1. Spirit Fanfics >
  2. 2323: Falha no Sistema >
  3. O Plano (Leo)

História 2323: Falha no Sistema - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - O Plano (Leo)


Samantha me empurrou, e foi direto para dentro, provavelmente procurando por Ale.

— Ele saiu, Samantha, venha aqui! — eu gritei, indo atrás dela.

Eu estava procurando por ela, quando a vi, sentada na poltrona da sala de estar, ao lado de minha Vó.

— Venha querido, sente-se — minha Avó falou.

— Aonde estão meus pais? — perguntou Samantha, enquanto eu me sentava, ela não olhou para mim.

Lizza não era a mãe de Samantha, era sua tia. Mas Samantha sempre a chamava de mãe. Ela a considerava como sua segunda mãe, como Lizza, que sempre cuidou de Samantha como sua filha, nunca como sobrinha.

— Querida, você precisa saber o que ocorreu enquanto você estava fora — minha avó falou, tentando acalmar ela.

— Os Hackers voltaram — eu disse, sério.

O olhar Samantha ficou paralisado.

— O que houve? — ela perguntou.

— Eles invadiram os computadores de toda a cidade, querida, informaram ao governo que atacariam novamente — continuou minha vó, ela também estava preocupada.

— O carro do Governo chegou alguns minutos depois, eles levaram seu pai e sua tia, alegaram que iriam fazer apenas perguntas, eu estava lá, eu vi eles, eles não machucaram ninguém, Samantha — eu falei, ainda tentando acalmar ela.

— Aonde está Ale? — ela perguntou, olhando para mim.

— Ele saiu logo após o governo, eles também levaram os pais dele, querida — minha vó respondeu, já que eu não poderia, porque eu não estava lá. — Acho que ele foi se acalmar.

— Eu preciso ir até eles, preciso ver meus pais, aqueles filhos da puta não irão prender meus pais! — ela disse, gritando e se levantou.

— Você não sabe aonde eles estão, Samantha — eu disse, provocando ela propositalmente.

Ela me olhou com ódio, mas não protestou, sabia que não poderia ir lá sozinha.

— Querida você precisa descansar, vá lá para cima, durma um pouco, para clarear a mente, o quarto de hóspedes fica a primeira porta a direita — minha vó apontou para a escada.

Ela olhou para minha avó, e assentiu.

— Obrigada, senhora.

— Disponha, querida.

Ela subiu as escadas, em silêncio.

Eu ia ir direto para a cozinha, quando minha vó falou com um tom severo.

— Você vai pedir desculpas para a pobre garota.

Eu procurei me acalmar, já tivemos essa conversa antes.

— Eu não tive culpa vó! ela escolheu se afastar de mim, depois que a Jessica foi embora.

Samantha gostava de Jessica desde que se conheceram. Ela não falou para mim, nem para Jessica, mas eu não precisei de uma confirmação. A forma como ela olhava para Jessica nunca foi discreta, mas ela nunca falou com ela, não se declarava. Eu também gostava de Jessica, e queria sair com ela também, então eu esperei, e esperei e nada, nada dela falar com Jessica, nem comigo.

Então depois que eu chamei Jessica para sair, Samantha ficou puta comigo, não mandava mensagens, me ignorou por um bom tempo.

Ela não quis falar comigo mais.

Depois que Jessica foi embora com sua família, Samantha voltou a falar comigo, mas estava mais fechada e mais fria.

— Ela está sozinha, querido, precisará de seu apoio.

— Eu não vou pedir desculpas por algo que eu não tive culpa vó!

Eu me levantei e fui para a cozinha, preparar um chá, ou algo que me acalmasse, quando meu celular vibrou.

Era Ale.

Aleezin: Samantha já está aí?

Eu respondi na hora, enquanto colocava água na jarra elétrica.

Leo: ela tá aqui maninho

A mensagem dele chegou 3 minutos depois.

Ale: eu já estou indo para aí.

É claro que ele chegaria aqui depois que ela chegasse.

Ale e Samantha sempre foram muito amigos, até demais eu diria. Samantha se aproximou ainda mais dele, depois que eu chamei Jessica para sair.

Eu não tive culpa.

Eu esperei por ela, eu dei chances para ela falar.

Mas ela não falou.

A água que eu coloquei na jarra pulou para fora, me queimando. Eu havia esquecido de tampar.

Droga! — murmurei.

— O que aconteceu?

Minha Vó apareceu na porta da cozinha.

— Nada, eu me queimei, só isso, aonde estão os curativos?

— Oh querido, deixe me ver isso.

Ela pegou na minha mão, e olhou na região aonde a água pulou, havia formado uma mancha vermelha.

— Oh querido, os curativos estão lá em cima, fique aqui, vou pega-los.

Ela saiu da cozinha indo direto para as escadas, quando meu celular vibrou novamente.

Ale: tenho um plano para soltarmos nossos pais, já informei a Samantha.

Porque ele não me falou nada?

— Querido? — minha vó grita nas escadas.

— Oi Vó, o que houve? — eu digo, desligando o celular e indo até a sala.

— Querido, acho que sua amiga fugiu pela janela! 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...