História 366 days of Jihan - Capítulo 40


Escrita por:

Postado
Categorias NU'EST, Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Minhyun, Ren, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Jeonghan, Jihan, Jisoo, Joshua
Visualizações 216
Palavras 2.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIIII AAAA
DESCULPEM, eu demorei bastante, poxa, perdão
Vou tentar não demorar pro próximo, aaaaa 💕
Boa leitura KKKKK 🌚

Capítulo 40 - Capítulo 40


Fanfic / Fanfiction 366 days of Jihan - Capítulo 40 - Capítulo 40

- O meu marido, ele faleceu.

Agora tudo fazia sentido. Ele estava triste, guardando toda a tristeza para si mesmo e sofrendo sozinho. Ele nunca tinha feito isso antes, sempre contamos tudo um ao outro. Já li sobre casos de perda de memória recente, pode acontecer com pessoas que passam por um estresse muito grande ou algo do tipo. Tenho certeza que foi isso que aconteceu com o Ming.

- E-eu...eu sinto muito. - a abracei. Meu sogro era um homem muito bom, essa notícia me abalou também, isso é horrível.

- Obrigada. - ela chorava no meu ombro, mas era um choro controlado, já devia ter chorado demais desde o dia em que ele morreu.

- Eu posso ver o Ming? Ele está em casa?

- Ele está no quarto. - ela enxugou aquelas lágrimas e abriu um pequeno sorriso. - Pode ir lá, querido. Ajude o nosso Ming, ele precisa de você.

Concordei e fui saindo da sala, pronto para ir até o quarto do meu namorado.

Ren P.O.V

- Rennie, eu já vou. - Jeonghan bateu na porta do quarto, saí correndo para abrir. - Vou deixar a chave na porta.

- Tudo bem. - abri um mínimo sorriso.

- Tem certeza que vai ficar bem sozinho aqui?

- Qualquer coisa eu te ligo. Não se preocupe comigo, se divirtam. - eu falei, fazendo Jeonghan abrir um sorriso.

- Até amanhã, eu amo você. - Hannie deixou um breve selar em minha testa e saiu.

Isso foi o suficiente para que um enorme sorriso surgisse nos meus lábios. É o que sempre quis, eu e meu primo nos dando bem, como uma família.

Assim que ele saiu, tomei um banho rápido pra tirar o suor. Talvez assim eu conseguisse dormir um pouco, já que estou sozinho e não tenho nada para fazer. Coloquei apenas uma camisa larga, uma bermuda e meus chinelos, ficando pronto para apenas deitar na cama e assistir algum filme.

Assim que deitei, a campainha tocou. Mas quem poderia ser? Jeonghan tem a chave, e a minha tia também. Mesmo confuso, eu fui até a porta, ficando bem surpreso quando a abri.

- Min? - eu fiquei muito surpreso, mas abri um enorme sorriso ao vê-lo. - O seu cabelo... - minha frase foi interrompida quando de surpresa, Minhyun juntou seus lábios aos meus.

De imediato minhas mãos foram até a cintura dele, o apertando com certo desespero. O beijo era calmo e delicado, mas eu estava tão feliz que só queria apertá-lo cada vez mais.

Levando sua mão até minha bochecha, Minhyun me fez um breve carinho antes de finalizar o beijo. Eu pude vê-lo sorrindo ainda de olhos fechados antes de nos separarmos totalmente.

- Eu posso entrar? - sussurrou, e com um sorriso, eu assenti.

Joshua P.O.V

- Mãe, você não ia sair? - eu olhei no relógio, já um pouco impaciente.

Desde que Jeonghan chegou aqui em casa esses dois não pararam de conversar por ao menos um segundo. Isso é bom, mas o namorado é meu e ele veio passar um tempo comigo, não com a minha mãe.

- Shua, não expulse a sua mãe assim. - Hannie falou. Cada palavra que saía da boca dele, era um suspiro que minha mãe soltava. Ele parecia um idol, e ela uma sasaeng.

Isso sem contar que ele estava com a cara toda roxa de machucados, não quero nem imaginar se estivesse em seu estado perfeito.

- Não, querido. Ele tem razão, eu já vou indo. Até amanhã, boa noite, se cuidem.

- Até, senhora Hong. - Jeonghan falou com um sorriso no rosto e deu um breve abraço em minha mãe.

- Te amo, filho. - ela beijou minha testa e finalmente saiu de casa.

- Agora não precisa mais ficar com ciúmes. - Jeonghan veio em minha direção com os braços abertos.

- Eu não estava com ciúmes. - revirei os olhos e segui andando até o meu quarto, Jeonghan me seguiu.

Sentei na cama, pensando no que poderíamos jantar. Talvez possa encomendar uma pizza.

- Jeong...O que você está fazendo?

- Passando uma base nesses roxos. Por quê?

- Não precisa disso. Só eu estou aqui.

- Por isso mesmo, se fosse outra pessoa, eu não me importaria em estar feio. - sorriu de lado e continuou passando a base.

- Você não está feio. - eu ri. - Isso é impossível.

Fiquei em silêncio até que ele terminasse o que estava fazendo, e quando se virou pra mim, eu não via mais nenhum roxo em seu rosto.

- Você é bom nisso. - sorri e me aproximei.

- Você falou que é impossível eu estar feio? É isso? - sorrindo de lado, ele se aproximou mais.

- Odeio alimentar o seu narcisismo, mas é isso mesmo. - Jeonghan riu, e me deu um soquinho no peito em seguida.

- Você está bem? - selou meus lábios rapidamente antes de me deixar responder.

- Como assim? - não entendi aquela pergunta, foi um tanto aleatória.

- É que...Aquilo que aconteceu hoje, sabe. Seu ex.

- Ah, Seokmin. - revirei os olhos. - Eu estou bem sim. Só não chegue perto dele, tudo bem? - Jeonghan concordou.

- Shua. O que exatamente aconteceu entre vocês?

Eu disse que ia contar, e eu vou. Não vou esconder nada do meu namorado.

- Seokmin me traiu com Seungcheol. - Hannie arregalou os olhos. - Não nos conhecíamos na época, e ele também não sabia que Seokmin namorava.

- Então por que toda essa raiva com o Seungcheol? - ele perguntou e eu engoli seco.

Eu não tinha medo de contar, apenas me sentia estúpido. Eu fui muito burro, estava triste e agi sem pensar. Não queria que Jeonghan me achasse um idiota.

- Jisoonnie, pode contar.

- Tá, mas primeiro...vem aqui. - puxei meu Hannie levemente pela nuca e o beijei, logo sentindo suas mãos em minha cintura.

Nossas línguas brigavam intensamente por espaço dentro da boca um do outro, era um beijo intenso mas carinhoso ao mesmo tempo. Coloquei minha mão em sua bochecha, deixando meu polegar fazer um suave carinho ali. Com esse ato, Jeonghan sorriu, e assim rompemos o beijo.

- Desculpa, eu vou contar. - falei e ele assentiu rindo.

Flashback on

- Dokyeonnie, a sua carteira! - eu gritei, mas ele já tinha saído e não me ouviu.

Seokmin estava aqui em casa, mas disse que tinha que ir ao cinema com o irmão mais novo, que iriam olhar um filme chato infantil e por isso ele não queria que eu fosse.

Cerca de um minuto depois que ele saiu pela porta da minha casa, eu percebi que ele tinha esquecido a carteira em cima do sofá. Ele com certeza ia precisar disso pra pagar o cinema, preciso entregar pra ele.

- Mãe! - gritei.

- Que foi, filho? - ela apareceu na sala, preocupada.

- Vai sair agora, certo?

- Sim. Por quê?

- Então vem logo. Precisamos ir atrás do Seokmin, ele esqueceu a carteira. - levantei do sofá com pressa e já fui indo até a porta, juntamente com minha mãe.

Eu tentei ligar, mas ele não atendeu nenhuma vez.

- Por que você não entrega amanhã?

- Ele vai ao cinema com o irmão, com certeza vai precisar da carteira.

- Socorro, então vamos! - ela correu até o carro e eu ri com seu desespero.

Podíamos ver o carro do meu namorado logo à frente, um pouco longe.

- Vamos mãe, apenas siga ele. - falei e assim ela fez.

Íamos seguindo o carro de Dokyeom, mas ainda tinham alguns na nossa frente.

Passados alguns minutos, nós ultrapassamos o shopping. Não estranhei, afinal, ele teria que buscar o irmão antes de ir. Mas quando o vimos passar reto por sua casa, aquilo foi estranho. Ele estava mentindo pra mim?

Não, Joshua. O irmão dele deve estar na casa de outra pessoa, com certeza.

- Filho, ele parou. - minha mãe falou, começando a desacelerar o carro.

Dokyeom tinha estacionado na frente de uma casa, mas que eu saiba não era de nenhum familiar dele.

- Pode me deixar aqui, mãe. Não quero que se atrase pro trabalho, até mais. - beijei rapidamente a testa de minha mãe e saí do carro.

Assim que fiz isso, ela acelerou e desapareceu em menos de dois segundos.

Como eu estava um pouco longe, fiquei observando Dokyeom enquanto ele saía do carro, não acho que ele vá me ver de onde eu estou.

Eu poderia correr e entregar a carteira pra ele agora mesmo, recebendo um agradecimento e aquele lindo sorriso de sempre, mas eu não faria isso, porque tinha algo muito estranho ali.

Vi meu namorado apertar a campainha daquela casa, e após alguns segundos, um garoto abriu a porta com um sorriso no rosto.

Com toda certeza não era o irmãozinho de Dokyeom.

Se aproximando do garoto, Seokmin deixou um rápido selar nos lábios dele antes de entrar na casa do mesmo.

Isso mesmo, meu namorado acabou de beijar outro garoto. Meu queixo caiu com a cena, e meus olhos se encheram de lágrimas. Eu não conseguia acreditar naquilo, mas aconteceu, aconteceu bem na minha frente.

Com as lágrimas já escorrendo pelos meus olhos, eu fui caminhando na direção daquela casa. Não sei daonde eu tiraria forças mas eu não ia deixar isso barato. Só preciso ser forte e não desabar no choro quando olhar pra ele.

Respirei fundo e após limpar as lágrimas, eu bati na porta.

Em poucos segundos, aquele garoto abriu a porta.

- Posso ajudar?

- Sou o namorado do Seokmin, pode chamar ele antes que eu te dê um soco? - sorri ironicamente, vendo o queixo dele cair.

- C-como? Seokmin não tem namorado, nós ficamos e...

- Ele te enganou, ok? Assim como me enganou. - pelo visto ele não sabia de nada, menos ruim, pra ele. - Eu sou... - respirei fundo, fechando os olhos com força por alguns segundos. - Eu sou o namorado dele, ou pelo menos eu era. Será que você pode chamá-lo? Por favor. - implorei, eu estava quase desabando.

- E-eu posso sim. - eu podia ver que ele estava chocado. - Olha, me desculpa, eu...eu realmente não sabia. - apenas concordei com a cabeça, mantendo o olhar desviado.

O garoto saiu correndo pra dentro de casa, e enquanto isso, eu me preparava psicológicamente. Meu lábio quase sangrava de tanto que eu o mordia, meus olhos marejados eram quase impossíveis de se controlar, eu estava frustrado demais, decepcionado, totalmente sem chão. Não conseguia acreditar, nunca imaginei que Dokyeom faria uma coisa dessas, nunca mesmo. Agora eu vi que não posso confiar nas pessoas facilmente.

- Josh? - levei um susto com sua voz e o olhei imediatamente. Um arrepio percorreu todo o meu corpo, mas eu não ia enfraquecer agora.

No mesmo momento, levantei minha mão e dei um forte tapa no rosto dele, o barulho ecoou todo o lugar. A mão de Dokyeom rapidamente foi até seu próprio rosto, acariciando onde ardia. Aquele garoto arregalou os olhos na hora do tapa, mas parece ter gostado do que eu fiz, e Seokmin mantinha um sorriso ladino no rosto, o que me deixou com ainda mais nojo dele.

- Nem tenta. - falei quando ele abriu a boca para falar algo. - Eu não quero ouvir nada. Acabou tudo, e nunca mais apareça na minha frente. - joguei a carteira na direção do carro dele.

- Cheol...

- Não, eu...eu digo o mesmo que ele. Não quero mais te ver.

- Ah, qual é, você também não é tão diferente de mim. Vai dizer agora que se importa com isso? - Seokmin insistiu.

- Vai embora, agora. - o garoto também parecia estar se segurando para não explodir.

Eu só sentia raiva e tristeza agora, estava consumido por isso, não conseguia nem pensar direito.

Após alguns segundos nos olhando, Seokmin deu as costas e foi andando até seu carro. Esperamos ele ir embora para falar alguma coisa.

- Isso foi...muito louco. - o garoto comentou.

- Qual é o seu nome?

- Seungcheol. E o seu?

- Jisoo. Pode me chamar de Joshua. - eu falei baixinho.

- Olha...é sério, eu juro que não sabia que ele tinha namorado. Sabe, também estou triste com isso, eu gostava dele...aquele idiota. - ele parecia estar que nem eu, bravo e triste ao mesmo tempo. Mas estava controlado.

- Não podemos deixar isso assim. - falei me aproximando de Seungcheol. Ele me olhava confuso e receoso. - Vamos nos vingar dele, mesmo que ele não esteja vendo. - chegando ainda mais perto, fui o empurrando e adentrei sua casa. - Tem alguém aqui?

- Não...

- Ótimo. - o atirei no sofá e fiquei por cima dele. Aproximei nossos rostos e o beijei com intensidade, ele foi pego de surpresa com aquilo, mas retribuiu no mesmo instante.

Eu estava com pressa, e com um pouco de dificuldade, levei minha mão até sua calça e abri o zíper, adentrando meus dedos em sua cueca sem enrolar.

Flashback off

- VOCÊ TRANSOU COM O SEUNGCHEOL?!





Notas Finais


#JeonghanChocado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...