História 2001 - Clube Vingate - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Algo sobre pai e filho - pt 2


Fanfic / Fanfiction 2001 - Clube Vingate - Capítulo 10 - Algo sobre pai e filho - pt 2

  Eliza Schuler - 

Uma das sensações mais desconcertante da vida, é não saber o que fazer.

Winny havia me telefonado, por volta das duas, me contou o que aconteceu e me disse que estava bem.

Me ligou novamente as 6:30 e deixou um recado, dizendo que não estava tão bem assim.

A liguei então as sete, assim que sai do banho. Quem me atendeu foi César.

- Alô, Prima ?

- Oi, César. Cadê a Winny ?! - eu estava preucupada.

- Ela ta melhor, ta dormindo agora.

- Ta, o que aconteceu ?

- Amanhã ela fala com você. Mas não se preucupe, ela ta bem agora.

Então que seja, posso esperar até amamha.

Okay, talvez nem tanto.

Sendo assim, eu estava N E R V O S I S S I M A durante o jantar.

- O que você tem Elizabeth?

- Nada, mamãe.

- Naia mamai - remedeou Jelly

Minha mãe então a encarnou com um olhar assassino.

- Mamãe, a senhora sabia que Winny está grávida?

Tenho três bons motivos para contar isso a ela.

· Winny era filha única. Então, uma hora sua mãe ia se cansar dessa palhaçada e querer sua filha de volta.

· A senhora Schuler ia descobrir, mais cedo ou mais tarde. Melhor que fosse por mim.

O outro vocês vão entender depôs.

- Céus - disse minha mãe

- Que vagabunda

Ora, pirralha !

- Olha a língua Jelly Beans ! - ordenou minha mãe.

(?)

- E então? E o pai ?

- César. - disse levando o tomate a boca.

- Céus, bom eles fazem um belo casal.

Essa mulher está fazendo sentido.

- Ele está a ajudando ?

- A Sra. Erick a expulsou de casa. Ela está morando com César. - disse enquanto cortava a carne calmamente.

- Que horrível ! Ela ainda e filha dela.

Os olhos de Jelly a entregavam, ela estava como eu. Incrédula.

- Complicado. - disse sem nenhuma demonstração de sentimentos. - Uma criança é cara ...

Quem ouvisse nem pensaria que também estava preocupada.

- Acho que talvez a senhora possa fazer alguma coisa. - disse desenteressada a minha mãe.

Minha mãe podia não ser uma boa mãe, ou uma boa pessoa.

Mas em momentos raríssimos, sentia empatia.

Acho que já devo ter comentado o fato de mimha mãe ter, quase, tido um filho antes de mim. E bom, ela não era muito mais velha que Winny na época.

- É talvez eu possa

Não escondi um sorriso durante minhas proximas garfadas.

- Agora estou indo para o plantão - disse minha mãe, ainda durante o jantar

- Bom plantão - disse estatica

- Não fique animada, Jelly Beans - disse minha mãe ao ver o sorriso da peste - Nada de sair hoje

- Eliza vai sair - ela disse

Vou ?

- Ah, claro. Com toda certeza. Pelo menos nunca cheguei bebada em casa

As vezes eu nem chegava em casa.

Brincadeira.

- Eu não perguntei nada ! - ela disse

***

- Então foi isso que aconteceu

Então termimei minha longa, longuíssima lista de acontecimentos do dia.

Alex parecia feliz em saber de tudo, mesmo que por chamada de vidio.

- E as coisas por ai ?

Bom, sobre Alex.

Ele havia novamente entrado em discussão ao com meu sogro.

Em resumo, meu sogro tem pressa que Alex se case.

Me sinto muito culpada por achar isso engraçado.

Bom, meu sogro já me sugeriu diversas vezes, direta e indiretamente. Que eu colocasse Alex contra a parede, e exigisse uma resposta sobre esse assunto.

Os pais do meu namorado são muitos religiosos, um otimo exemplo disso : foi uma vez em que minha sogra disse sem decoro a mim, que devería me abster dos prazeres carnais até nos casarmos.

E que por mais que Alex ficasse feliz de se divertir comigo, iria ficar decepcionado por eu ter sedido.

E no futuro ele não perderia uma oportunidade de jogar na minha cara que eu o deixei me deflorar.

Eu namorava ele ( oficialmente ) a duas semanas e na epoca eu tinha 14 anos.

Entenderam porque acho esse assunto engraçado?

Sim. Eu fico rindo dos meus problemas, e só deus pode me julgar por isso.

Voltando a discussão.

O pai do Alex teme que meus estudos ( sim, o ensino médio entra em pauta ) me atrapalhem ser uma boa esposa.

E pasmem

Uma boa mãe

(????)

Pegg também passa por isso ( essa história eu conto depôs )

Bom ainda sobre meus estudo, meu sogro sugeriu que Alex me peça em casamento e não me deixe terminar o ensino médio.

Porque como Alex não tem faculdade, meu cresimento pode faze - lo 'inverior a mim ' e que isso não é 'coisa de homem'

Entro em mais detalhes uma outra hora.

Apesar de estarmos rindo horrores da situação, Meu namorado parecia triste.

- Quer ir comer uma pizza hoje ?

- Mamãe, proibiu Jelly de sair, ai vai me amolar demais depôs.

- Ah, sim

- Mas nada me impede de receber visitas...

- Vou tomar banho. Até daqui a uns 40 min.

...

Um dos pouco talentos que abro a boca para dizer que tenho.

( talvez me gabe por ele )

É, segundo Giórgia a habilidade de ter um 'atendimento diferenciado' com cada um.

Exemplo :

Rondon é um amigo carinhoso, está sempre me abraçando e dizendo que nossa amizade e importante. Já Charles é queito e raramente trocamos toques físicos.

Eu sou carinhosa com Rondon e tenho uma relação muito mais calma com Charles.

Winny é muito calma então sempre falamos de livros, e afins. Já Angelina fala alto e sempre me diz coisas aleatórias, então sempre dou corda.

Pegg vive me abraçando, já Giórgia me abraça raramente.

E eu convivo perfeitamente com todas essas diferenças.

Isso não tem muita relação com o assunto, porém o que eu quero dizer: e que cada um tem um intensidade.

Eu em adapto as intensidades das pessoas...

Mas, Alex ? Ele não é assim.

Ele não consegue esconder o brilho que ele tem por dentro. Alex era intenso o tempo todo.

Artisticamente, falando; fisicamente falando; sexualmente falando. Em todos os sentidos possíveis.

E como eu já disse ( varias vezes ) antes : eu em adapto as pessoas.

...

Assim que Alex chegou, meu abraçou mais apertado do que o normal.

- Já esta tarde - disse olhando para o relógio

9:40 em ponto.

Que tipo de adolescente vai dormir a essa hora ? Eu.

- Vamos deitar ? - o convidei e fomos até meu quarto.

Antes que seja julgada de pervertida

( coisa que (não) sou, mesmo que esse não fosse o caso, meu corpo ainda completamente marcado dado a noite anterior)

Simplesmente, não me parece prudente que fique desfilando com uma 'visita', sendo que Jelly provavelmente não vai sair e ver os namoradinhos dela.

Além do mas, Alex parecia estar preste a desmoronar.

Nos sentamos na minha cama, e ele tirou os sapatos, e deu com a cabeça no meu colo.

- Vamos falar sobre o que aconteceu? - perguntei

Adoro quando qualquer um usa o 'vamos' em vez de 'você vai' ( porém nem sempre)

Então acabo fazendo isso inconscientemente.

- Não. - ele disse ageitando a cabeça - Vamos ficar assim por uns minutinhos.

E assim ficamos por uns 50 'minutinhos' até se ouvir uma partida na minha porta.

Uma não, no mínimo 30. Era Jelly com todas certeza.

Então me levantei e antes de abrir a porta fiz questão de retirar minha camiseta e desageitar meus cabelos.

- Oi - disse abrindo a porta fingindo recompor a respiração - Fala Jelly, estou ocupada.

- Eu ia pedir um fone - ela disse - mas, não vou mais.

E então ela saiu.

- Vou começar a atender as portas semi - nu também.

- Eu não estou semi - nua - disse ventindo minha camisa - e se o fizer, sua mãe me caça.

- Um pouco cedo para piadas ? - perguntei

- É - ele disse - Porém você pode compensar isso...

Todos sabiamos aonde isso ia acabar.

Me aproximei dele e trocamos um beijos e afagos.

Ele se aproximou e manteve a respiração estatica.

Mudo.

Quando ele estava preste a dizer alguma coisa um barulho infernal de musica alta adentrou meu quarto.

- Jelly Beans - gritei da porta do quarto - Abaixa essa merda AGORA eu quero ler !

- Ler o .... Do seu ... Sua ...

Agradeci a deus dos barulhos naquele momento.

Fechei a porta novamente.

Alex me deu outro beijo.

- O que ? - disse

- ...

- O QUE ?

Poxa universo, será que nunca vou ter um transa normal, que não começe nem termine com esquisitice?

Isso me faz lembrar da minha primeira vez...

( Que é otima se compar com a de outros amigos meus, Winny principalmente. )

Estavamos em um churrasco na casa de Alex, eu tinha acabado de fazer 15 anos. Resolvemos descer para pegar mais bebidas.

( O lado cômico é que foi nesse mesmo dia, que a mãe do Alex me fez um discurso sobre virgindade e etc )

Descemos e acabamos indo parar ( sem querer, é claro ) no quarto da irmã dele.

...

Alexandra é uma otima pessoa, e aproveita essa religiosidade dos pais para camuflar as merdas que fazia.

Faz, até porque ela se casou com seu melhor amigo, que já é bem de vida, com um negócio chamado 'dote' ficou ainda mais.

O marido dela se chama Antony ( guardem isso vai ser importante ) e é gay. Mas, tudo bem. Porque ela é lésbica.

E como chifre trocado não doi. Lhes informo que minha cunhada esta muito bem.

...

Ela era recém casada então só tinha algumas coisas ( do tipo doidas ) por lá.

Entre elas aquelas bonecas que falam.

Posso jurar, que era para ser só alguns beijos. Porém, quando vi, bom, vocês sabem.

Quando me levantei para pegar minha camisa, acho q pisei naquela boneca.

" Que bom que te achei "

Estou assustada até hoje.

...

Nesse momento, a musica acabou e a luz também.

" Não é também meio cedo, para você colar a blusa ?"

 Seria excitante, se eu não tivesse rido.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...