1. Spirit Fanfics >
  2. 31 de Julho >
  3. Capítulo único

História 31 de Julho - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura <3

Capítulo 1 - Capítulo único


Sexta-feira, 31 de julho 

 

Wonwoo estava sentado no sofá da sala, sozinho, com um balde de pipoca entre suas pernas e um copo de suco de abóbora geladinho na mão apoiado no braço do móvel. Vestia roupas pretas com detalhes em vermelho e dourado. A televisão de tela plana já estava ligada, pronta para iniciarem suas costumeiras maratonas de filmes nas sextas à noite. Era só apertar o play e se divertir.

Colocou mais um punhado da comida da boca, sentindo o gostinho de manteiga se misturar com o sal.

Esperou mais um pouco, se ocupando em comer e tomar seu suco em pequenos goles – não queria acabar com tudo antes mesmo do filme começar. Dez minutos passados, WonWoo suspirou contente quando ouviu os passos de Mingyu vindo em sua direção. O moreno se acomodou ao seu lado, colocou o balde de pipoca que carregava nas mãos entre as pernas, ficando igual Wonwoo.

— Que filme vamos ver mesmo? — Perguntou Mingyu. Na maioria das vezes quem escolhia os filmes era Wonwoo. O moreno dizia que o namorado era um completo nerd e viciada em filmes, séries e livros. As prateleiras que ficavam no quarto que dividiam era prova disso. Não cabiam mais livros e dvd's nelas.

— Harry Potter — falou — esqueceu que hoje é dia 31 de julho? Nosso especial de Harry Potter.

— Não, não esqueci. Só queria ter certeza.

Wonwoo se esticou no sofá e apagou as luzes da sala, deixando o cômodo no completo breu. Deu play no filme assim que se ajeitou de volta no sofá. Tinha decidido que nada mais justo que assistir todos os filmes de Harry Potter, aliás, era aniversário do menino-que-sobreviveu.

O filme rolava e ora ou outra Wonwoo soltava alguns comentários como “Nós livros essa cena é diferente” ou “Eu gosto tanto dessa parte”. Mingyu gostava que ele falasse e risse dos acontecimentos do filme, mesmo que eles já tenham assistido aqueles filmes diversas vezes, ainda era lindo a forma que os olhos do namorado brilhavam em emoção e expectativa. Mingyu se perdia completamente naquele olhar, era como se estivesse envolto em toda aquela magia do filme, como se seu núcleo de magia estivesse sentado a centímetros de si.

Voltou sua atenção para o filme quando ouviu o outro xingar e reclamar de um dos personagens, nem precisou pensar muito para saber de quem ele falava: Draco Malfoy. O Kim tentou segurar uma risada quando viu Wonwoo enfiar um monte de pipoca na boca, deixando suas bochechas cheias, e resmungar sobre o quanto desgostava naquele moleque e de como era arrogante e idiota.

Tomou um gole de seu refrigerante para tentar acalmar a vontade de rir. Mingyu se considerava um completo desinformado sobre algumas coisas envolvendo aquele mundo de magia. Não entendia como cada um era escolhido para as casas, não entendia a necessidade de alguns feitiços e poções, assim como outros desejava ter só por parecerem legais. Não era tão apaixonado quanto WonWoo. Porém, depois de muita insistência do namorado, havia entrado no site oficial e feito o teste, naquela manhã, para saber de qual casa pertencia. E vendo como o Jeon ainda xingava Draco Malfoy e sua casa, Sonserina, sentia que estaria muito ferrado quando contasse sobre seu teste.

Horas se passaram e dois filmes já tinham sido assistidos, pipocas e sucos já tinham acabado há um tempo. Decidiram por fazer uma pausa rápido para ir ao banheiro, repor a comida e bebidas, seria bom esticar os músculos um pouco também, ainda tinha seis filmes pela frente. Wonwoo decidiu que pediria uma pizza para que comecem mais tarde, quando enjoassem de pipoca.

Na cozinha o Kim mexia a panela com milho, tentando não rir alto ainda imaginando como o namorado iria reagir quando contasse do teste. Contaria antes que começassem o terceiro filme. Colocou o conteúdo da panela num dos baldes e pegou a jarra de suco da geladeira, levou-os para a sala.

— Aqui, pega — Entregou a pipoca ao outro, e sentou ao seu lado outra vez, colocando a jarra no chão perto de seus pés. No caminho da cozinha para a sala tinha tentado ficar o mais sério possível, engolindo a vontade de rir. Precisava estar daquele jeito, ainda que, apanhasse depois. — Preciso te contar uma coisa.

— O quê? Fale logo. — WonWoo quis saber.

— Eu...eu nem sei como te contar isso.

— Mingyu, estou começando a ficar um pouco preocupado. Você pode, por favor, me contar o que diabos está acontecendo?

— Eu fiz um teste hoje cedo...não deu tempo de contar antes, então... eu sou da Sonserina — Disse.

— Que merda, por um momento eu pensei que você ia dizer que estava gravi...pera, você o quê? Diz que eu ouvi errado e que você não é na Sonserina, Kim Mingyu!

Mingyu foi tomado por uma onda de riso ao ouvir o namorado falar e não conseguia parar mais. Sua barriga já estava doendo mas não conseguia se controlar e não se contorcer no sofá pelas gargalhadas que dava. Com os olhos lacrimejantes, olhou de esguelha, dando de cara com WonWoo o olhando irritadiço, as mãos apertavam o balde de pipoca com força. Porcaria, aquilo só aumentou sua vontade de rir do Grifinorio enraivecido.  

Precisava se controlar ou morreria pela falta de ar. Tentou respirar fundo, aos poucos, até que começasse a se acalmar. Deu certo, parou de rir e suspirou cansado, mas manteve um sorrisinho adornando os lábios. O Kim olhou direito para Wonwoo, dessa vez conseguiu se manter calmo. O namorado ainda segurava o balde nas mãos, mas isso não era o estranho, o estranho foi o sorriso que surgiu em seus lábios, seguido de um risinho que Mingyu sabia bem o que significava; vingança. Quando percebeu que o menor vinha em sua direção já era tarde demais.

Um punhado de pipoca acertou seu rosto e depois outro e outro, todos em seguida. Quando se deu conta, WonWoo estava praticamente sentado em seu colo, uma das mãos segurava a vasilha e a outra enfiava o conteúdo em sua boca, enchendo suas bochechas. Mingyu estava se divertindo com a forma que o namorado estava descontando sua frustação, uma gargalhada quase saiu por seus lábios se mais pipoca não estivesse sendo colocada nela.

— Idiota, idiota e idiota! É isso que você! Como eu consegui namorar um Sonserino esse tempo todo? Nunca mais encoste essa boca na minha. — Disse fazendo-se de bravo. Deixou o balde pela metade sobre o móvel estofado e cruzou os braços, agora estava totalmente sentado no colo do maior. — Você quase me matou do coração e ainda me diz que é Sonserino, preferia que estivesse gravido, idiota.

Mingyu terminou de engolir a comida e sorriu ladino, achando uma graça a braveza e o drama do outro. Levou suas mãos até a cintura do rapaz, apertando de levinho e acariciando com os dedos logo depois. Tinha irritado ele, agora precisava acalma-lo um pouquinho. Firmou as mãos nas coxas grandes e puxou o corpo do menor para frente, aproximando-os o máximo que conseguia.

— Você ficou bravo? — Arriscou perguntar enquanto acariciava suas costas. WonWoo resmungou algo que Mingyu deduziu ser um sim. — Por ter quase te mata do coração ou por eu ser da Sonserina seja lá o que isso significar?

— Os dois. — Murmurou e Mingyu riu.

— E o que posso fazer para ser desculpado? — Perguntou. Aproximou seu rosto do pescoço do menor e dançou com a ponta de seu nariz pela pele desnuda e pálida. Encostou seus lábios naquela pele morna, os afastou e tornou a se aproximar, mas fora impedido pelo som da buzina do entregar.

— Você quer se desculpar? Pode começar por pagar a pizza — Falou e saiu do colo do maior. — Espero que se torne um sonserino rico pelo menos, seu idiota. — E sorriu pequeno ao terminar de falar.

 


Notas Finais


Assim, eu escrevi isso ontem de madrugada e terminei agora pouco, não revisei e não sei se tá bom, me desculpe qualquer coisa. Pensei aqui e percebi que daria uma pra fazer uma continuação, mas nada garantido.
Espero que tenham gostado e rido um pouquinho da cara do Mingyu e do drama do Wonwoo. E mais uma coisa, eu amo a Sonserina, é a minha casa <3
Qual a casa de vocês?
Até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...