1. Spirit Fanfics >
  2. 365 Dias Com ela ..(Clexa) >
  3. Cap 29 365 Dias Com Ela Clexa

História 365 Dias Com ela ..(Clexa) - Capítulo 29


Escrita por:


Notas do Autor


Quem ai ler a história Redenção é submiçao Clexa? Gente vamo organizar um multirao por atualizaçao daquela fic pq eu amo ...to morrendo de curiosidade

https://www.spiritfanfiction.com/historia/redencao-e-submissao--clexa-au-16587745

Esse é o link historia maravilhosa quem quiser dar uma olhada

Capítulo 29 - Cap 29 365 Dias Com Ela Clexa


-Bem, estamos fazendo um bordel - disse Octaviaa em polonês, sabendo que ela não entenderia uma

palavra. - Você vai se sentar assim e ela vai ficar assim, devo sair porque não sei mais?

- O que você está fazendo aqui? Eu perguntei. - E como você me achou?

- O carro tem um localizador de roubo, e eu sei onde mora sua melhor amiga. Não me apresentei -

ela disse, olhando para Octavia. - Alexandria  Torricelli Wollds

"Eu sei quem você é", disse ela, apertando a mão de Lexa

. - Graças às descrições dela, eu não tinha dúvida de quem estava entrando. Você está  se olhando ou quer conversar?

Os olhos de Lexa se suavizaram e eu queria rir. A situação era tão ridícula quanto tudo o que

aconteceu na minha vida por várias semanas. Levantei-me do sofá e peguei as chaves do carro,

aproximei-me de minha amiga e beijei sua testa.

- Eu vou agora , te vejo amanhã, ok?

"Vá e sopre ela para mim, ela é tão quente que eu estou molhada", respondeu Octavia, dando um

tapinha na minha bunda. - Ou talvez ela tenha um amigo? Ela acrescentou quando nós dois

cruzamos o limiar.

- Confie em mim, você não quer. - acenei adeus a ela.

Saímos sem dizer uma palavra, apertamos a tecla e entramos no carro, e Lexa sentou no banco

do passageiro.

- Cadê o Porsche?

- Paulo o levou para casa.

Eu apertei o acelerador e segui em frente. No caminho para o apartamento, não dissemos

nenhuma palavra como se todo mundo estivesse esperando a outra começar.

Quando entramos no apartamento, Lexa estava sentada no sofá e, nervosamente, escovava os cabelos com a mão.

- Sua amiga sabe quem eu sou? Você contou tudo a ela?

"Sim, porque eu já cansei de mentir, Lexa" Não posso viver assim, talvez quando

estivamos na Itália fosse mais fácil, porque todo mundo sabe quem você é, mas há um mundo

diferente, outras pessoas - perto de mim. E toda vez que tenho que mentir para eles, me sinto

mal.

Ela ficou olhando para mim quase mortal.

"Vamos voltar para a Sicília depois do fim de semana", disse ela, levantando-se.

- Quer volta, volta, não vou a lugar nenhum. Além disso, eu acho

você deveria se desculpar comigo.

Lexa veio até mim, tremendo de raiva, seus olhos mais uma vez ficaram completamente pretos e os maxilares cerraram ritmicamente.


"Eu não o matei, então você não pode me culpar." Eu fui lá para conscientizá-lo de com  quem ele

estava lidando e indicar claramente

a fronteira entre você e ele.

Sei que ele está vivo e que ele me deixará em paz. Ele disse a Octavia que eu não o importo mais.

Lexa  apertou as mãos nos bolsos com diversão indisfarçada

e balançou nos calcanhares.

- Bem, seria estranho se depois de você e depois de mim, ele quisesse continuar atras de um retorno.

Eu fiz uma careta e olhei para ela interrogativamente.

"Eu não o matei, agradeça", ela disse, beijando minha testa

e desapareceu no quarto.

Fiquei lá mais um momento, imaginando como ela seria.

. Incapaz de pensar em qualquer coisa, eu a segui. Lexa estava no provador, então

passei por ela, fui ao banheiro e tomei um banho, sonhando em me deitar. Quando voltei, ela

estava enrolada na cama

com uma toalha e assistindo TV. Ela parecia absolutamente normal, não como alguém que havia

ameaçado alguém com uma arma algumas horas atrás. Mais uma vez fiquei fascinado por seus

extremos.

Para mim, ela era a mulher ideal, uma mulher de verdade, guardiã e protetora, mas para o

resto do mundo ela se tornou uma máfiosa errática e perigosa. Era estranho e emocionante, mas

era suportável a longo prazo? Desde ontem à noite, quando ela se ajoelhou diante de mim,

fiquei pensando se seria uma boa idéia passar o resto da vida com ela

"Clark, precisamos conversar", disse ela sem tirar os olhos da televisão. - Hoje, o fato de você não ter atendido a ligação, desligou o telefone. Eu gostaria que fosse a primeira e a última vez. É sobre sua segurança. Se você não quiser conversar comigo, responda e me diga, mas não cause situações nas quais eu precise usar medidas definitivas, como rastrear você.

Fiquei na porta do banheiro e tive vontade de discutir, mas lembrei das palavras de Monica e lamentava que ela estivesse certa. Fui para a cama e joguei minha toalha. Eu fiquei nua e ela ainda não prestou atenção em mim. Com raiva de sua ignorância, deitei-me e me enrolei em uma colcha, abracei minha cabeça no travesseiro e adormeci imediatamente.

Fui acordado por um toque suave na entrada da minha boceta e senti dois dedos deslizarem para dentro. Suspenso entre a realidade e o sono, fiquei confuso, não sabia se aquilo estava realmente acontecendo ou se era apenas minha imaginação.

Lexa?

Sim? - ouvi seu sussurro sensual logo atrás da minha orelha.

O que você está fazendo?

"Devo entrar porque ficarei louca", disse ela, juntando os quadris.

tão perto que seu pau duro descansou nas minhas nádegas.

- Eu não estou com vontade.

"Eu sei", ela confirmou e o agrediu brutalmente.

Seu pênis entrou no meu buraco molhado de sua saliva. Eu gemi,

inclinando a cabeça para trás e apoiando-se no ombro. Deitamos de lado

e seus braços poderosos me abraçaram. Os quadris de Lexa  estavam imóveis, e suas mãos

vagaram lentamente nos meus seios. Ela tocou meu corpo nu quase devotamente,

ocasionalmente apertando meus mamilos com força. Seu toque intenso me acordou

completamente, e o que ela estava fazendo acendeu minha paixão.

"Eu quero sentir você, Clark ", ela confessou enquanto meus quadris balançavam um pouco. 

-Não se mexa.

Eu estava chateada, ela me acordou, me exitou e agora ela me disse para ficar queta

Tirei-a do meu corpo e torci-o, rolando minha perna sobre ela; Eu montei ela

"Você sentirá isso mais profundo e mais rápido agora", eu disse, agarrando seu pescoço.

Lexa não se defendeu; ela agarrou meus quadris com as duas mãos e os moveu gentilmente.

Mesmo deitada debaixo de mim, ela teve que manter a aparência de dominação. Apertei

minhas mãos com mais força e me inclinei para ela.

"Eu vou te machucar desta vez", eu disse e calmamente comecei a balançar meu traseiro.

Quando meu clitóris roçou seu estômago, eu queria mais e mais rápido. Meus movimentos se

tornaram cada vez mais insistentes e cruéis. Lexa enfiou os dedos nas minhas nádegas,

causando-me dor, e gemeu alto. Incapaz de aguentar mais, dei-lhe um tapa na  bochecha emburrada

com a mão livre e comecei uma abordagem longa e intensa. Quando o orgasmo tomou conta

do meu corpo, todos os meus músculos ficaram rígidos e eu parei de me mover. Lexa me

agarrou ainda mais forte e começou a me mover ritmicamente, e depois de um tempo senti seu

dedo deslizar na minha bunda, e eu vim novamente com um grito alto quando ela me esfregou

mais e mais profundamente em si mesmo.

"Mais uma vez, baby", ela sussurrou.

Afastei meu braço de seu peito e o acertei na cara. Nunca aguentei  tanto tempo e com tantos orgasmos múltiplos. Lexa me jogou de costas sem puxar seu pau e se ajoelhou na minha frente.

Eu estava exausta, mas queria fazer mais.

"Eu não vou terminar", disse ela, fazendo uma pausa e  me largando

. - Além disso, as camisinhas ficaram no carro e eu não  interrompo. Olhei para Lexa

com espanto, mas no escuro não pude ver a expressão em seu rosto. Eu tratei seu orgasmo como pessoal

desafio e realização, dando mais satisfação do que a minha.

"Se você não quiser terminar, eu terminarei por você." Eu decidi e comecei a tomá-lo

profundamente na garganta, enquanto segurava firmemente sua mão. Lexa respirou

pesadamente e profundamente, contorcendo-se debaixo de mim e o  

o corpo dela disse que estava pronto para terminar.

Agarrei a mão dela e coloquei na minha cabeça para que desse o ritmo,

 que combina com ela. Lexa apertou os dedos no meu cabelo e, pressionando minha

cabeça contra seus quadris, me forçou a abraçá-lo por toda parte.

Ela começou a atingir o pico, e uma onda de seu sêmen inundou minha garganta. Eu não consegui engolir, então o conteúdo estava fluindo parcialmente da minha boca. Ela não fez nada

sobre isso, perdido no prazer que meus lábios lhe deram. Em um ponto, seu aperto de mão

relaxou. Ela caiu na minha cabeça até cair no lençol. Eu olhei para cima e lambi sua barriga

vulgarmente.

"Você é gostosa", eu disse, deitando-me ao lado dela.

Apertei o botão no controle remoto que estava na mesa de cabeceira, e os leds embaixo da

cama brilhavam para criar um brilho que me permitia ver seu rosto. Ela estava deitada com a

cabeça de lado e me encarou apaixonadamente.

"E você cruelmente pervertida, Clark ", ela ofegou, incapaz de acalmar a respiração.

- Sua visão não inclui aspectos sexuais? Eu perguntei, lambendo meus lábios provocativamente

dos restos de seu esperma.

- Eu sempre pensava em  você está na cama, mas toda vez que eu te fodia, não você.

Eu me aproximei dela e beijei sua bochecha gentilmente, acariciando seus testículos pesados.

- Infelizmente, eu creio que às vezes preciso de um pouco de poder. Mas não se preocupe,

esse é um fenômeno raro, geralmente prefiro ser escravo do que executor. E eu não sou pervertida, apenas perversa, e essa é a diferença.

- Talvez se não for com muita frequência, eu posso lidar com isso de alguma forma. E confie em

mim, baby ", disse ela, enredando os dedos nos meus cabelos. "Você é pervertida, perversa,promíscua e, graças a meu Deus, "


Notas Finais


Aí cansei fui


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...