História 2 Months (Starker) - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Homem de Ferro (Iron Man), Homem-Aranha, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Dr. Bruce Banner (Hulk), Edward "Ned" Leeds, Edwin Jarvis, Eugene "Flash" Thompson (Venom / Agente Venom), Gwen Stacy, Happy Hogan, Harry Osborn (Duende Verde), James Rupert "Rhodey" Rhodes, May Parker, Michelle “MJ” Jones, Natasha Romanoff, Pepper Potts, Personagens Originais, Peter Parker (Homem-Aranha)
Tags Peter Parker, Romance, Starker, Sugar Baby, Sugar Daddy, Tony Stark
Visualizações 198
Palavras 2.611
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello, hellooo

Voltei, como estão?

Já aviso, revisei pouco esse capítulo, então desculpe pelos erros :l

Boa leitura, seres ❤️

Capítulo 3 - Como assim "Tony Stark"?


Fanfic / Fanfiction 2 Months (Starker) - Capítulo 3 - Como assim "Tony Stark"?

Seus ouvidos e manhã foram invadidos pelo som histérico daquele despertador. Não estava frio, pelo contrário, um sol raiava pelo outro da janela trazendo luz para o quarto. Se sentindo bem disposto, o garoto se levantou em um pulo da cama, abrindo a janela. Se permitiu alguns segundos em admirar a bela vista matinal que tinha o privilégio de ver em seu quarto, sentir frio na barriga foi inevitável ao pensar que estava tão alto, mesmo que não parecesse quando andava por ali normalmente.


Dando as costas a janela, coçou os olhos com a costas da mão e se dirigiu ao banheiro, afim de tomar um banho.

Limpo e cheiroso, o garoto caminhou de bom humor até a porta de seu quarto indo até ao elevador, onde tinha o intuito de fazer seu desjejum. Deu um sorriso enorme ao ver que não tinha mais complicações sobre o caminho até a sala de jantar, onde encontrou a mesa já posta. Puxou a cadeira e assim fez, se sentou na mesa a espera de algum sinal de vida por ali.

Não podia ficar o tempo todo esperando, então um pouco exitante pegou uma única torrada para não ficar sem nada no estômago até que alguém chegue.

— Bom dia — Peter dizia com um grande sorriso após notar que a versão desanimada de Natasha já havia chegado ali.

— Que entusiasmo para um meio de semana — Disse surpresa quase rindo. Se sentou na mesa apoiando o rosto em uma mão, soltando um bocejo longo. — Como são as escolas de hoje em dia?

— Eu gosto — Deu de ombros. — Conhecimento nunca é demais.

— É assim que se fala — A voz rouca invade a sala em passos não muito lentos. Stark se assentou ao lado de Peter, onde enchia sua xícara de café.

— Nerd quando jovem, nerd quando velho — Disse divertida, puxando um olhar irritado do mais velho. — Vou cozinhar batatas — Dito isso, a mulher saiu quase caindo de sono, deixando os dois homens sozinhos.

Peter observava Stark tomar seu café de cabeça baixa, apenas com os olhos em direção ao homem. Estava um silêncio perturbador. Peter queria falar alguma coisa, mas parecia que se falasse seria totalmente ignorado. Afinal, o mais velho não olhou nem um único segundo para o o garoto, olhava apenas para o seu café, era como se não tivesse mais nada naquela sala. Então, preferiu apenas ficar quieto no seu canto, seja qual for o tópico que encontrasse, não seria interessante para o homem.

— Seis e meia — O mais velho olhou ao relógio informando as horas a Peter, fazendo o garoto de assustar pelo atraso cometido. — Sete da tarde aparece lá no laboratório, é uma ordem.

— Sim, senhor — Logo Peter se levanta um pouco desesperado, pegando sua mochila que estava encostada a uma parede. — Até mais, senhor Stark.

Tony não respondeu, apenas olhou o garoto sair correndo até o elevador. Balançou a cabeça ao se lembrar que não havia tomado café direito. Não sabia se aquilo seria o suficiente para mantê-lo vivo até a próxima refeição, principalmente pelo garoto não aparentar ser nem um pouco resistente a isso.

Então Peter torcia para que aquele elevador esquecesse o tanto de andares que tinham ali para que pudesse descer logo.

— Bom dia, happy! — Disse com um grande sorriso após finalmente chegar até o carro onde o motorista já o esperava.

— Dia — Deu de ombros ao cumprimento alegre de Parker. — Queria que você estar aqui tivesse sido apenas um pesadelo.

— Nossa, desculpe — Peter disse em um tom decepcionado. — Por que?

— Porque tive que acordar uma hora mais cedo — Disse rancoroso já quase sem paciência. — Entra logo no carro.

Entrou rápido antes que levasse um xingo de verdade. Na verdade sua maior vontade era de rir, porém seria melhor manter sua postura séria agora.

Quando finalmente chegaram, saiu do carro animado jogando sua mochila nos ombros.

— Nos vemos 10 pras três — Ao informar o mais jovem, arrancou o carro deixando Peter na calçada.

Suspirou fundo enquanto caminhava lentamente até a entrada pensando e planejando como iria contar a Ned com quem ele iria ficar esse tempo todo que sua tia está fora.

Ultrapassou a porta principal e logo viu o amigo distante mexendo em seu armário. Pensou um pouco antes de ir até ele, mas não demorou muito para saudar.

— E aí, Ned — Cumprimentou abrindo seu armário a procura de alguns livros.

— Ei, cara — Disse com um sorriso se virando para o amigo. — E então, em que casa dormiu hoje?

Peter suspirou e riu ao mesmo tempo se voltando para o mesmo. Claro que não iria esquecer de perguntar, não ia adiantar fugir.

— Qual é a graça? — Perguntou sem entender com os braços cruzados.

— É muita coisa, na aula eu te conto — Peter passou pelo amigo antes que perguntasse mais alguma coisa.

Foram para a aula e Ned não esqueceu em nenhum único momento de perguntar ao amigo porque não podia falar logo de uma vez. Diversas vezes o professor foi obrigado a mandar Peter e Ned ficarem calados, mas em momento algum o moreno obedeceu.

Passou duas horas e a insistência começou a ficar tanta que Ned começou a chutar nome aleatórios que Peter desconhecia. O garoto então fechou seu caderno e se virou para Ned. Era horário vago, então nem por isso seria problema conversarem.

Contou tudo ao amigo sendo mais direto possível, tentando ignorar as expressões de choque do outro. Não sabia exatamente se contava em detalhes, mas preferiu ser direto, afinal os detalhes iria fazer com que o outro ficasse ainda mais chocado, o que Peter queria evitar.

— E então, bem, ele parece ter uma personalidade difícil, mas é isso — Finalizou dando de ombros e voltando a se consertar na mesa. Deixou Ned ali parado e se boca aberta, sem dizer mais nada sobre a história.

— Tony Stark proporcionou esse tempão pra que você ficasse lá? Como assim Tony Stark? Por Deus, Peter. Ele estava bêbado, não estava?

— Ele parecia bem sóbrio, mas não descarto a possibilidade — Conversava e tirava as dúvidas do amigo enquanto rabiscava algumas contas em seu caderno.

— Eu não consigo acreditar — Sua ficha ainda não queria cair, arrancando uma risada leve de Peter. — Peter, não tem graça! Como é ser bilionário?

— O que? — Soltou a caneta na mesa e se virou para o amigo. — Ned, não escutou? É só um tempo, eu não moro lá. Mesmo eu morasse, nem um centavo daquele dinheiro seria meu, é do senhor Stark.

— Hum, ok. Vou fingir que acredito — Fingiu estar indignado, quando na verdade estava animado. — Sempre soube que tia May era louca…

Peter apenas conseguia rir com as expressões do outro. Na verdade estava mais chocado do que o amigo, afinal era ele que iria passar um tempo lá e não Ned. Não podia tirar a razão que a tia era louca, tanto que apenas concordou com um riso a resposta amigo.

Após o horário vago, o resto dos horários de arrastaram em uma lentidão surpreendente, deixando todos ali cansados, principalmente porque não era aulas muito interessantes.

Às 14:30 o sinal soou nos ouvidos dos alunos, tanto que todos comemoravam vitória por finalmente estarem livres dali. Saiu da sala junto de Ned, onde na parte de fora da escola esperava o carro preto de happy parar ali mesmo.

Dito e feito, o motorista chegou como previsto e chamou a atenção de Peter para entrar no carro. Droga, todos olhavam, o garoto não podia deixar de fazer uma expressão de vergonha. Diferente de Ned, que carregava uma expressão novamente de choque. Por fim, Peter acenou para o amigo estático que aos poucos foi deixado para trás com o carro em movimento.

[...]

Chegou a torre e foi direto ao seu quarto para que pudesse vestir uma roupa mais confortável. Não havia nenhum sinal de Stark, supôs estar no laboratório, mas só tinha a permissão de ir lá mais tarde como ele havia dito. Estava animado para ver como era lá, afinal eram raros que tinham a oportunidade de ver o laboratório de Stark, algo que ele tinha que agradecer muito.

Após estar mais a vontade, desceu até a cozinha para poder comer alguma coisa já que seu estômago roncava. Como o esperado Natasha estava lá fazendo aparentemente o almoço que cheirava muito bem por sinal. Podia sentir que iria desmaiar de fome, principalmente ao sentir aquele cheiro que invadiu suas narinas assim que chegou ali.

— Ei, Pete. Como foi a aula? — Perguntou de costas ainda concentrada no fogão.

— Foi bem — Respondeu positivo. — O senhor Stark está na oficina?

— Pelo que me disse foi comprar peças pra um projeto novo — Respondeu despreocupada. Projeto novo, a palavra agradava Parker, mas não colocava fé de poder ajudar Stark com isso, embora não precisasse de ajuda. — E você, vai trabalhar com ele, né?

— Não diria trabalhar, diria ajudar quando precisar — Tentou procurar uma boa definição.

— Ou seja, trabalhar — Soltou um sorriso e se virou novamente para o fogão, deixando Peter pensativo.

Não estava muito preocupado nisso agora, afinal o mais velho foi bem claro quando conversou com ele, não tinha com o que se preocupar. Deu de ombros e pegou seu celular, respondendo algumas mensagens curiosas de sua tia, onde continha perguntas e vários carinhos de saudade. Só dois dias e já estava com saudade, não tinha como negar. Ficou ali no balcão mesmo com Natasha já que Tony estava fora e não tinha nada para fazer. Conversaram e riram até mais tarde, trocaram idéias e gostos pessoais, tanto sobre ela, sobre quanto Peter.

O relógio já marcava seis da tarde, com uma tarde chuvosa. Stark já havia chegado na torre, mas o garoto ainda não tinha visto nenhum sinal dele por ali, supôs que tinha o costume de ficar o dia todo em seus projetos quando podia. Natasha havia colocado um filme para se distrair com Peter, tanto que funcionou pelo jeito que o mesmo estava concentrado.

— Olá Peter — Uma voz robótica feminina fez com que os dois no sofá se assustasse, tanto que logo pausaram a TV.

— Cuidado sexta! — A ruiva reclamou com a mão no coração, negando com a cabeça.

Peter por outro lado estava chocado com aquilo, tanto que não parava de olhar pelos cantos da sala.

— Sou uma IA, Peter. Não tenho forma — Disse simplista, trazendo o alívio ao menor.

— Tudo bem, desculpe — Riu soprado tentando imaginar como seria se tivesse forma. — Porque sexta?

— Porque Stark gosta das sextas-feiras.

— Ah… — Pensou sobre isso se sentindo meio bobo por não ter pensado antes. — Enfim, porque me chamou?

— Tony o chama no laboratório dele. Não se preocupe, irei te guiar — Graças a aquela fala, uma animação percorreu ao coração do menor, onde o mesmo logo se levanta.

— Boa sorte com aquele verme arrogante —Um riso é tirado de Peter com o apelido dito ridículo por Natasha. Agora a questão era se realmente fazia jus com a personalidade do outro, engraçado o garoto diria.

Caminhou entre os corredores com a grande ajuda da IA, onde que por poucos minutos já considerava uma amiga na torre pelo seu senso de humor, mesmo que fosse apenas pura tecnologia. Demorou um pouco para chegar ao andar desejado, principalmente por ser escadas já que é proibido ter a opção do andar no elevador. Claro que, Peter iria demorar muito até decorar esse longo percurso, não era dúvidas. Chegou a uma porta onde era necessária senha para poder entrar, porém não foi necessário descobrir, sexta já havia digitado para que Peter pudesse ver.

Dirigiu seus olhos ao homem onde se encontrava concentrado em uma imagem holográfica acima da grande mesa em que estava apoiado. O garoto não se aproximou muito, mas Stark já havia notado sua presença, apenas não olhou o mais jovem.

— Oi, senhor Stark — Falou observando cada pedacinho dos cantos tecnológicos, um pouco receoso em atrapalhar o trabalho do homem.

— Oi, garoto. Já almoçou? — Perguntou. Peter estava chocado com aquela pergunta besta, já era seis e meia, claro que já tinha almoçado.

— Claro, senhor Stark. Já são seis e meia.

— Hum, bem, eu não. Espero que tenha trago algo para me alimentar aí com você — Disse mandão. Peter teve uma leve pontada de desespero no coração, ele estava falando sério?

— É-é… e-eu não trouxe, mas posso trazer se o s-senhor quiser — Apontou para fora indicando sua quase saída.

— Claro que não garoto, a esse ponto já estaria jantando — Revirou os olhos segurando um riso, quando voltou sua atenção para sua mesa. — Sexta, peça hambúrguer. Só um, o mesmo de sempre — Disse direto chamando a atenção de Peter.

Quem diria que Tony Stark não comia caviar o tempo todo, huh? Trazia diversão a Peter uma observação comi essa.

— Porque essa cara? Você não queria um, queria? — Acabou de se lembrar que não estava sozinho ali, tanto que acabou de cometer uma enorme falta de educação, mesmo que não se importasse. — Foi mal, eu posso pedir em dobro de novo.

— Não, não. Imagina, senhor, já estou satisfeito com a pipoca que Natasha havia feito — Riu um pouco, indo até a mesa e se escorando na mesma. — O que está fazendo?

— Pensando em um projeto novo que vou começar na oficina — Informou virando a tela na direção do menor. — Legal?

Mostrou o desenho de uma moto dos deuses naquela tela, impressionando o garoto.

— Nossa, incrível — Respondeu sincero com um brilho nos olhos. — Como vai começar?

— Pela base? — Perguntou irônico, quando foi andando até perto de um computador, onde pegou uma sacola ali em cima. — Preciso comprar algumas coisas ainda. Não é porque é meu que não falta nada.

Quem lesse esse frase, pensaria em alguém super convencido, mas não estava sendo o caso de Tony agora.

— Durante esse tempo você vai me ajudar com meus projetos e ir em eventos idiotas comigo. Em troca disso você tem minha casa, ok? Não disse tudo ontem, mas é isso — Disse despreocupado, mas Peter prestava atenção em cada palavra.

— Eventos, senhor Stark?

— É, como eu disse, discursos e mais discursos, coisa idiota — Deu de ombros, e Peter assentiu. — Ah, e esteja aqui toda vez em que voltar da aula, quanto mais cedo melhor.

— Tudo o que precisar, senhor Stark — Respondeu em um grande sorriso que foi completamente ignorado por Stark.

O homem começou a mexer nas peças soltas ali na mesa enquanto Peter apenas observava e imaginava cada uma para o que seria utilizada. Olhava por todo canto do laboratório afim de tocar em tudo e bem, Tony percebeu, mas não estava nem aí para o que o garoto queria fazer. Continuou acrescentando alguns detalhes no desenho de seu projeto, com réguas e compassos.Com o tempo, Tony deixou o trabalho do desenho de outros ângulos com Peter, claro que, ele já tinha terminado e deixou guardado, apenas pediu para que pudesse ver as habilidades do garoto. Voltou assim para o computador onde pesquisou sobre mais peças importadas de alta qualidade para que pudesse acrescentar em seu projeto.Peter tentava iniciar algum assunto, mas sem sucesso novamente. Começou a se sentir mais confortável com o trabalho, mas não era o suficiente ainda, teria tempo de se acostumar depois.


Notas Finais


Eu realmente tô com dificuldade pra colocar título :(

Que droga, vai acabar saindo "não sei que título coloco" kkkkkk

Mas tá bom, se tiver outra ideia eu mudo hehe

Comentem, me incentiva um bocado ;3

Até ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...