História 20 Segundos (Taekook-Vkook) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Vkook Taekook
Visualizações 118
Palavras 3.897
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ABAIXEM AS FACAS QUE HOJE EU CHEGUEI COM A METRALHADORAAAAAA! POW, POW! Demente? Talvez.

COMO VÃO GENTE, É AE TA COMENDO DIREITO? TA DORMINDO? VOCÊ QUE TEM AULA HOJE (já passou das 00:00) VAI DORMIR VIADA(o)! CONSELHÃO DE AMIGA AQUI EM.

O Edit a baixo ficou um cu, porém a gente releva, pq é o meu primeiro edit pelo PC. Pq a burra aqui nunca tinha editado pelo PC, passei uma hora pra aprender a editar, e agora to indo... To indo.

MULHER TU SENTA O CU NA CADEIRA, OU DEITA, SÓ NÃO FICA EM PÉ, PRA NÃO MORRER! OKAY? OKAY!

BOA LEITURA E PREPAREM O CORAÇÃO:

Capítulo 4 - Fofoca com Pipoca.


Fanfic / Fanfiction 20 Segundos (Taekook-Vkook) - Capítulo 4 - Fofoca com Pipoca.

 

Em todas as hipóteses, ele não era meu Kookie gordinho.

 

                   Sentindo minhas lagrimas descendo, era como se um pedaço do meu passado estivesse voltado a tona. Merda! A ultima coisa que eu queria era ter que chorar perto do babaca do meu chefe. Eu nunca pensei na minha vida, que um garotinho como o Kookie, viraria um homem como o Jeon.

                 Eu sinto saudades do meu neném, ele era... Tão ele. O garotinho na qual eu sou apaixonado – Sim, isso mesmo, apaixonado. – era fofo, carente, protetor, amava toddynho, sorria toda hora, fazia palhaçadas, era sensível e sempre que dormíamos, ele gostava de se aconchegar por cima de mim, enquanto eu o dava carinho. E pelo o que eu vi agora do Jeon mais velho, é um homem sério, que ama me provocar raiva alheia, odeia atrasos, e se eu contasse minhas supostas vontade de fuder com ele, demissão na hora.

                Limpei minhas lagrimas, e engoli a seco. Eu queria gritar com ele, puxar seus cabelos negros, dizer a raiva que eu sinto por ele ter escondido que sabia que eu conhecia ele. Mas... COMO ELE MUDOU TANTO? Ele antigamente não tinha... Digamos... Este físico. Ele era gordinho e agora, por Deus, só falta eu ver o abdômen dele pra saber que o mesmo malha.

Ele mudou completamente, tanto a personalidade, quanto o físico.

               Se eu pudesse ter meu Jungkook de novo, eu iria voltar atrás dele. Eu quero chorar, berrar, soluçar, me jogar no chão, dizer o quão indignado eu estou. Mas a única coisa que eu posso fazer, e chorar silenciosamente, enquanto o sinto olhar pra mim, como se eu fosse só um cara que ele conheceu á dias atrás. Eu sou insignificante pra ele; Era de se esperar, idiota.

            Sentindo mais lagrimas quentes descerem, eu comecei a rir. É, eu estou ficando louco. Completamente alucinado, completamente maluco. A voz dele vinha á minha mente, como uma parede elétrica. Os apelidos “V hyung” e “TaeTae”, eram os que mais me matavam. Ele falava aquilo com tanto amor, com tanta paixão... Que só de lembrar quebra meu coração. Tirando quando ele vinha todo feliz porque eu simplesmente beijei sua bochecha, e o disse que o amava, e que ele era o melhor amigo de todos... Eu sinto saudades.

Como minha avó dizia: Nunca ache que as pessoas que são de um jeito com você, serão assim pra sempre, porque as pessoas são traiçoeiras. Um dia elas vão te decepcionar.

E a ultima pessoa que eu achava que um dia iria ser assim comigo era o Kookie.

Ironia do destino? Talvez.

           Sentindo meu corpo completamente fraco, eu me levantei, eu não quero a presença dele perto de mim. Eu não o quero perto de mim. Eu só quero tacar um belo de um “foda-se” pra isso tudo, e sair daqui. Como o covarde que Kim Taehyung sempre foi; e talvez sempre seja. Eu me levantei da cadeira, peguei meu celular.

– Tchau Sr. Jeon. – Quando eu ia passar pela batente da porta, ele me chamou.

– Vai aonde?

– Pra casa Jeon, pra casa.

– E quem te deu a permissão.

– Eu. – Meu plano era simples, sair daquela delegacia, e ir pra casa.

– Você não pode e-. – Eu o cortei.

– Olha Jungkook... – Respirei fundo, eu não quero gritar. – Corrigindo, Sr. Jeon. Eu não sei você, eu não sei da sua vida alheia, eu não sei se você mora sozinho, se você mora com alguém, o que você come, quando acorda, quais são seus gostos, como você vive, ou seja, eu não sei absolutamente nada que tenha haver com sua vida. E-eu só sei que eu tenho sentimentos, diferente de você. Eu não sei qual foi sua reação quando descobriu que eu era o seu antigo “V hyung”, eu realmente, não sei e não tem como saber. Você virou frio, um cara sem coração, um babaca. Então, eu francamente, prefiro ir pra casa, ficar na minha, respirar, pensar, e depois... Ver a sua cara. Porque a sua presença, não vai me ajudar em nada. É melhor eu sair daqui apenas por algumas horas. Porque lá eu posso encontrar pessoas que me acham importante. E você sabe... Eu acho, espera, corrigindo, eu tenho a certeza que eu sou pra você, completamente, insignificante.

Sentindo as lagrimas descerem em abundancia, eu sai da delegacia. Indo ate minha casa, e ligando no meio do caminho pra Jimin.

“– Alô! Olha só quem apareceu!” – Ele falou sarcástico.

– Jimin, eu... Por favor, tem como você ir a minha casa? Eu estou passando por um momento difícil, e-.

“– Como assim?”

– Lá eu te explico tudo.

Eu mandei meu endereço por mensagem e disse que iria chegar lá em 30 minutos, junto ao Jin e ao Yoongi.

 

...

 

      Se passaram 30 minutos, e a campainha tocou. Limpei meu olhos, tentando esconder que eu não chorei, e fui ate a porta, atendendo um sorriso mais falso que as chuvas das novelas Coreanas.

Alias, esse é melhor jeito que conseguimos esconder a merda da nossa dor. Sorrindo.

Eles me fitaram com um olhar aconselhador, sabiam que eu odiava que sentissem pena de mim. Sorriram em reconforto e me abraçaram. Eles sempre sabem quando eu estou escondendo algo ou estou triste. Não é a toa que se conhecemos á 7 anos. Eu os deixei entrar na minha casa, e o Jin empolgado já foi pra cozinha, fuxicando tudo, e dizendo que iria fazer uma comida. O Yoongi se jogou no maior sofá da sala e ficou por lá mesmo, e o Jimin foi olhar a casa sozinho. Eu já estou acostumado com isso.

Depois que o Seok terminou a comida/lanche, todos começarmos a comer em silencio e ele me olhou, talvez esperando uma resposta.

– Por que nos chamou aqui? – Como sempre, Min muito sensível.

– Eu precisava de apoio, amigos... É...

– Eu entendo meu filho. – Jin me fez sentar perto dele, e colocou minha cabeça em seu colo. Ele me trata como seu próprio filho. Já que entre os três, ele é o mais maduro. – Conte-nos o que se sentir confortável, okay? Não se force á nada.

– Quando eu fui a delegacia, eu fui preso por um crime que eu não cometi. Mataram o senhor Choi, e colocaram a culpa em mim e não fui eu quem o matei. Foi uma pessoa que botou suas atrevidas mãos na minha cintura e matou o policial. Como eu era o único naquela lajem, me culparam. Ate que me colocarem com um cara em um interrogatório, ele era lindo, ele é lindo, eu poderia transar tanto com ele que no outro dia eu-

– Taehyung não nos conte seus pensamentos eróticos, e sim o que aconteceu.

– Desculpe Jin hyung... Voltando. Esse homem me interrogou bem mau, mas me interrogou. E foi o querido policial Jeon, aquele que Jimin disse que iria sentar ate no outro dia e Yoongi faltou mandar ele se benzer, lembram?  – JM me olhou em reprovação e os meninos começaram a rir, inclusive eu. – Ta... Ele me deixou na sala de interrogatório, me fez de cão, ameaçou-me e disse que “ficaria no meu critério” quando eu perguntava se ele estava me ameaçando. Comprou meu apartamento, este que estamos e eu estou pagando ele com o trabalho, ou seja, devo coisas a ele, infelizmente. É um filho da puta comigo. Me fez arrumar um escritório cheio de baratas e ratos, riu da minha cara quando eu ficava indignado. Ele é vulgar, egoísta e chato pra caralho. Quase me beijou, me provocou, me xingou, é todo misterioso e orgulhoso e- Se eu não pular essa parte, ate amanha de manha eu vou ficar xingando ele todinho.

“Caham!... Vou parar de falar mau dele, desculpem, se bem... Que eu falo isso esses quatro dias de trabalho pra ele. Falo as verdades na cara né gente. Eu quando a gente quase se beijou, percebi que o conhecia em de algum lugar. Normal, suave. Como diz Mark “lazer”. Ele chegou em mim, me obrigou a comprar café pra ele, quase peguei o numero do carinha do caixa, que alias, era uma delicia. Desculpem, me empolguei. Um homem, garoto, sei lá, assaltou meu celular só pra conseguir meu numero de telefone, pra você ver como o mundo é hoje em dia, e não sabe pedir um numero diretamente. Okay... Onde eu estava?... Ah, lembrei. Hoje eu acordei, me arrumei, como um dia normal, comprei o café do Jeon e fui ate a delegacia. Eu fiz como todos os dias, ate que meu chefe babaca, e ele me disse que ele era meu antigo amigo de infância... O Kookie.”

Eles sabiam da historia do Kookie, então eu não precisava contar sobre ela. Peguei meu celular e troquei o nome deles nos contatos de “Meu chefe gostosão, filho da puta” foi pra “Chefe babaca”.

– Então... O Jeon Jungkook, o policial gostosão... É o seu amigo Kookie?

– Uhum.

– Meu Deus... Eu...

– Eu queria desabafar sabe? Eu já gritei, berrei, um vizinho reclamou que ele tinha “filhos” e eles queriam dormir, eu com o olho inchado mandei ele se foder...  Ah, foi uma doideira.

– Olha... – Yoongi começou. Já to vendo as verdades na minha cara. – Eu simplesmente achei trouxa não ter esfregado a cara dele no chão. Mas se bem, que, você não quer ser demitido... Tae, eu acho que bem, você fez o certo em não ter gritado com ele, ter desabafado sobre o que estava sentindo, porém você foi um pouco imaturo. Mesmo sendo a verdade, Tae, acho que você deveria ser um pouco mais frio com ele. Sabe, não dizendo pra pagar na mesma moeda, mas sim, ser um pouco mais relaxado com tudo. Se ele faz isso com você, só porque você quer uma foda com ele, e também o odeia dos pés a cabeça. Finge que não liga pra existência dele.

– Yoongi hyung, você é um gênio! Obrigado, eu amo vocês. – Abracei cada um, eu me sentia bem melhor.

– Taehyung o Shin ainda quer falar contigo.

– É, eu sei.

– Vai lá amanha, é importante.

– Okay.

– E por que ele é tão gostoso assim?

– Um dia vocês vão o ver pessoalmente.

– Esperamos.

– Só não quero vocês iguais a mim.

– Não prometo nada.

 

...

 

     Como eu já havia me recuperado, fui ate onde o Hoseok morava. Cheguei lá e o gritei, vendo Mark sair de algum lugar na qual eu não faço a mínima idéia, e sorriu pra mim.

– Chegou na hora errada, irmão.

– Por que?

– O velho acabou de sair.

– Velho?

– O Hoseok, cara, ta sabendo das fitas não?

– Shin é só um ano mais velho que tu, Mark.

– Fica quietinho que ninguém perguntou.

– Palhaço. Onde que se tava esses dias, em senhor?

– Que dias? Á uma semana atrás? Ah... Eu estava fumando com um bondezinho ai.

– Você fala isso em uma tranqüilidade...

– Lazer, cara, lazer. – Eu ri soprado, ele não muda mesmo.

–– E como vai à vida?

– Hm... Muita festa, bebida, comida e muitas gatinhas. – Ele sorriu dando um “rá” arrastado.

– Você não muda mesmo. – Ele acendeu um cigarro perto de mim, e começou a tragar.

– Não é que eu mude, eu só estou aproveitando, “bro”. Sabe... Eu to em uma idade parceiro, que eu não preciso virar adulto. Eu chego com meus amigos, vou fumar uma ervinha ali, ninguém sabe, pego uma garota, fico relaxado e pronto. Liberdade, cara, liberdade. A liberdade é algo que a parti de uma idade, você começa a preservá-la.

– Ta virando filosofo?

– Não... Deve que foi a maconha. – Ele soltou à fumaça, pelas narinas e me ofereceu. Eu aceitei. – Tem uma hora na sua vida, cara, que tu para pra pensar nas coisas, e começam a ver elas coloridas, entendeu irmão?

– Ou foi à maconha? – Prendi o oxigênio, e traguei o ar do cigarro, enchendo os pulmões, e soltando devagarzinho a fumaça.

– Não me faz pergunta difícil. Aprendeu a técnica né safado.

– É igual bicicleta, aprende uma vez, nunca mais esquece. – Disse e o devolvi.

– Lazer...

Eu nunca vou cansar de conversar com esse garoto. Ouvi um som de carro ecoar pela rua, e o mesmo parou na frente da casa do Shin – Vulgo onde eu e o Mark estávamos. – meu cu ficou na mão. Não sei o porque... Mas ficou. Senti um cheiro forte de baseado subir e olhei pro Mark, que alias, havia sumido.

Ele não estava aqui á uns 20 segundos atrás?

Reconheci o Hoseok logo de primeira, e ele tirou seus óculos escuros, sorrindo pra mim de canto. Abraçou-me e eu o cumprimentei com um sorriso, ele fez menção pra eu entrar em sua casa, o que obviamente eu obedeci. Ele entrou na sua casa, e se sentou em uma cadeira, que estava acompanhada com uma mesa linda de vidro e na me mandou com os dedos sentar-se a frente dele. Logico que eu fiquei parado lá, quem ele acha que é para me mandar sentar com aqueles dedos que eu não sei aonde ele enfia?

Ele me olhou em tédio, e suspirou. – Taehyung, sente na cadeira.

Fiz como ele mandou. Se Hoseok acha mesmo que eu faria tudo que ele queria – Como tentar me mandar sentar na cadeira com os dedos – ele esta muito enganado.

Eu já fiz isso uma vez com o Jeon... Esquece a existência dele, Taehyung! – Gritei internamente pra mim, odeio quando eu me lembro daquele idiota.

Nem tinha visto que Shin Hyung tinha saído, só quando ele me mostrou uma xícara de café e eu aceitei. Bebendo um pouco do liquido, relaxei os músculos, eu preciso relaxar, isso é fato. Se bem que tem um spar perto da delegacia que parece que é muito bom.

– Taehyung!

– Oi? – Sobressaltei.

– Okay, você não prestou em nada que eu disse, não é? – Sorri largamente. É... Ele já me conhece. – Pff! Vamos começar do inicio, Jimin me contou a historia toda e blá, blá, blá. Mas... É verdade que você esta ajudando o Jungkook em uma missão?

– Eu estou me alto ajudando. – Disse bebericando o café. – Nosso trabalho é assim, eu compro café pra ele, o ajudo, faço tudo, ele me paga, e estamos de boas. – Shin me olhou com uma cara do tipo “Que?”.

– Ta... Hm... Ah, lembrei. Você realmente matou o Choi?

– Olha, se você acha que eu sou louco pra o matar, vai tirando isso da sua listinha.

– Não... Não é isso Taehyung! – Me repreendeu. – Como eram as mãos dele?

– Como é que é?

– A textura, a mão dele. Lembra que você disse que ele colocou a mão na sua cintura?

– Ah... Eram grandes... – Falei me lembrando do acontecimento. – Ele tinha pegada... Sua respiração estava leve e calma, porém eu não consegui sentir o seu cheiro... Eu era maior que ele... E... É só isso que eu me lembro.

– Entendo...

– E o que você quer com isso?

– Armarão pra você, V.

– QUE?! COMO ELES SABERIAM QUE EU ESTARIA ALI! OLHA UMA COISA É SER UM GÊNIO A OUTRA É SER ILLUMINATTI!

– Não surtar! Eu também não sei! Quem é o gênio aqui é você!

– Aff! – Revirei meus olhos.

– Você é infantil as vezes.

 

“–Você é uma criança, só pode!

– Vice- versa”

 

– Taehyung?...

– Ah, oi? Desculpe.

– Então voltando... Acho que armarão pra você...

– Hyung.

– Hm?

– Eu vou investigar esse caso, e você vai me ajudar.

– Virou detetive Taehyung?

– Sei lá... Sou policial, hacker, tenho o chefe mais babaca do mundo, ser detetive não mudaria nada.

– Vai usar o que? Um shortinho curto cinza, uma camisa social branca, um laçinho vermelho e usar uma lupa?

– Fode-se Hoseok.

Hyung. – Me corrigiu.

– Apenas, se fode. – Ele sorriu pra mim, vendo a minha demonstração de irritação. – Aff! Eu to indo pra casa, tchau.

– Tchau, e volte mais vezes aqui, dongsaeng.

– Abusado.

 

...

 

Voltei pra casa, e me joguei no sofá branco da sala, relaxando meus músculos mais uma vez no dia. Parece que um elefante subiu em cima de mim. Não os julgando! Longe de mim! É só um modo de dizer. Eles podem ate ser obesos, mas eles são altos, fortes, com uma memória boa pra caralho, e uma pisadinha, tira a sua vida. Troquei de roupa, colocando uma largada mesmo, porque eu estou na minha casa e voltei pra sala, me jogando novamente no sofá.

Suspirei profundamente, pegando o controle e deixando meu celular no silencioso. Não quero ninguém me ligando. Levantei, fiz um lámen, e liguei a TV. Assistiria qualquer coisa, menos jornal. Eu sei que teria Deus e as noticias sobre o “príncipe perfeito Jeon babaca Jungkook”. Coloquei em uma novela mexicana, melhor que nada.

Ouvindo algumas batidas na porta, será que é um vizinho e eu não estou sabendo? Por que ate agora, eu só o porteiro, que nem um “olá” eu dei ainda pra ele. Levantei-me do meu querido sofá, de novo, e fui atender a porta, batendo-a e trancando em imediato.

– Kim, abre a porta.

– Me obrigue.

– Ah, qual é?!

– Jeon, volta do inferno que você veio, eu não quero ver sua cara.

– Para de ser infantil!

– Para de ser atentado!

– Pff! – Ele deu um suspiro. Senti a porta ser aberta e o fitei incrédulo.

– C-como? Q-que?

– Eu tenho uma copia da chave da sua casa. Acha mesmo que eu te daria um apartamento sem fazer uma copia? – Eu achava. – Eu vim conversar.

– Não temos nada pra conversar!

– Taehyung, você também faz parte da minha infância.

– Foda-se, infância é passado não é? Então, vamos deixar as memórias no passado, seguir em frente e fingir que somos só funcionário e chefe.

– Você quer isso mesmo?

– Uhum. – Acendi.

– Não foi isso que pareceu quando você começou a chorar no meu escritório.

– Ah! Qual é?!

– Vamos conversar, V.

– Sai da minha casa, Jeon.

– Se isso não fosse importante, eu nem aqui estaria.

– Importante? Pra você?! – Comecei a rir. – O que é importante pra você, Jeon? Fama? Dinheiro? Mulheres ao seu dispor? Uma aparência que você não tem? Você é um idiota Jeon! Um babaca! EU TE ODEIO! – Ele continuou frio. Enquanto eu surtava. – Quer saber... Saí da minha casa.

– Taehyung eu vou voltar aqui se você me expulsar. Tem como você amadurecer e ver que você é um adulto?

– Eu sou um adulto, Jeon. Mas eu não sou obrigado a olhar pra sua cara, lembrar do meu passado, e você demonstrar como se estivesse “foda-se”. Você sabe que nós dois sofremos juntos e olha pra você! Mudou a personalidade, físico, tudo! – Eu já estava com minha respiração na sua face, por ele ser maior que eu, meu nariz se encontrou perto dos seus lábios rosados.

– Você gostava de mim gordinho é Taehyung? Ou você me prefere assim? – Ele pegou minhas mãos e passou por seu abdômen que estava enroupado. Tinha gominhos ali. Eu fiquei vermelho, muito. Sentindo cada gominho, a textura era tão macia, eu queria sentir mais de perto. Queria sentir sua pele. – Eu te fiz uma pergunta Taehyung! – Eu nem tinha respondido, era tão bom ficar com minhas mãos ali. – Vamos Kim! Responda-me.

– Aish! – Tirei – com muita força de vontade – minhas mãos do seu abdômen. – Eu não vou te responder.

– Por que, hun?

– Você esta me provocando Jeon Jungkook?

– Estou.

– Você sabe que é gostoso e abusa disso.

– Pra você eu sou gostoso, é? – Senti um calafrio vir pela minha coluna ao sentir suas mãos na minha cintura a apertando.

O que ele pretendia com tudo aquilo?

– Vamos parar com o fogo, que eu não estou com a cabeça pra isso.

– Ah, é? Okay. – Ele tirou suas mãos da minha cintura, e eu agradeci a Zeus, sabe sei lá o que eu faria se ele continuasse me provocando.

Ficamos em silencio, ele se sentou no sofá e eu fiquei comendo meu rámen enquanto assistia a novela, que alias, eu só sabia que uma mulher estava pegando dois ao mesmo tempo.

– Taehyung... Eu sei que você esta querendo investigar o caso do Senhor Choi.

– Como você sabe disso?

– Ta mais do que na cara. – Ele suspirou. – Eu vou te ajudar. – Me engasguei com o lámen.

– Você o bebeu?

– Não.

– Meu Deus! Eu... Eu to sonhando né? Será que eu desmaiei de tanta raiva? Jesus! Quem é você e o que você fez com o meu Jeon?

– Ué, não posso te ajudar não?

– Eu não estava preparado pra isso, okay? Não me julgue! Eu não tenho culpa se pra mim você é imprevisível!

– Já acabou? Vai deixar eu te ajudar ou não?

– Eu vou!

– Então vamos começar por coisas simples e depois vêm as mais complexas, certo?

– Ta.

– Vamos começar com a repórter que falou sobre o seu caso.

– E quem falou?

– Minatozaki Sana.

E lá vamos nós...

 

...

 

No outro dia, Jeon apareceu com o seu carro da policia e eu entrei no imóvel. Fui no banco de trás, obvio, porque se caso eu fosse no da frente, poderia acontecer 99,99% da minha pessoa se estressar com o policial e a gente morrer porque batemos o carro. Melhor se prevenir.

No banco de trás estava J-hope, e ao entrar ele me abraçou, que eu retribui.

– Hoseok hyung, o que você esta fazendo aqui?

– Vim ir ate o jornal com vocês. – Fitei Jeon pelo espelho incrédulo, e ele deu um sorrisinho. – Jeon me disse que vocês iriam visitar a fofoca e pipoca.

– Fofoca e que?

– Fofoca e pipoca, o jornal mais conhecido do jornal! Nunca ouviu falar? – Neguei com a cabeça, ele me olhou como se eu fosse de outra época. – JEON POR QUE VOCÊ NÃO ME DISSE QUE ELE NÃO CONHECIA ESSE JORNAL?!

– Para de gritar, Hope hyung! – Ouvi pela primeira vez, a voz dele no dia. – Eu não sabia.

– Meu Deus, Taehyung!

– Que nome... Estranho.

– Que o que, homem? Aquele programa é foda! É cada fofoca. E a Sana, é uma das melhores reportes. A voz dela é tão fofinha.

– E chata. – Completou Jeon.

– Para de ser chato.

– Todo mundo sabe que você é um trouxa pela Sana. – Ele mostrou o dedo do meio.

– Eu também o tenho, sabia? – Hyung cruzou os braços e ficou nessa ate chegarmos ate o nosso destino.

Quando chegamos saímos do carro, e eu vi um estúdio enorme. Com um “FOFOCA E PIPOCA” gigantesco escrito em uma placa na frente. Entramos e logo vimos uma mulher de cabelos castanhos, baixinha, e bonita á nossa frente.

– JEON! – A jornalista gritou o policial, e este apenas revirou os olhos. Ela o abraçou e se enfiou do lado dele, me empurrando.

Mau educada.

– Não liga, ela é sempre assim. – Um garoto sussurrou pra mim.

– Por que “ela é sempre assim”?

– Ela gosta do Jeon, sabe? Mas ele ta “defecando” pra existência dela.

– Ela não se ligou nisso ainda não?

– Na realidade sim, mas se faz de desentendida.

– Ah...

– Taehyung. – Jungkook me chamou. – Ela vai nos contar o que sabe. Depois que ela acabar o jornal.

Ela começou a fazer o jornal, olhando pra câmera, e quando dava suas pausas, voltava pra falar alguma coisa irritante com o policial. Eu sabia que as mulheres eram caidinhas por ele, mas não desta forma, pelo amor de Deus.

Eu conversei com um monte de pessoas, comi muito, esperei, quase cochilei, chorei de rir com uma piada de um garoto, Jeon e eu ficamos provocando a raiva alheia um do outro. Muita coisa aconteceu.

 A de cabelos castanhos chegou ate a gente, e nos chamou pro seu escritório particular. Eu e Jungkook ficamos quietos e fomos ate seu escritório, sentando nas cadeiras feitas de madeira, com a decoração toda de menininha. A garota deu um gole em seu café e disse;

– Agora eu contarei tudo o que eu sei.

 

 


Notas Finais


BATE NELE TAEHYUNG! PUXA O CABELO DELE! DIZ QUE ELE É UM GOSTOSO QUE VOCÊ QUER SENTAR ATE AMANHA DE AMANHA! "E quem te deu a permissão?" "Eu" ESSE MENINO SÓ LACRAAAAAAA!
O MARK ELE! KAKAKAKA "Lazer..." Á uma semana atras? Ah... Tava fumando com um bondinho ai" EU VENERO A SINCERIDADE DESSE CARA!
QUEM ENTENDEU A REFERENCIA DE DOPE?! DO DETETIVE?! SE VOCÊ NÃO TINHA PERCEBIDO, VOCÊ TOMA VERGONHA NA CARA QUE EU VOU TE DA UM TAPA! FICA AI ESQUECENDO DE FAZER TEORIAS SOBRE A FANFIC!
TEM QUE FICAR LARGADÃO EM CASA MERMO, E SE RECLAMAR TAPA NA CARA DO VAGABUNDO! Mentira gente, não sigam meus exemplos.
E AE JUNGKOOK, QUER CHEGAR AQUI ME CASA, E DEIXAR EU PEGAR NO SEU ABDOMEN NÃO? EU ACEITO DE GRAÇA!
MELHOR JORNAL DA GLOBO! FOFOCA COOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM PIPOCAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!! URU!!! SANA SUA GAY, CADÊ A EDUCAÇÃO CARAI? PORRA! EU TE DEI EDUCAÇÃO E TU FICOU NESSA SUA VIADAGEM? TIRAÇÃO COM MINHA CARA
Esse cafézinho em... Vem coisa.

Me sigam no Twitter viada(o): https://twitter.com/Lucywazk

Se tiver erros ortográficos, perdoem a tia, que ficou 5 horas fazendo o cap, junto com o edit e EDITANDO O CAPITULO PRA VOCÊS! Ou seja, não revisei

Amo vocês.
Ate a próxima!
Comentem pra deixar a tia da coluna esbagaçada feliz! ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...