História 2 Loiros e 1 Amor - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Erwin Smith, Hange Zoë, Mike Zacharius, Nanaba
Visualizações 19
Palavras 1.307
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem

Capítulo 34 - Capítulo 34


Fanfic / Fanfiction 2 Loiros e 1 Amor - Capítulo 34 - Capítulo 34

- O que aconteceu?.

- Meu pai, ele está com problemas e fica se isolando, dai quando eu ajudar ele grita comigo. - Mike se sentou ao meu lado e eu encostei minha cabeça dele.

- Eu entendo seu pai, ele não quer falar os problemas dele para você, pra não te deixar preocupado ou algo do gênero.

- Sim, mas não tinha necessidade dele gritar comigo, sei que eu estou parecendo uma criança sensível, talvez eu seja, mas eu odeio brigar ou receber gritos do meu pai.

- Todos somos sensíveis com alguma coisa, eu também sou bem sensível em relação ao meu pai. - Lembrei da história do pai dele e dei um beijo na bochecha dele.

- Como você chegou tão rápido aqui? Tipo, eu mandei a mensagem e você chegou em menos de 10 minutos.

- Eu vim de carro, você estava tão nervoso que nem percebeu, eu vi você descendo do carro e atravessando a rua, eu quase te atropeleu seu maluco suicida.

- Sério? Eu não vi carro nenhum. - Fiquei pensando no ocorrido e de fato não consegui lembrar de nenhum carro.

- Eu pisei fundo no freio e quase que o carro de trás bateu, nunca mais faz isso. - Fiquei encarando o Mike e ele estava bem sério apertando meu maxilar.

- Tá, desculpaaa, me solta ta doendo.

- Se eu tivesse te atropelado, além de ficar triste pra caralho, seu pai ia me matar, seu pai já não gosta da idéia do filhinho dele namorar e você ainda me faz isso.

- Desculpa.

- Me promete que nunca mais vai atravessar a rua após uma briga. - Mike colocou as duas mãos no meu rosto, e ficou me encarando com uma expressão assustadora.

- Prometo.

-Te amo loirinha. - Começamos a nos beijar até ouvir um grito familiar.

- Que porra é essa?. - Mike se virou e saiu da minha frente e consegui observar a pessoa, era a Hange.

- Tinha que ser. - Disse rindo e ela veio até nós.

- Já sei, eu estraguei o clima de vocês?. - Ela estava meio envergonhada.

- Sim.

- Sim, estragou o clima total e olha Hange não leva para o lado pessoal, mas poderia nos dar licença? Desculpa ser rude.

- Ah, tudo bem então. - Ela saiu.

- Você ta bem puto hoje, heim. - Fiquei em silêncio meio arrependido de ter falado aquilo, porém eu queria ficar com o Mike.

- Talvez.

- Você tá, bem aqui. - Ele me abraçou novamente.

- Obrigado.

- Está quase na hora, vamos atravessar?.

- Não quero, quero ficar com você.

- Só mais um pouco então. - Voltamos para os beijos até o sinal bater.

- Dá a mão?. - Mike perguntou já pegando na minha.

- Mike tem muita gente, tenho vergonha.

- To nem ai, depois de hoje vou te tratar igual minha irmã na rua.

- Chato.

- Ninguém mandou atravessar a rua feito um retardado.

- Não me irrira hoje. - Ao entrar na escola larguei a mão dele imediatamente.

- Calma loirinha, chegando em casa eu te deixo mais feliz. - Ele se aproximou bastante e deu uma mordidinha na orelha, isso me fez ficar todo arrepiado e animado.

- Isso melhorou meu dia. - Por mais envergonhado que eu esteja, eu gostei da ousadia dele.

Fomos para nossas salas e eu me desculpei com a Hange, só faltava me resolver com meu pai e isso não seria uma tarefa fácil. Quando bateu o sinal para o intervalo de almoço, eu fui me encontrar com o Mike, porém meu pai me barrou no caminho e me chamou para conversar em uma sala de primeiro ano.

- Erwin, preciso esclarecer o ocorrido de hoje. - Ele ainda estava alterado, porém mais triste ainda.

- Pai, foi mal sair do carro e atravessar a rua como um inconsequente. - Sentamos em cima das mesas, porém ficamos olhando para o chão.

- Tudo bem, o foco é nas minhas atitudes com você. - Ele ergueu a cabeça e ficou tentando me encarar, porém ele sempre desviava o olhar.

- Pai não precisa explicar o motivo, só me pedir desculpas. - Tentei quebrar o clima pesado e deu certo, consegui tirar o sorriso dele.

- Igualzinho sua mãe e desculpa por hoje cedo. - Ele colocou sua mão no braço esquerdo.

- Desculpas aceita, seja lá qual seja seu problema, melhoras. - Levantei da mesa e coloquei minha mão esquerda no ombro dele.

- Obrigado, obrigado por aceitar todos os meus defeitos.

- Você aceita os meus, mas pai, não tem nada haver com sua namorada né?.

- Não, pelo contrário, eu vou hoje me encontrar com ela para ela me ajudar. - Isso me deuxou com ciúmes um pouco, meu pai não queria falar comigo, mas pra ela, ele ia de braços abertos.

- Ela é bem especial mesmo.

- Ela é.

- Bom, vou almoçar. - Fui me afastam aos poucos e meu pai me chamou novamente.

- É...quer saber, pode ir. - Eu não entendi nada, ele queria falar comigo e ao mesmo tempo não.

- Tá... - Sai da sala e vi Mike no corredor totalmente perdido.

Me aproximei por trás bem devagar e dei um abraço pelas costas, ele se assustou um pouco e quando viu que era eu, ele deu um sorriso que acabou comigo. Fomos almoçar e após isso fomos ao banheiro escovar os dentes, ao sair de lá Hange veio conversar conosco com o Moblit, ela sugeriu sairmos no fim de semana para ir em uma pizzaria ou cinema juntos e aceitamos.

Fomos então até aquele lugar vazio em que costumávamos ficar, dessa vez eu fiquei detado no Mike e ele ficou passando a mão no meu cabelo, eu até cochilei um pouco e acordei com o Mike falando que quase me atropelou de manhã.

- Você veio de carro e quase atropelou seu namorado? Que história. - Hange bateu palma.

- O pai desse ser aqui já não gosta muito de mim, dai ele vai lá quase se mata e quase me faz bater o carro. - Mike novamente ficou apertando meu rosto.

- Coloca ele na coleira na rua.

- Não da idéia Hange e Mike poderia para de apertar meu rosto. - Ele me soltou.

- Não precisa disso, não é?. - Ficou me encarando com os braços cruzados.

- Como se eu quisesse ter brigado com meu pai e quase ser atropelado pelo meu namorado. - Peguei meu celular, eu estava bem irritado.

- Melhor para, ele ta bem irritado hoje Hange.

- Percebi, seu cavalo.

- Não me provoca e não estou mais irritado.

- Você acabou de dizer "não me provoca". - Ela ficou me cutucando.

- Hange cadê o Moblit?. - Como eu havia cochilado, eu nem tinha percebido a ausência dele.

- Ele foi fazer um trabalho artístico.

- Vai cutucar ele.

- Para de ser chato.

- É, sua melhor amiga. - Mike fez sinal para levantar.

- O que foi?. - Questionei ao levantar.

- Olha o que está vindo!. - Tanto eu quanto a Hange olhamos na direção que ele apontou e era um grupo de idiotas.

- Ah, que merda.

- Sim, só espero que eles não me notem.

- Aquele do meio fica provocando Moblit, por causa dele ser desenhista e extremamente fofo, odeio esse cara.

- Todos odiamos e para o meu azar, eu já fui "amigo" desse idiota.

- Passado.

- Passado que me persegue e me enche o saco no treino. - Eles passaram e nem notaram o Mike, ainda bem.

- Esse ano acaba Mike. - Hange o consolou colando a mão dela no ombro dele.

- Tem razão. - Nisso o sinal tocou e voltamos para as salas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...