História 2moons - ABO - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias 2 Moons
Personagens Beam, Forth, Kit, Ming, Personagens Originais, Phana, Wayo
Tags 2 Moons, 2moons, Forthbeam, Mingkit, Phayo, Yaoi
Visualizações 338
Palavras 8.577
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 12 - Chaves do carro


Fanfic / Fanfiction 2moons - ABO - Capítulo 12 - Chaves do carro

P.O.V. WAYO

Hoje o ensaio foi até mais tarde do que eu pensava, aliais, extremamente tarde. Eu estava morto de cansaço, mas alguém ainda estava esperando por mim para ir jantar com ele. São oito da noite e está longe disso aqui terminar cedo. 

-- Você vai torcer seu pescoço deste jeito. -- Ming está tão cansado quanto eu, mas ainda assim consegue reunir forças para me provocar e se divertir as minhas custas. -- Pare de ficar secando ele dessa maneira, seu amor não vai desaparecer dali. 

-- Cara... ele ainda não comeu nada. 

-- Você é tão estranho sabia? Se preocupa mais com ou outros do que consigo mesmo, P'Pha também não fica a trás, tão estranho quanto você, parado ali com fome, mas não vai comer porque está esperando você. Tão engraçado. 

-- É... mas, por que ele não vai comer sem mim? 

-- Anda, vai dizer isso a ele. Eu acho que não vamos acabar nem tão cedo, acho que vamos terminar lá pelas 22:00hs ou 23:00hs horas da noite. 

-- Eu que tenho que ir dizer -- eu disse aquilo apontando para mim mesmo 

-- Quem mais? Esse problema é meu por acaso? -- após isso eu congelei. Para um ômega, eu até que não era tão tímido e retraído, mas assim que olho para a mesa que P'Pha está sentado morro de vergonha. Cara, ser o centro das atenções da Lua da Universidade não é o bastante? Eu vou ser encarando por todo mundo se me aproximar para conversar com ele cara a cara. Pha é o mais difícil de encarar. Droga, não importa o que vou lhe dizer. -- Anda, Yo... 

Eu parei alguns segundos antes de atravessar a porta respirando fundo, até ficar diante do grupo de ex-Luas e da Gangue dos médicos ilegais, que estavam sentados espalhados na mesa. Já era tarde e eles ainda conversavam de forma animada e descontraída, mas assim que entrei todos ficaram completamente calados. Porra...eu odeio esse tipo de clima. 

-- Está atrás de quem, N'Yo? -- P'Kit perguntou puxando assunto. Por que foi ele a falar comigo? P' sempre me apoiando... 

-- Hey, Yo, você pode escolher agora, mas apenas um. -- uma das antigas Luas da Universidade, que eu não conheço, olhou para mim levantando uma sobrancelha me encarando. Viu só! Eu sabia que isso ia acontecer, eu sabia que iam me provocar assim que viesse até aqui. Porra! Agora todo mundo estava me encarando. Acredite, não importa o quão confiante e nem um pouco envergonhado você é, se você estivesse parado no lugar que estou agora, também ficaria petrificado com vários pares de olhos bonitos das antigas Luas secando você. Eu não deveria ter vindo aqui... -- Então, já decidiu quem vai ser o escolhido, N'? ESTOU ESPERANDO. 

-- Seu estúpido, você quer para de provocar o cara? 

-- Eu não consigo evitar... Esse Nong é muito fofo. 

-- Hmmm. Pare agora ou vou denunciar você para sua namorada, até por que vocês já tem umas marca, hahah. -- eu encolhi os ombros enquanto eles voltavam a rir e brincar entre si, mas agora, o motivo do alvoroço era eu 

-- P'Pha... -- a minha voz quase falhou de tão suave que soou, mas foi alto o bastante para que todos na mesa pudessem ouvir. E assim que eles ouviram eu chamar por P'Pha o som de provocação foi ainda mais ensurdecedor que antes. 

-- MERDA! Pha, seu miserável! Ah não, CARA! Mas é claro... Eu sou a Lua da Agricultura... como eu poderia vencer a Lua da Universidade? N'Yo, você realmente quebrou meu coração aqui! 

-- EI! Todos vocês... Fiquem quietos! -- assim que P'Pha gritou, todos ficaram quietos, mas sorrindo da situação um para o outro. Droga, eu quero morrer! Até agora, mal troquei algumas palavras com ele e sinto como se os olhos dele tivessem baleado todo o meu corpo. Não adianta, eu sempre vou me sentir assim, tímido e envergonhado quando ele for o assunto. E ainda mais agora que todos me olham como se eu estivesse grávido de um filho do P'Pha, o que é humanamente quase impossível, eu me sentia ainda mais envergonhado. Não nem consigo me mover. -- Qual o problema? -- nossa, a voz que ele usou comigo era totalmente diferente da que ele usou para calar a boca dos amigos ainda a pouco. Ou só eu que reparei isso? Suspirei. Yo, pare de pensar essas coisas, se controle. P'Pha ainda é mesmo de sempre. 

-- Hamm... 

-- Sim...? 

-- Você... ainda está com fome? -- eu reuni toda a coragem que me restava para levantar o rosto e encarar seus olhos lindos. Porra!!! Eu baixei a cabeça imediatamente, não consigo olha por muito tempo. Yo... calma, é só um cara, é só o P'Pha. É... O P'Pha, que está perto de você agora. 

-- Eu...? 

-- Sim... 

-- Eu estou faminto. -- ele está com fome, mas ainda assim tão burro esperando por outra pessoa para ir jantar. 

-- Eu acho melhor você ir comer sem primeiro. Na verdade, você pode ir embora. O ensaio de hoje vai terminar muito tarde. -- P'Pha ficou pensativo por algum tempo. Não disse nada, nem se moveu, até que finalmente decidiu me responder. 

-- Já sei... -- Porra! Ele saltou da mesa e colocou suas duas mãos enormes nas minhas costas enquanto me fazia andar na sua frente de maneira descontraída. 

-- Hey! Eu estou indo comer agora. -- os amigos dele protestaram ao ouvir aquilo 

-- Pha! O que você está fazendo? Vai sequestrar o N'Yo? 

-- Hmm, ele disse que está com fome. -- espere um minuto! É você que está com fome seu mentiroso, não eu. 

-- Espere, Pha! Eu ouvi que você vai jantar, não é? -- uma das Staffs do concurso parou a mim e Pha e em seguida entregou um bolo de notas na mão dele, pedindo que trouxesse a comida que foi solicitada para as Luas e Estrelas, bem como a da equipe também. -- N'Yo, acompanhe o Pha até o restaurante atrás da Universidade para ajuda-lo a trazer tudo, okay? Já liguei e é só buscar, está bem? -- assentimos e saimas do local de ensaio caminhando lado a lado. 

P'Pha agora foi na minha frente e em poucos minutos já estávamos sentados na mesa do restaurante jantando. Nossa, ele é bom de garfo. Eu mal terminei meu prato e ele já partiu para o segundo, Pha parece mesmo estar morrendo de fome, tanta fome que poderia comer um búfalo inteiro. Eu tive que segurar o sorriso várias vezes para ele não perceber. 

- Coma logo, o pessoal do concurso está esperando para jantar também. -- se chegarmos atrasados a culpa não vai ser minha, mas sim do cara sentado na minha frente 

-- Você vai mesmo amanhã? -- eu puxei conversa, mesmo sabendo que ele vai. Eu só queria confirmar. 

-- Sim... -- Pha respondeu, me observando com curiosidade enquanto esperávamos as caixas de comida serem lacradas e postas lado a lado. - Você não quer que eu vá? -- eu não disse nada, fazendo um silêncio constrangedor se instalar, enquanto o alfa a minha frente me olhava curioso, me fazendo o responder 

-- Não é isso,  vai ser bom você ir, assim você vai poder ajudar os outros calouros também. Você é a Lua da Universidade, tem que estar lá para acompanhar a competição -- meu deus, minha habilidade de mentir ficou aprimorada depois que comecei a conviver com P'Pha 

-- Por que você está dizendo isso? Por acaso não tenho ajudado? 

-- Ajudado? Eu só vejo você sentado, se fazendo de bonito 

-- Então eu sou bonito? 

-- Droga, eu disse "sentado, se fazendo de bonito". Quero dizer que você não faz nada e não ajuda ninguém. Isso não é um elogio 

-- Mas... Você me acha bonito? -- mas que droga! O que há de errado com esse cara? Ele por acaso não entendeu o que acabei de dizer? Ele parece que só entendeu a parte do "bonito". Mas até em um assunto simples ele consegue criar um problema, fazendo várias piadas sem graça. Mas por que ele está me olhando assim? Eu estou com medo agora, os olhos dele estão brilhando, porquê? Tenho que controlar meu lobo, as minhas pupilas mudam de cor e aumenta a dilatação quando meu lobo identifica o alfa ao qual escolheu, provavelmente tenho a sensação dos olhos dele estarem assim porque estou me esforçando ao máximo para controlar os meus. E esse sorriso bobo nessa boca linda... Por que eu te amo tanto? Heim? 

.-- TIA! AS ENCOMENDAS ESTÃO PRONTAS!? 

-- Ômega... você ainda não respondeu minha pergunta. -- isso é sério? Ele vai mesmo insistir? 

-- De que pergunta você está falando? 

-- EU SOU BONITO? -- porra... se eu confessar que acho ele bonito, Pha vai ficar me lembrando disso sem parar, mas se eu negar vou me tornar um mentiroso. O que faço!? 

-- Por acaso, você não se olha no espelho todos os dias? Por que insistir nessa tolice? 

-- Eu sei que sou, mas quero ouvir isso sair da SUA BOCA. -- MERDA! Eu posso ver a superioridade em cada traço de se rosto 

-- É BONITO... -- eu finalmente respondi à ele e posso ver que ele sorriu um pouco e parece realmente feliz com minha resposta -- ...Mas não tão gato quanto eu. 

-- Uhum -- para minha surpresa ele fez um som de concordância estranho e divertido – Okay, já está tudo pronto, vamos? -- apenas concordei com a cabeça 

Ele pagou a nossa refeição e a encomenda para a tia do restaurante, me senti realmente aliviado por poder escapar da situação com P'Pha. Todos em volta grudaram os olhos nele, assim que estendo a mão para pegar as sacolas ele me surpreendeu, Pha acabou arrebatando-as das minhas mãos. 

-- Pode deixar... Eu vou fazer isso... -- como ele poderia levar todas aquelas sacolas até o estúdio do concurso? Além das sacolas, ele estava levando a chaves do carro de Beam. Pha não veio até aqui no seu e eu lembrei do espaço limitado daquele AUDI. Eu queria chorar de raiva. Como ele pode pagar tanto em um carro com tão poucos lugares? -- Vai... abra o carro... -- Pha curvou o rosto para mim, indicando a chave presa em seus lábios. Cara! Isso também é totalmente arrepiante, sabia? Deuses desse restaurante, por favor, me ajudem. Agora todos os clientes do restaurante assistiam a cena... mas que droga! O que eu faço? Merda! -- Vamos, se apresse -- Pha começou a reclamar depois de se curvar para mim por um tempo. Levantei as mãos para pegar a chave, e então o infeliz afastou o rosto de mim. Aí - Hahahah -- ele riu de mim, ainda com a chave presa na boca. Meu Deus!!! Ele é gato demais. Tanto que perdi as palavras. -- Certo, sem truques agora. 

-- Eu espero que seja verdade, se você me enganar outra vez você vai tomar uma bofetada na boca. -- ele se curvou novamente. Droga, eu realmente devo ser "baixinho" para ele? O alfa fixou seus olhos brilhantes e lindos nos meus, sem piscar uma única vez. Eu deveria cutucar seus olhos em vez disso? Eu não gosto de ser encarado assim, estava mais perto de ter um ataque do que perto daquela chave. Isso é um jogo comigo? Além de ser um idiota e de me machucar com sua língua afiada ele também gosta de me provocar sem parar. Peguei a chave rápido e fomos em silencio até o local de ensaio. 

Quebra De Tempo 

 O ensaio de hoje finalmente havia acabado e os Médicos Ilegais ainda estavam aqui, mesmo que já tivesse passado das onze da noite. Será que eles não tinham que estudar ou algo assim? 

-- Então, P'Pha vai levar você hoje, não é? -- Ming me encarava, com a dúvida estampada em seu rosto -- Mas... ele está paquerando meu amigo ou o quê? 

-- Paquerando? Não... só dividimos o mesmo prédio de dormitório, o mesmo caminho, e nada mais. Não me de esperança 'Ming... Pare com isso. 

-- Se ele não está te cortejando, por que ele ficou aqui te esperando por tanto tempo? 

-- O Pha certamente não está esperando por mim. Ele é a Lua, então precisa estar aqui por todos, não é? 

-- Credo... você é muito pessimista, Yo 

-- Às vezes eu não quero ser otimista, para não terminar magoado -- Ming sacudiu a cabeça em desaprovação a tudo que eu disse, me dando as costas e indo até aquele grupo de Ex Luas, que estava bem menor, agora sem os valentões. 

Ming estava com um rosto sério e ousado, de uma forma que não era comum a ele, até parar na frente de P'Pha. Será que ele não sente medo de tomar alguns socos? Sua postura dizia sem usar palavras "EU QUERO ARRUMAR PROBLEMAS", neste momento. Meu amigo tinha o mesmo biótipo que P'Pha, mas P'Pha parece um pouco mais forte, com os músculos bem distribuídos por seu corpo de atleta, resultado de anos jogando basquete. Mas que diabo estou fazendo aqui parado pensando nisso? 

-- Você por acaso vai levar meu amigo para casa? -- Ming fez a pergunta. Ele não parecia ter um pingo de medo em enfrentar o Médico Ilegal Pha, que o encarava de um jeito raivoso. 

-- Sim... Você tem algum problema com isso? -- Porra! A resposta de P'Pha veio carregada de grosseria. 

-- Agora não, mas tenho certeza que vou ter mais tarde -- MERDAAA! Mas que diabo cara! Ming estava praticamente me entregando para o P'Pha, não estava? -- Por favor, cuide bem do meu amigo. -- Ming saudou P'Pha e todos na mesa, antes de me acariciar e ir embora. Ele gosta de mim ou o quê? Isso foi ridículo e louco. Qual era a intenção de Ming? Ele agiu da mesma forma mais cedo ao me ver conversando com P'Pha e seus amigos, me puxando para longe deles. Eu tenho que conversar com ele mais tarde. 

-- Amigos ou namorados? Se preocupando tanto assim com você, é um pouco estranho, não? 

-- Amigos... só amigos. -- P'Kit começou a me interrogar sobre o que viu e ouviu aqui 

-- Você tem certeza disso? Ou só você não percebeu ainda que ele está afim de você? -- Droga... Ming vai ter que esclarecer isso para todos agora. Por que ele teve que fazer todo mundo pensar besteiras sobre nós dois? 

-- Podemos ir agora? -- P'Pha estava com uma expressão horrível no rosto, enquanto se controlava para não usar a voz de comando. Quem se atreveria a se opor a uma ordem dele? 

Apenas silêncio e frieza dentro do carro. O ar-condicionado está direcionado para meu corpo, secando todo o suor, fiquei tremendo como se estivesse sendo possuído por alguma divindade dentro desse AUDI. O luz led do meu celular, me alertou que alguém estava enviando mensagens. Ming estúpido! 

LINE ON 

MING: Como foi? P´Pha teve alguma reação violenta ou usou a voz de comando quando eu sai? 

MING: Tentei agir como se fosse louco de ciúmes e possesivo com você, meu ômega 

MING: Hahahahhhahahnzjrnn -- eu sabia, esse era o plano dele! 

WAYO: Não estou vendo nada de diferente nele, sua voz ficou normal, isso poderia ter me machucado 

MING: Amanhã quero saber de tudo. 

LINE OFF

 Enquanto eu digitava as mensagens no Line, eu ria da situação constrangedora que Ming nos colocou, até que lembrei de quem estava ao meu lado no carro. A luz do meu celular piscou várias vezes, iluminando o interior do AUDI. P'Pha notou que eu estava pendurado em um bate papo, tendo uma conversa com alguém. 

-- Combinando um encontro com alguém? -- eu bloquei meu Iphone na mesma hora 

-- Encontro? Do que você está falando? 

-- Você acha aqueles tipos de cara atrentes? 

-- Do que diabo você está falando? 

-- Estou falando das Luas da Engenharia. 

-- Eu não tenho nada com eles. -- não quero que o P´Pha me interprete mal 

-- Há que horas você vai levantar amanhã? 

-- Ham, as 08:00hs da manhã. Todo mundo deve estar lá as 09:00hs. Você precisa de mim para alguma coisa? -- eu ainda sou o servo dele, perguntei na mesma hora que ele estacionou em sua vaga, em frente ao nosso condomínio. 

-- Quero que você vá me acordar 

-- Ha? -- eu olhei para ele com os olhos arregalados, sem acreditar no que ouvi 

-- Quando não tenho aula, costumo perder a hora de levantar. Quero que você me acorde 

-- Certo... como? 

-- Bata na porta 

-- Só isso? 

-- Sim 

-- Hm... okay -- será que vou ter que levantar as 05:00hs como a última vez para me preparar 

-- Obrigado -- ele me agradeceu seco, mas claro e forte. A maneira como ele fala comigo agora... eu não sei, está tão diferente. Tão bom que não posso deixar de me surpreender. 

-- Então estou indo. -- soltei o cinto e estou prestes a sair do carro, quando Pha segurou meu braço me prendendo no carro 

-- Espera... 

-- Sim? Hoje... quando você me chamou de "P'Pha", com aquela voz -- ele se referia sobre o momento que fui provocado pelas demais Luas do ano passado, quando fui perguntar se ele estava com fome. Claro que eu chamei ele primeiro de P' e usei uma voz mais calma, eu estava acanhado. Se eu o chamasse apenas de Pha todos iriam pensar que eu não respeito os veteranos, além disso minha voz quase não saiu. -- Por que você não continua a me chamar assim... "P´Pha"!? Ainda mais com aquela voz fofa... Eu achei tão bom... 

-- Porque você não me chama pelo meu nome também. Sempre diz Baixinho... Baixinho... Baixinho! 

-- Você não acha isso carinhoso? -- ele está implicando comigo novamente, eu posso sentir, mas não vou perder esse joguinho dele. 

-- Não! "Yo" é muito mais bonito que "Baixinho". "Eu gosto do meu nome... Eu gosto dele. Onde que diabos "Baixinho" é bonito? Está louco? 

-- E se... 

-- O que? 

-- Se você me chamar de P'Pha...eu prometo te chamar de... N´Yo? Concorda? -- agora sim fiquei atordoado, sem sentir meu corpo. Ouvir "N'Yo" sair de seus lábios, me deixou sem direção e controle. Meu coração estava batendo de forma irregular e meu corpo parecia ter sido eletrocutado. Ele disse isso com uma voz tão doce, nunca eu imaginaria que ele diria isso aqui e agora. 

-- Não... não concordo. -- eu abri a porta do carro em alta velocidade. Eu adoraria ouvir ele me chamar assim todos os dias da minha vida. Droga! Ele deve ter reparado como fiquei perturbado. QUEM SABE NA PRÓXIMA VEZ. CARA! QUE VERGONHAAAAA! 

P.O.V. KIT-KAT (maravilhoso, casa comigo)

Droga! Outra vez nas dependências do Concurso Lua e Estrela da Universidade. Eu não deveria estar aqui, está é a verdade. Não sou Lua da minha faculdade, nem deste ano e nem do ano passado, não tenho que me tornar babá e cuidar de todos os outros calouros. Nem mesmo as Estrelas atraentes tem me animado a estar aqui, não mais. Praticamente as vejo todos os dias pelo Campus da Universidade, além disso quase nenhuma delas é aflas ou ao menos beta, isso diminui muito a possibilidade eu ficar com alguém. Hoje seria o dia perfeito para estudar, já que temos um dia de folga do professor e de não sair por aí acompanhando ele nessa perseguição ao seu futuro namorado, a Lua de Ciências. Sério... estou a ponto de surtar. 

-- Mas, Kit... Você já começou a investigar a relação do N'Yo com a Lua da Engenharia? -- Por que Beam não volta a conversar com as alfas que ele anda atrás. Cansou delas e veio me fazer esse tipo de pergunta? 

-- Não, eu ainda não sei de nada sobre isso. Ainda não cheguei a falar com ele. 

-- Espere. Quer dizer que você vai usar seu corpo se necessário para tirar a verdade dele? 

-- Vai se ferrar! Você sabe que sou hétero! 

-- Sei lá... Você é tão frágil... tenho certeza que ele ficaria louco se você usasse isso para tentar conquista-lo... 

-- Então todos com uma aparencia mais inocente são gays? 

-- Não, mas têm a aparência de um, hahah -- (A: eu não concordo okk? Eles falam isso na série) 

-- Droga! Se você está aqui para me perturbar e se divertir as minhas custas, pode voltar para aquelas garotas oferecidas que você pega por aí seu Babaca! 

-- Acho que é o destino! Dê uma olhada! -- quando olho na mesma direção que Beam, avisto o motivo da nossa conversa de agora. Alto, carregando uma mochila e caminhando em nossa direção. Esse imbecil se chama 'Ming e todos dizem que ele vai vencer esse negócio de Lua da Universidade este ano. Se for considerado seu porte e modo de se vestir, ele bem que merece o título. 

Altura... hum, talvez 1.85? Cara, as crianças de hoje em dia são tão altas. Pele... nem muito clara, nem muito bronzeada. Ele é o típico homem tailandês. 

Porte físico? com certeza ele deve cuidar do corpo bem. Basta olhar para aqueles bíceps marcados na camiseta. 

Já seu rosto... bom, não tinha como negar, ele é muito lindo, lindo demais. Ele tem um tipo de beleza diferente de Pha, mas ainda assim era lindo. Nariz reto e pontudo, como se tivesse sido afiado, sobrancelhas grossas e escuras, olhos e rosto refinados. 

Se ele vai se tornar a Lua da Universidade este ano ou não, o problema é dele. A única coisa que eu tinha que descobrir era se ele sente alguma coisa pelo N'Yo ou não. Meu sexto sentido diz que não, mesmo que tudo que meus olhos viram me digam o contrário. 

- P'! -- como se tivesse sido atraído por meus pensamentos, ele olhou em nossa direção. Então ergueu as mãos para nos cumprimentar, como se já fossemos íntimos a muito tempo, só porque estudamos no mesmo colégio no ensino médio. -- Quando seu amigo vai trazer o meu aqui -- ele está falando de Pha e Yo? Eu e Beam nos olhamos sem saber o que responder. 

-- Eles já devem estar esperando vários bebês, já que fiquei sabendo que Yo esteve no quarto de Pha está manhã. -- eu observei a reação de 'Ming depois do discurso malicioso de Beam. Nada... se esse cara estivesse mesmo a fim do N'Yo, ele teria saído correndo até o dormitório para arrancar Yo da cama de Pha, mas nada. 

-- Certo... diga a eles para terminarem logo o que estão fazendo lá e correrem para cá logo. -- Hey... então, é isso. Ele não ficou bravo e ainda completou a situação que Beam criou para fazer ciúmes e nada. Ele é muito engraçado, Beam deve ter percebido o mesmo que eu. 

-- Qual é seu nome? -- Beam perguntou 

-- Eu me chamo Ming. Ming Kwan. -- Ming Kwan? Parece nome de mulher. Mas ele é homem! Que estranho. Eu tenho que dizer a Beam para ficar longe desse cara. 

-- E você? Como você se chama? 

-- Eu? -- Beam indagou 

-- Não... Ele! -- Ming estava falando comigo. Beam moveu o maxilar como se estivesse trancando a vontade de rir, eu conheço bem suas expressões. 

-- Por que você quer saber meu nome? 

-- Bem... Eu vi que você é bem próximo de Pha. Meu amigo e seu amigo estão próximos agora, então porque não nos aproximamos também? -- esse tarado! Beam, ao invés de me ajudar, parecia engolir todos os comentários maliciosos e safados que ele deve estar pensando agora. 

/ CUIDADO KIT...ESSE CARA ESTÁ TE PAQUERANDO / 

Agora eu voltei a duvidar se ele sente algo pelo Yo. Os argumentos dele são no mínimo suspeitos. 

-- Esse aqui também é amigo próximo do Pha. Pergunte o nome dele. -- eu apontei para Beam junto com minhas palavras. 

-- Merda, Kit! Não me envolve nisso! -- aí está a covardia em pessoa. Como se não bastasse as pessoas fazerem piadas dizendo que nós estudamos Medicina "Brincando de Médico" entre nós mesmos nos chamando de "Gangue dos Médicos Ilegais", que nome mais estúpido. Só porque chamamos Pha de Chefe. 

-- P'Kit? -- Porra... era só o que faltava, agora ele descobriu meu nome. -- HAAAA! P'KITKAT! --ele ficou calado e eu pude ver as lembranças sendo reviradas através de seus olhos grandes. -- Eu lembro de você agora. No ensino médio, nós o chamávamos de P'KITKAT. Minha nossa, naquela época você era tão baixinho e fofo. Ainda é sabia? -- Esse... Vai se foder! E foda-se esse negócio de Kit-Kat! Estou prestes a abrir minha boca para xinga-lo mas Beam não para de rir e sussurar no meu ouvido. 

-- Ele está te paquerando... te paquerando... te paquerando! Hahaha 

-- Se você me chamar disso outra vez eu vou quebrar a sua boca! 

-- Mas P'... será que você consegue alcança-la? 

-- O quê? O que foi que você disse!? 

-- Hmmm, provavelmente não, você é tão pequeno. 

-- SEU... -- eu avancei em direção aquele babaca, mas Beam bloqueou meu ataque com seu próprio corpo, rindo da minha cara de odio. 

-- Você quer ser punido, é? Como você se atreve a vir aqui e faltar com respeito com um veterano da Universidade!? Eu vou te ensinar a não fazer isso nunca mais. 

-- P'... Fique calmo, tem muitas pessoas olhando. 

-- Então não perturba! 

-- Mas nós vamos ter que ficar juntos durante todo o tempo, P'. Podemos até nos ajudar caso aconteça alguma coisa. -- droga! é inútil falar com esse babaca. Não quero mais falar com ele. Me afastei deixando aquele estúpido com Beam, que não parava de rir da minha cara. Antes eu até podia ficar numa boa quando ele era apenas o amigo do N'Yo, mas agora não gosto dele, nenhum pouco. 

Pha finalmente apareceu, mas sozinho. N'Yo chegou primeiro, ele estava mesmo no quarto de Pha quando fomos até lá bem cedo. Você quer saber o que aconteceu naquele quarto entre eles, não quer? Pois é, eu também quero, é por isso que vou perguntar eu mesmo. 

-- Olha para você! Parece realmente de bom humor hoje, hm? -- pelo menos foi o que percebi. Tenho sido amigo de Pha por tanto tempo que sei reconhecer suas emoções, apenas olhando para seu rosto, e agora ele estava bem até demais. 

-- Não. 

-- Mentiroso. -- Beam o provocou 

-- Vai... fale logo! Você finalmente transou com o N'Yo está manhã como pensamos? 

-- NÃO! Você enlouqueceu? 

-- Então... o que aconteceu quando liguei para você? 

-- Yo apenas me acordou. Eu me levantei, então fui tomar banho enquanto ele arrumava alguns papéis para mim. -- é isso... Só isso? 

-- Só isso? -- eu e Beam perguntamos juntos 

-- Sim... só isso. -- Ficamos frustrados, Pha realmente não esconde nada de nós dois 

-- Só isso e você fica com esse bom humor? -- eu perguntei novamente 

-- Sim. -- ele respondeu de forma brusca. Caramba, eu pensei que havia uma grande novidade sobre os dois. Que havia rolado os "finalmentes", mas nada. Eu até imaginei a cena... Pha arrastando N'Yo para a cama dele, enchendo-o de beijos. Não acredito que Pha não fez nada. A Lua da Universidade não era só bonito, mas também retardado por não ter aproveitado, concordam comigo? 

É como se N'Yo estivesse ali se oferecendo de bandeja para ele. Se o garoto se assustasse com o primeiro beijo, era só ir para cima dele, mas porra! Pha não fez NADA! É como eu havia dito antes, Pha têm dificuldade de extravasar seus sentimentos. As Luas e as Estrelas começaram a subir no ônibus e nós não poderíamos ir junto com eles, de qualquer maneira. É apenas para os dezoito participantes e a equipe organizadora. N'Yo não sai de perto do amigo 'Ming, como sempre, Pha continua com os olhos em cima do Nong dele. Será que só eu percebi que o Yo estava com um pouco de medo do ônibus? O que há de errado com o garoto do Pha? 

-- Nós podemos ir agora? -- Beam nos chamou assim que o ônibus começou a sair do estacionamento. 

-- Sim, vamos. -- Pha correu, entrando no banco de trás. -- Eu quero dormir um pouco, então vou no banco de trás. -- claro... como não têm nenhum N'Yo aqui, Pha não tinha interesse em mais nada. Eu não me importo se é no banco de trás ou da frente. Eu vou dormir de qualquer jeito também. 

Quebra De Tempo 

-- Alô! Sim, Forth. O que foi? -- a voz de Pha chamou nossa atenção na ligação que ele recebeu, nós ainda estávamos na estrada. -- Com quêm você está sentado? -- desde que o carro saiu da Universidade, Pha não conseguiu dormir por muito tempo. Ele se levantou para jogar em seu celular, depois tentava dormir e acordava, assim várias vezes, até desistir de seu sono e eu também. Mas a pergunta que ele fez ao Forth... Está claro porque ele estava tão inquieto até agora. Ficou claro que era medo que ele sentia. Medo de que o Yo se sente junto com Forth... -- Você precisa de alguma coisa? -- desta vez ele foi direto ao ponto -- AHHH? Okay... Posto de gasolina 45... certo? Sim. Mais alguma coisa? Hã? Nós vamos fazer o retorno! -- Pha estava falando aos berros no celular. Ele disse em dar a volta... Só podia estar se referindo ao ônibus dos calouros, já que estamos bem mais adiantados no caminho. Mas por que será que ele está tão chocado assim? -- Okay... Okay! -- Pha desligou a chamada com uma cara assustada. 

-- O quê aconteceu? -- Beam perguntou preocupado, também, Pha respirou tão fundo com o rosto apavorado olhando pela janela. 

-- É o Yo... Ele está passando mal... -- eu entro e saio da loja 7/11 por cinco rodadas antes do ônibus finalmente estacionar em frete ao posto combinado. As primeiras pessoas que saíram do ônibus foram as demais Luas e Estrelas do Concurso. Em seguida, as antigas Luas. Pha estava apreensivo, esticando o pescoço várias vezes até que vimos N'Yo descer do ônibus, amparado por 'Ming. Nossa, ele está tão pálido, Forth caminha lentamente perto de N'Yo. Até mesmo a estrela da faculdade de Yo e a antiga Lua de sua faculdade e outras novas Luas de outras faculdades estavam próximos visivelmente preocupados. 

-- Eu já lhe dei o remédio. -- Forth nos informou. Ele acenou para todos, dizendo que estava bem. Parece que perdeu até a força para falar. -- Precisamos mudar o Yo de carro. Não importava onde ele se sentasse, não para de vomitar. -- Pha não dizia nada, apenas olhava, até que decidiu se pronunciar. 

-- Ele vai com a gente. 

-- Certo, Pha, estou contando com você então. 

-- Estou contando com você também, P'! -- Pha olhou para a cara das duas Luas da Engenharia 

-- Okay... -- e agora havia mais um ocupante no carro de Beam, N'Yo". 

Entramos todos no carro, Yo caiu no sono, deitado no banco de trás, assim que seguimos viajem. Ele parecia exausto, sem forças e com o semblante sem cor alguma. Já Pha, não parava de suspirar ao ver seu menino mal. 

-- Acho que era mesmo por causa do carro, não é Pha? 

-- Sim... eu acho que foi mesmo Beam, mas dirija devagar mesmo assim, está bem? -- ele não tirava os olhos de Yo. O clima dentro do carro era bem diferente quando haviam apenas três pessoas aqui. Nós podíamos falar sobre qualquer coisa, mas agora tínhamos que ser cautelosos e estávamos tensos à todo momento, olhando para o garoto que dormia no banco de trás e do lado dele Pha, que não parava de olha-lo. -- Como você pode suportar isso? -- Que loucura! Pha perguntou tocando Yo de uma forma que só na próxima vida ele usaria com seus amigos. Yo não respondeu nada. Ele ainda dormia como um bebê. -- Tão fofo. Mesmo passando mal... -- não sei se é algo comum para ele, mas ele sabe mesmo como prender a atenção das pessoas, fazendo todos a sua volta quererem protege-lo, cuidar dele, garoto Wayo... 

-- Eu diminuí a velocidade, Pha, ele não está tão ruim, não é? -- Beam olhou para o Nong pelo retrovisor, perguntando sobre seu estado agora. 

- Sim, ele está melhor. 

-- Ei, Pha, ele pode acabar tendo uma contusão balançando a cabeça assim. 

-- É, Pha, endireite a postura do Wayo para ele poder dormir melhor. Se ele bater a cabeça contra a janela e machucar o rosto, a faculdade de Ciências vai nos caçar -- Beam sugeriu, Pha parecia estar hesitante. Ele, com toda a certeza do mundo, nunca tocou N'Yo antes, até que devagar ele segurou o garoto deslizando ele com cuidado, melhor do que deixar ele balançar a cabeça para a direita e esquerda sem parar. 

-- Eu não me importo com mais nada... -- Pha repousou a cabeça de Yo em seu colo, acomodando seu corpo sobre o banco traseiro, ele cuidava do N' com gentileza extrema. Yo se moveu um pouco para se aconchegar no colo de Pha e meu amigo, claro, olhou para baixo para observar como Yo parecia se sentir confortável no colo dele. 

-- Hahaha! -- Beam começou a rir alto enquanto dirigia. 

-- Hmm... Se aproveitando dele, Pha? Você é tão mal. Hahahah 

-- Parem de graça vocês dois. Beam, aumente o ar-condicionado. -- ele não estava nem aí para nós dois -- E você ainda está correndo, diminua a velocidade. -- Cara! Pha sempre correu quando tinha algum lugar para ir, mas o que há com ele hoje? Beam esticou a mão para aumentar o ar, já Pha, não disse nada. 

Vou contar tudo que ele fez durante o caminho... Pha quase não olhou para mais ninguém e para mais nada, além do garoto em seu colo. Mesmo quando ele olhava pela janela, era apenas por alguns segundos, porque imediatamente seus olhos voltam para o Nong'. Olhou... Olhou... Olhou sem parar o menino. Vez ou outra até arrumava a camisa de N'Yo, só para ele continuar dormindo confortável. Era a primeira vez que via meu amigo se preocupar e cuidar de alguém assim. Nem de longe ele vai tratar seus pacientes com carinho dessa maneira, eu tenho certeza que Beam está pensando o mesmo que eu agora, mas sem dizer nada. Eu caí no sono depois de algum tempo, mas acordei assim que Beam estacionou o carro para ir ao banheiro em outro posto de gasolina. Eu voltei a dormir, porém despertei, ao ouvir o som de conversas logo atrás de mim. Eu continuei com os olhos fechados, fingindo dormir, apenas para espiona-los. 

-- P´... por que estou deitado desta maneira? -- Yo estava realmente espantado, eu pude perceber por causa de sua voz ainda fraca. Coitado. Ele moveu seu corpo para sair do colo de Pha, mas não conseguiu, pois Pha o agarrou antes. 

-- Continue dormindo, eu não me importo. 

-- Mas... isso não vai ser bom, você vai ficar com cãibra -- Yo não moveu, e sim permanceu onde estava, eu via tudo pelo retrovisor. 

-- Eu já estou com caibra -- meu amigo é tão forte, rs. 

-- Você está se sentindo melhor? 

-- Sim... um pouco melhor. 

-- Hmmm, um garoto tão rico e mimado a ponto de ficar mal por viajar de ônibus, mas volta ao normal em uma SUV. 

-- O ônibus estava balançando demais. 

-- Se ainda não estiver se sentido melhor, continue dormindo -- Pha abaixou a cabeça para conversar com Yo – mesmo assim parecia que o N' já havia caído no sono outra vez. Pha não sabia o que fazer. -- ...você vai se sentir melhor logo. 

-- Eu... não quero incomodar você -- N'Yo evita os olhos de Pha, cobrindo o rosto com as mãos. Tão engraçado... Pha quase riu também, mas se segurou 

-- Você já dormiu há horas. Isso não é nada -- Pha não cansava de olhar para o garoto em seu colo - Só dorme... quando você estiver melhor me diga 

-- Me perdoe... 

-- Perdoar? Pelo quê? 

-- Por... dormir no seu colo. Bom, na verdade, é muito confortável. -- Hahahah...Eles dois estão obviamente apaixonados um pelo o outro, sendo carinhoso na minha frente. Estava na cara de Pha que ele gostou do que seu N'Yo disse. Olhe para cima Yo e veja como Pha está feliz agora! 

-- Se é tão confortável... Então não durma no colo de mais ninguém. -- não tenho certeza se o Yo escutou, seria incrível ele ter ouvido o que o Pha acabou de falar. 

P.O.V. WAYO 

Pha e seus amigos estavam quilômetros a frente de nós, mas agora nós fomos os últimos a chegar. As Luas e Estrelas já haviam se reunido para receber as informações sobre a programação além da consultoria dada pelas antigas Luas. Eu me juntei a eles, mas ainda não me sentia inteiramente bem, eu ainda podia sentir que tudo ao meu redor continuava girando. Quase todos os meus colegas me perguntaram como eu estava e tudo que eu lhes respondia "Eu estou bem" e me desculpava por deixa-los preocupados. Eu não sei se meu rosto ganhou cor... provavelmente, está corado agora, porque eu sinto minha pele esquentar quando me lembro do colo de P'Pha. Nem em meus sonhos mais loucos eu poderia imaginar abrir os olhos e me deparar com o rosto de P'Pha, fixo no meu. Que Deus me ajude, porque eu quase morri com um infarto e não do enjoo! 

- Certo... agora que todos nós estamos aqui e que N'Yo já está bem vamos passar algumas orientações sobre o nosso trabalho, porque não estamos aqui para nos divertir e nosso tempo é limitado. -- assim que a equipe do concurso começou a discorrer sobre a programação, a gangue dos médicos ilegais entrou no lobby, atraindo a atenção de todos nós. Eles pareciam estar à vontade. P'Pha tirou os óculos de sol, só para provocar a tenção de todos. Tão presunçoso... Mas... Ele é gato mesmo, realmente bonito. Eu tenho que admitir isso. 

-- Ha-Ham! -- a staff que estava discursando tossiu, para chamar nossa atenção outra vez -- Como eu estava dizendo ainda a pouco, nós não estamos aqui para relaxar, mas sim para trabalhar, pois temos um prazo para atender. Sei que todos estão cansados agora, então vamos deixar vocês se acomodarem em seus quartos para descansar por uma hora. Depois disso, vocês devem voltar aqui, para darmos início ao ensaio fotográfico e as filmagens. -- as chaves dos quartos foram distribuídas para cada um dos calouros. -- Prestem atenção... um par para cada quarto com um membro da equipe organizadora ou uma das Luas ou Estrelas veteranas. Isso vai dar a vocês a chance de se conhecerem melhor e os Staffs, Luas e Estrelas do ano passado estarão presentes para mediar a relação de vocês. -- Eu e 'Ming nos olhamos, porque sabíamos que ficaríamos no mesmo quarto, já que somos amigos e estamos acostumados um com o outro. 'Ming já havia pego a chave e me ajudou a levantar do chão para irmos descansar. -- A nossa equipe irá acompanha-los mais tarde, podem ir para seus quartos. -- é melhor que as Estrelas nem ao menos sonhem que P'Pha dormirá em seus quartos. 

-- P'Pha têm que ficar no quarto de uma Lua, não é? -- por que P'Pha era tratado como se fosse uma celebridade? Minha nossa, as estrelas estão babando por ele, chorando por toda a parte só porque ele está aqui. 

-- Você está bem? -- Ming pegou minha mochila para levar, mas eu a pego de volta, e mais uma vez ele a arrancou de mim, certo, eu me rendo. 

-- Eu estou bem. 

-- Hmm, você acha que seu marido dormirá no mesmo quarto que você? -- Ming piscou para mim, erguendo a sobrancelha. Eu dei uma boa olhada na equipe de hoje. 

-- De jeito nenhum. Eu não quero e se eu roncar? -- eu morreria de vergonha. Além disso, ele vai me ver usar óculos outra vez antes de dormir. Nem pensar, não confio em mim mesmo o suficiente para dividir o quarto com P'Pha. Eu coloquei para fora todos os meus receios, mesmo sendo reprovado por 'Ming. Antes de seguirmos para o quarto eu olhei para P'Pha, que parecia mais um turista de férias do que um estudante da nossa Universidade. Olhando pelo lado positivo, eu viajei com a pessoa que nunca tinha tempo para mais ninguém além dele e suas conquistas... 

-- Cara! A cama é tão macia... -- eu pulei sobre os lençóis sem cerimônia, assim que entramos no quarto 

-- Será que posso dormir? Eu ainda estou tonto. 

-- Hmm, vá em frente. Você está com fome? Quer alguma coisa? Vou pedir serviço de quarto para você. -- Ming perguntou fechando a porta, eu acenei que não 

-- Eu vou esperar pelo jantar. 

- Okay, mas você está bem mesmo? -- Ming se aproximou de mim, puxando o cobertor para me cobrir, embora eu ache que ele não está fazendo isso com muita gentileza. Ele apenas jogou a coberta em mim. -- Se você não estiver bem fale de uma vez. 

-- Eu já disse, estou legal. 

-- Hmm, bem como eu imaginava. Eu sabia que você acabaria passando mal. 

-- Eu sei... estou morrendo de vergonha. Todo mundo deve pensar que sou um fraco. -- Ming se sentou ao meu lado, esfregando minha cabeça e bagunçando meu cabelo como só um irmão mais velho pode fazer. -- Você sempre passa mal desde quando você era criança. Você não é um fraco por isso. Então... houve algum progresso entre você e P'Pha no carro? -- eu senti meu rosto esquentar... eu devo estar seriamente vermelho. 

-- Eu... dormi no colo dele, só isso. 

-- HEYYY!!!! -- Ming ficou de boca aberta 

-- Sei lá... no início pensei em me levantar, mas estava tão gostoso, tanto que até dormi. Eu dormi durante toda a viagem até aqui. P'Pha é tão estranho... ele não disse uma única palavra para me acordar. 

-- Cara! P'Pha é tão gentil! 

-- Droga... eu acho que ele realmente ficou com cãibras. Mesmo assim, não reclamou em nada. 

-- Minha nossa, eu tirei a sorte grande por ter passado mal. Eu quero cair doente assim por mais dez vezes se ele for o remédio. -- PLFT! Ming me deu um tapa na cabeça -- Eu estou brincando! 

-- Hmmm... Agradecido apenas a P'Pha e esquece do seu amigo que esfregou suas costas e limpou seu vômito... Você acha que me diverti com aquilo foi!? Hein!? Hahahaha 

-- Para! Eu estava brincando... Ming! 

-- Eu estou interrompendo alguma coisa? -- nem eu nem 'Ming dissemos aquilo, foi o P´Pha 

-- Você vai... dormir aqui P'? -- Ming ficou de queixo caído. P'Pha estava prestes a sair do quarto. 

-- Vocês querem ficar sozinhos? Por acaso tem alguma coisa. 

-- Espere P´... Você está louco? Fique -- Ming se apressou a dizer para P'Pha ficar. Provavelmente, ele fez isso por conta do respeito, já que P'Pha é um dos veteranos aqui. Eu também sabia, no fundo, que ele estava fazendo isso por mim também. Parecia que eu tinha sido amaldiçoado, não conseguia ao menos me mover na cama, assim como nos filmes. Será que ele vai mesmo ficar aqui? 

-- Eu vi vocês dois se dando tão bem -- Pha estava aborrecido... eu podia ver no rosto dele 

-- Nós só estávamos... 

-- Você vai dormir aqui, não vai? -- eu interrompi 'Ming, querendo ter certeza que P'Pha não iria embora. Será que três pessoas cabem nessa cama? Eu não estava preocupado comigo na verdade e sim com o cara alto e bonito que está parado bem na minha frente agora. Eu não quero que ele se sinta mal e desconfortável com 'Ming aqui. Ele olhou ao redor... 

-- Eu posso dormir ali naquele sofá. -- depois de terminar sua fala P'Pha jogou sua mala no sofá. Ele é tão maravilhoso. -- Podem continuar... fazendo isso... o quanto quiserem, mas não esqueçam da reunião. -- Foi tudo que ele disse antes de se virar e ir embora do quarto. Ming trancou a porta se virando para mim agora. 

-- 'Ming seu imbecíl 

-- Droga, Yo... eu acho que preciso mudar de quarto! 

-- Pare de falar besteiras... você é meu amigo. -- eu estava nervoso pra caralho -- Ninguém aqui vai mudar de quarto. -- Ming se sentou na cama pensando na situação de agora -- O que é? 

-- Você acha que ele está chateado? O P'Pha? 

-- Ham, eu acho que ele nos entendeu mal. 

-- Quem gosta de pensar que a pessoa que você gosta, gosta de outra pessoa? Ninguém... ele está com ciúmes 

-- Que? 

-- Nós dois somos um belo casal sabia? 

-- Casal minha bunda! -- eu estava realmente sarcástico, mas não deixei de ficar preocupado 

-- Pare para pensar seu burro. Não é todos os dias que você tem a oportunidade de ficar a sós com ele dessa maneira, só relaxa. Você tem que descansar, vai. Se você não estiver bem para essa droga de gravação que vão fazer sua faculdade vai ser prejudicada e depois você vai acabar chorando, porquê perdeu para mim. Não vai perder a hora Yo. 

- Okay! 

Quebra De Tempo 

- Acorde... Acorde... -- quem está me chamando? A voz parece vir de longe. -- Acordeee --droga... estou com tanto sono. -- Baixinho, eu disse para você acordar... -- "Baixinho"? Quem me chamou de baixinho? Por que eu seria baixinho? Eu tenho 1,78cm. O único que me chama assim é o P´Pha -- N'Yo... por favor... acorde -- eu abri os olhos assustado! A voz era dele, P'Pha estava inclinado sobre mim na cama, me olhando. 

-- Eu já disse para não me chamar assim! -- merda! Quase caí da cama. Sua voz é tão terna. Se ele está fingindo ou não, eu não saberia dizer. Eu apenas sei que meu coração batia como um louco. 

-- Por que você ainda está deitado? Eu tive que usar seu ponto fraco... Só chamando você assim eu consegui tirar você desse sono de pedra -- ele nem imagina que ao invés de bravo eu fico tímido e envergonhado, quando ele me chama dessa maneira tão doce. Tanto que sinto vontade de abrir um buraco no chão e me esconder. Eu me sinto fraco quando ele usa esse tom de voz me chamando por esses apelidos. 

-- Certo... já acordei! -- eu estava claramente emburrado, com sono e chateado por ele usar meu "ponto fraco" contra mim. 

-- Hmm, acordou, mas ainda não levantou dessa cama 

-- Espere um pouco. Eu preciso me acostumar com o ambiente 

-- Você sempre dorme tanto assim? 

-- Bom... sim 

-- Tão dorminhoco... Dorme tanto que nem se deu conta de quantas vezes bati na sua boca quando estávamos no carro -- involuntariamente eu toquei meus lábios ao ouvir aquilo. Será? Isso é sério? Os lábios de P'Pha se contraíram um pouco nos cantos. Era difícil deduzir o que se passava na cabeça dele apenas por sua expressão. 

-- Isso é sério? Você me deu tapas na boca? 

-- Droga... Você é louco? Claro que não, eu vou ser médico, como posso fazer isso com uma pessoa doente? 

-- Bem... eu não sei. Alguém como você... 

-- Baixinho, fique quieto seu idiota -- ele pulou na cama, agarrando minha cintura com sua mão enorme. Como ele sabe que tenho outro ponto fraco? Eu sempre tive cócegas nessa parte do corpo e ele percebeu isso assim que risadas involuntárias escaparam da minha boca, droga, ele decidiu ser infantil agora. Ele não parava de me cutucar, com aqueles dedos cumpridos, na esquerda e na direita, MERDA! Eu sinto que meu pescoço pode quebrar a qualquer momento de tanto que estou dobrando para fugir do seu ataque. 

-- Aiii, Aiii, pare, isso faz cócegas! -- eu agarrei suas mãos enormes, tentando afasta-las de mim, mas PORRA! Ele não se moveu nenhum pouco. -- HAHAHAHA! Ai, Merda! Ai Merda!!! P'Phaaaa! AIEEE! 

-- Acordou agora né? 

-- Okaaaay! Eu acordeeeei agoraaaa!!! Hahahhahah 

-- Então saia dessa cama, vamos! -- P'Pha finalmente me largou e já se endireitava para levantar da cama quando eu toquei a cintura dele tentando achar "O SEU PONTO FRACO", achei... 

-- Hummm! -- eu ri da cara dele agora, então era ali 

-- Nunca pensei que o Senhor Phana também tivesse um ponto fraco, hãl? -- hahaha. Agora ele estava realmente com raiva, estava na cara dele. Eu simulei que não aconteceu nada, então eu tentei provoca-lo outra vez, mas ele foi mais rápido. P'Pha virou nos calcanhares e em segundos estava em cima de mim. Suas mãos prendendo meus pulsos contra a cama, meus braços presos, sem chance de fugir e lentamente ele começou a descer seu corpo tocando o meu. MERDA!!! Não... que porra de posição é essa... 

Eu fechei bem os olhos, sentindo o peso dos músculos dele em cima de mim. Quando dormi em seu colo, aquilo para mim era realmente o mais próximo que eu podia estar perto dele, mas a cada segundo o rosto dele ficava mais próximo do meu, absolutamente e irrevogavelmente perto de mim, MUITO... MUITO... MUITO... PERTO. 

-- Não me obrigue a usar meus lábios para fazer cocegas em você. -- eu senti meu rosto perder a expressão quando ouvi suas ameaças, é ainda mais constrangedor do que eu imaginei. Eu podia sentir a respiração ofegante de P'Pha tocar todo o meu rosto... Droga, ele está tão perto. Eu reuni coragem e abri os olhos... NÃO! Eu não consegui encara-lo assim tão de perto, então fechei os olhos outra vez, só que com ainda mais força. -- Você se rende? -- CLARO, CLARO QUE SIM, QUE ESCOLHA EU TENHO SE JA FUI ATACADO. 

-- Sim 

-- Você vai se vingar de mim? -- de repente eu senti o hálito fresco dele ainda mais próximo. Não aguentei e abri os olhos outra vez... PORRA! Quase não pude fechar os olhos novamente. Por que P'Pha quer apressar a resposta? Eu, no fundo, queria que ele acabasse com a distância que nos separava e atacasse meu pescoço com sua boca de uma vez por todas. 

-- NAO... Não vou fazer mais isso... EU JURO! -- MEU DEUS. A ponta do nariz de P'Pha tocou meu queixo e foi o bastante para sentir meu corpo ficar entorpecido. Finalmente aquele corpo alto se descolou do meu. Puxei as cobertas na mesma hora para me esconder. Droga! Onde 'Ming está quando preciso dele? 

-- Baixinho... Hey, Baixinho...você está vivo? 

-- Babaca! -- eu o xinguei alto sem pre preocupar com sua reação 

-- Vamos! Se levante logo... espera... Você ouviu algum som? 

-- Som...? 

-- Sim... um Som... -- se ele está se referindo à batimentos cardíacos... 

-- Não! 

-- Okay... ótimo. -- eu ouvi algo sim... Se eu não estou com problemas de audição eu posso jurar que além de ouvir o meu próprio coração, eu ouvi o dele bater como um louco também. 


Notas Finais


continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...