História 30 Seconds to Love You - Capítulo 29


Escrita por: ~

Visualizações 221
Palavras 1.636
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oieeeee, esperem... soltem essas armas, deixem-me explicar. Mil perdões pela demora gigantesca para postar, eu estava dando mais atenção para minha outra fanfic ( que se você não leu, recomendo que leia), e também não tinha mais informações para passar sobre essa história. Algo realmente importante, só acontece agora.. nessa parte da fanfic. Eu sei que esse capítulo é sobre Natal e que estamos ainda em novembro mas é que eu sei que muitas pessoas costumam viajar nas férias, e as vezes fica difícil de ler. Então, para facilitar a vida de alguns, eu resolvi postar o capítulo agora ( E também porque eu não aguentava mais ficar sem postar para vocês kk)
Espero que entendam.

Boa leitura *-*

Capítulo 29 - Natal !


Fanfic / Fanfiction 30 Seconds to Love You - Capítulo 29 - Natal !

​Leia as notas do autor, beijinhos.

Natal !

​Narradora P.V

​Enfim , era época de natal. Todos estavam extremamente ansiosos e animados para a chegada da véspera de Natal. Eles já haviam combinado de darem uma festa especial, com direito a amigo secreto e tudo. A única pessoa que não demonstrava tanta animação quanto os outros era Jared, por algum motivo ele estava indiferente com toda aquela história de festa, amigo secreto, presentes. Talvez fosse pelo seu trauma de sempre nas festas de natal de sua família, suas tias preparavam peru, ou por ter que suportar toda aquela história de Deus e essas coisas.

Naquela manhã, Margot acordou feliz como nunca. Seus sonhos macabros sobre morte e gravidez haviam acabado, e não a perturbaram mais. Ela estava animada pois  queria que aquele natal fosse inesquecível e extraordinário. Ela faria tudo para que seu desejo se realizasse. Acordou rapidamente e fez questão de ser bem barulhenta ao levantar, para acordar Cara. Com sucesso. Ás 8:00 da manhã, ela ligou para Jared, Shannon, Tomo e sua mais nova amiga Lily, que conheceu indo ao um café da cidade. Exigiu que viessem o mais rápido possível, e sem atrasos.

Logo, todos os seus convidados estavam em sua casa, todos exaustos e com cara de sono, sentados no sofá da sala. Nenhum deles estava realmente se importando com os planos de Margot, mas estavam fazendo aquilo apenas pela consideração aos sentimentos explosivos dela. Margot segurava uma espécie de vareta, como uma professora, e ao seu lado, havia um quadro com um pano em cima.

- Bom, eu reuni todos você aqui, para algo muito importante, que irá acontecer daqui exatamente 3 dias ! - Sua animação era realmente contagiante, mas parece que seus amigos eram imunes. Num movimento brusco, ela retira o pano de cima do quadro, revelando rabiscos e desenhos relacionados a natal. Todos lançavam olhares confusos e cansados para o quadro, tentando decifrar o que estava escrito. - É sobre natal, gente.

Margot bufou.

- Continuando ... - Completou - Eu planejei nossa festa de natal, e esse será nosso plano: Shannon e Jared vão comprar a árvore, eu vou comprar todos os enfeites necessários, Tomo vai cozinhar, Lily vai ajudar o Tomo e, Cara vai organizar nosso amigo secreto !!

Todos disseram: "EEEEE". Bem desanimados, mas Margot não se importou, pelo menos sua plateia não estava totalmente morta.

- Ok, tudo bem, vamos !! - Margot foi os instigando a saírem do sofá, e começarem a resolver as coisas.

Jared e Shannon pegaram seus casacos e toucas, pois mesmo sendo Los Angeles, o clima estava frio e um vento congelante soprava. Nuvens de chuva surgiam do horizonte, avisando que uma tempestade ocorreria em poucas horas. Eles tinham que ser rápidos.

Dirigiram rapidamente á "loja" de árvores de natal. Estacionaram o carro e logo passaram pelo grande pátio cheio de pedras, onde vários pinheiros estavam á mostra, de tamanhos diferentes. Jared sentia a nostalgia no ar. Lembrara dos natais em que ia ao meio da floresta, que ficava aos fundos de sua casa, e ia junto com seu irmão e Carl, amigo da família - que eles consideravam como pai-, e buscavam a árvore que usariam aquele ano.Shannon se emaranhou entre as árvores, se perdendo de Jared, que observava um lindo pinheiro, com a cor verde vibrante.

- Jay, a gente precisa comprar essa árvore. - Shannon se referia a uma árvore do tamanho de um anão, quase sem folhas e totalmente opaca. Jared segue sua voz, e o encontra, observando o pequeno pinheiro.

Jared dá uma risada, e é acompanhado por Shannon, mas Jared percebe que ele não estava brincando. Fez uma careta, franzindo o cenho.

- Vamos Jay, olha essa coitadinha, ninguém compraria essa porcaria. - Shannon insiste de forma fofa.

Jared olha para o irmão, depois para a árvore. Shannon tinha razão.

- É, quer saber ... você tem razão, ninguém compraria essa árvore horrorosa, vamos fazer o favor de compra-la e fazê-la feliz !

Os dois deram um toque de mãos e chamaram a atendente. Indicaram qual era a árvore e foram pagar. A árvore custou somente U$ 19,00 dólares. Não tinha como não terem levado. Ela era uma porcaria, mas era uma porcaria barata. Os dois colocaram a árvore gentilmente (lê-se violentamente, desajeitadamente e bruscamente) no porta malas do carro, e voltaram para casa de Margot e Cara.

Margot já estava em casa, e ainda usava seu casaco, que normalmente deixava na porta, como todos faziam. Possivelmente acabara de chegar. Haviam caixas e caixas de enfeites de natal. Margot estava apoiada na bancada da cozinha, mastigando  algo e rindo com Tomo e Lily que preparavam alguma coisa. Ambos estavam sujos de farinha, e Tomo tinha um pouco de margarina na barba. Eles testavam algumas receitas de um livro da avó de Lily.

- Chegamos !! - Shannon abriu os braços e sorriu para todos.

- E aí, onde está a árvore ? - Lily deu um sorriso, se inclinando levemente para tentar ver a árvore que estava sendo arrastada por Shannon.

- Ta ran ! - Shannon vibrou, mostrando a árvore magrela que pegaram.

Margot olhou para a árvore e deu uma risada. Ela achava que aquilo fosse mais uma das brincadeiras deles e que eles haviam arrancado a árvore do jardim do vizinho. Ela estava enganada. Ao perceber que nenhum dos irmãos Leto estava rindo, ela parou de rir e tornou seu semblante sério. Não era a árvore que Margot imaginara - grande, com lindas folhas, e com a cor vibrante e cheiro de natal-, mas pelo menos ela sabia que eles estavam felizes.

- O que acharam ? - Jared perguntou, antes de abrir um sorriso desengonçado.

- .... Maravilhosa ! - Margot sorriu amarelo

- Não precisa mentir... - Shannon disse, já sabendo das verdadeiras opiniões dos amigos.

-  Não, não, ela é linda. Muito... original. - Lily deu de ombros, mexendo uma massa em uma tigela.

Logo, Jared colocou a árvore em um canto qualquer da sala e sorriu.

- Perfeito. - Murmurou, antes de um suspiro.

Assim que Margot percebeu que eles não os ouviam, disse:

- Vamos usar a árvore sintética que comprei. - Sussurrou para Lily e Tomo a sua frente, que abafaram gargalhadas junto com ela.

----------////-----------

​Mais tarde, todos jogavam cartas e tomavam chocolate quente. A chuva enfim chegou, e ventos fortes assopravam lá fora. Uma música de natal dos anos 50 podia ser ouvida ao fundo. Todos achavam aquelas músicas bem interessantes. Jared começou a fazer brincadeiras para entreter o pessoal, já que o jogo havia ficado chato. Ele interpretava o personagem que acabara de inventar.. Sr.Garibaldo, que era um gângster apaixonado, que gostava de contar sobre suas aventuras amorosas. Todos caiam na gargalhada com o sotaque que Jared tentava fazer. Segurava um cigarro, na ponta dos dedos. Depois de "dar uma tragada", ele disse, ainda interpretando:

- Ela era alta, morena, linda...- Jared e os outros não aguentaram e começaram a rir. Talvez a risada de Tomo fosse a mais engraçada, e fosse o que instigou o pessoal a rir mais. - Ok, de novo. - Jared deu mais uma tragada no seu cigarro apagado e lançou seu olhar intérprete.- Ela era alta, morena, linda ....

Tomo novamente caiu na gargalhada e os outros, inevitavelmente, o acompanharam.

- Tomo, pare de rir, não estou conseguindo me concentrar. - Jared reclama, entre risos.

- Desculpe, não estou conseguindo me segurar com esse cigarro.- Ele ri mais ainda.

- O cigarro me ajuda a entrar no personagem. - Jared ri alto. - Mais uma vez. Ela era alta, morena, linda... corria como um gnu.

Aquela frase foi insuportável. Todos começaram a rir novamente. A barriga de Margot começou a doer. Todos pareciam bêbados, sendo que só tomaram chocolate quente.

- Mais uma vez, eu juro que eu vou conseguir terminar essa fala. - Jared respirou fundo e seu olhar intérprete voltou novamente. - Ela era alta, morena, linda, corria como um gnu ... mas eu a amava.

A última frase surgiu como uma gargalhada, e todos riram da careta que Jared fez ao rir descontroladamente. Suas sobrancelhas franziram, formando ruguinhas em sua testa e tinha um sorriso brincalhão no rosto.

Assim que todas as risadas cessaram, gradativamente, Margot se levantou, levando a caneca consigo e disse:

- Alguém quer mais ? - Ajeitou sua roupa.

A maioria estendeu os copos na direção dela, que os pegou desajeitadamente, abafando uma risada. Assim todos voltaram a conversar, e por um momento Jared ficou pensativo. Ao perceber que Cara estava distraída, foi até ela.

- Ei, Cara. - Disse, como num sussurro.

- Oi - Erguei sua cabeça, balançando o cabelo. Anotava algumas coisas em um papel.

- Posso falar com você ?

- Claro. - Ela deixou seu papel de lado, e os dois foram para uma parte afastada da sala, enquanto Tomo, Lily e Shannon conversavam no sofá. - Fale.

Jared olhou para os lados, se certificando que Margot não estava por perto.

- Preciso que faça algo para mim. - Sussurrou, num tom audível. - Preciso que faça com que Margot seja minha amiga secreta.

- Espera, mas eu ia fazer um sorteio. - Cara não entendia.

- Que se dane o sorteio, só preciso que faça com que ela seja minha amiga secreta. Por favor.

- Por que eu faria isso ?- Cruzou os braços, semicerrando os olhos.

Jared apoiou um braço na parede, ao lado da cabeça de Cara, que estava com o corpo apoiado na parede. Jared chegou perto dela e disse:

- Porque eu sei que você me ama, e faz simplesmente tudo o que eu pedir. Além de que você ama Margot também, e quer vê-la feliz.  Tenho uma surpresa. Ela quer um natal inesquecível ? Ela vai ter.

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


*A música de natal referida é: Let It Snow - Frank Sinatra (procurem no youtube)
Espero que tenham gostado
Comentem
Beijos de purpurina *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...