História 30 dias e uma noite com ela ( KimTaehyung) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags A Cinco Passos De Você, A Culpa É Das Estrelas, Como Eu Era Antes De Você, Kim Taehyung
Visualizações 17
Palavras 1.080
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo Zero.





                        Trinta dias e uma noite com ela.

                                                                Prólogo.






Quarta - Feira, 23 de agosto - 9h32Min A.M-




- Não quero falar sobre isso e antes que diga que ainda sim eu deveria falar, que isso me fará bem pois ajudará a aliviar um pouco dessa dor que você acha que sinto; devo lhe lembrar que se eu ainda sentisse alguma coisa não estaria aqui - digo fitando o homem de idade avançada, óculos praticamente na ponta do nariz e cabelos grisalhos.


- Taehyung, se você realmente não sentisse nada como insisti em dizer - ele dá uma pequena pausa antes de prosseguir - Não se recusaria a falar sobre qualquer assunto que fosse.


E como eu queria pode dizer que ele estava equivoca porém, no fim, Doutor Lee tinha toda razão. Eu realmente sentia algo e ao mesmo tempo que eu sentia algo eu não sentia nada, a minha cabeça estava cheia e meu peito vazio.


- Tem razão, eu sinto algo, sinto que isso aqui é uma completa perca de tempo - exclamo me levantando bruscamente, o que fez o terapeuta frazir a sobrancelhas.


Essa era nossa segunda sessão e ela estava conseguindo ser ainda pior que a primeira, na primeira eu apenas tive que fazer uma merda de um desenho para ele analisar e chegar a alguma conclusão sobre mim. O que me parecia bem ridículo afinal, a única coisa que ele poderia pensar a meu respeito após ver aquele desenho era que eu não sabia desenhar.


- Se você continuar a se recusar a falar, não vou pode te ajudar e então tudo isso de fato será um desperdício de tempo tanto pra mim quanto pra você - ditou após um longo suspiro.


Mas acontece que eu não gosto de falar sobre mim e tão pouco quero ajuda, na verdade eu nem se quer acho que precisso.


- Você não acha que precisa de ajuda não é mesmo? - indagou provavelmente já ciente da resposta - Por um acaso acredita que está bem e que isso é desnecessário?


- Isso é só mais um exagero da dona Kim, estou muito bem.


O único motivo pra nesse exato momento eu estar sentado num sofá barato feito de imitação de couro, completamente quente e desconfortável enquanto entre muitas aspas falo sobre meus problemas com um desconhecido, era minha mãe vulgo dona Kim, ela avia colocado na cabeça que eu não estava em meu juízo perfeito e por isso precisava de um psicólogo.


- Meu jovem, alguém que está muito bem não tenta por fim na própria vida.


Eu já havia perdido as contas de quantas vezes tentei por fim em minha própria vida, não que eu quisesse morrer, eu só queria voltar a vê-la o mais rápido possível para que ela pudesse me contar novamente todas as suas histórias.


- Mas eu não tentei por fim na minha própria vida, eu apenas estava tentando me encontrar com ela - contei - Não conseguimos nos despedir, ela se tornou petolas e voou antes disso.



Flashback On.


Era meu aniversário, na Coréia aniversários não são para comemorar a passagem de uma idade pra outra, e sim o fato de você ter vindo ao mundo naquele dia em específico dentre tantos outros no qual você poderia ter sido concebido. Eu havia decedido comemora-lo com alguns amigos ao invés de comemorar com minha família como de costume, comemos num restaurante qualquer e depois fomos ao um parque de diversões. Tudo estava indo muito bem até que recebi uma ligação de minha mãe, que chorava sem parar, minha avó avia sofrido um mal súbito e acabou indo parar no hospital. Sai correndo do parque sem nem me despedir antes do pessoal, peguei o carro e dirigi o mais rápido que pude até lá nesse meio tempo começou a chover muito forte graças a isso tive que parar por uns instantes para não sofrer nenhum acidente, a chuva só foi diminuir meia hora depois.


- Com licença - exclamei chamando a atenção da moça da recepção - Minha Vó, senhora Kim deu entrada nesse hospital a mais ou menos 1h, será que poderia me informar em que quarto ela se encontra?


- Claro, só um momentinho - sorriu simpática - Ela está no quarto 202, será que poderia me emprestar seus documentos para quê eu possa  liberar sua entrada?


Entrego meus documentos a ela, que após alguns minutos - que para mim pareceram mais uma eternidade - me devolveu juntamente com uma pulseira de identificação. Agradeci e então segui para o quarto mas quando cheguei lá já era tarde demais.


"Diga paro o Tae não demorar muito pra encontar a garota do sorriso bonito"



Foram suas últimas palavras.



Flaskback Of.



- Você precisa fazer alguma coisa pra ocupar sua mente e tempo - afirmou - Recomendo algo como, serviço voluntário.



Serviço voluntário ou Trabalho voluntário:


~ trabalho sem remuneração, onde o voluntariado dedica seu talento e tempo para ajudar outras pessoas.



- Você tá brincando né? - indaguei incrédulo - Por um acaso fiz algo fora da lei, cometi algum crime? Apenas ex presidiários fazem trabalho voluntário, eu não vou fazer isso.


- Você está enganado Senhor Kim, isso não é algo que apenas ex presidiários fazem, pessoas comuns e até mesmo atores e Idols também o fazem bastante - informou - Acredito que esse tipo de atividade lhe faria muito bem, você se relacionaria com novas pessoas com a quais poderia aprender muita coisa.


Pra mim isso parecia uma tolice sem precedentes confesso, não teria nem lhe dado ouvidos se ele não tivesse trapaceado e conversado com minha mãe sobre isso que é claro, achou uma excelente ideia e tratou de mexer seus pauzinhos para que eu conseguisse o fazer mesmo eu dizendo centenas de vezes que não faria e que não queria. Sinceramente não sei porque ainda perco meu tempo, a palavra final sempre foi e sempre vai ser dela não importe quanta birra eu faça.


O serviço voluntário começava amanhã, eu o faria 3 vezes por semana durante 2 meses. Seria no hospital aonde minha mãe trabalha, na ala infantil ou seja além de eu ter que lidar com um monte de criança doentes, sendo que odeio crianças e não levo o menor jeito para lidar com elas ainda teria de ser bem abaixo do nariz de minha mãe. Eu não poderia pedir castigo pior.




"Eu ainda não posso chegar até você
Ainda não há um nome para chamar"

- BTS.














































Notas Finais


Kisses e até a próxima ❤💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...