História .30 days - Capítulo 18


Escrita por: e _godjihyo

Postado
Categorias Seraph of the End (Owari no Seraph)
Personagens Mikaela Hyakuya, Mitsuba Sangu, Shihou Kimizuki, Shinoa Hiiragi, Yoichi Saotome, Yuuichirou Hyakuya
Tags Crowferi, Gurenshin, Kimiyoi, Krulhiru, Mikayuu, Mitsunoa
Visualizações 122
Palavras 3.315
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, FemmeSlash, Festa, Lemon, Orange, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 18 - .Day 16 - I won't give up now


  ⌜16º dia⌟

Já era de madrugada, e eu estava assistindo TV. Eu me esforçava o máximo para esquecer do Lacus, porém quanto mais eu tentava, mais díficil ficava. Desliguei a TV e fui em busca do meu celular que estava no meu quarto. 

- Cadê você...? - Vasculhei o meu quarto tentando achar o meu celular. Joguei os cobertores no chão e achei meu precioso filho de baixo do travesseiro. Me deitei na cama e desbloqueei o celular e tentei achar algo interessante nas redes sociais. Eu poderia conversar com o Mika, mas ele provavelmente está dormindo e eu não vou atrapalhar o sono dele.

Passei um bom no celular e não percebi que já estava amanhecendo. Larguei meu celular na cômoda ao lado do minha cama e fui ao banheiro. Apesar de estar muito cedo, vou me organizar logo. Tomei um banho um tanto demorado, enrolei a toalha na minha cintura fui pro meu quarto, comecei a me arrumar. Assim que terminei de me arrumar, coloquei os materiais necessários para hoje na minha mochila. Não me perguntem de onde saiu essa disposição para fazer tudo organizado.

Me levantei e fui até a cozinha preparar alguma coisa para comer. Peguei algumas torradas e um suco, não estava com tanta fome, mas também eu não podia ficar sem tomar o café da manhã. Ouvi passos e deduzir ser Shinya, ele sempre acorda mais cedo para preparar o nosso café. Ele se assustou ao me ver acordado tão cedo, mas depois me olhou confuso.

Yuu? O que está fazendo acordado á essa hora? — Ele se aproximou de mim e me deu um beijo na testa. — Não conseguiu dormir? 

- É, fiquei pensando em muitas coisas e perdi o sono. — Dei mais uma mordida na minha torrada.

- Entendi... Só espero que isso não prejudique no seu estudo. Não quero ouvir reclamações dos professores porque você dormiu na sala de aula. —  Ele abriu a geladeira e pegou os ingredientes para fazer o café da manhã.

Vou tentar ficar acordado. — Dei a última mordida na minha torrada, peguei o prato sujo e fui até a pia. 

- Bom, parece que eu vou ter que fazer o café em menor quantidade, você já comeu mesmo.

- Isso é bom, né? Daí você não precisa gastar tanta coisa. — Sequei a minha louça e a guardei. Fui até meu quarto novamente e coloquei a minha mochila nas costas, coloquei meu celular e a chave de casa no bolso. Fui novamente até a sala e fiquei sentado no sofá esperando o horário. Quando deu o horário, me despedi dos meus pais e sai de casa. O trajeto até a escola foi calmo, eu caminhava enquanto ouvia música e admirava a paisagem. Não demorou para que eu chegasse na escola e visse o meu grupinho de amigos lá. Me aproximei deles e cumprimentei cada um deles.

- Yuu-san, você chegando mais cedo esses dias? O que aconteceu? — Shinoa me perguntou.

- Estou começando a ficar mais organizado ué.  

- Aham, olha para minha cara e me diz se eu acredito.

- Então... o Lacus veio hoje?  — Ignorei completamente o comentário da Shinoa. Eu acho que fui meio grosseiro, já que eu ignorei ela pra falar do Lacus.

- Até o momento eu não vi nenhum sinal de vida dele.  — Kimizuki falou e o pessoal também concordou com ele. Suspirei aliviado, eu não queria ter que encontra-lo novamente.

- Acho que isso é bom, né? Tenho certeza que todos não gostam dele... bom, exceto Akane. — Dessa vez foi Yoichi quem falou, o mesmo parecia ter se recordado da cena de ontem, já que fez uma cara de desgosto.

- É... Gente, vamos para a sala, já deu a hora. — Mika atraiu a nossa atenção e apenas concordamos e seguimos ele.

《•••》

O sinal bateu e todos os alunos começaram a se retirar da sala de aula. Infelizmente, o Lacus veio para escola, e parece ter ficado bem popular. 

Me sentei na mesa junto com o meu grupo e percebi que os mesmos estavam conversando sobre o Lacus. Realmente eles não foram com a cara dele, mas quero saber o motivo disso, afinal eles conheceram o Lacus ontem.

- Estão falando sobre o Lacus? — Todos concordaram —  Por que vocês não gostam dele?

- O acontecimento de ontem me deixou com ranço dele. — Kimizuki falou. Ele fechou seus punhos em cima da mesa, ele realmente ficou irritado...

- Por que eu odeio ele? Ah~ — Shinoa ficou pensativa por alguns segudos, até que sua expressão ficou séria.— Aquele maldito...

- O que ele fez?  — Todos da roda ficaram sérios. O que o Lacus fez com a Shinoa?

- Eu deixei a minha borracha cair no chão, eu fiquei procurando que nem uma condenada por aquela porra, até que... Eu vi Lacus escrevendo nome dele na MINHA borracha!

- ... 

- É... Bem, vamos ignorar isso e vamos continuar a comer?  — Akane ignorou o comentário da Shinoa e voltou a comer.

- Boa ideia...  

Vão se fuder todos vocês!  —  Shinoa se levantou irritada e foi embora. 

- SHINOA! SE VOCÊ VOLTAR AQUI, EU JURO QUE FAÇO O QUE VOCÊ QUISER!  — Mitsuba gritou e todas as pessoas da cantina olharam pra ela. Como a peito-chan não ficou com vergonha?

- Opa, alguém me chamou?  — Shinoa brotou do inferno e se sentou do nosso lado.

- Shinoa, acho que você precisa ir para a igreja... - Yoichi falou e todos nós começamos a rir.

《•••》

O resto da aula se passou normalmente. Eu era um dos poucos alunos que estavam na escola, já que eu fiquei até tarde na escola. Não que fosse um problema, claro. As ruas de noite costumavam a ser tranquilas e era raro ter um assalto. Guardei minhas coisas na mochila e coloquei-a nas costas. Pus meus fones de ouvido, coloquei meu capuz, minhas mãos no bolso do casaco e sai da escola. Já estava anoitecendo, e tinha poucas pessoas na rua. No caminho até a minha casa, a rua já estava bem vazia, porém tive a sensação de estar sendo seguido. Olhei para trás e tinha um homem, que provavelmente é bem mais velho que eu, com o celular na mão e me encarando. Me senti de desconfortável e por instinto comecei a caminhar mais rápido, e para o meu desespero ele começou a andar mais rápido. O medo estava crescendo e piorava quando ele se aproximava cada vez mais de mim. Pronto, é hoje que eu morro. 

Olhei para trás e vi que o homem tinha desaparecido. Me apoiei nos meus joelhos, ofegante, mas do mesmo jeito olhei em volta para ter certeza que ele tinha desaparecido. Peguei o meu celular e tentei ligar para a Shinoa, mas antes que eu realizasse o ato, fui puxado pelo braço com brutalidade. Tentei me afastar mas foi tudo em vão, o homem era muito mais forte que eu.

- Pare de tentar escapar, meu amor. Eu sou a pessoa certa para ficar com você... — Arregalei os olhos assim que encarei o homem. Porra, é com certeza um pedófilo. Mordi sua mão que tapava a minha boca e tentei escapar mais uma vez. Antes que eu pudesse dar o primeiro passo, fui acertado com um soco e derrubado no chão.

- Garoto idiota! — O homem subiu em cima de mim e começou a me enforcar. — Você acha mesmo que alguém vai te salvar? Acha mesmo que aqueles teus coleguinhas vão vir te salvar? — Segurei seu pulso e tentei afasta-lo, mas falhei. Eu me sentia cada vez mais fraco, eu estava sem folêgo e meus olhos lacrimejavam. Quando eu achava que poderia ficar pior, o corpo do homem foi puxado brutalmente longe do meu.

- Que merda você está fazendo? — Um homem de cabelos longos e brancos falou enquanto segurava o homem que estava tentando me matar. Outra pessoa se encontrava no local, mas não consegui enxergar mais nada. Apenas ouvi um barulho do impacto de um corpo caindo no chão antes de apagar.

《•••》

Abri meus olhos lentamente e percebi que eu não estava mais no meio da rua, e sim em um quarto. Me levantei bruscamente da cama e olhei ao redor. Aquele definitivamente não era meu quarto e muito menos o da Shinoa ou de alguma que eu conheça. Comecei a tremer de medo com a possibilidade daquele homem ter conseguido fugir e me trazer para aqui. Procurei pelo meu celular e achei o mesmo no meu bolso, estranhei no começo mas não é hora para isso. Tentei ligar o meu celular mas ele estava sem batéria. 

- Merda! Por que agora? — Senti lágrimas descerem pelo meu rosto. Eu acabei de ser sequestrado por um velho pedófilo? 

Caminhei até a porta e girei a maçaneta com cuidado, não queria atrair a atenção de um velho pedófilo. Comecei a caminhar pelo corredor e vi vários quadros com dois homens, pareciam ser casados. Continuei caminhando e cheguei até um local que pude ouvir vozes, me escondi atrás da parede e tentei observar de quem eram.

- Será que o Yuuichiro está bem?  — Reconheci a voz de primeira. Era René. Senti um aliviado e sai de trás da parede, René e mais dois homens olharam para mim  — Em falar nele...  — René se aproximou de mim e me abraçou.  — Coé, Yuuichiro! Quem diria que nós iríamos nos reencontrar, apesar de ter sido de uma maneira não muito agradável...

- Pois é...  — Retribui o abraço e depois nos separamos. Olhei para os dois homens que estavam sentados no sofá e eles me olharam sorrindo.

- Olá. Yuuichiro, né?  — Concordei com a cabeça e ele estendeu a mão para mim.  — Eu sinto muito pelo que aconteceu na rua, quando eu vi a cena, não pude deixar de interferir.

- Eu sou muito grato, senhor...? — Apertei a mão do homem de cabelos brancos. Ele parecia ser simpático.

- Ferid Eusford.

- Senhor Ferid, obrigado por ter me salvado.  — Sorri para Ferid e ele retribuiu o sorriso.

- Ora, você deveria agradecer ao meu marido também. Ele foi a pessoa quem deu umas belas surras naquele nojento.  — Um homem de cabelos preto e vermelho se levantou e veio em minha direção.

- Olá, Yuuichiro. Assim como Ferid, sinto muito pelo o que aconteceu. Fico feliz que esteja bem. Ah, me chamo Crowley Eusford.

- Obrigado, senhor Crowley. Não sei como agradecer...

- Hehe, você é muito fofo.  — Crowley bagunçou os meus cabelos e eu sorri meio sem graça.

- Ahem. Yuu, podemos conversar?  — René interrompeu o momento e atraiu a nossa atenção. Concordei com a cabeça e segui René até o quarto. Ele abriu a porta e pediu para que eu entrasse, me sentei na cama e ele caminhou até ficar na minha frente.  — Imagino que seu celular esteja sem bateria, certo?  — Concordei com a cabeça e ele retirou um carregador do bolso. Peguei o carregador, coloquei ele na tomada e o encaixei no meu celular.  — Eu usei ele para avisar para alguém o que tinha acontecido. Foi para uma tal de Shinoa, ela disse que já está vindo te buscar.

- Ah, obrigado de novo...

- De nada...  — Desde então, ficamos em um silêncio extremamente constrangedor. Ele se sentou do meu lado e respirou fundo antes de começar a falar.  — Lacus... ele está estudando na mesma escola que você, né?

- Infelizmente, sim.

- Aquele idiota, sabe que você não vai mais com a cara dele.

- É, infelizmente não posso chegar nele e manda-lo embora.  — Suspirei e olhei para Lacus. O mesmo possuía uma expressão triste, isso me deixou preocupado.  — Você ainda gosta dele, né?  — Sua expressão passou de triste para assustado. 

-  C-Como você sabe?!

- Está bem na cara. Acho que ainda da tempo de conquista-lo... se você quiser, claro.

- Pff, nem pensar. No dia em que nós saímos com a Akane, ele disse que somos apenas ''ficantes''...

- O-Oh... eu sinto muito.  

- Não sinta, eu já esperava por isso mesmo. Bem, desde que ele seja feliz, isso vai ser ótimo para mim.

- René... E-Eu acho que você não deve desistir, mesmo que ele tenha dito isso... ele gosta muito de você. Pode não parecer, mas é verdade. Quando nós namoravámos, ele vivia falando de você, sempre falava o quão sortudo ele era de ter uma pessoa como você ao lado dele, isso me deixava extremamente enciumado. Acho que no fundo ele gosta muito de você, ele deve achar que você não sente o mesmo que ele, daí ele falou isso. Acho que ele tenta ficar com muitas pessoas para te esquecer, pois eu sempre soube o jeito diferente que ele te olhava... Eu não tenho certeza, mas tem muitas chances de ser isso. — O ambiente ficou em silêncio por uns minutos. Olhei para René e o mesmo estava com os olhos arregalados, provavelmente não estava esperando por isso.

- E-Ele... gosta de mim?

- Provavelmente, sim. Tente falar com ele, não desista agora.

- E-Eu... eu vou tentar! Eu não vou desistir agora.

- É assim que se fala. — Ouvimos Crowley me chamar dizendo que a Shinoa tinha chegado. Me despedi de René, peguei o meu celular e fui até a entrada, vendo uma Shinoa extremamente preocupada. — Se acalme, Shinoa. Eu não morri.

- Y-YUU-SAN!  — Ela pulou em cima de mim e começou a chorar.  — V-Você me deixou preocupada, sabia? E se não fosse por esses homens, que por sinal são gostosos e bonitos? O que seria de você?

- Shinoa, eu estou bem...

- NUNCA MAIS DEMORE NAQUELA ESCOLA! SE VOCÊ NÃO SAIR DAQUELA ESCOLA DEPOIS DE DOIS MINUTOS QUE O SINAL BATEU, EU JURO QUE EU BROTO NAQUELA PORRA E TE LEVO PRA CASA.

- Ok, ok...  — Fiz carinho na cabeça dela, tentando acalmar o choro descontrolado dela.

- B-Bem, vamos... Meu irmão deve estar muito preocupado.  — Ela se levantou e me puxou pelo braço até a saída.  — Muito obrigado, homens gostosos que salvaram o Yuu. Eu sou eternamente grata a vocês.

- Haha, de nada.  — Nós nos despedimos deles e Shinoa chamou um táxi para vir buscar a gente. Não demorou para que ele chegasse, nós adentramos o táxi e Shinoa falou o caminho para o senhor.

- Que noite...  — Comecei a olhar para a janela e encarar a rua, estava vazia, provavelmente já está bem tarde.

- Realmente.  —  Shinoa deitou a cabeça no meu ombro e fechou os olhos. Ela parecia estar cansada. Peguei o meu celular, mesmo que não esteja carregado no cem por cento, e o desbloqueei. Abri no contato do Mika e vi que tinha mensagens não lidas.

Amor da minha vida:

Ei

Você tá vivo?

...

Acho que não.

Ei, volta logo

Tô com saudades :(

Ei

Ei

Ei

Sorri ao ver as mensagens e comecei a digitar.

Yuuichiro:

Eae, mozão

Desculpa a demora

Aconteceu umas coisas aqui

Amor da minha vida:

O que aconteceu?

Yuuichiro:

Quase morri, mas passo bem.

Amor da minha vida:
COMO ASSIM

''QUASE MORRI''?

Yuuichiro:

Bem...

Eu estava andando tranquilamente na rua, né...

Daí, eu não prestei atenção

E quase fui...

Atropelado :)

Amor da minha vida:
Puta que pariu

Seja mais atento!

Se você morrer, o que seria de mim?

Yuuichiro:

Awn

Que fofo você

Mas, falando sério, eu estou bem.

Amor da minha vida:
Ainda bem...

Eu queria saber quem é você, sabe?

Pra poder te abraçar, te beijar, essas coisas melosas.

Mas você não colabora.

Ah, Mika... Se você soubesse que estou tão próximo de você...

Yuuichiro:

Talvez um dia

Eu tenho medo

Amor da minha vida:
Medo do quê?

Yuuichiro:

Que você descubra quem eu sou e me abandone.

Amor da minha vida:
Eu nunca faria isso.

Yuuichiro:

Nunca se sabe...

Mas, talvez quando eu tomar coragem.

Amor da minha vida:

Espero que esse dia chegue logo.

Yuuichiro:

É, eu também

Imagina só

Nós dois transando que nem  dois cachorros no cio.

Amor da minha vida:

Nice

A gente estava falando sobre o quanto eu queria te ver

Daí tu mete sexo no meio

Yuuichiro:

É ué

Vai me dizer que você não imagina essas coisas?

Amor da minha vida:

Não

Eu não consigo me imaginar transando com um fantasma

Yuuichiro:

Que?

Eu não sou um fantasma

Amor da minha vida:

Mas eu não sei como você é

Daí como eu posso imaginar?

Yuuichiro:

Se você soubesse como eu sou, você imaginaria rs?

Amor da minha vida:

( ͡◉ ͜ʖ ͡◉)

Yuuichiro:

Safado

Amor da minha vida:

Ata

O sujo falando do mal lavado

Yuuichiro:

Cala a boca

 O táxi tinha chegado na casa da Shinoa. Pensei que ela iria me levar para a minha casa, mas iria ficar mais caro. Acordei a Shinoa, que por sinal estava dormindo no meu ombro, ela pagou o senhor e entramos na casa dela. Peguei o carregador da Shinoa e o encaixei no meu celular. Eu estava exausto, subi as escadas, fui até o quarto da Shinoa e me deitei na cama ao lado de Shinoa.

 - Yuu-san... Quando você vai se revelar para o Mika? — Shinoa se virou para o meu lado.

- Eu não sei, Shinoa... 

- Você sabe, né? Os dias estão passando rápido, você não vai querer ficar pagando o lanche de ninguém, né? Você não consegue nem pagar o seu direito. — Suspirei derrotado. Realmente os dias estavam passando muito rápido, mas eu não conseguia me revelar para o Mika. — Bom, eu já vou te avisar um negócio. Se você não se revelar até o penúltimo dia, eu mesma vou contar.

- Você sempre diz que vai contar mas nunca faz.

- Quer que faça isso agora mesmo?

- Não, obrigado. — Nós dois começamos a rir e ficamos conversando até cair no sono.

《•••》

Não consegui dormir muito, acordei alguns minutos depois por conta de um pesadelo. Eu sonhei sobre o acontecimento passado, se Crowley e Ferid não tivessem me salvado daquele homem. Comecei a me tremer todo, me levantei lentamente da cama e procurei pelo celular, assim que o achei, tirei o celular do carregador e desci as escadas até a cozinha. Peguei um copo de água para me acalmar e me sentei na mesa de jantar. Desbloqueei meu celular e abri no contato do Mika.

Yuuichiro:

Ainda está acordado?

Tive um pesadelo.

Estou com medo agora...

 Peguei mais um pouco de água e bebi, aguardando pela resposta do Mika. Demorou um pouco para que ele me respondesse, provavelmente estava dormindo.

Amor da minha vida:
Que susto

Eu acordei com o barulho de notificação do celular

Quase tive um infarte

Yuuichiro:

Desculpa, bebê

Não era minha intenção te acordar

Amor da minha vida:

Tudo bem

Você pode 

Yuuichiro:

Awn <3

I love u too

Amor da minha vida:

<3

Mudando de assunto...

Com o que você sonhou?

Yuuichiro:

Sobre o quase atropelamento

Eu sonhei como se o carro realmente tivesse me atingido

 Sei que é feio mentir, ainda mais para o Mika. Mas, provavelmente uma hora ele vai ficar sabendo sobre o que realmente aconteceu, e vai descobrir quem sou eu. Eu não quero que isso aconteça, não agora.

Amor da minha vida:

Ah

Calma, não aconteceu nada

Você está bem

Olha, esqueça isso

Só se lembre que eu amo muito você, ok?

Yuuichiro:

Não fala isso que eu choro

Obrigado, Mika

Amor da minha vida:

Sonha com a gente casando

Yuuichiro:

Não quero ter sonhos repetitivos

Amor da minha vida:

Hum...

Sonha com a gente...

Yuuichiro:

(͡ ͡° ͜ つ ͡͡°) 

Amor da minha vida:
Isso seria repetitivo, né?

Yuuichiro:

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKSIMKKKKKKKKKKKKKK

Amor da minha vida:
É, eu sabia.

Sonha com a gente com setenta anos, observando nossos netos

Yuuichiro:

Oh

Mas assim eu choro

Amor da minha vida:

Mas é bonitinho

Yuuichiro:

Verdade

Vou tentar sonhar com isso ( ✧≖ ͜ʖ≖)

Amor da minha vida:
Você não vai tentar sonhar

VOCÊ VAI SONHAR

Yuuichiro:

Tá bom, nenê.

 No final, eu nem consegui dormir, eu fiquei a noite inteira conversando com o Mika.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


(ง ͠° ͟ل͜ ͡°)ง Yay
Era capítulo longo que vocês queriam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...