1. Spirit Fanfics >
  2. 365 Dias >
  3. One

História 365 Dias - Capítulo 1


Escrita por: jaegerist

Notas do Autor


Olá a todos! Como vocês estão? Se você está lendo isso, é porque deu uma chance a minha história. Muito obrigada! Mas, antes, eu quero deixar claro que esta história foi baseada no livro/filme 365(óbvio). Porém, eu estou a fazendo a minha própria versão. Algumas falas/cenas serão modificadas por mim. Além disso, eu pretendo escrever a trilogia inteira em uma só história.
Comentem e/ou favoritos são bem vindos e ficarei feliz em ler a opinião de vocês.
Capa feita pela @clara_m <3

Sem mais delongas...espero que gostem <3

Capítulo 1 - One


ANTES


Era um dia de verão excepcionalmente frio, uma brisa soprou do mar e atingiu o telhado de um prédio ocupado por um grupo de homens. Havia vários homens fortemente armados caminhando pelo perímetro do telhado, eles examinavam atentamente a área em busca de qualquer ameaça potencial enquanto três homens importantes falavam entre si. Sentados a uma mesa no meio do telhado, dois homens de cabelos escuros com um inglês com forte sotaque estavam sentados em frente a Grisha Yeager , um poderoso chefe da máfia e seu filho, Eren , ficou vários metros atrás dele enquanto Grisha conversava sobre um negócio que os homens à sua frente tinham a oferecer.

— Temos todos os tipos de meninas prontas para o transporte. Algumas com apenas 12 anos. Esta é uma boa oportunidade que pode lhe render muito dinheiro se você puder nos ajudar a contrabandear essas meninas para o país.

Grisha olhou para os homens à sua frente enquanto se recostava na cadeira, nojo estampado em seu rosto enquanto sua voz profunda enchia o ar.

— Você está desperdiçando o meu tempo com essa porcaria. Você sabe que meus associados e eu não fazemos esse tipo de coisa.

— Por favor, você é o único que conhecemos que pode lidar com este tipo de trabalho da forma que queremos. Deve haver algo que possamos fazer ou dar a você para mudar de ideia! E se dermos a você uma das meninas de presente?

Entediado com a conversa, Eren foi até a lateral do telhado, de onde podia ver a praia ao longe. Um dos guardas de seu pai entregou-lhe um par de binóculos e apontou para uma área em que algumas pessoas estavam. Levando o binóculo aos olhos, seu corpo ficou tenso enquanto ele observava a mulher mais bonita que ele já vira sorrindo enquanto mergulhava no mar. O sorriso dela o hipnotizou, e ele não conseguiu desviar o olhar enquanto observava suas feições e seu corpo.

Eren sentiu uma imensa vontade em em deixar o tio sozinho para seguir até a praia. Ele queria tanto saber o nome da mulher e o sentir gosto de seus lábios.

Virando-se para devolver o binóculo ao guarda -costas, ele encontrou seu pai ao lado dele.

— Merda, foi um desperdício de viagem.

— Quer dizer que não vamos aceitar o acordo para transportar as meninas para este país? — Eren perguntou sarcasticamente.

— Podemos fazer parte da máfia, mas não somos monstros. — Grisha riu enquanto tirava o binóculo do filho para ver o que prendeu a atenção do seu filho por tanto tempo. — Linda garota aí embaixo.

Eren queria dar mais uma olhada na bela mulher, mas seu tio ergueu a mão para segurar seu rosto.

— Você deveria pensar mais com sua cabeça agora e menos com seu pau, Eren. Fico feliz que você esteja seguindo meus passos, mas acho que é hora de você assumir mais responsabilidades, porque um dia, tudo o que trabalhei tanto para conseguir será seu.

Eren estava prestes a concordar quando um grande estrondo soou no ar, uma bala voando para o coração de seu pai e outra em sua barriga. Lutando para manter seu pai com o ferimento, eles lentamente caíram no chão do telhado enquanto seus guardas os cercavam para encontrar a ameaça.

Desorientado, Eren olhou para o corpo sem vida de seu tio enquanto seu segundo em comando, Keith Shadis, checou a pulsação de Grisha para encontrar algum sinal de vida, lágrimas caindo de seus olhos quando ele não encontrou.

         Com a visão manchada com pontos pretos, Eren tentou ficar acordado, mas falhou quando seu sangue jorrou dele. A última coisa que ele viu antes de perder a consciência foi o rosto de uma mulher sorrindo alegremente para ele.


ATUALMENTE

Sentindo a adrenalina correndo por seu corpo depois de trabalhar como DJ, tudo o que Mikasa queria e precisava era de uma liberação que só um homem poderia fornecer para ela. E isso seria apenas uma coiaa: sexo louco e selvagem. Ela podia sentir seu clitóris latejando, sua calcinha ficava cada vez mais molhada enquanto mais perto ela chegava do apartamento que dividia com seu namorado, Jean. Abrindo a porta e entrando para encontrá-lo no sofá trabalhando, ela tirou sua minúscula calcinha e a deixou cair em seu colo enquanto colocava a mão em volta do pescoço para mordiscar sua orelha.

— Babe, como foi o trabalho? — Jean perguntou enquanto continuava a trabalhar sem notar o que ela fizera.

— Ótimo, — Mikasa sussurrou em seu ouvido antes de se mover para beijar seu pescoço. — Vamos para o quarto?

— Hmmm... estou quase terminando de revisar um documento para o trabalho. Além disso, não quero sobrecarregar seu coraçãozinho fraco. Você deve descansar para amanhã.

Suspirando em seu pescoço, Mikasa pegou a calcinha de seu colo e fez seu caminho para o quarto, chateada e sexualmente frustrada. Fazia quase um ano desde que Jean e Mikasa transaram, e ela tinha um forte desejo sexual que não estava sendo atendido da maneira que ela queria, não que Jean fosse incapaz de dar a ela exatamente o que ela precisava. Ele era um bom namorado que era egoísta na maior parte do tempo e só pensava em si mesmo, mas ele era bom quando eles estavam fazendo sexo. Às vezes ela se perguntava por que ela ainda namorava com ele.

— Ei, amor?

A excitação desceu por sua espinha quando ela se virou para Jean com um sorriso sedutor, esperando que ele mudasse de ideia, mas suas esperanças foram frustradas quando ela encontrou o rosto dele ainda enterrado em seu laptop enquanto ele digitava.

— Eu sei que você não fez as malas para a nossa viagem amanhã com Sasha e seu novo namorado, então certifique-se de fazer isso antes de ir dormir.

Virando-se sem dizer uma palavra, Mikasa foi até o banheiro para tomar banho gelado. Despindo-se rapidamente, ela entrou no chuveiro para retirar o suor. Enquanto a água caía sobre seu corpo, suas mãos percorriam seu corpo do jeito que ela queria que a mão de um homem a tocasse.

— Deus, eu só preciso ser fodida com força.

Quando sua mão entrou em contato com seu núcleo, ela engasgou ao se encontrar encharcada com a adrenalina que corria por seu corpo antes.

— Acho que preciso me foder esta noite.

Depois de lavar o cabelo, ela saiu do chuveiro para se secar e caminhou para seu quarto nua, fechando a porta antes de pegar seu vibrador e lubrificante favoritos de uma gaveta. Mikasa derramou lubrificante no vibrador antes de deitar na cama, ligando-o na configuração mais baixa antes de colocá-lo contra seu clitóris. Ela gemeu alto com o contato e esperou que Jean não a ouvisse enquanto ela cobria a boca com a mão.

— Porra. — Ela engasgou quando um homem bonito com cabelo escuro e pele bronzeada entrou em sua mente. Mikasa não sabia por que ela sempre via o rosto dele quando estava perto do orgasmo, mas sem falhar, seu rosto sorridente sempre aparecia. Ela não tinha ideia de quem ele era ou onde o conheceu, mas ela desejou que ele estivesse com ela agora.

Qual seria a sensação de tê-lo dentro de mim? Mikasa pensou enquanto empurrava o vibrador dentro de si, aumentando a configuração. Ele seria capaz de me foder do jeito que eu preciso? Do jeito que eu desejo?

As pernas de Mikasa começaram a tremer enquanto ela movia a mão mais rápido, mudando a configuração para o nível mais alto possível enquanto ela imaginava seu homem misterioso olhando para ela - com os olhos dilatados. Quando seu sorriso se tornou selvagem e ele rosnou para ela ir mais fundo, ela fez o que ele ordenou enquanto seus dedos das mãos e dos pés cavavam nas cobertas, suas costas arqueando para fora da cama. Gritando em sua mão, ela estava grata por Jean não a ouvir enquanto seu peito arfava com sua respiração, seu corpo inteiro tremendo incontrolavelmente enquanto ela gozava, seu líquido encharcando o lençol.

*****

Por hábito, Eren verificou seu telefone ao acordar de seu cochilo no avião particular, guardando-o rapidamente quando abriu o vídeo que Hitch havia enviado para ele dela seminua e dizendo que ela estava esperando por ele. Xingando baixinho, ele sabia que ficar com ela nos últimos anos era uma má ideia, mas ele não pôde evitar. Passaram-se alguns meses desde a última vez que ele a viu e ela foi implacável em tentar pegá-lo, mas ele sabia que teria que cancelar o mais cedo ou mais tarde.

Ele foi para a frente do avião, onde Hannes e Zeke, seu primo, estavam sentados enquanto a aeromoça loira solitária lhe entregava uma bebida antes de ir para a parte de trás para refazer os cobertores no longo sofá em que Ben cochilou.

— Eu vou matá-los. — Zeke rosnou.

— Matar quem?

Hannes se virou para Eren.

— Aparentemente, alguém roubou um contêiner de nossa mercadoria.

Cerrando os punhos, ele praguejou antes de se levantar, movendo-se para trás novamente. Eren afrouxou as amarras das cortinas que bloqueavam a visão dos bancos da frente e os fechou antes de se virar para a aeromoça, que o encarou com desejo nos olhos.

Sorrindo para ela, ele a empurrou para se sentar no sofá de onde tinha acabado de se levantar enquanto as mãos dela se moviam automaticamente para desfazer o cinto, a mão dele enfiando-se no cabelo ruivo. Assim que o botão e o zíper foram abaixados e seu pênis liberado, os olhos da ruiva se fixaram nos dele.

— Você não está duro, senhor.

Rangendo os dentes, ele puxou a mulher de pé e a empurrou para a frente do avião. "Em vez disso, vá servir meus homens."

Prestes a enfiar-se nas calças, seus pensamentos se voltaram para a única mulher que nunca falhou em deixá-lo duro nos últimos cinco anos. Ele sabia que estava obcecado por uma mulher que nunca conheceu, mas algo nela o fez esquecer os problemas em sua vida.

Olhando para seu pau endurecido, ele lambeu a mão antes de movê-la para baixo para acariciar a si mesmo. Ele moveu a mão lentamente no pênis enquanto imaginava a mulher na frente dele colocava seu pênis na sua boca quente e úmida e chupava-o.

— Foda-se. — Ele engasgou enquanto sua mão se movia mais rápido. Sua boca se abriu em um 'o' enquanto ele respirava pesadamente e seus joelhos ameaçavam ceder embaixo dele. Eren não queria nada mais do que enfiar os dedos pelos fios sedosos da mulher enquanto ele empurrava seu pênis em sua boca, enquanto sentia a sensação familiar de orgasmo subindo por sua perna. Onde diabos você está mulher?

*****

Sicília, Itália

— Eu já disse que adoro que você trabalhe para a melhor rede de hotéis do mundo? Quer dizer, não posso acreditar que eles pagaram uma suíte para nós!

Mikasa se virou para sua melhor amiga com uma risada.

— Eu ganho muito dinheiro para o hotel, então é melhor que eles me recompense.

Aproveitando os últimos raios de sol e seu tempo com Sasha, Mikasa se espreguiçou na cadeira ao ar livre ao lado de sua amiga em uma cabana semi-privativa ao ar livre.

— A propósito, onde estão os caras?

— Quem sabe e quem se importa?

— Mikasa, viemos aqui porque é seu aniversário no final da semana. Você não quer passar com o seu namorado também? ”

— Você sabe como Jean é. Estou no final da sua lista de prioridades. Se não for sobre seus desejos e necessidades, ele não se preocupa com mais nada.

— Por que ficar com ele então?

— Não sei. Estamos juntos há tanto tempo. Mas, e o seu novo namorado que você trouxe com você nesta viagem?

— Eh, ele está bem. Posso terminar com ele depois desta viagem. E pare de mudar de assunto. Esta semana é tudo sobre você. Diga-me, quanto tempo faz desde que você transou com Jean? A última vez que perguntei, você disse que já haviam se passado alguns meses.

— Quase um ano…

— UM ANO? O QUE?! MIKASA! 

Mikasa colocou a mão sobre a boca de Sasha enquanto ela acenava um pedido de desculpas para aqueles que estavam sentados perto deles.

— Shh, o que há de errado com você?

— O que há de errado comigo ?! — Sasha murmurou sob sua mão antes de removê-la. — Você é a única pessoa que eu conheço que fica sem sexo por um ano. Isso deveria ser um crime!

Mikasa encolheu os ombros.

— Sim, Jean não está com humor para ter contato mais íntimos.

— Mikasa ... — Sasha começou, mas parou quando Jean e seu namorado chegaram ao lado deles.

— Desculpe, estamos atrasados, mas eu tenho uma surpresa para você, baby.

Com um bolo em suas mãos, Jean começou a cantar parabéns em italiano para Mikasa.

— Sou eu ou ele cheira a perfume de outra mulher? — Sasha sussurrou antes de Jean terminar de cantar.

Beijando sua bochecha antes de se sentar em frente a ela, Jean sorriu para Mikasa

— Você gostou?

— Foi muito gentil da sua parte, Jean, mas você está alguns dias adiantado. — Disse Mikasa sem entusiasmo, o doce aroma do perfume de outra mulher flutuando em sua direção.

— Eu queria que fazer una surpresa, baby!

— Ou ele esqueceu em que dia é seu aniversário, de novo. — Sasha sussurrou em seu ouvido.

— Com licença, mas isso é para você. — Um garçom interrompeu colocando um balde de gelo com uma garrafa de champanhe na mesa.

— Você pagou pelo meu champanhe favorito!

— Eu queria levar o crédito, querida, mas não fui eu.

— Não, senhorita. O cavalheiro ali mandou para você.

Todos se viraram para ver onde o garçom apontava perto do bar, mas o cavalheiro em questão estava envolto em sombras enquanto erguia o copo para eles antes de se virar para ir embora, todas as luzes externas acendendo um segundo após sua partida.

— Eu não pude ver o rosto dele no escuro, você viu? — Sasha perguntou.

— Quem se importa com aquele cara? —Jean disse, seus olhos no champanhe caro. — Vamos abrir e desfrutar dessa bebida grátis!

— Não, espere. Eu preciso usar o banheiro. Não abra a garrafa até eu voltar. Sasha, quer se juntar a mim?

— Desculpe querida. Eu não acho que posso dar mais um passo com esses sapatos. Não sei como você consegue usar esses saltos onde quer que vá sem problemas. Vou esperar bem aqui com os meninos, então volte logo.

Beijando a bochecha de Sasha e ignorando Jean, Mikasa fez seu caminho em direção à área onde ela pensava que os banheiros estavam e acabou em um jardim com árvores altas e roseiras que ela não podia ver. Com a lua como a única fonte de luz nesta área, Mikasa cuidadosamente fez seu caminho ao longo do caminho até que ele se dividiu em dois. Ela virou à esquerda e deu alguns passos antes de parar, se questionando onde estava.

Virando-se rapidamente, ela esbarrou em um peito musculoso e ergueu os olhos para fitar um rosto masculino meio coberto por uma barba.

— Você está perdida, babygirl? — O som dessa voz profunda que fez um arrepio correr por sua espinha.

Mikasa sem querer fechou os olhos enquanto saboreava sua voz melódica e o rico perfume de sua colônia antes de abrir os olhos para encarar seus lábios cheios e sorridentes.

— Não. — Ela sussurrou, evitando que o homem se afastasse, mas ela congelou no lugar enquanto as imagens passavam por sua mente.

— Espere, — Mikasa falou, mas quando ela se virou para enfrentar o estranho, mas ele não estava em lugar nenhum.


Notas Finais


Espero que tenha gostado! Ficarei feliz em saber a opinião de vocês 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...