1. Spirit Fanfics >
  2. 1996 (JiKook) >
  3. 03. Unpacking

História 1996 (JiKook) - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


🌃☎

Capítulo 3 - 03. Unpacking


Fanfic / Fanfiction 1996 (JiKook) - Capítulo 3 - 03. Unpacking

Park Jimin~


Andei saltitando até o metrô. Arranjei um apartamento bonito, num bairro bom e calmo, sem contar que a segurança parecia ser ótima. Um colega de apartamento hétero que parecia gay, com um gatinho e plantas por toda parte. Um prédio bonito, com um vizinho simpático, com mobília bonita. Eu era muito sortudo, não? Meu paraíso custaria apenas 100 dólares!

Dentro do trem que me levaria à minha casa, apenas consegui sorrir e imaginar como seria. Como seria viver com Jeon JungKook?

Acordar todo dia com um homem bonito em minha cama, comer junto em sua companhia, brincar com seu gato, conhecer seus amigos, passar noites juntos assistindo TV e talvez comendo cenouras... quem sabe ele me abraçasse para dormir, cantasse pra mim enquanto pinta, lesse para mim enquanto sento em seu colo na poltrona ou... Caramba que merda eu estava pensando?

Morar com JungKook poderia ser horrível! Os amigos dele podem ser inconvenientes, eu iria ver meu "chefe" seguidamente fora do trabalho, ele pode ser todo atrapalhado e não arrumar o apartamento, ele pode ter mania de limpeza e organização, roncar, se debater enquanto dorme, ter seu espaço pessoal estabelecido rigidamente, não cozinhar... viver com ele pode ser um inferno! Imagine só, enquanto você cozinha JungKook brigar contigo e surgir atrás de você, a respiração batendo em seu pescoço e a mão dele sobre a sua... Eu nem cozinho, por que estou pensando nisso!?

Dividir o apartamento com ele seria muito complicado. Eu estava totalmente atraído por ele e, porra, vi ele pela primeira vez na vida! Não parava de imaginar o que aconteceria se eu me apaixonasse por um hétero que morava comigo.

Descendo em minha estação, corri para casa. Eu precisava ligar para Taehyung, urgentemente. Pedir conselhos (e sua ajuda na mudança, obviamente). Agradeço todos os dias por tê-lo em minha vida, não sei o que faria sem ele.

- Jimin! Me conta tudo! Deu certo com o JungKook, lá? Hoseok apostou que você ia achar ele gatinho.

- Sim ele é. - respondi a meu melhor amigo na ligação - Esse é o problema, Tae! Só tem uma cama no apartamento e essa é a minha única opção. Eu estou caidinho por ele!

- Gay... - zombou ele - Coitado de você, vai sofrer nas mãos do hétero!

- Não é pra rir, eu estou desesperado aqui.

- Ai Jimin, nem esquenta com isso. Vai dar tudo certo. Aposto que se ele te beijar e apertar essa bunda aí, ele vira gay no mesmo instante.

- Eu não posso beijar ele, Tae! Seria estranho... primeiro preciso criar algum tipo de amizade e descobrir se ele é hétero mesmo ou não. Ele me contou que várias garotas se interessaram mas só por causa da cama, e ele recusou! Ele disse que preferia morar com um homem, isso me soou muito estranho... sem contar que ele parece ser um nerd e tem planta por todo lado, móveis coloridos e um gato.

- Olha Jimin, de duas uma: ou ele é viado ou ele finge que é, tem muita mulher que se interessa pelos mais afeminados.

- Complicado Tae... - suspiramos - Agora eu preciso de um favor seu. Vem aqui em casa e me ajuda a empacotar minhas coisas, eu tenho muitas para pouco tempo. Ah!, e vem de caminhonete que amanhã já fazemos a mudança.

- Você disse que não podia receber visistas sem supervisão.

- Droga! Então venha amanhã cedo, eu necessito de ajuda! - imploro - Você é meu soulmate, precisa me ajudar!

- Amanhã às 9a.m eu passo aí, ok?

- Combinado.


[ . . . ]


Depois de um longo e cansativo dia de trabalho, tive de ir dormir antes de começar a empacotar minhas coisas. Deitei na cama às 9:20p.m e no mesmo instante dormi, eu estava muito cansado mesmo!

Às 6a.m me assustei com o despertador apitando como um louco, mas não tive escolha a não ser desligar e levantar. Havia muito o que fazer em um espaço curto de tempo, não podia me enrolar.

Aquela manhã de janeiro fazia frio, voltara a nevar. Me levantei enrolado em um cobertor e fui a cozinha preparar um café da manhã. Liguei a televisão para ver as previsões e, droga, iria nevar a semana toda! Ninguém tem energia, disposição ou vontade de fazer mudanças e organizações em tempos assim.

Mas eu não tinha escolha.

Em plenos -11°C, tive de arrumar minhas coisas. Depois de duas xícaras de café preto e torradas com manteiga, comecei minha longa missão. Longa, chata, cansativa e que eu não queria fazer.

Escolhi começar pelas louças e demais utensílios da cozinha. Ainda bem que eu era daquelas pessoas que mora sozinha e não tem coisas que nunca vai usar (tipo variedades de xícaras, pratos e talheres), eu era prático e guardava apenas o necessário. Nem panelas eu tinha em grande quantidade.

Escutando a rádio mais animada que encontrei (com The Cure, Queen, Cyndi Lauper, Abba e etc), consegui me acordar totalmente e que rendesse. Mesmo sem ajuda, às 7:30p.m já havia terminado boa parte da cozinha, deixando de lado apenas as comidas e coisas que eu não queria mais.

Meu próximo passo seria o banheiro: qual estava uma bagunça. Tive de juntar um saco de lixo para por fora a maioria das coisas. Xampus, condicionadores, cremes de todos os tipos, alguns esmaltes, e outras coisas curiosas (como uma camisinha que achei num canto. Encontrei até minha camiseta perdida de limpar a casa.

O telefone tocou antes que eu pudesse terminar ou começar qualquer outra coisa. Lavei as mãos e corri para ele. Quando atendi, era o esperado Kim TaeHyung, finalmete às 8:30a.m ele estava se arrumando para me ajudar.

- Em plena neve de janeiro, num sábado, eu estou me arrumando pra ir na sua casa! Park Jimin você 'tá me devendo muito! Tenho que sair de casa essa hora, num sábado, nevando, um frio do cacete só pra te ajudar numa mudança porque você geme igual uma sirene!

- Oh Tae... eu te amo muito sabia? Me desculpe por ter sido cruel e feito levantar a esta hora da manhã num sábado. - declaro como se fosse um juramento.

- Você é um filho da mãe, mas eu te amo. Já chego aí sr. Gemidos.

- Esperando.

Desligo o telefone. Agora eu deveria avisar a síndica que Taehyung viria ajudar em minha mudança e procurar alguém para me supervisionar. Ou seja, eu teria que sair do meu apartamento com aquecedor e enfrentar um frio medonho!

Vesti calças de moletom por cima das do pijama, blusa de lã, moletom e uma jaqueta de frio por cima. Meias grossas e uma de minhas botas de frio, com certeza combinado com a touca e o cachecol. Eu amava a neve mas, sinceramente, podia ter esperado minha mudança!

Com o elevador quebrado, tive de descer de escadas 6 andares. O corredor das escadas conseguia ser mais frio ainda, e isso me dava mais raiva. Com nervos à flor da pele e fazendo o trajeto lentamente por conta das roupas e do frio, apenas uma coisa me acalmou: pensar no sorriso de JungKook. Pensar que eu ia morar com ele.

Claro que eu já tinha ouvido falar dele, Hoseok é um de seus amigos mais próximos afinal. Como no almoço e intervalos não havia segredos, todos no trabalho sabíamos um pouco de cada um, e uns podres, inclusive. Era bom trabalhar lá pois você estava inteirado de todas as fofocas, mas ruim pelo mesmo motivo.

Enfim foram nos momentos de fofoca do trabalho que conheci um pouco de JungKook. Ele era ator, cozinheiro, boxer, faixa preta em taekwondo, cantor, pintor, animador de festas, dançarino... ou seja bom em tudo. Ele era literalmente meu tipo, principalmente porque em tudo o que foi citado eram coisas em que ele trabalhou. Ele era o garoto mais aleatório e bonito que eu conhecia. Caralho eu só queria beijar aquela boquinha...

Sorrindo que nem um idiota e tentando desviar os pensamentos, corri até portaria em busca de alguém. E lá estava ela.

- Bom dia Park, arranjou algo? Você tem 12 horas...

- Bom dia, arranjei sim. Inclusive meu amigo vai vir me ajudar. Amigo. - Dei ênfase na última palavra - Você disse que eu precisava de supervisão e blá blá blá...

- Nesse frio, em meio a neve? Não me importo. Você vai embora hoje! - até hoje não acredito que teve coragem de dizer aquilo bem na minha frente. - Deixaria até você usar o elevador se ele estivesse consertado!

Gostaria de socar a cara dela ali mesmo. Se não estivesse um frio do caramba e Kim chegando ao prédio, talvez eu fizesse.

Subimos a escadas tomando um copo de café, pois meu amigo comprara antes de passar por ali, juntamente com donouts. Sorte minha que Kim conseguiu mais algumas caixas também, porque as que eu tinha em casa eram poucas e teria de usar saco de lixo.

- Você só faz merda, Park Jimin, como é que pode? - Kim disse assim que entramos em meu apartamento.

- Eu estou pouco me fudendo, Tae, odiava morar aqui. Só tem gente inconveniente e chata nesse prédio!

- Pelo que me parece você que gemia igual uma garotinha assustada e acordava todo mundo.

- Vai se foder Kim TaeHyung! - rimos como adolescentes.

O moreno trouxe consigo algumas fitas k7 também, com as melhores coleções de música. Ele trouxe inclusive a fita que montamos no colegial, com nossos hits favoritos de 1989. Contou ele que achou todas as nossas fitas "melhores do ano x", e a nossa favorita estava intacta... ah 1987 como eu aproveitei!

Embalei os objetos da sala de estar e ele preferiu cuidar das roupas. Prometeu não roubar nenhuma ou por fora, mas depois na hora de desembalar juro que várias roupas me sumiram. Kim não ficava sem aprontar por muito tempo mesmo.

Meu maior medo era estragar meus discos de vinil, então peguei uma caixa apenas para eles fitas, agulhas de toca-disco, canetas bic, pilhas AA e etc. Minha câmera VHS e as fitas foram junto, com muito cuidado para não estragar nada. Aquela era minha caixa mais preciosa e eu não tinha ideia do que fazer sem ela.

Quando o meio-dia chegou, com ambos morrendo de fome outra vez e com preguiça de cozinhar qualquer coisa, saímos em busca de algum lugar para comer. Todas as minhas coisas já estavam embaladas, apenas faltava limpar a casa e levá-las para meu novo apartamento. Dali uns dias eu deveria voltar para o condomínio para assinar alguns papéis e pagar o que eu devia, depois disso me veria livre daquele inferno.

Optamos pela pizzaria a quatro quadras dali. Um frio danado, nos dois de a pé, rindo e cansados de uma mudança que mal começamos. Mas apesar de tudo, felizes. Oras, é sempre bom aproveitar um tempo com os amigos!

Chegando no pequeno lugar, pedimos duas pizzas: uma de calabresa e quatro queijos, e a outra de brócolis e tomate seco. Mesmo sendo magrinhos, a quantia que eu e Taehyung comemos não é nenhum pouco pequena.

- Veja, aqueles são Taehyung e Jimin que estávamos conversando sobre! - ouço a estridente voz de Hoseok vindo da porta do estabelecimento, acompanhado de JungKook e um outro garoto que eu não conhecia. - Oi garotos, como vão?

- Hoseok! Que bom vê-lo aqui! - Taehyung o cumprimenta com um abraço.

- Olá Jung, estamos bem. - sorrio - Oi JungKook - continuo com um sorriso mais envergonhado ao me dirigir a si - E você...?

- Prazer! Me chamo Kim Seokjin, sou amigo dos dois - estende a mão para um cumprimento formal. Suas mãos e rosto eram lindos, eu devia admitir.

- O prazer é nosso. - responde Taehyung - Sentem-se, conosco!

Educados, se juntam a nossa mesa e consultam o cardápio para fazer o pedido. Agora com calor, por conta do aquecedor, decido tirar minha jaqueta e pendurar na cadeira.

- Adorei seu moletom. - JungKook declara de repente e num volume que os outros não pudessem ouvir. - Parece que eu consigo imaginar você andando só com ele pela casa... - minhas bochechas tomaram um tom escarlate no mesmo instante, o que ele queria dizer com aquilo? Ninguém anda com tão pouca roupa quando há outras pessoas em casa! Exceto... - Espere, você não fica desse jeito em casa? Caralho que estranho eu fico assim quase o dia todo!

Agora ele pegou no meu ponto fraco: imaginar coisas em momentos inapropriados. Caramba imagina ter um JungKook vestindo apenas moletom e andando pela casa, com aquelas coxas bonitas... se ele aparecesse com aquilo de roupa e arremangas, poxa vida eu não iria sobreviver àquilo! E neste instante, mais que nunca, apenas quis beijá-lo.

Odeio héteros bonitos que gostam de provocar!

- V-você fica só de moletom quando está em casa?

- Às vezes sim. Tem dias que me levanto da cama e coloco apenas o moletom, usar calças jeans para ficar em casa me irritam um pouco, é ruim até para dobrar os joelhos!

- Mas você usa pijama para dormir, certo?

Ele sorriu ladino e deu de ombros. REPITO: ele sorriu ladino e deu de ombros! Caramba em que merda eu fui me meter? 


[ . . . ]


No almoço acabei citando do incidente do elevador, assim conseguindo mais ajuda com a mudança. Acabei descobrindo uma parte nova de Hoseok: a fofa e generosa. Ele e seus amigos eram uns amores.

SeokJin contou que eles estavam na casa do professor de dança, apenas aproveitando o sábado, então eles não se importariam em ajudar. Segundo ele, JungKook era o bebezinho dos dois, e a cada passo que ele dava, estavam ali para ajudar. Como eu sou bem cara de pau, aceitei quase de primeira as ajudas.

Ao menos eu paguei as pizzas para eles, alguma coisa mereciam depois da ajuda que dariam. Então, logo em seguida já estávamos no meu apartamento.

- Nossa Jimin, que droga! Esse apartamento é bem clarinho e de um ótimo tamanho, sem contar em ser duas quadras do trabalho. - Hoseok disse quando entramos.

- Por que exatamente você decidiu morar com o JungKook? Não faz muito sentido largar um lugar desses para morar com aquele pestinha! - Jin perguntou.

- Eu consigo ouvir você daqui, ok? - gritou Jeon estando na sala e nós outros em meu quarto.

- Eu não tive escolhas na verdade... mas não vamos falar sobre isso agora, sim? - sorri um pouco desconfortável.

- O sr. Gemidos tem vergonha, SeokJin... - Taehyung surgiu na porta acompanhado de JungKook.

- Sr. Gemidos? Como assim?

- Kim TaeHyung cala sua boca de merda! - anuncio bravo com suas fofocas.

- É que o Jimin foi expulso do condomínio porque os vizinhos reclamavam que ele gemia muito alto. Eu levava cinco socos para descobrir como são a ponto de ser expulso do próprio apartamento! - Taehyung se matava de rir junto a Hoseok.

- Está pertinho de levar os cinco socos! - bufei, em seguida me jogando na cama. Droga eu não queria que JungKook soubesse disso, na verdade eu queria que ele descobrisse.

- Ah, Jimin não precisa ter vergonha desse tipo de coisa! É algo normal gemer alto. O que não é normal e a inveja de seus vizinhos chegar a ponto de o denunciar por isso! - Jin se senta ao meu lado rindo também.

- Jin tem razão Jimin, cada um com seus prazeres. Alguns gemem alto, outros gostam de fazer em público ou coisas mais selvagens e etc, não deveria sentir vergonha. - JungKook me conforta. Mas, céus, eu devia estar ficando louco. Juro que ele ali, de braços cruzados, apoiado na porta, sorrindo ladino queria dizer outra coisa.

- Você cresceu rápido! Pra mim será sempre a mesma criança virgem de sempre. - Hoseok o abraçou apertado e ele sorriu como um neném.

- Criança mas não virgem, ok? Já estou velho demais para ser virgem. 21 anos não é idade de ser santo.

- 21 anos? Eu sou seu hyung!

E nesse clima de alegria, terminamos de "limpar" o apartamento e carregar minhas coisas. Estávamos tão animados que nem reparamos na dor das costas ou sobre o que conversamos. Sequer lembramos de ligar músicas, pois as risadas de SeokJin, Hoseok e JungKook já eram uma linda melodia.

Assim, às 3p.m já íamos a caminho da casa do mais novo. Era uns 20-25 minutos de minha casa, mas não era problema pois SeokJin tinha seu carro na casa de Hoseok e a caminhonete de Taehyung cheia de minhas coisas.

Porém os amigos de JungKook não puderam ficar muito mais tempo conosco. A companhia deles era boa e foi triste quando foram embora, mas combinamos de nos ver assim que possível.

Hoseok tinha uma reunião de família a noite e SeokJin precisava comprar algumas coisas para sua casa. Então, às 5:23p.m saímos do prédio amarelo para nos despedirmos dos dois. E o infeliz do Taehyung resolveu ir embora também, somente para me provocar.

- Testa aí se JungKook é um nome gemível, Park. - riu irônico - Você ia adorar se fosse não é?

Foram suas últimas palavras daquele dia. Nem me ligar a noite ele fez. Por esse motivos e alguns outros que reflito se gosto mesmo de Taehyung ou se é uma ilusão.

Subimos as escadas silenciosamente até o segundo andar. Deixei minha jaqueta ali na porta junto com os calçados, assim como JungKook, e ficamos apenas de meias no chão encarpetado. Em minha casa não havia isto, mas adorei que na de Jeon tivesse.

O gato de JungKook surgiu do além e começou a se esfregar em minhas pernas assim que entrei no lugar. Ele era fofo, mas ao mesmo tempo parecia ser um assassino.

- Mimi, aí está você! - o dono se agachou afim de agarrar seu gato. Assim que o pegou no colo, começou a ronronar - Dê olá para o nosso colega Jimin.

- Meow - Mimi respondeu.

Depois de um abraço apertado, soltou o gato no chão e limpou os pelos de suas roupas. Mimi tinha muitos e longos pelos, que caíam com qualquer toque em si.

- Ele é fofo.

- Fofo às vezes, em outras ele parece que quer me comer vivo. - ri nasalado - Então, Jimin, por onde quer começar?

- Pode ser pela cozinha que é mais perto.

Então JungKook abriu todos os armários e me mostrou onde havia espaço e como ele gostava de deixar organizado. Mostrou inclusive duas portas para despesa que haviam na cozinha, uma ao lado da pia e atrás do banheiro, a outra ao lado da geladeira, na parede de pendurar casacos. Gostei da casa.

Tudo ia bem. Muito bem. JungKook guardava os alimentos que eu trouxe de minha casa e eu os utensílios de cozinha. Mas nada que é bom dura para sempre.

Sendo um belo de um desastrado, acabo batendo minha cintura em uma das portas do armário. E isso dói pra caramba.

- Jimin-ssi! Está tudo bem com você? - o moreno perguntou preocupado.

- Eu me bati no armário, nada de extraordinário. - ri tentando disfarçar a dor.

- Cuidado bebê, você pode se machucar desse jeito. Onde foi que você bateu? - revirei os olhos por estar agindo como uma criança com alguém que recém conheci, mas apontei para minha cintura - Já já para de doer, ok? - disse apertando o local. Caramba aquele era o hétero mais fajuto que eu conhecia!

- Você está flertando comigo? Porque se isso não é um flerte, meu querido, eu não me chamo mais Park Jimin!

- O que acha de Jeon Jimin?





Notas Finais


boa tarde leitores, o que acharam? KKKKKKKKKKK espero que tenham gostado porque tem muita coisa pra vir ainda...

até mais, agradeço se deixarem um comentário!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...