História 2 temporada: imagine Twice - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jeongyeon, Jihyo, Mina, Momo, Nayeon, Personagens Originais, Sana, Tzuyu
Tags Lgbt, Romance, Suspense, Yuri
Visualizações 56
Palavras 1.847
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yuri (Lésbica)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura 🤗

Capítulo 5 - Um jogo cruel.


Continuação...

                        ~~ S/n Pov ~~

- Hey, espera, para onde estamos indo? Eu não posso sair com você, tenho que voltar ao meu trabalho!!

- Relaxa, ainda esta cedo, e vai ser bem rápido, eu só quero tomar um cafezinho com você, ele fica aqui pertinho.

- ... - Então era isso. Eu estava começando a pensar que ela realmente tinha segundas intenções comigo, mas ela só quer fazer amizade.

Uns minutinhos depois...

- É aqui, esse é o meu café favorito, acho que você vai gostar. - Fala me puxando para dentro do café. Parece um lugar bem agradável.

 Nos sentamos em uma mesa e esperamos alguém vim para nos atender. Depois de alguns segundos vem um homem com um bloquinho perguntando o que iríamos querer, fizemos nossos pedidos e de repente um pensamento percorre a minha mente...

- Dami, eu queria saber como você pretende achar o Salomão, por que eu estou preocupada que ele tenha trocado seus aparelhos eletrônicos, por precaução, para caso o irmão dele abrisse a boca, e o entregasse.

- Para falar a verdade, não estou contando muito com a ajuda de rastreadores, por que se esse cara for realmente esperto, provavelmente já deu um jeito para não conseguir-mos rastrea-lo. Então vou começar vendo as imagens das câmeras de todos os aeroportos, desde o dia em que você não o viu mas, até agora, para ver sé vejo ele ou alguém com o comportamento suspeito, caso ele esteja de boné ou capuz, e quando eu o achar vou procurar saber em qual vôo ele embarcou, e vou contatar o aeroporto do lugar que ele estiver, para prestarem atenção sé ele embarca em mais algum vôo, ou em quem pede permissão para ir para outro lugar com algum jatinho particular, e em fim barra-lo e prende-lo. - Ela fala tudo com uma naturalidade.

- Você fala como sé fosse ser tudo tão fácil... - Paro de falar por um momento - E sé não conseguir-mos pega-lo...?

- Fique calma, nós vamos conseguir pegar ele. Eu dou a minha palavra!! - A mais velha alisa a minha mão que estava em cima da mesa. - Claro, pode demorar algum tempo, mas eu vou fazer de tudo para te ajudar a prender esse cara. - Ela me olha olha séria e com confiança.

- Eu entendo, obrigada por está me ajudando, eu sou muito grata por tudo o que você está fazendo por mim.

- Não sé preocupe com isso, além de ser o meu dever, esta sendo um prazer te ajudar. - Ela me da um sorriso reconfortante, e sem saber mais o que fala, apenas retribuo o sorriso.

 Logo depois disso, os nossos pedidos chegam e Dami me leva até o prédio da empresa, nos despedimos, e eu pude voltar ao meu trabalho.

( ... )

 Depois que todas as meninas já estavam em seus dormitórios, vou para o meu quarto sem a Mina, pois menti dizendo que precisava ficar sozinha, por que sé ela estivesse aqui, consertesa eu iria desabafar com a mesma, e consequentemente a envolveria novamente em meus problemas, e eu não quero que ela sé arrisque por mim mais uma vez, pois não quero que a mais velha acabe sé machucando sé tentar me ajudar de novo, afinal, o Salomão não é como o Daivid, ele mata sem piedade, tudo isso para ele é como um jogo – um jogo cruel de sangui frio.
Com esse pensamento, acabo pegando no sono.

              ~~ Quebra de tempo ~~


 De manhã, acordo com o meu celular tocando. Olho de quem é a ligação e atendo.

- Dami? O que foi?

- Eu decidi procurar ajuda para ser mais rápido o processo de investigação, mas eu preciso de provas, para que eles possam trabalhar nesse caso. Você sabe de alguma coisa que de para usar como prova?

- Uhmm, infelizmente não consigo pensar em nada, além da palavra do Daivid... - Penso um pouco. - Ah!! Eu estava tão atordoada, que tinha esquecido do que a Ana iria me falar!! Ela disse que antes da nossa mãe morrer, ela disse algo, mas eu não entendi muito bem!!!- Falo quase que gritando.

- Ótimo, não sei sé você sabe, mas alguns celulares gravam a ligação da pessoa, nós podemos usar a gravação da seu celular como prova!! Bom, eu preciso que você ligue para seu irmã, e pergunte mais sobre isso, ok? Depois que terminar, ligue para mim, agora já vou indo, tenho que resolver algumas coisas.

- Ok, tchau.

- Até~ - Ela desliga.

 Aí, ainda bem que eu tenho a Dami me ajudando, sé não fosse por ela, eu não teria lembrado da ligação da minha irmã. Entro nos meus contatos e clico no nome " Ana ". Depois de alguns toques, ela finalmente atende.

- Ana!! Desculpa está ligando do nada, é por que eu preciso que você me explique melhor o que você iria falar sobre o que nossa mãe disse antes de morrer!! - Falo com um peso no coração, pois sei que a Ana não iria ficar muito bem com isso, mas não tenho outra escolha.

- .... Bem...

- Ana, por favor, eu sei que tudo isso é difícil, mas você precisa me dizer o que aconteceu!! Isso vai ajudar na investigação...

- ... tudo bem... - Ela da uma pausa. - Quando foi de manhã eu acordei, assustada, com os gritos da faxineira, então eu corri até a cozinha e vi a moça com uma expressão horrível, quando eu olhei, era a mamãe no chão, sem poder sé mexer e parecia sentir muita dor... eu entrei em desespero, mas tentei me acalmar e chamar uma ambulância e para a polícia, eles chegaram rápido, e os policiais chegaram logo depois. - Ela fala com uma voz de agonia e confusão.

- Ana, olha, me desculpa mesmo, por fazer você lembrar de tudo isso, mas eu realmente preciso saber o que aconteceu depois, como você ficou sabendo que ela disse alguma coisa? - Falo cada vez mais me sentindo culpada, por está fazendo-a lembrar de tudo aquilo.

- Eu fiquei sabendo, por que tinha uns policiais conversando um pouco próximo de onde eu estava, ai ouvi um deles dizendo que ela tinha dito, antes de entrar na ambulância, o nome... Uhmm, acho que era Salomão, e em seguida disse " conte, S/n ". Eu não entendi o que ela quis dizer, então já que ela disse o seu nome, pensei em dizer a você naquele dia. - Então foi realmente o Salomão, talvez ela tenha dito o meu nome, por que pensou que eu poderia entender, o que aconteceu naquele dia. - S/n?

- Snif, snif, como eu queria que ela estivesse aqui, Ana... eu ainda não quero acreditar que isso aconteceu, não quero!

- Eu também me sinto da mesma forma. - ouço o choramingar da menor. - vou ficar perdida sem ela...

- Sim, mas eu vou dar um fiz nisso, vou pegar a pessoa que fez isso com a nossa mãe!! - Prefiro não falar nada sobre as coisas que estão acontecendo, ela já está sofrendo muito. - E quando você estiver na coreia, não vou mas tê soltar. - A mesma dá um risinho com a última frase.

- Não vejo a hora de poder tê abraçar, e passar as noites justas, assistindo filme, como fazíamos antes.

- ( Sorriso ) Sim, vamos fazer todas as coisas que você quiser fazer!! - Por um breve momento pude esquecer das coisas ruins, mas novamente o meu pensamento volta para o Salomão, e a vontade de colocar as minhas mãos nele e faze-lo pagar por tudo que fez a minha família e a mim. - Ana, eu tenho que ir agora, tenho que resolver algumas coisas importantes.

- Tudo, tchau, e não esqueça de sé cuidar!

- ( Risos ) as vezes você é que parece a irmã mais velha. Tudo bem, não sé preocupe, eu vou me cuidar.

- Tá bom, tchau.

- Tchau. - Desligo e em seguida ligo para a Dami, que logo atende.

- S/n, iai, consegui alguma coisa??

- Mais ou menos, nada tão explícito, mas a minha irmã falou que a nossa mãe disse, " Salomão, conte, S/n ".

- Isso já serve, eu posso usar a gravação da sua ligação com a sua irmã, e a palavra do Daivid. Agora, eu preciso que você me mande o arquivo da ligação.

- Ok, vou enviar. - Desligo e logo em seguida envio o arquivo.

 Pronto, tomara que ela consiga convencer os outros políciais.

 No mesmo dia, mais tarde.

 As meninas estavam fazendo vídeo, enquanto treinavam e conversavam sobre coisas aleatórias, e eu ficava olhando e rindo, das palhaçadas que elas faziam, quando eu recebi uma ligação.

- Alô, Dami, como foi??

- Felizmente eles vão ajudar, agora é só você esperar. Vou tentar fazer o processo de investigação o mais rápido possível.

- Aí que alívio!! Não tem problema, não precisa sé pressionar tanto, eu sei que isso é um processo demorado, e muito obrigada, por está me ajudando.

- Por nada, esse é o meu trabalho. É por isso que eu gosto de você!! Você é incrível, compreensiva... - Ela da uma pausa. - Deve ser bom ser a sua namorada! - Nessa hora meus olhos quase saltam das órbitas, pela surpresa. Como assim " deve ser bom ser a sua namorada " ?

- Ah~ bem, obrigada? - Fico sem saber o que dizer. Ela dá uma risadinha.

- Aí, você é tão fofa, S/n. Da vontade de te morder todinha. - Dou uma risada sem graça.

- Ah, nossa. Você amo me provocar, né?

- E sé for? Você não gosta?

- Ãh~, eu...

- Sabe o que eu queria?

- Não, não sei.

- Ter você na minha cama, todinha só para mim.

- Ah!! Nossa!! Por quê você iria querer isso? E eu tenho namorada... - Tento amenizar as coisas.

- O que quê tem?? Não é crime gostar de outra pessoa, mesmo que ela esteja em um relacionamento.

- Nossa eu não sei nem o que dizer... e-espera aí!! Como assim gostar? Você está...

- Gostando de você? Sim, eu estou minha linda, e eu queria te conhecer melhor, o que acha de vim na minha casa?

- Dami, bem~, eu... - Nessa hora sinto o meu rosto esquentando. MEU DEUS, o que está acontecendo comigo?!! Por que eu estou reagindo a suas provocações?

- Você está pensando em ceder?

- Não, eu não...

- S/n, você vem comigo comprar um sorvete?

- A-ah, sim, sim, claro. - Aí minha nossa, muito obrigada por me tirar dessa Sana!! - Dami, eu vou ter que sair agora, o deve me chama.

- Ahhh, que pena, tudo bem, tchau. Vou começar hoje mesmo com a investigação.

- Ok, obrigada novamente, tchau. - Desligo antes que ela fale qualquer outra coisa. Acho que talvez ela seja bipolar, uma hora ela está seria, e em outra está me provocando, não a entendo, mas ela até que é divertida, gosto dela.

Continua...


Notas Finais


Iai, gostaram? Espero que sim 😁.

Meu deus gente, desculpa a demora, eu iria postar assim que as coisas no colégio sé normalizasem, mas quando fui escrever, nada vinha, então passei esse tempo todo tentando escrever. Agradeço MUITOOOO a minha prima por ter me ajudado, sério, foi difícil esse bloqueio, hein kk!!

Então é isso, espero MUITOO que vocês tenham gostado, e não sé preocupem, dessa vez não vou demorar, por que já está tudo escrito, então sé preparem que sexta já tem mais um cap


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...