorri.

_ Tá bom, não vou te forçar a nada, nosso namoro acabou então.

_ Patrícia, amiga, você gosta tanto desse cara.

_ Eu não gosto dele, é diferente... eu me sinto... atraída, é só isso.

_ Eu sei que não é só sexo Patrícia.

_ Romulo, mais cedo ou mais tarde ele vai arrumar alguém e me esquecer.

_ Ele não tem cara de quem vá te trocar.

_ Eu já estive na pele dele Romulo.

_ E você trocou ele?

_ Não, mas eu varias vezes abri mão da nossa relação pelo bem dele, você não conhece meu pai.

_ Eu não conheço seu pai mesmo, mas posso te garantir, eu vi como aquele cara gosta de você, e ele não é do tipo que vai deixar alguém interferir nisso.

_ Romulo por favor...

_ Tá bom, não vamos falar disso, já que você continuar errando, porque você sabe que é erro seu ficar longe dele.

_ Ah tá você não vai me deixar em paz não é?!

 

(...)

 

Rodrigo P.O.V.

Depois que eu comecei a ser tratado como filho do senhor Alencar e a Patrícia teve que ser esquecida pela família o Matheus me odeia, ele me culpa por ter feito a irmã se afastar da família.

Existem dias especiais como esse, que é meu aniversário, eu estou feliz, apesar dos pesares, e vai ter uma festa na casa do senhor Alencar pra mim, eu sei que ele chamou minha família mas tenho certeza que eles não vão. Mas o que realmente me preocupava era o Matheus, ele é meu irmão e me odeia, mas hoje eu vou ter a oportunidade de mostrar pra ele como as coisas estão bem, a Patrícia vai lá, e ele vai ver que ela ainda ama ele.

(...)

19:00 hrs

 

Eu cheguei e as pessoas já estavam lá, eu não vi a Patrícia e na hora tudo se tornou um grande saco. Será que ela tinha se acertado com o namorado? Bem, eu não duvido, o cara é legal, bonito, muito bonito, eu nunca vi um cara assim, e segundo ela, ele faz ela se sentir mulher, eu não sei o que isso significa, mas aposto que ela gosta.

OK, ela gosta de mim, ela mesmo disse isso. Eu preciso me lembrar disso.

_ Parabéns Rodrigo.- Uma mulher de meia idade disse me abraçando.

_ Obrigado.

_ Agora que você é da família tudo vai ser diferente. Sabe o seu pai amava muito a sua mãe, a gente sempre jurou que eles ficariam juntos pra sempre.

Eu engoli em seco com as palavras dela, e então eu disse:_ Se a senhora me dá licença eu preciso ir alí, um minutinho.- Eu disse me afastando dela, e então eu vi ao longe minha namorada chegar, e ela não estava acompanhada, quer dizer ela trazia a minha filha, mas nada de homem nenhum com ela.

_ A Patrícia chegou.- Júlio disse perto de mim.

_ Eu vi.- Eu disse sem tirar os olhos dela.

_ Papai.- Júlia disse correndo vindo me abraçar. Eu peguei ela no colo e a Patrícia se aproximou de nós.

_ Cadê o Matheus?- Ela disse.

_ Ele estava aqui agora.- Eu disse.

_ Ele está junto com a Fernanda e com o Edu.- Júlio respondeu.

_ Ok, preciso mesmo falar com ele.

_ Você não vai dar nem um abraço no aniversariante?- Júlio disse e ela me olhou e respondeu:

_ Mais tarde.

_ Hum, ela está tão na sua.- Ele disse quando ela se afastou.

_ Acho que eu acabei com o namoro dela.

_ Isso ai galã.- Ele disse batendo em meu ombro.

_ Papai, você vai na escolinha sábado?

_ O que tem sábado?

_ Minha dança.

_ Hum, apresentação de dança?

_ Sim.

_ É claro que o papai vai.

_ Eba!

 

(...)

Patrícia P.O.V.

_ Oi.- Eu disse me aproximando deles.

_ Oi amiga.- Fernanda disse e Matheus se levantou sem nem mesmo olhar pra mim e saiu.

_ Matheus, espera, eu quero falar com você.

Mas ele nem sequer me ouviu, apenas continuou andando.

_ Fer você se importa de eu ir atrás desse menino?

_ Não. vai lá amiga.

_ Depois a gente se fala.- Eu disse e fui na mesma direção que ele foi, o encontrei sentado distante de onde ocorria a festa. Ele me olhou e disse:

_ O que você quer?

_ O que está acontecendo?

_ Foi o Rodrigo que te mandou aqui? Pra limpar a barra dele?

_ Não. Ele não manda em mim fique você sabendo.

E então ele sorriu e eu me senti confortável pra sentar ao lado dele.

_ E então por que você está assim?

_ Por que você foi embora?

_ Eu tive que ir, sabe como é...

_ Não, não sei.

_ É que descobriram que eu não sou filha do seu pai, ai meio que eu tive que tomar conta da minha vida sozinha.

_ E você não podia ficar aqui? A gente podia fingir que você era da família.

_ Não acho que o papai fosse concordar.

_ É ele não ia mesmo.- Ele disse e deitou a cabeça no meu ombro.

_ Mas você está feliz?- Ele disse

_ É claro que sim, meu amor. Estou com saudades de você seu pestinha, mas estou bem.

_ E a Jú?

_ O que tem ela?

_ Como ela está?

_ Agora ela está com saudade do tio mais novo dela.

_ De mim?

_ Sim. Você tem que ir fazer uma visita pra gente.

_ Eu posso?

_ Claro que sim meu bem.- Eu disse abraçando ele.

_ E o Rodrigo?

_ O que tem?

_ Vocês estão juntos?

_ Não.

_ Eu queria que vocês ficassem juntos, ele me disse que te amava.

_ É mesmo? Quando ele disse isso?

_ Quando ele veio falar comigo sobre você ter ido embora, eu achei que fosse culpa dele, mas ele disse que não era, mas eu não acreditei, e acho que ele ficou estressado comigo e disse que todo mundo te amava, e nem por isso ficou emburrado por você estar seguindo a sua vida, e que mais que todo mundo te amava.

_ É ele é um idiota.

_ Ele não é um idiota, ele só não sabe jogar vídeo game.

Ele disse e eu sorri.

  


Notas Finais


Ai ai ai ai, eu acho eles tão fofos!!
COMENTEM o que acharam!
E até amanhã!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...